Sesap confirma três novos casos de coronavírus no RN; entre eles, o primeiro em Mossoró

A Secretaria de Estado e Saúde Pública divulgou novo boletim sobre os casos de coronavírus no Rio Grande do Norte.

Três novos casos foram confirmados, todos através de contato com indivíduos já infectados.

Além do registro do primeiro caso em Mossoró, um homem de 55 anos de idade, uma mulher de 28, em Parnamirim e outra, de 41 anos, em Natal.

O RN agora totaliza 9 casos confirmados de Covid-19.

Importante ressaltar que após reunião de análise técnica realizada na tarde deste sábado (21), a Sesap permanecerá coletando as amostras dos pacientes que se enquadrarem na definição de caso suspeito, conforme os critérios abaixo definidos em nota técnica:

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eduardo Peixoto disse:

    Não sou especialista da área de saúde, mas creio que está havendo um equívoco no que diz respeito ao enfrentamento dessa pandemia de coronavírus em nosso estado. Na minha humilde opinião, o Estado e o Município deveriam se juntar à iniciativa privada e direcionar pontos de atendimento de triagem para a detecção dos casos de coronavírus, ou seja, esse atendimento não deveria se dar em todos os hospitais ou postos de saúde ao mesmo tempo. Deveriam eleger dois hospitais para o atendimento emergencial de outras enfermidades que requerem urgência do tipo AVC, infartos, acidentes domésticos ou com animais peçonhentos, cateterismos e cirurgias de urgências como as de apendicite em locais que sejam isolados dos portadores de coronavírus que é uma patologia altamente contagiosa, portanto, creio que não seja inteligente a ideia de contaminar todo o sistema de saúde, afinal, por mais que os cuidados de higiene sejam tomados por todos, sempre haverá uma falha humana para sabotar todo o processo. Os hospitais de campanha já deveriam estar com suas instalações em andamento, mas não vemos nenhuma cama, ou quaisquer outros equipamentos chegando, pois temos que correr contra o tempo. Não basta só isolar a população, pois diariamente as pessoas adoecem e precisam de atendimento. Enquanto o atendimento entre pacientes de outras enfermidades se encontram sendo atendidos em ambiente de coronavírus, o caos será generalizado e ninguém vai dar conta de extingui-lo tão cedo. Creio que a triagem não deve ser feita em ambiente hospitalar, mas em pontos específicos da cidade, e que deveriam já estar contando com a ajuda dos laboratórios de análises clínicas particulares, pois possuem mão de obra especializada que poderá nesse momento de prevenção do alastramento da doença amenizar a sobrecarga dos hospitais e dos profissionais médicos, enfermagem, administrativos e demais pessoas que ali trabalham, antes que a coisa agrave de vez. O engajamento deverá ser por parte de todos, tendo em vista que estamos diante de um desafio de saúde pública que afeta a todos nós, uma vez que estamos lidando com vidas humanas de pessoas do nosso meio social.

    • Ojuara disse:

      Muito boa sua colocação Eduardo, separar totalmente os pacientes com outras enfermidades, dos possíveis casos de pessoas com o covid 19, pra evitar mais disseminação ainda. E o governo tinha que fazer isso urgente.

    • Marcus disse:

      O problema, Eduardo, é que no (des)governo, a partir da (des)governadora, só existe analfabeto. Nenhum deles vai ler ou entender o que você escreveu.

  2. Patricia disse:

    No Brasil não é mas este protocolo, tem q avisar a secretária que e transmissão comunitária 🤦🏽‍♀️

COMENTE AQUI