Polêmica

FOTOS: A absurda celebração de Neymar. Cantando e dançando com fratura

Cantando funk, em pé, com Wesley Safadão, Gabriel Medida e Daniel Alves. Foto: Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

“Eu comecei a namorar
Só pra tentar me consertar
Eu fiz de tudo pra mudar
Mas só que deu errado, deixa eu te contar

Eu no cineminha
Meus amigos na balada
Eu tomando sorvete
E eles bebendo cachaça

Pois é meu amigo
Não deu certo não
É melhor mexer com o fígado
Do que com o coração

Meus amigos, voltei!
Eu tava ficando doido
Bora beber
Que eu tô solteiro de novo

Meus amigos, voltei!
Eu tava ficando doido
Bora beber
Que eu tô solteiro de novo

Meus amigos, voltei!
Eu tava ficando doido
Bora beber
Que eu tô solteiro de novo

Meus amigos, voltei!
Eu tava ficando doido
Bora beber
Que eu tô solteiro de novo.”

Clássico do cancioneiro popular, “Estou Solteiro de Novo” foi composto por Romim Mata e o DJ Ivis.

Lançado no primeiro semestre de 2016.

Já em agosto do mesmo ano, Wesley Safadão adotou a música.

Chegou a gravá-la com Ronaldinho Gaúcho.

Pois foi ela foi o ponto alto no exclusivo suntuoso Pavillon Gabriel, em Paris, ontem à noite.

Em uma celebração mais do que especial.

A Red Bull bancou um banquete para 500 pessoas, a capacidade do pavilhão luxuoso é para duas mil.

O tema era Nuit Rouge, Noite Vermelha.

Todos deveriam ir vestidos de vermelho.

E com o sutil aviso de deixar os celulares nos bolsos.

O que não aconteceu.

Há dezenas de vídeos da festa de 27 anos de Neymar.

Ele surgiu com loiro, com terno vermelho e chapéu com o broche da patrocinadora Red Bull.

Foi tratado como um enviado dos céus.

Adulado pelos centenas de convidados.

O auge foi quando ele cantou e dançou “Estou Solteiro de Novo”.

Não por sua voz desafinada, fraca, adolescente.

Mas por cantar em pé.

Dispensando as duas muletas vermelhas.

E até a cadeira de rodas elétrica que tinha à disposição.

Enquanto tietes entendiam a música como um recado à ex-namorada, a atriz Bruna Marquezine, a preocupação para quem acompanha sua carreira era outra.

Na semana passada houve uma junta médica sobre o quinto metatarso direito do jogador.

Em dez meses ele sofreu a segunda fratura no osso que liga o pé ao dedo mínimo direito.

Rodrigo Lasmar, responsável pelo departamento médico da Seleção Brasileira foi para Paris e se reuniu com os especialistas em ortopedia do Paris Saint-Germain. Discutiram a sério sobre a possibilidade de operar novamente o jogador. Ele já tem um pino e enxerto de ossos no metatarso da primeira operação, que fez em março de 2018, no Brasil.

A recuperação levou mais de três meses.

E mesmo assim não estava pleno na Copa do Mundo da Rússia, como revelou Tite.

Lasmar e os ortopedistas do PSG decidiram por um tratamento mais convencional, sem operação. Uma nova cirurgia levaria entre quatro e cinco meses para garantir o retorno do jogador. Neymar foi até Barcelona para se encontrar com Ramón Cugat Bartomeu, famoso especialista.

Bartomeu antecipou, por exemplo, a volta de Gabriel Jesus aos gramados. Usando injeção de células-tronco e plasma rico em plaquetas, sangue do próprio paciente.

Usando este método, que é proibido nos Estados Unidos, e usado apenas como pesquisa no Brasil, o PSG anunciou que a volta do jogador seria em 10 semanas.

O tratamento, além do sangue, recomenda imobilização total e menos esforço possível no pé direito. Para preservar o osso fraturado, lógico.

A cadeira de rodas durou pouco. Sem chapéu, o broche da Red Bull foi para a lapela. Foto: Reprodução/Instagram

Neymar comemorava ontem, de maneira antecipada, seus 27 anos, completados hoje.

Estava visivelmente abalado.

Tanto que chorou de forma surpreendente ao ver a cantora Marília Mendonça, convidada secreta para sua festa.

E chegou a ironizar o pedido de presente.

Jogador mais caro do mundo, é milionário. Tem mansões, iates, jatinho particular, helicóptero. Tem salários de 30 milhões de euros anuais, R$ 125 milhões. Fora mais cerca de 15 milhões de euros, cerca de R$ 62 milhões em propagandas, por ano.

“O que eu mais queria de presente hoje era um metatarso novo, para que eu pudesse estar dentro de campo guerreando, lutando e fazendo o que eu mais amo que é jogar futebol”, disse, tentando sorrir, depois de chorar por ver Marília.

Neymar não precisa de um metatarso novo.

