VÍDEO: Clayson, do Corinthians, é xingado por funcionário de companhia aérea antes de viagem de férias com a família a Natal; caso gera demissão

O atacante Clayson, do Corinthians, passou por situação desconfortável nesta terça-feira, antes de embarcar para uma viagem de férias com a família a Natal, Rio Grande do Norte. Um vídeo compartilhado por Amabile Araújo, mulher do jogador, mostra um funcionário da companhia aérea Latam xingando Clayson na área de check-in do Aeroporto Internacional de Guarulhos. Segundo a Latam, o funcionário já foi demitido.

A esposa de Clayson diz que o marido foi chamado de “jogadorzinho de m…” pelo funcionário. Este trecho não foi captado pelo vídeo. Veja abaixo:

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians. VÍDEO AQUI

A alegação de Amabile é de que o homem reconheceu o atacante do Corinthians, recusou a documentação de um dos membros do grupo e impediu que a família viajasse no voo programado. Clayson teria sido xingado pelo funcionário logo depois de reclamar da situação. A mulher do jogador citou clubismo por parte do profissional.

Horas depois, a família viajou normalmente a Natal.

Em nota oficial, a Latam lamentou o ocorrido e informou que o funcionário foi demitido.

Veja abaixo a nota:

“AA LATAM Airlines Brasil reforça que repudia veementemente qualquer tipo de ofensa e qualquer comportamento que contrarie o respeito não reflete os valores e os princípios da empresa.

A empresa esclarece que seus colaboradores são capacitados para manter a calma e prestar o melhor atendimento aos nossos passageiros e lamentamos que isso não tenha ocorrido na ocasião.

A companhia tomou as medidas cabíveis ao caso, com o desligamento do funcionário, uma vez que seu comportamento contrariou as normas de conduta da companhia e a maneira que a empresa preza pelo atendimento de seus clientes.”

Globo Esporte

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Escritor disse:

    Demitido de otario. Hoje ele ta no curintia. Amanha no parmera. Depois na China.

  2. Eduardo disse:

    Esses jogadoes de hoje só pensam em ganham dinheiro e esquecem que quem mantém eles lá é o torcedor quer seja comprando produtos das empresas que contratam quer indo aos estádios. O torcedor está correto. Pena que ele estava trabalhando queria ver se ele iria fazer o mesmo com um torcedor que estivesse a paizano.

    • Lutemberg disse:

      O Eduardo deve ser um daqueles que deixa de pagar as contar pra ir ao estádio e se acha no direito de ditar regras e ofender os jogadores. Acorda, crianção. Torcer é uma coisa, ofender moralmente, é outra bem diferente.