Economia

‘REAL DIGITAL’: Banco Central quer ampliar meios de pagamento com moeda virtual para 2022

Foto: Priscila Zambotto/Getty Images

Depois do sucesso do Pix, o Banco Central quer ampliar as formas de pagamento no País com o real digital, ou a versão virtual da moeda brasileira. A instituição lançou na semana passada um laboratório para avaliar possibilidades de uso e a capacidade de execução de projetos com o real digital e prevê começar testes com grupos específicos até o fim de 2022.

O real digital também tende a facilitar e baratear a criação de contratos de empréstimos personalizados, para poucos dias ou com pagamentos em meses específicos. E ainda pode favorecer a integração com sistemas de pagamentos internacionais, permitindo que se faça uma compra em outro país com conversão imediata.

Os testes, contudo, tendem a durar um bom tempo, e a moeda virtual deve demorar muito mais que o Pix para chegar ao consumidor final. O BC vai precisar criar um novo ambiente financeiro para colocá-la de pé, com todas as garantias de segurança e proteção de dados dos consumidores.

“É quase como se estivéssemos fazendo mais um sistema financeiro para funcionar acoplado ao que temos hoje”, destaca o coordenador dos trabalhos sobre o real digital no BC, Fabio Araujo.

O Banco Central já definiu algumas diretrizes para o real digital, mas espera o resultado do laboratório para fechar o desenho completo. Já está certo que a moeda virtual vai ser “idêntica” ao real em papel, mas só vai poder ser usada em transações eletrônicas e será armazenada em carteiras digitais de instituições financeiras. A moeda digital vai além do Pix ou qualquer transferência eletrônica porque permitirá movimentar reais que não existem fisicamente.

A tecnologia a ser utilizada ainda não foi definida, mas o blockchain, que é usado nas criptomoedas, como o bitcoin, é o caminho mais provável. Porém, diferentemente do bitcoin e de outros criptoativos, o real digital estará sob o controle do BC, ou seja, será uma Moeda Digital do Banco Central (CBDC, na sigla em inglês).

Na prática, será reconhecido oficialmente como moeda brasileira. Ou seja, o valor sempre estará atrelado ao mesmo do real convencional. Já as criptomoedas não são consideradas moedas correntes, mas um ativo (que precisa ser convertido por uma moeda convencional, seja dólar ou real) com valor instável e efeito especulativo.

O edital para a inscrição de projetos relacionados ao real digital no laboratório criado pela Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) em parceria com o BC ficará aberto de 10 de janeiro a 11 de fevereiro. A seleção vai mirar modelos de negócios que tragam ganhos para o sistema financeiro atual e que tenham capacidade de execução ao longo do processo.

As propostas selecionadas serão divulgadas no início de março e, na sequência, de 28 de março a 29 de julho, será a etapa de execução. Nessa fase, servidores do Banco Central e voluntários do mercado e da academia farão um acompanhamento da evolução dos projetos a cada 15 dias.

O real digital, que está sendo testado pelo Banco Central, será uma versão da moeda brasileira, mas que poderá ser usada apenas no meio digital. É exatamente a moeda que já usamos no dia a dia, mas não vai dar para colocar no bolso.

O cliente deverá ter uma conta separada para as moedas físicas e outra para o real digital em bancos, fintechs e outras instituições financeiras autorizadas pelo BC. E vai poder transferir de uma para a outra.

A tecnologia utilizada é o blockchain, a mesma que vem sendo utilizada para as criptomoedas, como o bitcoin e o ethereum.

Estadão Conteúdo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Suprema Corte dos EUA barra ordem de governo Biden para impor vacinação ou testes contra Covid-19 em empresas

Foto: Evelyn Hockstein / REUTERS

A Suprema Corte dos EUA bloqueou uma iniciativa, apresentada pelo governo de Joe Biden em novembro, que obrigava a vacinação ou a apresentação de testes regulares contra Covid-19 em empresas com mais de 100 funcionários. A decisão, que teve o apoio dos seis juízes conservadores e foi rejeitada pelos três vistos como progressistas, é um golpe contra as ações da Casa Branca para incrementar os índices de imunização no país. Com entrada em vigor em 4 de janeiro, a medida atingia mais de 80 milhões de trabalhadores nos EUA, com previsão de multas de até US$ 14 mil (R$ 78,7 mil) por funcionário.