Só deveria cuidar muito bem do seu.

Enquanto alguns jogadores do PSG e o próprio treinador Thomas Tuchel estavam na celebração, Neymar ficou revezando com suas muletas vermelhas e chegou a dançar na cadeira de rodas elétrica.

A maioria foi embora cedo por conta da partida de amanhã contra o Villefrance, pelas oitavas da Copa da França. O time já havia perdido sua invencibilidade no Campeonato Francês, batido pelo Lyon, no domingo, por 2 a 1.

Assim como técnico Tuchel.

A estrela Mbappé e o veterano Daniel Alves ficaram.

As homenagens, os abraços e declarações a Neymar se seguiram.

Ele foi se soltando.

A ponto de revelar que pensou em cancelar a festa.

Afinal, o que não seria nada errado.

Ele está com uma contusão muito séria.

E que envolve seu futuro em 2019.

Não haveria porque se expor.

Mas ele preferiu agradar os amigos.

A esmagadora maioria era brasileira.

E tinha programado há tempos para estar em Paris na festa.

Messi e Cristiano Ronaldo, por exemplo, não se exporiam como ele fez.

O ponto máximo para irritar jornalistas franceses e a cúpula do PSG, que o transformou em jogador mais caro de todos os tempos, bancando R$ 822 milhões, para tê-lo na equipe, foi na hora do clássico “Estou Solteiro de Novo.”

Apesar do pedido para que os celulares ficassem nos bolsos, houve quem filmou a atuação Neymar.

Seu grande amigo,o promoter David Brazil.

Nas redes sociais, Brazil postou Neymar cantando com Wesley Safadão. Só que diferente do que fez com Rodriguinho e Graab, desta vez, o capitão da Seleção Brasileira, se recuperando da segunda fratura no metatarso, soltava sua voz em pé. Sem muletas. E ainda, empolgado, dançava.

Porém, viria mais.

Ele, com Wesley Safadão, Mbappé e Daniel Alves decidiram cantar um funk.

O também clássico Parado no Bailão, de autoria do MC L da Vinte.

Todos soltaram a voz e mostraram como anda a música popular brasileira.

Não há como negar a poesia.

“É que eu queria muito ela
Ela não me dava atenção
Fiz de tudo por ela
Pra manter uma relação
E hoje nós nem conversa

Tô decidido, e não é atoa
Que eu me joguei no Mandela
E que eu me joguei no Mandela
(Que eu me joguei no Mandela)

Eu parado no bailão
No bailão, ela com o popozão
E o popozão no chão
O popozão no chão
E o popozão no chão

Eu parado no bailão
No bailão, ela com o popozão
O popozão no chão
O popozão no chão
O popozão no chão
O popozão no chão

Eu parado no bailão
No bailão, ela com o popozão
E o popozão no chão
E o popozão no chão
E o popozão no chão…

Neymar outra vez em pé, sem muletas, sem apoio.

Dançando como se não houvesse amanhã.

Pois há.

O PSG jogará contra o Manchester United na próxima semana, pelas oitavas da Champions.

Neymar, sem controle, chorando. Foto: Reprodução/Instagram

Sem o atleta mais caro de todos os tempos.

Conquistar a Champions é o sonho da família real qatariana, dona do clube francês.

Ele estará fora.

Já perdeu mais partidas em um ano e meio no PSG do que em quatro no Barcelona.

A Seleção, que ainda busca um rumo, depois da Copa, faz amistoso contra a República Tcheca.

Não poderá atuar também.

Vai perdendo jogos do Campeonato Francês e da Copa da França.

Seu sonho de ser melhor do mundo vai passando.

Ninguém se esquece do vexame na Copa da Rússia.

Viajou dizendo querer ser campeão e se tornou piada, memes, pelas simulações.

Completou 27 anos.

Sua idolatria é contestada.

E agora, para não desagradar os amigos, mostrar mais uma vez sua independência, que faz o que quer fora dos gramados, se expões mais uma vez. De forma desnecessária, boba, infantilizada.

Como ficar dançando em cima de um metatarso duplamente fraturado?

Soltando o peso do corpo?

Sem estar curado.

Para quê?

A resposta é simples.

Ninguém fala não a Neymar da Silva Santos Júnior.

PSG e Seleção Brasileira submissas demais…

COSME RÍMOLI

R7

Opinião dos leitores

  1. Neymar é jovem moleque nada demais se divertir com seus amigos talvez seja até uma fuga das pressões que tanto recebe dos jornalistas passando um momento difícil com sua contusão todos pobres mortais podem comemorar seu aniversário e por que Neymar.

  2. Esse Cosme Rimoli escreve mal demais. O cara transforma cada oração em paráfrase, precisa dramatizar cada afirmação. Uma coisa que faz muito bem é falar mal do Neymar, o que é mais que merecido, mas essa estrutura em que escreve é de rangir os dentes.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *