Saúde

Taxa de ocupação de leitos críticos na rede pública para covid no RN neste domingo é de 67,5%; pacientes internados são 299


Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 67,5%, registrada no início da tarde deste domingo (10). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 299.

Até o momento desta publicação são 78 leitos críticos (UTI) disponíveis e 162 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 142 disponíveis e 137 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região Seridó apresenta 71,4% dos leitos críticos ocupados, a região Metropolitana de Natal tem 60,8% e a Região Oeste 76,3%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Religião

Bispos do RN publicam novas medidas sobre a presença de fiéis nas missas

Com base no decreto do Governo do Estado n° 30.562, de 11 de maio de 2021, autorizamos as celebrações dominicais e nos dias feriados, com a participação presencial de fiéis (30%), podendo chegar a 50% da capacidade se utilizadas as áreas abertas, mediante prévia autorização da vigilância sanitária (Secretaria de Saúde), em todos os horários, respeitando o toque de recolher (22h às 5h).

Esta autorização entra em vigor a partir da data de sua publicação e permanece válida durante todo o período de vigência do decreto estadual ou enquanto não mandarmos o contrário.

Natal (RN), 12 de maio de 2021.

Dom Jaime Vieira Rocha
Arcebispo Metropolitano de Natal

Dom Mariano Manzana
Bispo de Mossoró

Dom Antônio Carlos Cruz Santos, MSC
Bispo de Caicó

Com Arquidiocese de Natal

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil encontra 52 celulares com investigado por furto de aparelhos que estavam apreendidos em fórum em Parnamirim

Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

O portal G1-RN noticia que a Polícia Civil encontrou e apreendeu 52 celulares nesta quarta-feira(12), na casa de um homem investigado como suposto integrante de uma esquema que desviava celulares apreendidos em operações policiais e que estavam custodiados no Fórum de Parnamirim, na região metropolitana de Natal.

Segundo a reportagem, a suspeita da polícia é que os aparelhos eram furtados por pessoas de dentro do próprio fórum para serem revendidos. Ainda segundo a reportagem, os celulares apreendidos foram encontrados durante cumprimento de um mandado de busca e apreensão ao imóvel que fica no bairro Vale do Sol.

Mais detalhes AQUI em texto na íntegra.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Quina de São João pode pagar R$ 170 milhões

Foto: Barbara Taeger Photography /Getty Images

A Caixa Econômica Federal começou a receber apostas para o concurso 5.590 da Quina de São João nesta segunda-feira (10). O prêmio será anunciado no dia 26 de junho, a partir das 20h, e é estimado em R$ 170 milhões — o maior valor da Quina, segundo a instituição.

Em 2020, o concurso pagou R$ 152,5 milhões para cinco apostas. Vale ressaltar que os valores da Quina de São João não são acumulativos. Por isso, caso ninguém acerte os cinco números sorteados, o prêmio é dividido entre as pessoas que acertaram quatro números e assim por diante.

A Caixa informa ainda que, caso apenas um ganhador leve o prêmio e decide aplicar todo o valor na Poupança da Caixa, o rendimento no primeiro mês chega a R$ 270 mil.

Veja como apostar

É possível fazer a aposta para a Quina de São João em uma casa lotérica ou pelo portal Loterias Online da Caixa.

No jogo, o apostador deve escolher de 5 a 15 números dentre 80 disponíveis. Ganha quem acertar 2, 3, 4 ou 5 deles. Assim como funciona em outros jogos da Caixa, é possível deixar o sistema escolher os números. Uma aposta simples custa R$ 2.

A Caixa disponibiliza também o Bolão Caixa, que dá aos apostadores mais chances de ganhar. O preço mínimo dessa aposta é de R$ 10.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Moradores denunciam supostas festas clandestinas em localidade de Cotovelo, no litoral sul potiguar, e reclamam de falta de averiguação de autoridades

Foto: Cedida

Moradores da praia de Cotovelo, no litoral sul potiguar, reclamam da falta de providências das autoridades de segurança sobre denúncias sobre supostas festas clandestinas que acontecem semanalmente, em uma localidade por trás do Condomínio Corais de Cotovelo e após um outro empreendimento.

Entre as queixas, som alto, que seria ouvido acima de 10 andares de condomínios como o Corais, além de “bebedeira” durante a noite até o início do dia.

