Polícia

REBELIÃO NO CEDUC: Educador é liberado após ficar horas como refém com faca no pescoço

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Adolescentes infratores realizaram na tarde desta quarta-feira (24) um motim no Centro Educacional (Ceduc Pitimbu) para criticar supostos “maus-tratos” sofridos por eles no local. A ação teve início da tarde, quando quatro, dos 66 adolescentes do local, se rebeleram e fizeram um dos educadores de refém. A manifestação só foi encerrada no início da noite.

VEJA MAIS: Educador é feito de refém por cinco menores infratores no CEDUC Pitimbú, em Parnamirim

Antes, por volta das 18h, após depredarem quartos e colchões, os adolescentes também tocaram fogo nos alojamentos, como forma de chamar mais a atenção. Os adolescentes exigiam a presença da imprensa e do secretário estadual de segurança pública, Coronel Araújo Silva. O detalhe é que os educadores estão há alguns meses de salário atrasado.

Por volta das 18h30, porém, o refém foi liberado após passar cerca de duas horas, pelo menos, com uma faca no pescoço.

96 FM Natal

Opinião dos leitores

  1. O pior de tudo é que os agentes socioeducativos temporários estão a 4 meses sem receber pagamentos…. Fátima Bezerra pague os servidores temporários!

    1. O pior de tudo é que os agentes socioeducativos temporários estão a 4 meses sem receber pagamentos….

      Fátima Bezerra pague os servidores temporários!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Enem: Bolsonaro diz que queria questão sobre regime militar para ‘começar a história do zero’

Ilustrativa

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (24), em discurso durante cerimônia no Palácio do Planalto, que queria uma questão sobre o regime militar no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para “começar a história do zero”.

O Enem começou a ser aplicado no último domingo (21). Uma semana antes, Bolsonaro disse que as questões do exame tinham começado a ter “a cara do governo” A declaração motivou críticas de que, por razões ideológicas, o governo estava interferindo no conteúdo da prova. No começo do mês, pelo menos 37 servidores que ocupavam cargos ligados à realização de exames como o Enem pediram exoneração por supostas pressão psicológica e vigilância.

Bolsonaro negou ter interferido na confecção da prova, mas disse que, se tivesse feito isso, a avaliação teria “mudado para sempre, com questões objetivas”.

O presidente afirmou que, nessa hipótese, não iria discutir se o regime militar “foi ou não foi ditadura”, mas colocar na prova uma questão para que os participantes respondessem quem foi o primeiro general a comandar o país e em que data isso ocorreu.

“Saiu na imprensa que eu queria botar questão da ditadura militar. Não vou discutir se foi ou não foi ditadura militar. Mas eu queria botar, sim, uma questão lá, se pudesse: ‘Quem foi o primeiro general que assumiu em 1964?’. Foi Castello Branco. ‘Em que data?’ Eu queria botar lá”, declarou Bolsonaro na cerimônia.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

CCJ do Senado tem maioria para aprovar indicação de Mendonça ao STF

Reprodução

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado tem maioria para aprovar a indicação do ex-advogado-geral da União André Mendonça ao Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo levantamento feito pelo GLOBO, pelo menos 15 dos 27 integrantes do colegiado pretendem votar a favor de Mendonça, enquanto um é contrário e 11 estão indecisos ou não quiseram responder. A sabatina deve ocorrer na próxima semana, seguida pela apreciação no mesmo dia.

A aprovação na CCJ se dá por maioria simples dos votos, número exato alcançado pelo indicado à Corte, segundo aponta o levantamento. O placar final, porém, é incerto, pois a votação é secreta e pode haver traições. A sondagem atual mostra uma pequena mudança positiva para Mendonça em comparação ao mesmo levantamento feito pelo GLOBO em agosto — na época, 13 senadores da comissão afirmaram que votariam a favor da aprovação do ex-AGU, enquanto dois se disseram estar contra a indicação. Mendonça foi indicado para a vaga do ministro Marco Aurélio Mello, que se aposentou.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

VETADA: Conmebol proíbe Globo de entrar em estádio da final da Libertadores

 

Reprodução

A Conmebol vetou a entrada de qualquer profissional da Globo no Estádio Centenário, no Uruguai, palco da final da Copa Libertadores, que será disputada no próximo sábado (27/11). A medida é consequência da exibição “pirata” de uma coletiva de imprensa do técnico Abel Ferreira, do Palmeiras.

A exibição foi feita no programa Troca de Passes, da SporTV, após a classificação do Palmeiras para a final graças a um empate com o Atlético Mineiro, no dia 28 de setembro. Por causa disso, a emissora não teve nenhuma credencial aprovada para as decisões da Sul-Americana e da Libertadores.

De acordo com informações do Notícias da TV, a Conmebol tomou a medida porque, por contrato, é proibida a exibição de coletivas ao vivo de seus torneios por empresas que não têm os direitos de transmissão dos jogos. Ainda de acordo com o Notícias da TV, o veto teria causado um grande mal-estar à emissora.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

PL da Enfermagem: relatório de Zenaide é aprovado por unanimidade no Senado

Reprodução

O Senado aprovou, por unanimidade, o relatório da senadora Zenaide Maia (PROS – RN) sobre o PL 2.564/2020, que define o piso salarial nacional de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, além de parteiras. “A aprovação do PL da Enfermagem é um gesto concreto de valorização desses homens e mulheres que todos os dias arriscam as suas vidas para salvar as nossas. É uma vitória da mobilização desses heróis e heroínas da Saúde que, estão todos os dias nos hospitais, nas unidades de saúde, na linha de frente, nos postos de vacinação, combatendo a pandemia”, comemorou Zenaide, após a aprovação do projeto, nesta quarta-feira (24).

O PL 2.564 foi apresentado em maio de 2020 pelo senador Fabiano Contarato (Rede – ES) e encontrou a resistência de empregadores, no caso do setor privado, e de gestores públicos. O principal obstáculo, orçamentário, levou parlamentares a apresentarem emendas ao primeiro relatório de Zenaide, que mantinha os valores de pisos propostos no texto original (R$ 7.315,00 para enfermeiros; 70% deste valor – R$ 5.100,00 – para técnicos e 50% – R$ 3.500,00 – para auxiliares e parteiras). A senadora Eliziane Gama (Cidadania – MA) apresentou contraproposta com piso de R$ 4.750,00 para enfermeiros, mantendo as percentagens para as demais categorias; sugestão que foi colocada em consulta pública junto ao Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). A relatora aceitou a modificação somente depois que as categorias foram ouvidas e a maioria se manifestou favorável à emenda de Eliziane. “O que conseguimos aprovar é menos do que esses profissionais merecem. No entanto, é um avanço porque existem técnicos e auxiliares de enfermagem ganhando menos de um salário mínimo, o que é um absurdo!”, argumentou a relatora, Zenaide Maia. “Enfermagem, continue mobilizada! Agora, a luta é na Câmara dos Deputados!”, finalizou.

O texto aprovado no Senado prevê a correção desse piso pela variação anual do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e assegura a manutenção dos salários vigentes, superiores ao piso, além de prever o respeito ao piso nos acordos individuais; acordos, contratos e convenções coletivas. O PL 2.564/20 segue para análise dos deputados federais.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

MEC quer antecipar meta de 89 novas escolas cívico-militares até o fim de 2022

Foto: Jorge William / Agência O Globo

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou nesta quarta-feira (24/11) que o governo vai antecipar a meta, anteriormente prevista para 2023, de ter um total de 216 escolas cívico-militares em todo o país.

Segundo o titular da pasta federal, a gestão federal pretendia inaugurar as instituições até o fim de 2022, ano eleitoral. Atualmente, o Brasil tem 127 colégios com o modelo cívico-militar. Ou seja, o governo pretende implantar, no ano que vem, 89 novas escolas desse tipo.

“Nosso objetivo não é só formar um bom estudante, mas também formar o cidadão que conduzirá o destino dessa grande nação”, disse o ministro durante cerimônia realizada no Palácio do Planalto, na qual foram certificadas 43 escolas públicas do ensino básico que aderiram ao modelo.

O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Ecim) foi lançado em setembro de 2019 e é uma parceria entre o Ministério da Educação e o Ministério da Defesa. Segundo o governo, a proposta da iniciativa é “melhorar o processo de ensino-aprendizagem nas escolas públicas”.

Discurso de Bolsonaro

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Pilotos e comissários de voo aprovam greve a partir de segunda-feira (29)

Foto: Reuters/Roosvelt Cassio

Pilotos e comissários de voo aprovaram hoje (24), em assembleia da categoria, deflagrar greve nacional, por tempo indeterminado, a partir do primeiro minuto da próxima segunda-feira (29). De acordo com o Sindicato Nacional dos Aeronautas, a greve ocorre “contra a intransigência das companhias aéreas” nas negociações da renovação da Convenção Coletiva de Trabalho.

De acordo com a entidade, a categoria reivindica reajuste salarial que contemple a reposição das perdas inflacionárias nos últimos dois anos, do período de 1º de dezembro de 2019 a 30 de novembro de 2021.

“Em respeito à sociedade e aos usuários do sistema de transporte aéreo, os aeronautas farão a paralisação de 50% dos tripulantes por dia, enquanto os outros 50% permanecerão em serviço”, disse o sindicato, em nota.

O Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea) ainda não se manifestou.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Imagina se a moda pega. O pessoal da Chesf resolver parar, se o pessoal da Caern parar.. tamo lascado kkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Câmara de Natal aprova normas para estabelecimentos comerciais durante a Black Friday

Foi acatado nesta quarta-feira (24), em regime de urgência, o Projeto de Lei 91/2020, de autoria do vereador Kleber Fernandes (PSDB), que dispõe sobre a conduta dos estabelecimentos comerciais que adotam a prática da Black Friday.

Ao estabelecer regras e normas de conduta e boas práticas comerciais durante a Black Friday, o texto tem como objetivo garantir o respeito aos direitos dos consumidores e às lojas parceiras ou concorrentes que atuam de maneira legítima.

“Uma das maiores reclamações que ouvimos é a prática abusiva de alguns estabelecimentos durante a Black Friday. Muitos deles aumentam os preços pouco tempo antes do início do evento, divulgando em seguida grandes descontos que, na verdade, são enganosos. Este tipo de conduta precisa ser combatida e é isso que propomos por meio deste projeto de lei.”, explicou o vereador Kleber Fernandes.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Paulo Leitão sofre censura do Instagram

Foto: reprodução/Facebook

O personal trainer Paulo Leitão teve seu perfil com mais de 110 mil seguidores censurado pelo Instagram.

Ele contou ao BG que foi censurado por escrever um artigo fazendo uma interpretação do Lulismo Selvagem, de Robert Skylab, pela ótica da direita.

Através de seu perfil no Facebook, ele diz não saber se o perfil foi removido definitivamente ou suspenso temporariamente.

Opinião dos leitores

  1. Alguém sabe por que foi suspensa? Será que foi o conteúdo abertamente nazista? Não pode ser. Onde está a liberdade de expressão? Ninguém pode mais idolatrar hitler, pedir a cabeça de judeus? Também é errado agredir mulheres e negros diariamente? Poxa… foi censura, né.

  2. Ouxi, o Instagram é empresa privada, ela tem o direito de fazer o que quiser no seu ambiente…

  3. palhaço, negacionista, no começo da pandemia falou tanta merda que teve que ir na policia se explicar.. um mané que precisa de holofote

    1. Palhaço ou não, ele tem liberdade de expressão. Assim como você pode chamá-lo de mané, ele também tem a liberdade de escrever e falar o que quiser. Assim como eu também, em te chamar de babaca.

    2. BG, paixões prlo Bostonaro e ódio pelo PT à parte também, não adianta vociferar nada, pois bolsonaro e lula são duas faces da mesma moeda. Gado do PT, gado de Bostonaro, agora, vamos ser fado de outro.

    3. Se Bolsonarista, ele tá certo. Mas quem é esse cara mesmo?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Ação penal que investiga suposto esquema de rachadinha de Flávio Bolsonaro só poderá caminhar se MP fizer nova denúncia

Foto: Sérgio Lima/Poder 360

O ministro João Otávio de Noronha determinou que a ação penal contra o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e o ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz só poderá tramitar após o MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) apresentar nova denúncia que não se ampare nas provas já anuladas pela Corte. A decisão foi assinada na 2ª feira (22.nov.2021) e publicada nesta 4ª feira (24.nov).

A denúncia contra Flávio e Queiroz foi apresentada no ano passado, mas ainda não foi apreciada pela Justiça. Em agosto, o andamento do processo foi suspenso por Noronha por considerar que algumas provas colhidas na investigação ainda poderiam ser anuladas. Isso ocorreu no início deste mês, quando a 5ª Turma do STJ derrubou diversas decisões da apuração.

Em nova decisão, Noronha atendeu a um pedido da defesa de Fabrício Queiroz. Segundo o ministro, o mero desentranhamento de provas anuladas feitas pelo MP-RJ teria pouca relevância, considerando que a denúncia continuava a citá-las ao longo da peça.

Não são raras as menções à extração de elementos que derivam das medidas cautelares anuladas, tampouco às provas derivadas daquelas declaradas nulas. Há informações de faturas de cartões de crédito, análise de declarações de imposto de renda, extratos bancários, registros de transações imobiliárias, fiscais e bancárias”, disse Noronha. “Impõe-se observar que pouco (ou nada) sobra com a desconsideração desses elementos contaminados; e o pior é que os denunciados, para oferecer resposta prévia à acusação, têm de intuir quais trechos podem desconsiderar, e quais devem impugnar (já que a peça não foi modificada após a decisão prolatada pelo STJ)”.

O ministro cita que a denúncia conta com prints de tela de extratos bancários dos réus, análise do fluxo financeiro de valores entre contas correntes dos denunciados e tabelas de gastos com aquisições de imóveis, pagamentos de escolas e planos de saúde. As informações teriam sido obtidas a partir da quebra de sigilo de investigados no suposto esquema de rachadinha, medida que já teria sido anulada pelo STJ.

Não há, em verdade, como se preservar a denúncia com a exclusão das informações que se ancoram, direta ou indiretamente, nas provas anuladas; muito menos como se exigir dos réus que identifiquem os trechos relativos a provas anuladas e os ignorem, apresentado defesa sobre o que entendam ‘sobrar’ daquela peça imprestável”, disse Noronha.

Flávio Bolsonaro foi denunciado no ano passado pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, apropriação indébita e peculato (uso de dinheiro público para fins pessoais). A denúncia ainda não foi aceita pelo TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio).

A investigação mira repasses de salários de servidores do antigo gabinete de Flávio na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) ao ex-assessor Fabrício Queiroz, prática popularmente conhecida como “rachadinha”.

Segundo a denúncia, Flávio seria o líder de uma organização criminosa que desviou R$ 6 milhões dos cofres da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) por meio da contratação de funcionários que repartiam parcial ou integralmente os seus salários com o ex-assessor Fabrício Queiroz, apontado como operador financeiro do esquema.

Poder 360

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Vereadores de Natal aprovam incentivos a microempreendedores e microempresas, benefícios para servidores municipais e valor de aluguel social

Em regime de urgência, o plenário da Câmara Municipal de Natal aprovou, durante a sessão ordinária desta quarta-feira (24), proposições encaminhadas pelo Executivo que tratam sobre incentivos aos microempreendedores, microempresas e empresas de pequeno porte, aluguel social, benefícios para os servidores municipais.

A líder da bancada governista, vereadora Nina Souza (PDT), falou sobre as matérias. “São projetos importantes para Natal. Por exemplo, a prefeitura dará um auxílio mensal de R$ 1.200 para os pequenos empreendedores, que tanto ajudam a movimentar a nossa economia, além do aluguel social que foi fixado em R$ 600. Outra iniciativa relevante é a que trata dos servidores em estado de emergência e o governo precisa das suas horas extras, que atualmente o limite é de duas horas semanais, passa agora a poder usar quatro horas”, pontuou.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *