PRF registra 249 acidentes graves no feriado de carnaval com 87 mortos

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 249 acidentes graves e 87 óbitos nas rodovias federais desde a última sexta-feira (9). O balanço parcial da Operação Carnaval 2018 foi divulgado hoje (14) pelo órgão. Os números são menores que os do ano passado, quando foram registrados 309 acidentes graves e 131 óbitos até a terça-feira de Carnaval.

A operação segue até a meia-noite de hoje com o reforço de policiamento em trechos e horários críticos nas rodovias federais, aqueles que registram maior incidência de acidentes e de flagrantes de condutas irregulares. O balanço final da Operação Carnaval será divulgado amanhã (15).

Até 0h de ontem (13), as equipes da PRF fiscalizaram 144 mil veículos, com o objetivo de verificar as principais condutas irregulares – ultrapassagens irregulares, excesso de velocidade, mistura álcool e direção, e falta de equipamentos de segurança. Foram autuados 1.497 motoristas por embriaguez ao volante, número 22% menor do que no mesmo período do ano passado, quando foram flagrados 1.914 motoristas embriagados até a terça-feira de Carnaval.

“Outro comportamento perigoso para os que estão nas rodovias e que ainda persiste é a ultrapassagem irregular, quer seja em locais proibidos ou em situações que não há possibilidades de ultrapassagem segura”, informou a PRF, em nota. Até meia-noite de ontem foram registradas 8.109 autuações por ultrapassagens irregulares, número 17% menor do que ano passado, “mas que ainda mostra uma frequência muito grande de um comportamento que pode definir a ocorrência de um dos acidentes mais letais, que é a colisão frontal”.

A Operação Carnaval 2018 é mais uma etapa da Operação RodoVida, que começou no dia 22 de dezembro de 2017 e se encerrará no dia 18 de fevereiro.

Agência Brasil 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tomaz disse:

    O sr Sérgio nogueira deve ser dos quadros da prf ou ter pare ntes que ganham um otimo salario sem realizar o seu trabalho que ê fiscali,ar e cuidar da segurança nas estradas dos usuarios

  2. João maria disse:

    se houvese uma educação melhor do condutor.

  3. Tomaz disse:

    Se houvesse uma maior fiscalização o número de acidentes seriam menores

    • Sergio Nogueira disse:

      Comentário típico de quem joga a responsabilidade para os outros.
      Se houvesse uma maior consciência de respeito as regras a fiscalização poderia até ser menor, amigo.
      Mas é muito mais fácil exigir dos outros que fiscalizem mais, porque cumprir a lei é quase um pecado moral…

    • JOÃO VITOR disse:

      Para quem tem consciência, educação e prudência no trânsito, não se torna necessário nenhum tipo de fiscalização, mas o brasileiro é mal educado e imprudente demais, basta viajar pelas rodovias para se verificar a quantidade de ultrapassagens indevidas. É preciso que cada condutor valoriza de maneira especial a sua vida, a vida dos que estão no seu veículo e, principalmente, a vida dos outros, que muitas vezes morrem sem nenhuma culpa em um ato de imprudência. Acredito que mais de 90% dos acidentes automobilísticos com vítimas fatais se dá nas ultrapassagens indevidas. É uma pressa louca que o motorista brasileiro tem, ele não pode ver nenhum carro à sua frente que quer logo ultrapassá-lo, e essas pressas são as maiores causadoras das tragédias. Basta que o motorista brasileiro olhe a vida com um olhar diferente e faça da sua viagem um motivo de alegria.