Segundo moradores dos arredores, as reclamações foram comunicadas diversas vezes ao Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), mas até o momento nenhuma providência para averiguação da ocorrência foi tomada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Cena clássica de romantismo de Branca de Neve entra na mira dos canceladores, com pedido até de história reescrita: “beijo não foi consentido”

Foto: Reprodução

Os parques da Disney nos Estados Unidos reabriram após mais de um ano fechados devido à pandemia. O parque da Califórnia, que foi aberto em 1955, reformou alguns dos brinquedos clássicos. O tour “As aventuras assustadoras da Branca de Neve na Disneylândia” ganhou uma nova versão, “O desejo encantado de Branca de Neve”.

Bastou a primeira crítica sobre a nova atração para Branca de Neve ser jogada na esteira do cancelamento. Seguiu o destino de Pepe o Gambá, Ligeirinho e Piggy dos Muppets. O pior é que ela nem fez nada para justificar o cancelamento, fizeram com ela.

Uma crítica da nova atração, escrita na imprensa local da Califórnia, berço do Zen-Fascismo, frisou que o brinquedo novo não eliminou o principal problema do brinquedo de 1955. E qual é o problema? O beijo do príncipe na Branca de Neve. Ocorre que ela está desacordada, então o beijo não foi consentido.

O final da experiência no brinquedo é justamente com a cena do beijo. Para os críticos do SFGate, é um absurdo a Disney ter mantido a história. O melhor seria ter refeito a cena, colocando um final novo para a Branca de Neve. Você não leu errado, é isso que defendem.

“Já não concordamos que o consentimento nos primeiros filmes da Disney é um grande problema? Que ensinar às crianças que beijar, quando não foi estabelecido se ambas as partes estão dispostas a se envolver, não está certo? É difícil entender por que a Disneylândia de 2021 escolheria adicionar uma cena com ideias tão antiquadas do que um homem pode fazer com uma mulher, especialmente dada a ênfase atual da empresa em remover cenas problemáticas de passeios como Jungle Cruise e Splash Mountain . Por que não reinventar um final de acordo com o espírito do filme e a posição de Branca de Neve no cânone da Disney, mas que evite esse problema?”, diz a crítica do SFGate, que virou centro de debate na internet.

Eu não sei se a Branca de Neve que eu vi é a mesma. Que eu me lembre, ela não podia consentir porque estava morta. Comeu a maçã envenenada e morreu. Pode beijar o cadáver de uma mulher que você amava? Essa problematização começou a ficar bem mais interessante na minha mão. E também mais adequada à infância.

Se é para problematizar, vamos problematizar direito. Branca de Neve tem a madrasta interesseira, o pai que abandona filha por causa de mulher, a obsessão por beleza, o desejo de eterna juventude, o estigma da inveja entre mulheres, o homem como único objetivo de vida e salvação da mulher, estigmatização da velhice e não vou nem começar a analisar os anões senão não acabo o texto esta semana.

Pepe o Gambá e Ligeirinho foram acusados de racismo pelos sotaques. No final, acabaram absolvidos no Supremo Tribunal da Internet. Mas ainda viria a pancada final, o abuso. Pepe o Gambá tenta beijar suas pretendentes à força. Acabou sendo o primeiro cartoon demitido da história.

Depois a Miss Piggy, tão usada nos xingamentos políticos brasileiros, acabou cancelada também. Quem viu os Muppets sabia o quanto ela era cruel e abusiva com todos, sobretudo com Caco, o sapo. A internet deu-se conta disso um belo dia e tentou colar Miss Piggy na rabeira do cancelamento de Pepe o Gambá.

A discussão toda sobre cartoons abusivos com outros cartoons seria apenas ridícula não fosse uma ideia muito perigosa que começa a surgir, a de reescrever a história. Todo autoritarismo se estabelece apagando a história e reescrevendo à sua própria maneira. Vamos reescrever todas as referências culturais até que não tenhamos mais nenhuma, é isso?

Aparentemente, há uma boa intenção, a de ensinar a crianças que um beijo de amor deve ser consentido. O método escolhido é sair fuçando todas as histórias de ficção com beijos não consentidos e pedir que esse trecho seja mudado. Quem disse que o método funciona? Alguém comprovou? Não. Ocorre que ele funciona para outra coisa.