A norma, apontada pelo governo como um “padrão temporário de emergência”, fazia parte de um plano de ação contra a pandemia e seria implementada pela Administração de Segurança e Saúde Ocupacional do Departamento de Trabalho (Osha, em inglês). Contudo, para a Suprema Corte, dando razão a uma ação movida pelo governo de Ohio e grupos empresariais, a agência responsável pela segurança no ambiente de trabalho não tem poderes para exigir a vacinação de profissionais do setor privado.

“Apesar de o Congresso ter dado à Osha o poder de fiscalizar riscos ocupacionais, não deu à agência o poder de regulamentar a saúde pública de maneira mais ampla. Exigir a vacinação de 84 milhões de americanos, escolhidos apenas porque trabalham para empregadores com mais de 100 funcionários, certamente não está entre seus poderes”, diz a decisão, que não foi assinada.

Durante a argumentação oral, a representante do governo, Elizabeth Prelogar, apontou que a Covid-19 traz riscos graves ao ambiente de trabalho por causa da excessiva exposição ao vírus, o que poderia ser amenizado com o uso de mascaras e vacinação. Com menos empregados afastados e doentes, afirma a Casa Branca, a retomada econômica seria mais fácil e segura.

Diante da perspectiva da derrota, fez-se um pedido para que ao menos fossem aceitas regras exigindo o uso de máscaras e a realização de testes, o que foi rejeitado.

Com isso, a Corte enterra uma decisão tomada por um tribunal de apelações de Cincinnati que liberava a aplicação da ordem — ainda há outros processos em andamento mas, com a decisão desta quinta-feira, suas chances de sucesso são praticamente nulas.

Os juízes dissidentes, Stephen Breyer, Sonia Sotomayor e Elena Kagan emitiram, por sua vez, uma dura nota criticando a decisão.

“Com uma pandemia ainda em andamento, a Corte diz à agência responsável por proteger a segurança dos trabalhadores que ela não poderá fazer isso nos locais de trabalho. Enquanto a doença e a morte continuam a se acumular, a Corte diz à agência que ela não pode responder da forma mais eficaz possível”, afirmam os juízes.

Em comunicado, o presidente Biden se diz “desapontado com a decisão da Suprema Corte que barra exigências sensatas, baseadas na ciência e na Lei, que podem salvar as vidas de empregados de grandes empresas”. Biden afirma que, apesar de a Corte ter decidido que seu governo não tem poderes para exigir a vacinação no setor privado, ela “não o impede de usar a voz, como presidente” para pedir aos empresários que exijam a imunização por conta própria.

“Temos que seguir trabalhando juntos se quisermos salvar vidas, manter as pessoas trabalhando e deixar a pandemia para trás”, diz o comunicado.

Também nesta quinta-feira, em uma vitória para a Casa Branca, a Suprema Corte manteve a obrigatoriedade de vacinação para cerca de 10,3 milhões de profissionais de saúde em locais como hospitais, clínicas e casas de repouso que recebem dinheiro federal. A medida invalida decisões tomadas por tribunais federais no Missouri e na Lousiana que barravam a obrigatoriedade em 24 estados. Os comprovantes de vacinação precisam ser apresentados até o final de fevereiro.

“Afinal, garantir aos provedores [de serviços] meios para evitar a transmissão de um vírus perigoso para seus pacientes está de acordo com o princípio fundamental da medicina: em primeiro lugar, não causar dano”, diz a decisão. Uma ordem semelhante já está em vigor, desde setembro, para funcionários e prestadores de serviço do governo federal.

Ao comentar a segunda decisão, Biden apontou que ela “vai salvar vidas”, citando pacientes que buscam ajuda, além de médicos, enfermeiras e outros profissionais que trabalham em hospitais e unidades médicas.

As decisões ocorrem enquanto os EUA enfrentam um surto provocado pela variante Ômicron. A média móvel de casos dos últimos 14 dias, segundo o New York Times, está em 781 mil por dia, enquanto o número de óbitos está em forte alta, com média de 1.851 por dia. Especialistas apontam que, na maior parte dos casos, as mortes ocorreram entre pessoas não vacinadas.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Senador Jean rebate ataque de Rogério Marinho sobre atuação da bancada do RN; ‘Ele é o pai do desemprego’

Fotos: Alessandro Dantas/Roque de Sá/Agência Senado

O Senador Jean (PT-RN) rebateu nesta quinta-feira (13) os ataque do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, em entrevista concedida à Rádio 98 FM de Natal.

“Rogério representa o sentimento de um grupo político que está no poder federal com uma gestão desastrosa, que tem levado o país para um dos seus piores momentos, com fome, desemprego, negligência na pandemia. Rogério Marinho é o pai do desemprego”, declarou o Senador Jean.

Na entrevista à rádio, o ministro Rogério Marinho criticou os três senadores, afirmando que a bancada não tem relevância.

O Senador Jean respondeu com crítica também à atuação do ministro quando deputado federal. “Ele deve acreditar que boa atuação parlamentar é tirar direito dos trabalhadores, como ele fez com a reforma trabalhista. Deve achar que boa atuação é atacar a aposentadoria, como fez com a reforma previdenciária. Prometeu geração de emprego e só entregou desemprego e desespero ao povo”, disse.

“Aqui, não. O Rio Grande do Norte sabe escolher. O senador que será eleito neste ano pelo povo potiguar será um senador alinhado à defesa dos trabalhadores e trabalhadoras, alinhado a Lula e à governadora Fátima Bezerra e à luta por melhorias para a nossa gente. E esse não é o do lado do ministro de Rogério Marinho”, afirmou Jean.

Marco das Ferrovias

Rogério Marinho também alegou que o Marco das Ferrovias, relatado pelo Senador Jean, não traz benefícios ao Rio Grande do Norte.

“Parece que o ministro não aprendeu como funciona o Congresso Nacional. Nós legislamos para o Poder Executivo colocar em prática essas leis. Aprovamos à unanimidade o novo Marco Legal das Ferrovias, sem alteração na Câmara. E o projeto foi sancionado pelo próprio governo que ele faz parte. Agora o Governo Federal deveria também utilizar as ferramentas que lhe foram entregues por esse projeto de lei para revitalizar as ferrovias. O que estamos fazendo aqui, inclusive, junto à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado”, rebateu o Senador Jean.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pessoas não vacinadas contra a covid-19 são responsáveis por internações, diz Queiroga


Foto: Myke Sena / Ministério da Saúde / CP

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta quinta-feira, 13, que pessoas não vacinadas contra a Covid-19 são responsáveis pelas internações em hospitais e unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Na cerimônia de recebimento da primeira remessa de doses pediátricas da Pfizer, ele atestou a segurança do imunizante, mas destacou que a decisão de vacinar compete aos pais das crianças.

O Brasil recebeu nesta quinta, uma primeira remessa de 1,2 milhão de doses de vacinas da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos. Ao todo, o País deve receber 4,3 milhões de doses em janeiro e 20 milhões até o final de março.

“As vacinas da covid foram desenvolvidas em tempo recorde. Isso é fruto do esforço da ciência dos pesquisadores e da indústria farmacêutica”, falou o ministro no Centro de Distribuição do Ministério da Saúde em Guarulhos. “Assistimos nos últimos seis meses a uma queda significativa de óbitos, fruto da campanha de vacinação.”

Ele destacou que gestores da saúde enfrentam um novo desafio com a variante Ômicron, visto que a cepa tem “transmissão muito maior” que as demais variantes. “Muitos têm relatado que ela causa formas menos impactantes (da doença), sobretudo nos vacinados. Mas aqueles que se internam nos hospitais e nas unidades de terapia intensiva, a grande maioria são indivíduos não vacinados”, pontuou ao incentivar que brasileiros busquem a segunda dose e a de reforço.

“Países que estão mais fortemente vacinados, como Brasil, têm mais possibilidade de passar pela variante Ômicron e outras variantes que por acaso surjam”, continuou. Nesse sentido, Queiroga frisou que a nova cepa é de preocupação, mas não de “desespero”.

Queiroga reforçou, ao menos duas vezes, que a decisão de vacinar os mais novos é dos pais e mães. “Até o que sabemos no momento, há segurança atestada não só pela Anvisa, mas por outras agências regulatórias para aplicação dessas vacinas”, apontou.

Ele ainda reconheceu que, nos Estados Unidos, onde mais de 8 milhões de crianças receberam doses pediátricas da Pfizer, não houve relato de efeito adverso grave. “Em todas as campanhas de vacinação em massa, há eventos adversos relacionados à vacina. E nós vamos ficar observando esses eventos adversos, juntamente a própria Anvisa e a própria indústria farmacêutica para fazer as possíveis correções de rumo”, disse.

Estadão Conteúdo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Drake é processado por modelo após colocar pimenta em preservativo

Foto: reprodução/Instagram

O rapper Drake está sendo processado por um motivo bem inusitado. Uma modelo, que teve a identidade protegida, afirma que o cantor colocou molho de pimenta em um preservativo, causando irritação nas partes íntimas dela.

De acordo com o site Media Take Out, Drake e a mulher teriam se conhecido pelo Instagram e marcaram de se encontrar pessoalmente.

Ainda de acordo com o portal, o encontro teria acorrido em um hotel onde o papo acabou esquentando, momento em que o artista foi ao banheiro colocar um preservativo.

Após o encontro, o rapper foi de novo ao banheiro para retirar a camisinha. Logo em seguida ela começou a sentir uma grande ardência.

Diante da situação, Drake acabou confessando que havia colocado molho de pimenta para matar os espermatozoides, método utilizado sempre que tem um encontro íntimo para evitar que as parceiras tirem vantagem e engravidem dele.

Por conta disso, a modelo estaria processando o cantor, buscando uma compensação financeira pelo ocorrido.

Correio Braziliense

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministério da Saúde pede à Anvisa liberação para autoteste de Covid-19

Foto: FRED TANNEAU/AFP – 04.06.2021

O Ministério da Saúde informou que encaminhou nesta quinta-feira (13) à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nota-técnica com pedido de autorização dos autotestes para diagnóstico de Covid-19. A solicitação oficial ocorre após a busca por exames ter disparado diante da disseminação da variante Ômicron.

Na nota-técnia a Pasta afirma como justificativa que, no contexto pandêmico atual, com a circulação de novas variantes, em especial da Ômicron, com maior potencial de transmissibilidade da doença, a procura por diagnóstico tem aumentado de forma exponencial e há grande demanda por testes rápidos na rede assistencial de saúde”.

Na quarta-feira (12), o ministro Marcelo Queiroga havia falado sobre a necessidade de garantir que os diagnósticos positivos da doença sejam informados às autoridades sanitárias, a fim de cumprir com a notificação compulsória.

Por determinação da Anvisa, no Brasil não é permitida a venda de exames de antígeno para serem feitos em casa. Apenas as farmácias realizam o procedimento. Com uma sensibilidade considerada alta, o exame é feito com a coleta de material do nariz com um cotonete ou por saliva. O autoteste, porém, tem sensibilidade menor que a de outros exames (como o PCR) e está sujeito a erro por parte do paciente não treinado.

O autoteste de antígeno é o mesmo oferecido hoje nas farmácias, que têm tido uma demanda alta com o aumento de casos desde o fim de ano. Em países como Estados Unidos e Inglaterra, eles são vendidos para que as pessoas os tenham em casa.

Na Inglaterra, por exemplo, o governo disponibiliza gratuitamente o autoteste e o envia para a casa das pessoas. Algumas escolas do país exigem que os pais façam o teste nas crianças algumas vezes na semana no período de aulas.

O Ministério avalia que ter o autoteste em casa pode ajudar mais gente a testar, mas que ele não tem a mesma eficácia do diagnóstico feito por profissionais de saúde. “A mensagem é que o autoteste é uma ferramenta de apoio e não substitui o diagnóstico do profissional de saúde. A pessoa deve fazer o teste e, caso esteja com sintomas, deve ir ao posto de saúde ou hospital se certificar do diagnóstico”, afirmou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, no início desta semana.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

COVID: Brasil registra 174 óbitos e 97,9 mil casos nas últimas 24h

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta quinta-feira (13).

– O país registrou 174 óbitos nas últimas 24h, totalizando 620.545 mortes;

– Foram 97.986 novos casos de coronavírus registrados, no total 22.814.917;

RJ com 12.837 e RS com 12.186 registram recorde de casos de Covid-19 em 24h, desde o início da pandemia.

Dessa forma, a média móvel de óbitos ficou em 129 e a média móvel de casos em 61.141, a maior desde o dia 22 de junho de 2021.

O ministério da Saúde calcula que mais de 21,5 milhões de pessoas já se recuperaram da Covid.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

‘FLURONA’: Presidente da ALRN, Ezequiel Ferreira, testa positivo para Influenza e Covid-19

Foto: João Gilberto/ALRN

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do RN, Ezequiel Ferreira, comunicou nesta quarta-feira (13), através das redes sociais, que testou positivo para Influenza e Covid-19, a dupla contaminação conhecida como ‘Flurona’.

“Hoje saiu o resultado do exame que confirmou que estou com Covid e também com Influenza. Estou bem, em casa, isolado e com os cuidados médicos necessários. Mantenho a fé em Deus que tudo dará certo! Se cuidem e cuidem dos seus”, escreveu o parlamentar.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Rafael Correia apresenta Projeto de Lei que obriga divulgação integral de processos de contratação emergencial e licitação em Extremoz

O vereador Rafael Correia (PP) apresentou um Projeto de Lei que obriga a disponibilização dos processos de dispensa de licitação nos Portais da Transparência dos órgãos municipais de administração direta e indireta do município de Extremoz.

Pelo texto, protocolado em convocação extraordinária da Câmara Municipal de Extremoz do dia 11 de janeiro, Prefeitura, Poder Legislativo e demais autarquias do Município ficam obrigadas a divulgar em seu site oficial todos os processos com dispensa de licitação. Os arquivos digitais deverão ser disponibilizados para download público.

“O projeto busca aprimorar a necessária lisura das atividades e escolhas administrativas, com a publicação dos atos em meios digitais para fins de publicidade e transparência. O povo e os órgãos fiscalizadores precisam saber com detalhes o porquê das contratações”, explicou Rafael Correia.

Ainda de acordo com o texto do Projeto, as publicações devem conter dados referentes ao serviço que será prestado, incluindo cronogramas de implantação ou de entrega, minuta do contrato de prestação de serviço, valores e modo de pagamento, penalidades e motivos para rescisão, entre outras informações.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

VÍDEO: Municípios da região do Seridó do RN registram chuva de granizo

Moradores da Zona Rural de São Vicente, no interior do RN, registraram queda de granizo durante as chuvas ocorridas nesta quarta-feira (13). O fenômeno também se repetiu em cidades próximas como em Jardim do Seridó, mais precisamente no Sítio Viração, onde uma moradora narrou “chuva boa, mas é gelo”.

Na Serra de Santana, que estende pelos municípios de Cerro Corá, Bodó, Lagoa-Nova, Ten. Laurentino Cruz também caiu granizo; Segundo a Emparn, as cidades de São José do Seridó e Currais Novos também registraram chuvas desta natureza.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

PRISÃO DOMICILIAR: Juíza determina que presos não retornem a carceragem após alta de Covid e gripe

O Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), através da juíza Maria Eduarda Borges Araújo, da Comarca de Princesa Isabel, no Sertão paraibano, determinou o recolhimento domiciliar de pessoas privadas de liberdade que cumprem penas nos regimes semiaberto e aberto até o dia 10 de fevereiro.

De acordo com a decisão da juíza, que é válida para os presos dentro do território da cidade sertaneja, durante as noites, finais de semana e feriados, eles devem ficar reclusos no ambiente domiciliar.

Em dias úteis, no entanto, as pessoas privadas de liberdade deverão se recolher a partir das 19h. Já aos sábados terão que permanecer recolhidos a partir das 13h até às 5h da segunda-feira. Em datas especiais, como feriados, o recolhimento deve ser iniciado às 19h do dia anterior.

No documento, a juíza justifica que a medida foi tomada devido ao avanço da variante Ômicron da covid-19 e do surto de gripe H3N2, e também por conta da falta de tornozeleiras eletrônicas para todos os detentos.

Blog do BG PB

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *