Geral

Tremor de terra é registrado nesta quarta-feira em Caraúbas-RN

Localização epicentral simbolizada pelo marcador vermelho no mapa. Foto: LabSis

Nesta quarta-feira (05) um tremor de terra foi registrado no município de Caraúbas(distante 296 km de Natal), no estado do Rio Grande do Norte. O evento, que ocorreu às 14h32 UTC (11h32, hora local), teve sua magnitude preliminar calculada em 1.3 mR. Até o momento desta publicação, o LabSis não recebeu a informação de que moradores escutaram ou sentiram o evento ocorrido nesta quarta-feira (05).

O Laboratório Sismológico segue monitorando e divulgando toda atividade sísmica que ocorra no estado do Rio Grande do Norte e também da região Nordeste do país.

Com LabSis

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Empresas do setor de eventos no RN têm prejuízo estimado de R$ 191 milhões

O Novo Notícias destaca que a sexta-feira 30 de abril foi marcada pelo Dia Nacional do Profissional de Eventos. Movimento provocado pelo Natal Convention Bureau com o objetivo de ocupar a mídia local, agendando vários profissionais de eventos para entrevistas e matérias jornalísticas, com o objetivo de sensibilizar as autoridades e a opinião pública acerca de milhares de pessoas absolutamente sem renda há um ano.

Na pauta, a situação crítica de um mercado que registrou prejuízo de R$ 270 bilhões com a pandemia do novo Coronavírus entre março e dezembro do ano passado no Brasil, onde perdas levaram ao desemprego de 3 milhões de pessoas. No Rio Grande do Norte, estima-se a alta cifra de R$ 191 milhões que deixaram de circular no último ano, com cálculos baseados nas pesquisas mais recentes.

O segmento, que tem um grande impacto na cadeia produtiva, já acumula 13 meses de uma crise sem precedentes e ainda com poucas possibilidades de soluções à vista. O próprio Ministério da Economia, na portaria 20.890, atesta que o Setor de Eventos foi o mais afetado na pandemia.

O mercado de eventos corporativos faz parte da cadeia econômica do Turismo através dos congressos, exposições comerciais e seminários, em razão de provocar fluxo de deslocamento entre cidades, estados e países, além da ocupação hoteleira. Por isso, atinge um número maior de naturezas de serviços, no caso, mais empresas que se nutrem dessa cadeia.

Outro dado interessante é que o ‘turista de evento’, comprovadamente deixa mais dinheiro na cidade-sede onde o evento acontece. Enquanto o turista que vem a lazer gasta cerca de R$ 322 por dia, o turista que vem para um evento gasta cerca de R$ 516,00, de acordo com os dados do Natal Convention Bureau.

O presidente Executivo do Natal Convention Bureau, George Gosson, destaca que a atividade de eventos abarca diversos tipos e formatos, e que, por exemplo, há eventos que são similares à dinâmica de um cinema, uma sala de aula, em ambientes controlados, que não oferecem o mesmo risco de um evento social ou um show, em que onde quase sempre há a bebida alcoólica e a inquietação do público como fatores complicadores do controle da programação.

Para Chirley Dantas, empresária proprietária da Crion Eventos, os eventos corporativos têm plena condição de serrem retomados, “porque seguimos protocolos, controlando efetivamente o número de pessoas e distanciamento social, dentre outras medidas de segurança que mantém esse tipo de evento, como uma extensão das corporações que nós atendemos como clientes”, explica.

Para ela, vários tipos de incentivos efetivos poderiam ser implementados, como a renegociação de possíveis dívidas, com interferência bancária, a paralisação temporária na cobrança de impostos, sem comprometer a emissão de certidões, e a isenção de taxas públicas, municipais e estaduais, por pelo menos 1 ano, para licenciamento e realização de eventos, como uso de espaço público, publicidade, estruturas, entre outras que se façam necessárias para a realização de um evento.

Com informações via Novo Notícias

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

REAL: Alta de juros já torna moeda brasileira atraente, diz Bradesco Asset

Foto: Vecteezy

O status do real como financiador de operações de arbitragem com taxas de juros acabou, e a moeda brasileira pode voltar a se beneficiar de diferenciais de taxas nos próximos meses, conforme o país caminha para dar mais um passo no processo de normalização da política monetária, disse André Nogueira Fontenelle, responsável pelos fundos multimercados macro da Bradesco Asset Management (Bram).

“Se você pegar o ‘forward’ de seis, 12 meses, o real já figura como uma das moedas mais atraentes do ponto de vista de juros, como sendo uma moeda atraente”, disse Fontenelle, referindo-se às taxas embutidas em NDFs –contratos a termo sem entrega física e um dos canais pelos quais investidores estrangeiros operam a moeda brasileira.

“O Brasil passou a ser financiador das posições de ‘carry’, mas acho que isso acabou. Agora o Brasil (o real) vai figurar do lado moderado.”

Com o histórico de juros elevados no Brasil, o real tradicionalmente era uma das moedas preferidas para “carry trade” –estratégia que consiste na tomada de empréstimos em moeda de país de juro baixo (iene japonês, por exemplo) e compra de contratos futuros da divisa de juro maior (real). O investidor, assim, ganha a diferença de taxas.

Mas, com a queda da Selic de 14,25% em outubro de 2016 para 2% em agosto de 2020 (patamar mantido até março passado), o real não apenas deixou de oferecer diferencial de retornos atrativo como passou a contabilizar juro real negativo. Isso causou uma reversão de seu status –de beneficiário, passou a financiar as operações de “carry trade”– e tornou a moeda doméstica alvo fácil de operações de “hedge” via venda de reais.

Contudo, atualmente o juro embutido na taxa de câmbio do NDF de real de um ano está em torno de 4,4%. Medida similar baseada em contratos futuros do peso mexicano é de 4,3%, apesar de o juro básico mexicano (4%) ser consideravelmente maior que o brasileiro (2,75%).

“Se você chegar a 6,5% mesmo (Selic), acho que vai ser um evento positivo no comparativo. Nosso único problema nessa questão é a volatilidade, que está muito fora dos padrões”, afirmou o gestor, segundo o qual o chamado “sharpe ratio” (risco ajustado pelo retorno) ainda está contra o real.

Mas Fontenelle lembrou que mesmo a volatilidade está em queda. A volatilidade implícita de dois meses do real está em 16,9%, a alguma distância das máximas em torno de 19,5% de março e perto de mínimas desde fevereiro. Ainda assim, entre os principais pares emergentes apenas a lira turca (19,2%) tem volatilidade mais alta.

As causas da volatilidade mais elevada do real, segundo o executivo, ainda seguem um “mistério” em pelo menos 80%.

A Bram ainda tem uma pequena posição favorável ao real nos fundos multimercados macro. “Se, por exemplo, a gente tivesse a volatilidade do real em linha com a dos pares emergentes, a gente estaria com uma posição maior.”

Aposta nos juros

Os temas que ajudaram os ativos domésticos em abril devem prosseguir em maio, o que pode manter o alívio experimentado pelos preços no mês passado, disse Fontenelle.

Segundo o gestor, três fatores ampararam os mercados locais em abril: amadurecimento do ciclo de normalização monetária, acalmada nos Treasuries e a aprovação do Orçamento após acordo entre governo e Congresso.

“O real teve ainda um efeito das commodities de maneira geral. Tudo que a gente exporta teve um mês positivo… Acho que tudo isso (todos os elementos citados) me parece que continua”, afirmou.

“Acho que o Copom em si ajuda a tirar mais prêmio da curva (de juros). A gente vai ter, na nossa visão, um mercado de commodities ainda pressionado (para cima) pela atividade global. E talvez a gente vá ter discussões positivas do ponto de vista político.”

Dentre os três mercados –renda fixa, ações e câmbio–, os fundos multimercados da Bram estão privilegiando posições doadas em juros, com “basicamente” posição em prefixados, sobretudo no vencimento de DI janeiro 2024. Como hedge, os fundos carregam posição tomada em DI janeiro 2029.

“É mais um hedge mesmo, o net da posição é bem aplicado e aumentamos ao longo do mês passado”, disse o executivo.

Fontenelle explicou que o excesso de prêmio percebido na curva de juros se deve mais ao fiscal do que a eventual leitura de uma política monetária “atrás da curva”. E como, segundo ele, o noticiário fiscal trouxe recentemente algum alívio, há razão para acreditar que os preços poderão devolver parte dos excessos.

“A parte curta da curva está razoavelmente justa. (O janeiro) 2022 acho que tem prêmio, mas não alto. Para 2023, 2024, há altas (da Selic) a perder de vista. É um prêmio exagerado.”

Mesmo que o tema fiscal domine, há na curva algum desconforto do lado da inflação. “Existe um certo nervosismo, agora vem bandeira vermelha… Isso traz ansiedade, e o mercado acaba precificando (aumento de juros) para cima”, disse.

Mas Fontenelle vê os discursos oficiais do Copom amenizando a inquietação do mercado. Com isso, o gestor estima que a Selic terminará o ciclo entre 5,5% e 6% ao ano –abaixo da taxa de 8,5% embutida na curva de DI para o fim de 2022.

CNN Brasil, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. tem que voltar pra pelo menos 6% pra ver se esse dólar cai com a volta dos investidores estrangeiros… o risco brasil é muito alto pra investir aqui abaixo disso

  2. No mundo da fantasia desse blog e de alguns cabeças de touro, o Brasil só fica atrás dos EUA 🇺🇸.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

VÍDEO: ABC vence Globo em Ceará-Mirim na estreia do 2º turno do Estadual; veja como foi o jogo

Foto: Reprodução/YouTube/Band Natal

Em jogo realizado na tarde desta quarta-feira(05) no estádio Barrettão, em Ceará-Mirim, na região metropolitana de Natal, o ABC venceu o Globo pelo placar de 2 a 1.

Os gols do ABC foram marcados por Helitão, aos 39 do 1º tempo e Gabriel Recife(contra), aos 10 do 2º tempo. Rafael Negueba marcou nos acréscimos do 1º tempo para o time do Globo.

Com esse resultado, o alvinegro soma três pontos e assume provisoriamente a segunda colocação na classificação da Copa RN, atrás do Santa Cruz no saldo de gols.

Veja como foi o jogo assistindo AQUI via Band Natal.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

São Gonçalo lança mais um auxílio para beneficiar profissionais da cultura afetados pela pandemia

Foto: Divulgação

A Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN, por meio da Fundação Cultural Dona Militana (FCDM), lançou nesta terça-feira (4) o edital do programa de auxílio financeiro ‘Cultura em Movimento’, que vai beneficiar cerca de 100 profissionais do setor cultural do município prejudicados pelo agravamento da pandemia de Covid-19.

As inscrições para o programa iniciam nesta quarta-feira (5) e seguem até o próximo dia 25, por meio do endereço: editalculturalemmovimento@gmail.com. Para ter acesso ao auxílio, os interessados devem apresentar um projeto de ação relacionado ao seu setor. Além disso, eles devem atender aos critérios estabelecidos pelo edital e pela lei que rege a utilização dos recursos do Fundo Municipal de Cultura.

Segundo o presidente da FCDM, Abel Neto, a iniciativa visa amenizar os impactos da paralisação das atividades do setor em virtude da pandemia, um dos mais prejudicados. “Esses profissionais estão há mais de um ano sem poder realizar nenhum tipo de atividade cultural. Estamos sempre buscando meios para garantir que esses auxílios cheguem até aqueles que dependem da sua arte para sobreviver”, disse.

O valor a ser pago aos profissionais aprovados no Cultura em Movimento é de R$ 700. Essa é a segunda vez que a prefeitura destina recursos para auxílio financeiro aos profissionais da cultura durante a crise da pandemia.

O edital foi lançado no Jornal Oficial do Município nessa terça-feira (4).

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pela 4ª vez, aplicação da 2ª dose da Coronavac em Natal é suspensa; nova remessa tem previsão até sexta

Pela quarta vez, a capital potiguar suspendeu a aplicação da segunda dose da Coronavac nesta quarta-feira (5). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), há previsão de recebimento de uma nova remessa do imunizante até sexta-feira (7).

Quem está com a segunda dose atrasada terá que aguardar a chegada do novo lote para ser vacinado.

A imunização continua na capital potiguar com a Astrazeneca.

 

 

Opinião dos leitores

  1. A pref. De Natal devia informar foram vacinados hoje e quantos trabalhadores da saúde que não são da linha de frente da covid foram vacinados hoje.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Demissões no setor de turismo respondem por quase 40% do desemprego em Natal, indica pesquisa

Foto: Reprodução/Blog do Dina

O Blog do Dina – por Dinarte Assunção, destaca nesta quarta-feira(05) que as demissões ao longo de 2020, motivadas em grande parte pela pandemia de covid-19, afetaram muitos setores da economia, nenhum, no entanto, como o turismo. É o que indica o “Monitora Turismo”, pesquisa realizada pela dra. Mariana Aldrigui, da USP, especialista em Turismo e presidente do conselho de Turismo da Fecomercio-SP.

O Monitora Turismo tem profundidade considerável em sua metodologia porque Aldrigui mapeia os impactos sobre o emprego em 571 atividades ligadas ao setor, direta ou indiretamente. Os números de emprego da pesquisa que ela consolida considera apenas os vínculos formais.

Em 2020, enquanto o saldo geral do Brasil de empregos foi positivo, de quase 143 mil empregos, puxados por construção civil e indústria, o turismo encerrou 110.833 postos de trabalho.

Ao considerar os 20 destinos turísticos mais relevantes do país, o Monitora Turismo constatou que 39% das vagas de emprego encerradas em Natal foram no setor.

Segundo dados do Caged, Natal desligou 3.196 postos de trabalho formais em 2020. Desses, o Monitora Turismo identificou que 1.246 foram de pessoas ligadas a uma das principais atividades econômicas da capital.

No comparativo com cidades de porte semelhante, Natal fica à frente no desemprego no turismo para Maceió (34%) e João Pessoa, onde as demissões no setor responderam por 27% dos desligamentos gerais.

Veja matéria na íntegra no Blog do Dina – por Dinarte Assunção AQUI.

 

Opinião dos leitores

  1. Infelizmente, isso é uma tendência mundial e de momento. Acredito que o RN irá se recuperar em relação ao setor de turismo mais rápido que muitos Estados. Os nossos gestores precisam socorrer as famílias afetadas por enquanto.

    1. Essa conversa é linda para quem tem o salário garantido no final do mês, mesmo sem produzir nada. Se você estivesse passando fome e sem dar uma vida digna para os filhos, queria ver se teria essa mesma conversinha.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Autoridades da Austrália insinuam guerra com a China; relação entre os dois países está congelada há quase um ano, após pedido de investigação sobre origens da Covid-19

Foto: Frederic J. Brown/AFP via Getty Images

País com forças armadas muito menores e sem armas nucleares, a Austrália decidiu insinuar uma guerra com a China.

Em 25 de abril, a data simbólica do Dia de Anzac, quando a Austrália homenageia seus mortos na guerra, o recém-nomeado Ministro da Defesa, Peter Dutton, disse que um conflito com a China sobre Taiwan não deveria “ser descartado”, acrescentando que os australianos precisam ser “realistas” sobre as tensões na região.

Em outra mensagem durante o Dia de Anzac, a principal autoridade do poderoso departamento de Assuntos Internos da Austrália, Mike Pezzullo, disse a sua equipe que “nações livres” estavam ouvindo os “tambores da guerra” bater novamente.

Poucos dias depois, o primeiro-ministro Scott Morrison anunciou US$ 580 milhões em modernizações militares. Uma semana depois, vários jornais publicaram instruções confidenciais do major-general da Austrália, Adam Findlay, aos soldados das forças especiais, nas quais ele disse que o conflito com a China era de “alta probabilidade”.

A ideia de a Austrália travar uma guerra contra a China por conta própria é ridícula. No ano passado, os gastos militares da Austrália foram de cerca de US$ 27 bilhões, de acordo com o Instituto de Pesquisa Stockholm International Peace. Os gastos da China, no mesmo período, foram quase 10 vezes mais, estimados em cerca de US$ 252 bilhões, o segundo maior do mundo.

Além disso, a China é uma potência nuclear. Já a Austrália, não.

As relações entre Canberra e Pequim estão congeladas há quase um ano, desde que Morrison e seu governo enfureceram o governo chinês ao pedir publicamente uma investigação sobre as origens da pandemia de Covid-19. Desde então, as exportações australianas para a China – incluindo carvão, trigo e vinho – tem enfrentado muitos obstáculos.

O governo australiano se moveu para confrontar Pequim sobre as alegações de abusos dos direitos humanos em Xinjiang e Hong Kong, e o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, se juntou à mídia estatal para destacar o fraco histórico de direitos humanos da Austrália sobre refugiados e indígenas australianos.

Mas muito da retórica de guerra da Austrália é na verdade impulsionada pela política interna, disse Yun Jiang, editora-chefe do Centro sobre a China no Mundo, da Universidade Nacional da Austrália. O governo de Morrison está sob pressão por causa das alegações de que tratou mal a campanha de vacinação contra a Covid-19 e pode estar tentando mudar o foco.

“Concentrar-se em um inimigo externo geralmente tem sido bastante eficaz para unir o sentimento público e se reunir em torno do governo”, disse ela. “Eu acho que é irresponsabilidade do governo falar sobre isso assim. Guerra é um assunto muito sério”.

As palavras do governo australiano, no entanto, podem refletir preocupações reais sobre a possibilidade de uma invasão chinesa em Taiwan – um conflito que poderia envolver toda a região da Ásia e até mesmo os Estados Unidos. Mas essa perspectiva aterrorizante, disse Yun, é provavelmente o motivo pelo qual outros aliados dos EUA, mais próximos da esfera de influência de Pequim, como a Coreia do Sul e o Japão, não estão ecoando a linguagem agressiva de Canberra.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. A agressividade da política externa chinesa, as desconfianças quanto à origem do vírus da COVID e as acirradas disputas comerciais e tecnológicas entre a China e outros paises estão aos poucos acirrando os ânimos nas relações internacionais. O Mar da China é um barril de pólvora e os EUA estão de olho no que ocorre por lá. É bom lembrar que a Austrália é pais de língua inglesa e, caso venha a se envolver num conflito com a China, com certeza não estará só. Ai reside o perigo. Creio que o mundo está próximo de um grande conflito.

  2. A escalada de tensões entre a China e países circunvizinhos não vai cessar, ou arrefecer. Muito ao contrário: é evidente o aumento da instabilidade na região, e uma guerra não pode ser descartada. Caso a China invada Taiwan, é quase certo um conflito armado na região, que rapidamente evoluiria para uma Terceira Guerra Mundial. Tempos sombrios estão chegando. Podem tirar print do meu comentário: até 2023, uma guerra eclodirá na Ásia, provavelmente com reflexos globais.

  3. A CPI do covid 19 deveria começar pelo presidente da China. Eles quebraram as pernas fa economia mundial e venderam as muletas

  4. A China deveria ser retaliada pelo mundo inteiro. Deveria pagar por todo dando causado ao mundo, e o Partido Comunista Chinês sumir do mapa mundial.

    1. Pega uma arminha, c9le uma foto do Bozo e vá pra guerra palhaço.
      Só não vá ser um frouxo e arregão como o Bozo e sua Gadolandia.
      Muuuuuuuuu

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Autor de ataque em creche de SC é autuado por cinco homicídios triplamente qualificados

Foto: Jornal e TV A Sua Voz

A Polícia Civil investiga qual a motivação do ataque a uma creche de Saudades, no Oeste catarinense. Um dia depois do crime que deixou cinco pessoas mortas, entre elas três crianças, a Polícia Civil afirmou, nesta quarta-feira (5), que irá ouvir mais testemunhas e reunir novas provas.