Vivemos uma enorme confusão entre militância e autoajuda. Qualquer militância é chatíssima porque precisamos aprender com os divergentes e convencer os que têm opinião diferente. Cancelar personagem de desenho animado não muda nada na prática nem convence ninguém. Aliás, tem o risco contrário.

Ocorre que ninguém está militando por crianças, consentimento ou um futuro melhor, está apenas buscando aprovação dentro do próprio grupo. As pessoas querem fazer parte de algo importante, mostrar ao seu grupo social que se preocupam. Para isso, funciona. Fulana disse que o príncipe deveria ter pedido consentimento da Branca de Neve, olha como ela se preocupa com as mulheres.

Nas redes sociais, acaba virando uma espécie de competição. Quem consegue atrair mais atenção para si? Tem lá a sugestão de apagar o final da Branca de Neve. Daí virá outro malhando outro personagem e assim sucessivamente. Não querem construir nada diferente, querem atenção atacando algo que os outros gostam. Dentro do grupo para quem a causa é importante, serão vistos como ousados, valentes.

A cultura muda quando criamos novas referências tão apaixonantes quanto as anteriores. E elas não cativam o público, sobretudo as crianças, porque são perfeitas. Referências culturais cativam quando são autênticas, por isso não podem ser refeitas.

O mais curioso é que refazer obra alheia, escondendo a impureza, seja visto agora como progressista. Após Concílio de Trento, que acabou em 1563, a Igreja Católica decidiu que tinha muito santo pelado no afresco O Juízo Final, de Michelangelo, na Capela Sistina. Ele morreu em 1564 e vários pintores foram chamados para fazer coberturas nos personagens retratados.

Naquela época, os religiosos acreditavam que a exposição da nudez em pinturas sacras era um incentivo à luxúria e à lascívia. Se suprimida, ajudaria muito. Em 1990 foi feita uma restauração na Capela Sistina e 15 das coberturas de nudez foram removidas. Não consta que tenha havido qualquer mudança significativa na luxúria humana antes e depois das coberturas de nudez do afresco.

Por – Madeleine Lacsko – Gazeta do Povo

 

Opinião dos leitores

  1. Mentes doentias, cheias de raiva e ressentimentos. Querem reescrever a história para adequá-la às suas versões de mundo. Esquerdistas bizarros, frutos de lavagem cerebral institucionalizada em escolas e universidades.
    Estão tornando o mundo um lugar pior, chato e conflituoso, achando que estão fazendo o bem.

  2. Se estivessem trabalhando com a mente ocupada não haveria tempo para essas baboseiras. Falta do que fazer mesmo.

  3. Se fosse criança tocando homem nú, duas pessoas do mesmo sexo se acariciando ou beijando, não haveria todo esse mimimi, era arte?. Uma cena clássica de amor, em nome da vida e os revoltados imorais ficam criando caso. Não tem mais o que fazer?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Confira o novo decreto estadual, com fim do toque de recolher integral aos domingos e feriados, além de flexibilizações no comércio, aulas presenciais, igrejas e mais

Foto: Reprodução/DOE

Um novo decreto que flexibiliza as medidas restritivas de combate à Covid-19 do Rio Grande do Norte foi publicado nesta quarta (12), com validade até 27 de maio. Entre as principais flexibilizações, foi oficializado que o toque de recolher passa a ser das 22h às 5h todos os dias da semana, enquanto o toque de recolher em tempo integral aos domingos e feriados foi extinto.

No quesito ESCOLAS, fica autorizada a retomada do ensino híbrido (presencial e online) em escolas públicas e privadas. As instituições de ensino poderão ampliar o funcionamento de forma gradual:

– a partir de 17 de maio, o 6º e o 7º ano do ensino fundamental e a 2ª série do ensino médio;

– a partir de 31 de maio, o 8º e o 9º ano do ensino fundamental e a 1ª série do ensino médio;

– a partir de 17 de maio, o ensino técnico profissionalizante.

Já estava permitido o sistema híbrido até o 5º ano do Fundamental I e para a 3ª série do Ensino Médio

Sobre bares, Restaurantes, Food parks e similares, ao contrário dos decretos anteriores, o atual não proíbe venda e consumo de bebidas alcoólicas. Podem funcionar todos os dias da semana, das 11h às 22h, com tolerância de 60 minutos, exclusivamente para o encerramento das atividades presenciais.

Restaurantes localizados no interior de hotéis e pousadas seguem os mesmos protocolos sanitários, permitido, ainda, o funcionamento 24 horas para atendimento aos hóspedes.

Veja ainda mudanças no comércio, igrejas e tempos, parques públicos e esportes coletivos AQUI , em decreto na íntegra do Diário Oficial do Estado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Nota de pesar: Covid-19 mata mais um policial penal no RN

O Sindppen-RN informa, com profundo pesar, que mais um policial penal morreu em decorrência da Covid-19. Robson Bezerra Verde, de 53 anos, faleceu no final da noite desta terça-feira, 11, em Mossoró.

O policial penal trabalhava na Cadeia Pública de Mossoró. Inclusive, ele se sentiu mal durante o plantão de trabalho e, ao ser levado ao hospital, ficou internado por complicações na saúde decorrentes da Covid-19.

Nessa terça-feira, Robson chegou a ser intubado, mas, no final da noite, não resistiu e morreu. Ele é o terceiro policial penal morto por causa da Covid-19 no Rio Grande do Norte em menos de um mês. O sepultamento de Robson Verde será na cidade de Angicos, na manhã desta quarta-feira, 12.

“Infelizmente, perdemos mais um para este vírus maldito. Primeiro, perdemos nosso colega Tenisvaldo, depois, a guerreira Flávia Roberta, que deixou um bebê recém-nascido, e, agora, Robson Verde. Quantos mais precisarão morrer para que os profissionais da Segurança sejam todos vacinados?”, questiona Vilma Batista.

A presidente do Sindppen-RN, em nome de toda categoria, externa pesar pela morte do policial penal Robson Verde. “Aos familiares, amigos e colegas de trabalho, deixamos aqui nossa solidariedade e nosso sentimento de luto. Estamos em oração para que Deus dê o conforto a cada um que amava nosso colega”.

Vilma Batista também ressalta a necessidade urgente de vacinação dos policiais penais. “Está claro que esses profissionais estão expostos ao alto risco de contágio da Covid-19. O Rio Grande do Norte, infelizmente, está criando uma imagem negativa no país como um estado que não cuida dos seus profissionais da Segurança. A morte de policiais por falta de vacina é mais uma demonstração de desrespeito e negligência”, completa.

 

Opinião dos leitores

  1. Muita politicagem em tudo nesse país! Existe o famoso PNI, é feito por quem??? Ministério da Saúde! Se formos colocar toda categoria como prioritária vamos para aonde?? Professores exigem! Militares, exigem! Caminhoneiros, exigem! E ai? Aonde vamos parar?? Todos queremos a vacina, todos precisamos estar imunizados! Demagogia e cara de pau, aqui temos de montão!

  2. Porque os policiais não fazem pressão para o Governo Federal incluir no PNI os profissionais de seguranca?

    1. Leia mais um pouco amigo, já fizeram e até o STF já falou que eles não são prioridade.

    2. O PNI é de responsabilidade do Ministério da Saúde. Nele há as prioridades e cabe ao próprio ministério modifica-las. Já disse aqui: profissionais da saúde, educação e segurança eram p estar no topo da lista. Os governos estaduais tem que seguir o que está no PNI.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Minuto na Câmara Municipal de Natal – bares– (12-05-2021)

Minuto da Câmara de Natal no ar trazendo os assuntos mais importantes debatidos na última semana, na Casa, disponibilizado nesta quarta-feira(12).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

10 dos 27 governadores tomaram a 1ª dose da vacina contra covid-19

Dos 27 governadores brasileiros, 10 já tomaram pelo menos a 1ª dose da vacina contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A fórmula mais usada pelos mandatários é a CoronaVac (6 vezes), seguida dos imunizantes da Pfizer e da AstraZeneca, com duas aplicações cada.

O chefe do Executivo estadual mais jovem a receber a injeção foi Reinaldo Azambuja (DEM), de Mato Grosso do Sul (57 anos). Ele está no grupo prioritário por ter hipertensão, considerada uma comorbidade. O mais velho é Ronaldo Caiado (DEM), de Goiás (71 anos).

Foto: Poder360

 

O principal entusiasta da CoronaVac no Brasil, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi vacinado com o imunizante produzido no Estado, pelo instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Wellington Dias (PT), do Piauí, e Rui Costa (PT), da Bahia, tomaram a vacina da Pfizer, recém-chegada no país.

PODER360

Opinião dos leitores

  1. Maioria dos petistas se vacinando com a melhor vacina. Pq essas pragas não se vacinam com coronavac?

  2. Que coincidência, a vacina da pfizer só foi oferecida a 0,0001% da população, mas 20% dos governadores se vacinaram com ela… sorte?

    1. 2/27 = 0,074.
      No YouTube tem aula de matemática grátis, corra.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil administrou a 1ª dose de vacina contra a covid-19 em 36,5 milhões de pessoas

O Brasil administrou a 1ª dose de vacinas contra a covid em 36.507.052 pessoas até as 21h30 de 3ª feira (11.mai.2021). Dessas, 18.382.641 receberam a 2ª dose. Ao todo, 54.889.693 doses foram aplicadas no país.

Os dados são das plataformas coronavirusbra1 e covid19br, que compilam dados das secretarias estaduais de Saúde.

O número de vacinados com ao menos uma dose equivale a 17,1% da população, segundo a projeção para 2021 de habitantes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Os que receberam as duas doses são 8,6%.

Dos que tomaram a 1ª dose, 50% já receberam também a 2ª e estão imunizados. As vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil são a CoronaVac e a de Oxford-AstraZeneca. Ambas requerem duas doses para uma imunização eficaz.

Eis os números de vacinados por Estado:

Foto: Poder360

PODER360

Opinião dos leitores

  1. Vejam como a turma da cleptolândia não consegue viver com a realidade.
    Foram entregues aos estados 70 milhões de doses de vacinas.
    Foram aplicadas apenas 44 milhões de doses.
    SÃO 34 MILHÕES DE DOSES PARADAS!
    Os governadores continuam tendo como prioridade a política rasteira, enquanto o povo espera pela sorte.
    Aí vem a turma da bandidolatria, com sua costumeira irresponsabilidade e culpa o Presidente pelas mortes. Precisa desenhar?

    1. Sua matemática precisa de algumas aulas, 54 aplicadas, 70 milhões distribuídas, calma que esses vão ser usadas, estão sendo 1 milhão por dia. Tem a reserva q estão se prevenindo pra não acontecer igual a coronavac q mandaram aplicar as reservas e povo tá sem a segunda dose. Mais calma ainda q a meteria prima acabou e governo fez papel de idiota falando da china. Prejudicando assim a vacinação q ele nunca quiz e nem quer.

  2. Graças a Deus! Maravilha, quando vemos os países mais avançados na vacinação, temos certeza que o futuro será próspero e estamos perto de vencer o desafio! Parabéns a todos, e que venham mais vacinas!

  3. Se não existisse a lentidão na vacinação, já teriam recebido a primeira dose cerca de 50 milhões de brasileiros. Mas os governadores continuam praticando a politicagem e a maioria dos estados só aplicou 58% das vacinas que receberam. Isso não é genocídio?

  4. Após a 1a. dose, as vacinas já surtem efeito, embora não em sua máxima eficácia. O Brasil vai saindo da crise sanitária. Até os governadores da oposição “lacradora”, como essa daqui, já estão começando a abrir a economia. Mas, ainda vão ter que explicar onde aplicaram os bilhões que receberam do governo Bolsonaro.

    1. Esse é o famoso “boi de porteira”, impressionante como tudo é culpa dos outros, e apenas o presidente inepto, inútil e miliciano não tem culpa de nada! Ainda bem que temos a oposição para ter feito medidas restritivas que tenho certeza, salvaram milhares de vidas! E olhe que trabalho com turismo e sei o efeito perverso, mas também sei que uma vida perdida não se recupera mais, e tive dois colegas de trabalho que se foram! Portanto, deixa de falar asneira e vai se “endireitar”!

    2. Ao invés de atacar as pessoas, meu caro, tente explicar onde a governadora usou o “dinheiro do Bolsonaro”. Tente também enumerar qualquer coisa que essa senhora tenha feito pelo RN, fora a reforma da previdência estadual, que ela dizia não ser necessária. Vá aos fatos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *