Direção do Detran reúne-se com Conselho Regional de Despachantes do Estado

O diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran), Eduardo Machado, recebeu nesta sexta-feira (12) , membros do Conselho Regional dos Despachantes e Documentalistas do RN (CRDD/RN). A reunião teve como objetivo discutir melhorias na atividade dos profissionais e levantar as necessidades identificadas.

Uma das questões abordadas foi a identificação visual dos despachantes que atuam nos serviços do Detran “ O intuito é facilitar a identificação dos profissionais pelos cidadãos que procuram os seus serviços e também proteger a categoria, que são os que podem atuar junto ao Detran/RN”, explicou o Presidente do Conselho, Josué Severiano Cunha Neto. Foram discutidas também questões legais na atuação dos profissionais e propostas na prestação do serviço.

Estiveram presentes na reunião o vice-presidente do Conselho, Ivan Alves de Aquino, membros do Conselho, despachantes e a Procuradoria Jurídica do Departamento.

Sobre a atividade de Despachante

O Despachante de Trânsito do Estado do Rio Grande do Norte é a pessoa física habilitada para a representação de seus clientes junto ao Detran/RN, sendo que o exercício da atividade, denominação e título de Despachante são privativos daqueles habilitados e devidamente credenciados pela autoridade competente. A atividade é destinada única e exclusivamente ao setor de Registro de Veículos.

O credenciamento de Despachantes de Trânsito junto ao Detran/RN é regulamentado pela Lei Estadual Lei nº 10.602 de 12 de dezembro de 2002 e pela Portaria do Detran nº 2050/2016/GADIR.

COMENTE AQUI

paulo martins  13/01/2018

A "profissão" de despachante nada mais é que uma forma dissimulada (e o pior: chancelada pelo estado) de burlar o acesso ao serviço público, eximindo seus privilegiados aloprados da obrigatoriedade de submeter-se a concurso público. Reflexo da alma brasileira, para não dizer corrupção. - Responder

Observador  13/01/2018

Esse país não pode ser sério!!!! A pessoa vai ao DETRAN fazer qualquer coisa, perde o dia inteiro e, muitas vezes, não resolve. Ai, para fazer o mesmo serviço, paga (uma espécie de propina disfarçada) ao despachante, e o negócio é resolvido em poucas horas. Sem falar que a pessoa comum fica na fila enquanto os despachantes entram nas salas, passam na frente dos “comuns”, são atendidos preferencialmente e ainda levam os processos para coleta das assinaturas nos departamentos/salas. Ah, meu Brasil!!!! - Responder

Alves  13/01/2018

Kkkkkkkkk. Só no Brasil, despachante profissão? kkkkkkkkk. - Responder


+ Ver todos os comentários