O autor do ataque, um jovem de 18 anos, segue internado e está sedado. Ele foi autuado em flagrante por cinco homicídios triplamente qualificados, além de uma tentativa de homicídio contra a criança que foi ferida. As qualificadoras dos crimes são: motivo torpe, utilização de recurso que impossibilitou a defesa das vítimas e a utilização de meio cruel.

Três crianças e duas mulheres, sendo uma professora e a outra agente educacional, morreram no ataque. As vítimas foram enterradas nesta manhã. Uma quarta criança ficou ferida, passou por cirurgia e está em internada na UTI (veja mais abaixo).

Cada uma das vítimas levou ao menos cinco golpes de facão, informou o Instituto Geral de Perícias (IGP) em coletiva de imprensa. O assassino deu golpes contra o próprio corpo e foi levado ao hospital.

De acordo com o delegado Jerônimo Ferreira, nesta quarta a polícia espera conseguir a autorização da Justiça para começar a analisar o computador encontrado na casa do homem. No local, os agentes encontraram também R$ 11 mil em espécie e duas embalagens de facas novas. O dinheiro era proveniente de salários que o assassino guardava. Ele trabalha em uma empresa de produção de roupas.

Entre os depoimentos, o delegado pretende ouvir o autor nos próximos dias. O homem está internado no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, com quadro clínico considerado estável. Segundo o último boletim médico, ele está sedado e se recupera da cirurgia.

Há escolta no local. O Hospital de Pinhalzinho, também no Oeste, onde autor foi internado na terça, também recebeu escolta policial.

Ninguém da família do homem de 18 anos suspeitava que ele planejava crime. Autor não era conhecido pela polícia, não tinha antecedentes criminais, informou o delegado.

“Pais e irmã disseram que ele era mais quietão, não saía com ninguém, não tinha celular. Tinha se afastado dos poucos amigos”, relatou o delegado.

Ninguém da família do homem de 18 anos suspeitava que ele planejava crime. Autor não era conhecido pela polícia, não tinha antecedentes criminais, informou o delegado.

“Pais e irmã disseram que ele era mais quietão, não saía com ninguém, não tinha celular. Tinha se afastado dos poucos amigos”, relatou o delegado.

Quem são as vítimas:

Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, era professora e dava aulas na unidade havia cerca de 10 anos

Mirla Renner, de 20 anos, era agente educacional na escola

Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses

Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses

Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses.

O que se sabe até agora:

Um homem de 18 anos invadiu a escola Aquarela com duas facas às 10h de terça (4).

A creche fica na cidade de Saudades (SC), 600km de Florianópolis, e atende crianças de 6 meses a 2 anos.

20 crianças estavam no local sob os cuidados de 5 professoras.

A primeira pessoa que o assassino atacou foi a professora Keli Adriane Aniecevski.

Mesmo ferida, a professora correu para uma sala, onde estavam quatro crianças e a agente educativa Mirla Renner, de 20 anos.

O homem chegou até a sala e continuou os ataques, matando Keli e três crianças. Mirla chegou a ser socorrida, mas não resistiu. Veja quem são as vítimas.

Todas as vítimas foram atingidas com, pelo menos, cinco golpes de facão.

O assassino tentou entrar em todas as salas da creche, mas professoras conseguiram se trancar e proteger as crianças.

A única sobrevivente ao ataque é uma criança de 1 ano e 8 meses, que está na UTI.

O assassino foi preso e levado ao hospital após dar golpes contra o próprio corpo. Estado de saúde dele é grave.

Polícia encontrou R$ 11 mil e duas embalagens de facas novas na casa do assassino.

O velório e o sepultamento das cinco vítimas foram coletivos.

G1-SC

Opinião dos leitores

  1. Resumindo: até ontem era um homem de bem. Apto a portar arma de fogo se quisesse. Como muitos que estão sedentos…

    1. Mas não conseguiria porque não passaria no teste de sanidade mental assim como vc não passaria nem no moral por ser tão burro

  2. A pena máxima são 30 anos. Com 1/6 da pena, com um bom advogado, ele tem a pena relaxada. No Brasil, o crime compensa. Infelizmente….

  3. Não apareceu nenhum advogado criminalista para defender o coitadinho?
    Também vai ser declarado inimputável como foi Adélio?
    A sorte é que não tinha policial por perto, pois a mídia iria colocar toda culpa no PM e chamar o assassino de suspeito.
    Mas isso não acontece só quem tem arma de fogo?

    1. É só contratar o advogado do ladrao Lula, esperar o STF e correr para o abraço

    2. Melhor contratar o advogado do Flávio Bolsonaro… Melhor não há…ele até esconde os criminosos na casa dele…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Deputado Albert Dickson diz que perfil do YouTube voltou após plataforma reconhecer invasão de hackers

Foto: Reprodução/YouTube

O deputado estadual Albert Dickson (PROS) teve a conta na plataforma de vídeos Youtube suspensa recentemente, e conseguiu recuperá-la nesta quarta-feira(05).

Albert Dickson, nega que a conta tenha sido derrubada por conta da defesa do tratamento precoce contra covid. Segundo ele, a retirada dos vídeos foi motivada por “uma invasão de hackers americanos” na plataforma.

“Após ser invadido por hackers o nosso canal está de volta autorizado pelo YouTube”, celebrou o médico oftalmologista e parlamentar.

Opinião dos leitores

  1. Parabéns ao blog por após denunciar a notícia negativa, repor com a verdade de forma positiva! Parabéns ao deputado albert Dickson, por reverter situação adversa! 👏👏

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Em caso raríssimo, mulher do Mali dá à luz 9 bebês

Foto: Ministério da Saúde do Mali

Halima Cisse pensava estar grávida de 7, o que por si só já era uma gestação difícil. Por conta de todos os riscos, ela foi transferida do Mali, onde mora, para um hospital do Marrocos – mas o que ela não esperava é que daria à luz 9 bebês, em um caso raríssimo de nônuplos.

Todo o procedimento foi organizado por meio da cooperação internacional entre os dois países. O Ministério da Saúde do Mali confirmou, nesta terça-feira (4), o nascimento dos 9 pequenos – 5 meninas e 4 meninos – e garantiu que todos passam bem.

Em nota, o governo do Mali informou que Cisse esteve por duas semanas internada em um hospital local para acompanhamento dos médicos, mas que no fim de março foi transferida para uma maternidade no Marrocos que se encarregou do procedimento de risco.

“Agradecemos o apoio da família Cisse, voluntários e de todo o povo do Mali”, disse a ministra da Saúde, Fanta Siby, em um comunicado. “Damos os parabéns às equipes médicas do Mali e do Marrocos cujo profissionalismo fez com que o resultado desta gravidez fosse tão feliz.”

A nova mãe e seus bebês devem voltar para casa apenas em algumas semanas.

A nota do governo do Mali não informou o peso dos bebês ou após quantas semanas de gestação eles nasceram.

Casos anteriores

Há registro de casos anteriores de gestação de nônuplos, mas com problemas de saúde graves. Em 1971, Geraldine Brodrick, de 29 anos, teve 9 bebês num hospital da Austrália – dois deles nasceram já sem vida, e os demais acabaram morrendo no decorrer de uma semana, segundo registro da época do jornal “The New York Times”.

Houve ainda um nascimento de nônuplos em março de 1999, na Malásia, mas nenhum deles sobreviveu.

G1

Opinião dos leitores

    1. E nas rachadinhas…nas casa de 6 milhões…nos cheques de 89 mil…nas lojas de chocolate que valem milhões, nos contratos de trabalho em que o parlamentar fica com 90% do salário, etc…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Meio Dia RN

VÍDEO MEIO-DIA RN: Confira o programa desta quarta-feira

Confira programa desta quarta-feira(05). O Meio-Dia RN, com este blogueiro, debateu os principais assuntos no Estado, pelo país e no mundo. Clique abaixo e assista via Youtube.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Com vacinação avançada, PB vira destino de turismo regional e crescem reservas de hotéis; público é do RN, PE e AL

Foto: Reprodução/via Blog do Dina

A comparação que passou a vigorar entre Natal e João Pessoa tem certa medida de ser – para além do complexo de vira-lata que domina o espírito da capital do Rio Grande do Norte. Nos últimos dias, as mensagens de que João Pessoa estava bem à frente no turismo com relação a Natal passaram a circular fortemente especialmente nas redes sociais. O Blog do Dina conversou com Breno Mesquita, da Associação de Bares e Restaurantes da Paraíba, para checar se a impressão dos natalenses estava completamente certa.

“Em partes está. Natal está com ocupação hoteleira acima de João Pessoa, mas é porque vocês tem resorts urbanos, como os hotéis da Via Costeira em que o turista não precisa sair do equipamento para se divertir. Não temos esses equipamentos aqui em João Pessoa. Então, a ocupação de nossa rede depende de atrativos abertos na cidade”, explicou Mesquita.

São esses atrativos que estão fazendo a diferença para João Pessoa. Enquanto em Natal a disputa do setor envolve convencer o Governo do Estado a liberar itens como bebida alcóolica nos bares e restaurantes, em João Pessoa isso não só já está consolidado, como tem mais.

Leia matéria completa AQUI no Blog do Dina – por Dinarte Assunção.

Opinião dos leitores

  1. O QUE MAIS PESA HOJE CONTRA NATAL É O AEROPORTO…………………………QUE NÃO É DESDE GOVERNO.

  2. A pandemia afetou o turismo no mundo todo, mas de fato o destino Natal está a cada ano e a cada governo piorando mais! E João Pessoa a cada ano tem seu turismo crescendo e se tornando perene, mesmo sendo um estado com um litoral bem menor e que não tem a beleza do litoral do RN. Os erros e os acertos no RN e em Natal infelizmente não estão acontecendo somente nos atuais governos e nem deve melhorar com o término da pandemia, já vem de anos e de uma série de erros que vem desde os gestores municipais e do governo estadual como tb dos deputados federais e estaduais que quase nada fazem pra estimular o setor nem muito menos melhorar nossa segurança. O RN e Natal, de 5 a 10 anos atrás era bem mais tranquilo e atraente pro turista e pro morador, até os servidores públicos e militares faziam de tudo pra serem transferidos pra cá. Hoje a cidade de João Pessoa virou um atrativo pra todos, seja pra morar seja pra passar férias… Espero que os futuros gestores invistam mais na nossa segurança e na preservação e melhorias de nossos atrativos turísticos, inclusive no interior do estado temos muitos lugares lindos que não contam com a devida valorização pra criar um atrativo e gerar riquezas pros municípios também …

    1. Vc é apoia o PT esse post é só um disfarce. Faz tempo que observo seus comentários

  3. Eu sendo potiguar reconheço que aqui está destinado ao fracasso. E nao precisa ser Fatima governadora, pq quem escolhe o gestor é a populacao. Basta ver a população que vive de serviço publico achar que a atividade produtiva é prejudicial. Na verdade se houvesse um boicote do setor produtivo e fuga de empresas, esse povo estaria chorando… em vez de ficar falando besteira.

  4. João Pessoa muito melhor que Natal. Vacinando quem tem 57 anos e começa sexta 56 anos. A economia por lá crescendo, aqui tudo fechado.
    Os hóteis com mais de 80% de ocupação. Restaurante, bar, shopping, comércio tudo faturando. Aqui tudo fechado e restrito.
    Sem falar da gasolina que é bem mais barato. Viva a Paraíba

    1. Pois venham pra cá, só ontem foram mais de 40 óbitos. A vacina está avançada, e as mortes tb

  5. Já que a Governadora aprovou a lei das benzedeiras, vamos fazer uma benzeção do RN, pra tirar todas as ziguiziras e urucubacas do RN, começando pelos Petralhas. Kkkkk

  6. Mas agora está melhor. Foi aprovado a cachaça como essencial. Os apreciadores agradecem. Temos direito a ir pro bar beber. Nao somos pingunços, somos essenciais, coisa que os músicos não são. Bares abertos pra gente beber, mas não para os músicos trabalharem. Quem manda não ser essencial? O coronavirus agradece e as funerárias também.

  7. Enquanto no RN Fátima só pensa em fechar e comprar vacinas para gerar receitas para o 📦. Ela só pensa em fazer despesas volumosas para de crédito 💳 futuros.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministério da Saúde lança estudo para entender comportamento da Covid-19 em 274 cidades do país, e Queiroga diz que ‘negacionismo é negar o que o governo federal tem feito no investimento na pesquisa’

Foto: Agência O Globo

Em evento de lançamento da pesquisa PrevCOV, sobre a prevalência de infecção pela Covid-19 no Brasil, realizado nesta quarta-feira, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga afirmou que “negacionismo é negar o que o governo federal tem feito no investimento na pesquisa, na ciência e na tecnologia”.

As declarações foram percebidas como respostas às críticas feitas ao governo federal durante a CPI da Covid no Senado, que investiga possíveis ações e omissões do governo Bolsonaro no combate à pandemia. A CPI começou a ouvir nesta terça-feira ex-ministros da Saúde antecessores de Queiroga durante a atual gestão.

O novo estudo, que deve começar em junho, é, informou a Saúde, um dos maiores do mundo sobre a soroprevalência do coronavírus. A pasta quer estimar a prevalência da infecção pelo coronavírus nas capitais, nos estados e nas regiões metropolitanas.

Entre os principais objetivos está mapear a extensão da transmissão do vírus e compreender o comportamento da doença no país e seus determinantes, como características demográficas e epidemiológicas dos participantes.

A amostra utilizada será semelhante à aplicada pela Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE. Ao todo, serão coletados dados em 274 cidades, com abrangência de 62 mil domicílios nestes locais e público alvo de 211.129 indivíduos. O investimento é, de acordo com o ministro, de R$ 200 milhões.

— (Este) é um governo que tem investido fortemente na pesquisa. Não só em relação a inquéritos epidemiológicos como esse, mas em pesquisa de fármacos inovadores, em fomento ao complexo industrial da saúde. Negacionismo é negar o que o governo federal tem feito no investimento na pesquisa, na ciência e na tecnologia — afirmou o ministro.

A PrevCov quer estimar a exata magnitude da infecção nas capitais e regiões metropolitanas para assim ter cálculos mais precisos da morbidade e letalidade da doença. O objetivo, diz a Saúde, é aperfeiçoar estratégias de enfrentamento à pandemia no Brasil e direcionar políticas de prevenção.

Em 14 meses de pandemia, o Brasil já perdeu, de acordo com os números do consórcio dos veículos de imprensa, 411.854 pessoas pela Covid-19.

Serão parceiras da PrevCov a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Vacinação e banco de dados

Segundo o Ministério da Saúde, os moradores das residências selecionadas para participar da pesquisa serão cntactados por SMS ou WhatsApp, e depois receberão uma ligação telefônica para confirmar os dados e fazer o agendamento. No dia da visita, um profissional de saúde identificado irá coletar uma amostra de sangue dos participantes.

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, destacou que o estudo possibilitará a coleta de dados sobre a vacinação contra a Covid-19 no país.

Além disso, parte das amostras será armazenada na Fiocruz para compor um biorrepositório — reservatório de amostras — nacional da infecção pelo Sars-Cov-2. Ele poderá ser usado para estudos complementares posteriores.

Ministério diz estar ‘empenhado’ em ampliar testagem

Queiroga também destacou ser necessário “pôr fim” à circulação do vírus para que “possamos ter nossa vida de volta como era antes” e defendeu a atuação do governo federal no enfrentamento à pandemia.

Queiroga afirmou que o governo “não mediu esforços para ter vacinas suficientes” e destacou que a maioria das doses de imunizantes contra a Covid-19 usadas no país serão produzidas em território nacional, em duas instituições públicas.

— O Brasil não pode persistir com complexo de vira-lata. Temos a capacidade de produzir vacinas para responder às epidemias e endemias que porventura assolem nossa sociedade — afirmou.

Queiroga também destacou a necessidade de continuar com medidas não farmacológicas e afirmou que o Ministério “está empenhado” em ampliar a testagem da população.

— Entendemos que com testagem adequada poderemos promover uma abertura segura da economia. Não podemos ficar na história de não fazer nada ou querer fazer tudo, e às vezes fazer de forma desarranjada que não traz os efeitos desejados pela sociedade e pelo governo. Bolsonaro tem de maneira clara externando sua preocupação em relação à saúde e à economia — disse o ministro.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Se fez estudo e pesquisas científica, e continua disseminando que aglomerar, ainda mais desprotegido pode, aí sim está tipificado o dolo, e é irrefutável essa constatação. Só resta impeachment e cadeia.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Hospital Unimed promove ações de conscientização no dia mundial de higiene das mãos

Fotos: Divulgação

Nesta quarta-feira(5), comemora-se o dia mundial de higiene das mãos, instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS), integrantes do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar – SCIH, do Núcleo de Educação Permanente – NEP e do Núcleo de Segurança do Paciente – NSP do Hospital Unimed(HU) se reuniram para aumentar a adesão à higiene das mãos protegendo assim, tanto os pacientes quanto os profissionais de saúde contra as infecções.

Desde ontem(4), estão sendo realizadas dinâmicas no HU com membros da enfermagem envolvendo peças teatrais e workshops sobre as 4 formas de higienização das mãos e a importância deste gesto. Embora o hábito de higienização das mãos (com preparação alcoólica 70% ou sabonete líquido e água) não seja novo, inseri-lo na rotina diária é um desafio, especialmente no que se refere à forma correta de execução desse procedimento. De acordo com Jara Louredo, Enfermeira do Controle de Infecção Hospitalar da Unimed, são necessários pelo menos 20 segundos para a higienização adequada das mãos com álcool, por exemplo. Mas é essa higiene das mãos uma das ações mais eficazes para redução da transmissão de microrganismos causadores de doenças infecciosas, incluindo a COVID-19.

Com as técnicas corretas tanto os profissionais de saúde quanto a comunidade podem evitar a transmissão de vírus causadores de doenças, como este da COVID-19 e também bactérias que desencadeiam outras patologias no organismo.

O Hospital da Unimed tem índices baixos de infecção relacionadas a assistência, dentro do preconizado pelas autoridades sanitárias, e obteve redução de 70% após a instituição das campanhas regulares, em 2013. Isso só reforça o compromisso com a segurança do paciente de todos os que compõem o único hospital norte-rio-grandense com selo Nacional de Acreditação.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Hotelaria do Rio Grande do Norte já demitiu mais de 5 mil trabalhadores na pandemia, diz Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do RN

Em entrevista ao Repórter 98 desta terça-feira (4), o presidente Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do RN (ABIH-RN), Abdon Gosson, falou sobre o impacto da pandemia no turismo do Estado,  que fez o setor registrar uma queda de 70% no número de passeios turísticos realizados, de acordo com dados do Sindicato das Empresas de Turismo do Estado.

“O nosso aeroporto teve uma queda de 51% no número de voos, na nossa hotelaria nós tivemos uma queda de quase 50%. Nós tivemos também, dados da Fecomércio, que deixou de circular na nossa economia de abril do ano passado até fevereiro deste ano R$ 1,5 bilhões, provenientes único e exclusivamente do turismo”, disse Gosson.

O presidente da ABIH ainda disse que mais de 5 mil pessoas do ramo da hotelaria ficaram desempregadas na pandemia, e que alguns hotéis chegaram a demitir 70% dos empregados devido ao prejuízo.

Gosson defende que o setor de hotéis, bares e restaurantes funcionem seguindo os protocolos sanitários.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *