Sistema Fiern alega crise pela Covid-19 e demite 80 colaboradores

Com o efetivo início da pandemia do Covid-19, o Sistema FIERN adotou e publicou a decisão de não desligar, mesmo com a queda de receitas, colaboradores até o mês de julho de 2020. A frustração de receita, inclusive, foi maior que a simulação feita em março, quando tudo começou. Por razões que todos conhecem a pandemia afetou empresas e organizações. O próprio Sistema “S” no Brasil precisou formalizar desligamentos, suspender serviços e reposicionar metas. Agora, infelizmente, também chegou a nossa vez.

 

Alinhado com as diretrizes do Sistema Indústria (CNI/SESI/SENAI/IEL) quanto à nova orientação de atuação do SESI, SENAI e IEL, considerando a queda geral de receitas em, aproximadamente, 40% (média comparativa feita em relação ao mesmo período do ano anterior), além de outras medidas de corte e contenção de despesas, o Sistema FIERN lamenta informar que, nesta data, está formalizando o desligamento de 80 colaboradores, muitos dos quais que aderiram ao plano de desligamento voluntário ou que dispõem de algum outro vínculo que gera comprovada renda.

 

O Sistema FIERN agradece a todos os colaboradores desligados, ao mesmo tempo em que renova todos seus compromissos de atuação institucional em defesa da indústria e do desenvolvimento econômico.

 

 

Natal, 04 de agosto de 2020

FIERN
SESI
SENAI
IEL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Kaiser Castro disse:

    Vão pedir emprego a Fatão GD ela com seu fique em casa acabou de arruinar o RN

  2. Lucio disse:

    Um cabide de empregos para os apadrinhados de políticos !

  3. Andinho disse:

    Infelizmente ninguém está imune aos efeitos desta terrível pandemia, aonde a crise financeira será muito maior que a crise sanitária, com o poderoso Sistema S não poderia ser diferente. Lamentamos pelos trabalhadores que perdem seus empregos, mais há muito tempo que estas organizações precisavam enxugar seus quadros e acabar com tantos cargos nomeados e muitos desnecessários. Eficiência faz bem pra todo mundo.

  4. Pedro Henrique disse:

    Não existe mais trabalhador. Agora todo mundo é colaborador.
    Colaborador = "seu trabalho é dispensável"
    Trabalhador = "a empresa só existe por que vc trabalha".

    vamos chamar a todos de 'colaborador' de modo que eles não possam compreender a importância de seus papéis na empresa.

    • Raimundo disse:

      Para o esquerdista, melhor também que não existam fábricas nem empresas.
      Só os trabalhadores…

    • Pedro Henrique disse:

      Melhor seria se a fábrica e a empresa pertencessem ao trabalhadores.

COMENTE AQUI