‘Saia justa’ da Polícia Militar do RN envergonha Tiradentes

por Dinarte Assunção

A morte de mais um policial militar no Rio Grande do Norte, o décimo terceiro, na noite desta terça-feira (9), diminuiu o comprimento da saia já justíssima em que está o comandante da corporação, coronel Osmar Maciel de Oliveira, e, de certa forma, toda a tropa.

Todos os vexames pelos quais passam o comandante são potencializados pela necessidade de se manter em resiliente silêncio e aceitar que ele nada pode fazer a não ser contemplar o presente como resultado de um passado irresponsável, sem vislumbrar a perspectiva de um futuro alentador.

A cada vez que matam um policial, um comandante morre asfixiado na impotência à qual o Estado ineficiente lançou a ele e a seus homens.

O comandante não pode pedir que a tropa tenha otimismo.

Não pode pedir que reaja.

Não pode exigir do governador.

Não pode fazer com que a tropa se insurja contra o governo.

Não tem ferramentas para equipar seus homens.

Não pode deixar de ir ao velório do PM que mataram.

Não pode falar no velório.

Não pode.

Buscar coragem na deterioração da Polícia Militar, entre coletes vencidos, armas defasadas, viaturas sucateadas, prédios degradados é a única opção que resta.

Chegará o dia em que faltarão todos esses elementos.

E a coragem não poderá ser mais buscada.

A bravura da Polícia Militar foi empurrada pela falta de investimentos para a forca onde mataram seu patrono, Tiradentes, e resta pouco para abrirem o cadafalso e vermos publicamente a coragem morrer diante de nós.

Cada PM que acorda todos os dias no Rio Grande do Norte tem em si a assombrosa coragem de Tiradentes. Apenas homens profundamente imbuídos de bravura vestem sua farda para lutar uma guerra perdida pela desmoralização que estão impondo à Polícia Militar.

É intolerável lidar com o fato de que terminaremos 2018 com um déficit de 6 mil PMs; que viaturas e motos sequer consigam dar partida e – quando deem partida tenham que permanecer ligadas, sob pena de não voltarem a funcionar. O triunfo da derrota assombra a todos.

Diante de tudo isso, resta ao comandante a autodisciplina do silêncio. É intolerável também.

Intolerável um PM em saia justa. Não devem existir opções de indumentárias a um policial militar. A única roupa que lhe cabe é a bravura de sua farda.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jovem disse:

    O CAOS é de todo o sistema político e social. O maior erro da sociedade é culpar a PM por tudo, seus comandantes são uma parte da culpa. Dêem autonomia para a polícia trabalhar e verão uma diminuição da criminalidade no RN. Políticos não que rem ser taxados de radicais, judiciário quer fazer "justiça" contra policiais por medo dos Direitos humanos, população pouco se importa em exigir a aplicação de medidas e a proteção a qualquer medida que traga segurança ao nosso estado, então… vai piorar.

  2. Jeoás Santos disse:

    Sem comentários. Resta de "saia justa" apaludir comedidamente para não rasgar. Ah saia!!!!

  3. Fal disse:

    Golpe militar urgente !
    Tem que botar moral nessa bosta, fechar esse congresso e mudar as leis urgentemente, bandido tem que executado, temos que dá valor a gente de bem.

  4. vergonha disse:

    No velorio de mais um companheiro não apareceu Comandante Geral e nem Secretaria de segurança, isto prova o abandono a tropa, abandono ao povo, ao cidadão. Se fosse governador pode ter certeza esses dois seriam demitidos por whattsup.

  5. A verdade disse:

    A PMRN está abandonada pelo Comandante Geral e o pior não conta com qualquer apoio da Secretária de Seguranca que sumiu. Cadê as operações de combate a criminalidade Delegada Sheila? Sem dados satisfatorios esses dois gestores deveriam sair!!!! Até hj não sei nem quem é o Delegado geral rsrs a que ponto chegamos.

  6. Neto disse:

    Até q enfim fizestes um logotipo de vergonha para teu blog né cara!

  7. Meire disse:

    Temos que mudar cláusulas constitucionais, quem matar um policial pelo fato de ser policial ou em ação de policia esta cometendo um crime contra a nação merece penas rigorosas, como perpetua e pena capital, em democracias mais fortes só em apontar arma para um agente já teria uma condenação garantida

  8. Policial anônimo disse:

    Sempre enverguei no peito orgulhoso o título de policial militar, desde sempre quis fazê-lo, a tão sonhada "GLORIOSA", ver colegas bem próximos sendo enterrados, andar acuado como animal de abate, por ineficiência de um estado como todos os outros da federação, corrupto, e líderes fajutos e mal intencionados me leva à conclusão de que não tem nada de glorioso nisso, nada de orgulhoso nisso, me resta sentar e esperar a morte que provavelmente virá pela mão de um usuariozinho de merda que pensa ser o bicho papão e se orgulha em pronunciar três letras sem sentido q amedrontam até o mais bravido dos caveiras, não vejo nada de glorioso nisso.

  9. David Petit disse:

    Eu diria até que ao militar do do RN acaba fatídicamente sobrando o mesmo destino que seu patrono, o Tirantes.
    Que morreu pela causa, estupidamente.

  10. Roberto disse:

    A despeito de vários problemas como a justiça soltar, a falta de efetivo etc, acredito que a polícia poderia fazer muito mais.
    Não faz e os próprios policiais acabam sendo vítimas.
    Por que não identificam logo todos os membros de facções?
    Não é possível haver 40 furtos de veículos por dia e ninguém saber para onde vão, com a cidade cheia de câmeras.
    Não é possível que 40 roubos seja trabalho de 80 ladrões diferentes.
    Deve haver algumas poucas quadrilhas com receptadores específicos.
    É necessário mais trabalho de inteligência do que quantidade de policiais ou de viaturas.
    Por que não fecham logo todas as bocas de fumo da cidade?
    Por que não descobrem logo quem são os chefes do tráfico na cidade?
    Precisa acabar com a violência na raiz e não enxugar gelo.
    Ao governador cabe pagar salários, comprar viaturas.
    Aos policiais, cabe identificar a forma mais eficaz de acabar com a criminalidade.

    • Fred Souza disse:

      Muito bom Roberto. Mas meu caro, pode ter certeza que se fosse para a Polícia Militar resolver, resolveria. Entretanto sua visão está sendo simplista. Vc não sabe das audiências de custódia, dos vários indultos, das fugas, dos "Direitos Humanos"? Que causam a continuidade de tudo isso que falou? Quantos a Polícia Militar já não prendeu? Quantas armas já não foram retiradas de circulação? Sugira a criação de um muro no Estado para evitar que ladrões venham de outros lugares e armas não entrem no Estado… A Polícia Militar trabalha sim, mas tem muita gente que não…

    • Jovem disse:

      porque se polícia realmente fizer o trabalho com a autonomia que deveria ter, a justiça e Direitos Humanos caçará e prenderá os policiais e a população não fara nada, ficará assistindo pela TV e criticando nas redes sociais o trabalho da polícia. No atual momento não existe ação de longo prazo que sobreviva sem ações emergenciais e fortes.

  11. Pato rocco disse:

    Não é surpresa quando um cidadão em busca de votos se entitulou o governador da segurança, onde errou em não querer ouvir a verdade e a realidade dita por seus operadores de segurança de fato,os guerreiros de rua que sentem e tem até sugestões, porém nunca acatadas por alguns que se dizem assessores, só se faz segurança pública com varias mãos juntas e principalmente com investimentos

  12. Elyause disse:

    Esta "saia justíssima" não é para o Comandante Geral, na realidade é para todo o sistema de segurança pública estadual. É absurda essa prática de atribuir à PM a responsabilidade pelo caos instalado em nosso Estado.

  13. HERICK disse:

    Eles, os comandantes, "PODEM SIM" mas não fazem, pq querem promoções, querem o voto de confianca de um governo fracassado, ficam mendigando ajuda de um e de outro pra coisa funcionar, mesmo que fragilmente. Que Deus ajude a cada agente de seguranca desse estado.

COMENTE AQUI