Eduardo Bolsonaro defende ‘reação enérgica’ contra o STF

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) criticou nesta 4ª feira (27.mai.2020) decisões dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes e Celso de Mello –este, relator de inquérito que apura suposta tentativa de interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal.

O filho do presidente Jair Bolsonaro participou de live do portal Terça Livre, canal mantido pelo blogueiro Allan dos Santos, 1 dos alvos de operação que fez buscas em endereços ligados a diversas autoridades no âmbito do processo sobre fake news instaurado no Supremo.

Na transmissão, Eduardo pregou uma reação contra a Suprema Corte. “Temos de pontuar, diagnosticar o problema e depois começar a tomar algumas atitudes”, afirmou.

O deputado endossou fala do blogueiro Allan dos Santos de que outros Poderes estariam tramando contra o governo.

“Até entendo quem tem uma postura moderada para não chegar num momento de ruptura, de cisão ainda maior, de conflito ainda maior. Eu entendo essas pessoas que querem evitar esse momento de caos, mas falando abertamente, opinião de Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opinião de se, mas de quando isso vai ocorrer. Essas reuniões aqui que o Allan está falando de altas autoridades, até mesmo de dentro de setores políticos, a gente discute esse tipo de coisa”, afirmou.

O deputado afirmou que pode ser alvo de novas operações. Também criticou as decisões de Celso de Mello no inquérito que investiga a suposta interferência de Bolsonaro na PF.

“Se a gente mantiver essa postura colaborativa, amanhã eles vão entrar na nossa casa.”

O escritor Olavo de Carvalho também participou do debate. Disse que “esse Alexandre de Moraes não tem de ter direito de falar” e que é “a favor da pena de morte para esses caras”.

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) e o médico bolsonarista Ítalo Marsili também participaram da live.

PODER 360

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Márcio disse:

    O STF PRECISA DE LIMITES!!!

  2. Leandro disse:

    BOLSONARO ATÉ 2026……e por um STF que prenda bandidos e não os solte …..como vem fazendo por décadas….principalmente esses corruptos a quem o STF faz vista grossa e possuem interesses comuns….

  3. Carlão disse:

    Um cabo e um soldado. Já tava planejado faz tempo. Juiz só e bom quando prende inimigos.

  4. .40 disse:

    Porque essa família odeia tanto o STF? Será que estão chegando perto demais de alguma coisa?

  5. Anti-Político de Estimação disse:

    "Reação enérgica" seria exatamente o quê ? : Fechar o STF, prender os oposicionistas do Congresso deixando livres os bandidos do centrão, é lógico , e o fechamento dos órgãos de imprensa que criticam o Presidente ??
    Depois, passar a perseguir, prender e "fazer desaparecer" quem abrisse a boca ou postasse qualquer crítica ao Presidente, sua família ou a sua turma ??
    Nada mais parecido com um cenário desses do que a Venezuela de Chavez e Maduro……………

  6. Antonio Turci disse:

    Com todo o respeito ao livre pensar, seguir um cidadão como Olavo de Carvalho é, realmente, muito triste. Este cidadão causa "espécie".

PENSE NUMA ARRREGADA: Fogo de Chão volta atrás e decide pagar rescisão de demitidos

A rede de churrascarias Fogo de Chão viu o desastre de sua medida de falta de respeito com os seus colaboradores e como pegou mal na sociedade sua decisão “sabida” e recuou da decisão de utilizar artigo da CLT (Consolidação de Leis do Trabalho) para evitar o pagamento de verbas rescisórias a 436 funcionários demitidos desde o agravamento da crise do coronavírus.

Nesta quarta (27), a rede informou que reconsiderou a decisão e que vai pagar integralmente a rescisão de todos os funcionários demitidos, incluindo os valores da multa do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e o aviso prévio indenizado.

A empresa lançou mão de artigo da CLT conhecido no meio jurídico como a teoria do fato do príncipe na tentativa de transferir aos entes públicos a responsabilidade por indenizações. A medida é controversa e já chegou à Justiça do Trabalho.

“Nos amparamos no artigo 486 da CLT para realizar a demissão dos 436 funcionários pois havíamos avaliado que era aplicável às situações resultantes da pandemia”, afirmou a rede, em nota.

No comunicado enviado nesta quarta, a empresa diz ter reconsiderado a decisão “dadas as questões jurídicas levantadas e o impacto financeiro desta solução para os membros das equipes e suas famílias”.

Esse artigo da legislação trabalhista diz que “no caso de paralisação temporária ou definitiva do trabalho, motivada por ato de autoridade municipal, estadual ou federal, ou pela promulgação de lei ou resolução que impossibilite a continuação da atividade, prevalecerá o pagamento da indenização, que ficará a cargo do governo responsável”.

Para advogados, porém, é equivocada a interpretação de que as empresas poderiam deixar de pagar as verbas da rescisão de contrato. O correto seria fazer o pagamento dos direitos do funcionário e depois cobrar o entre público, seja o estado ou a prefeitura.

Além disso, não há consenso quanto à possibilidade de as empresas usarem o artigo para evitar o pagamento das verbas rescisórias, uma vez que a medidas de distanciamento social, determinadas por meio das quarentenas, ocorreram em meio a uma crise sanitária mundial.

FOLHAPRESS

Brasil defende fronteiras abertas com Paraguai, mas presidente do Paraguai nega por medo da Covid-19

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, disse a Jair Bolsonaro que o país não está pronto para reabrir as fronteiras com o Brasil.

Os dois mandatários conversaram no final da semana passada, e Bolsonaro defendeu a Abdo, segundo interlocutores ouvidos pela Folha, a importância da normalização dos postos fronteiriços para a economia daquelas regiões.

Diante do pleito do brasileiro, Abdo afirmou que o Paraguai não avalia no momento liberar a entrada de brasileiros em seu país pelas travessias terrestres.

O Paraguai implementou uma das mais duras regras de quarentena e isolamento social no continente para enfrentar a Covid-19.

Até o momento foram registrados no país vizinho apenas 877 casos e 11 mortes. Por outro lado, o Brasil soma mais de 411 mil casos e 25 mil óbitos.

Os paraguaios temem que a retomada dos fluxos fronteiriços com o Brasil —que se converteu no epicentro da pandemia na América do Sul— gere uma sobrecarga dos hospitais do país.

FOLHAPRESS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Romero Cezar da Câmara disse:

    Esse cavalheiro do apocalipse matando no Brasil m, agora quer matar os paraguaios. Abram as fronteiras da morte.

  2. Bero do pao azedo disse:

    Quem quer fronteira aberta com Brasil? A vergonha mundial em termos de combate a pandemia? Gracas a um presidente lunático

  3. O rei do gado disse:

    Todo mundo com medo do Brasil, inclusive eu.

  4. Emerson Fonseca disse:

    Como qualquer Presidente faria, parabéns ao Paraguai.

EUA ultrapassam 100 mil óbitos por causa do Covid-19

Os Estados Unidos superaram nesta quarta-feira (27) a marca dos 100.000 mortos por Covid-19, um número muito superior ao restante do mundo, segundo levantamentos feitos pela Universidade Johns Hopkins e pelo The New York Times.

O país registrou sua primeira morte pela Covid-19 há cerca de três meses e tem no momento 100.276 mortos, segundo a Johns Hopkins. Desde então, 1.695.776 infecções foram registradas nos Estados Unidos, de acordo com a instituição, com sede em Baltimore.

O estado de Nova York tem quase um terço das mortes no país (29.370), onde bandeiras foram hasteadas a meio mastro no fim de semana passado em homenagem às vítimas.

Segundo as autoridades, a doença já tinha provocado mortes em meados de fevereiro, mas a causa real dos óbitos era desconhecida na época.

O número de 50 mil vítimas foi superado há pouco mais de um mês, em 24 de abril.

Na terça-feira, os Estados Unidos registraram pelo terceiro dia consecutivo menos de 700 mortes em 24 horas.

FOLHAPRESS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cidadão Atento disse:

    CLOROQUINA, CLOROQUINA
    CLOROQUINA DE JAIR
    NÃO SEI PORQUE O TRUMP
    NÃO USA A CLOROQUINA E MANDA CARREGAMENTO PRO BRASIL

Bolsonaro veta aumento para servidores até o fim de 2021 e sanciona socorro a estados

O presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos a lei de socorro aos estados e municípios. O prazo final era até esta quarta-feira (27). A decisão foi publicada no Diário Oficial desta quinta (28).

Após dar aval a deputados e senadores para manter reajuste mais amplo para servidores, o presidente atendeu a apelo do ministro Paulo Guedes (Economia) e congelou os salários até o fim de 2021.

A suspensão do aumento de vencimentos do funcionalismo de municípios, estados e União era contrapartida exigida por Guedes para ajudar os entes da Federação a enfrentar os efeitos do coronavírus.

O Congresso agora pode manter ou derrubar os vetos de Bolsonaro. Porém, na tramitação do texto, deputados e senadores haviam poupado do congelamento de salários uma gama ampla de servidores.

Entre as categorias beneficiadas estavam civis e militares, como professores, médicos, enfermeiros, profissionais de limpeza urbana, agentes funerários, policiais e as Forças Armadas.

A decisão, segundo projeção da equipe de Guedes, reduziria para R$ 43 bilhões a economia com o congelamento. Inicialmente, eram previstos R$ 130 bilhões.

De acordo com Bolsonaro, na mensagem do veto, o dispositivo aprovado “viola o interesse público por acarretar em alteração da economia potencial estimada”.

“A título de exemplo, a manutenção do referido dispositivo retiraria quase dois terços do impacto esperado para a restrição de crescimento da despesa com pessoal”, escreveu.

De acordo com ele, o veto foi imposto por orientação de Guedes e do ministro Fernando Azevedo e Silva (Defesa).

Antes de sancionar a lei, o governo acelerou, porém, medidas para beneficiar policiais – base bolsonarista –, a fim de livrá-los das travas ao aumento salarial.

Na terça-feira (26), Bolsonaro publicou uma MP (medida provisória) autorizando reajuste para policiais civis, militares e bombeiros do Distrito Federal. O custo para a União é estimado em R$ 500 milhões.

Ele ainda conseguiu aprovar outra MP que reestruturou a carreira da Polícia Federal. Passada essa articulação para atender a base bolsonarista, municípios e estados terão acesso ao dinheiro.

Prefeitos e governadores tinham pressa em razão da queda de arrecadação provocada pela retração econômica. O distanciamento social tem afetado as atividades.

A versão final do texto foi aprovada pelo Senado em 6 de maio. O pacote de ajuda chega a R$ 125 bilhões durante a crise da Covid-19. O socorro vale por quatro meses.

Municípios e estados receberão R$ 60 bilhões em repasses diretos ao longo do programa. Os recursos impactarão o Orçamento da União.

O pacote prevê que R$ 10 bilhões serão destinados diretamente para o enfrentamento ao coronavírus –R$ 7 bilhões a estados e Distrito Federal e R$ 3 bilhões a municípios.

O restante do valor a ser transferido (R$ 50 bilhões) será repartido de duas formas. Serão R$ 30 bilhões distribuídos diretamente a estados e DF e os outros R$ 20 bilhões a municípios.

O rateio será feito segundo a regra de proporção, levando em consideração critérios mistos, como perdas de ICMS (imposto estadual) e de ISS (municipal) e o número de habitantes.

Além disso, o plano prevê suspensão de dívidas com a União e bancos públicos. Esse montante chega a quase R$ 50 bilhões.

Um outro veto de Bolsonaro contraria os estados e atende a pedido de Guedes. O projeto aprovado previa que a União não suspenderia repasses do FPE (Fundo de Participação dos Estados) caso pagasse dívidas com bancos internacionais.

A equipe econômica defendeu a manutenção da regra, mesmo na pandemia: se um estado deixar de pagar um banco multilateral, como o Banco Mundial, o Tesouro cobre as parcelas, mas, como contrapartida, retém uma parte dos repasses via FPE.

FOLHAPRESS

A unanimidade de Cipriano Maia

O Secretário de Saúde, Cipriano Maia está conseguindo um feito muito díficil na humanidade, ser unanimidade.

O Desempenho de Cipriano desagrada desde companheiros da própria secretaria, passando por companheiros do governo que faz parte, da classe médica, inclusive grande parte dos colegas de profissão já não escondem as críticas e agora chegou em cheio na classe política.

Ningúem discute as boas intenções e a seriedade de Cipriano. Já o desempenho….

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. marcelo disse:

    E porque não trocam o secretário? Coloca um infectologista de renome do estado

  2. Azevedo disse:

    Esse secretário de saúde do Estado do RN é o chamado marcha lenta, não disse para que veio no governo Robinson, quando foi exonerado, tão pouco no governo Fátima Bezerra, é um dos piores secretários desse governo. Esse cidadão pode ser uma boa pessoa é um bom profissional médico, agora como gestor público o mesmo não existe, é inoperante na sua pasta. Acho que a governadora tem pessoas muito mais qualificadas para assumir essa secretaria de saúde,, tão importante nesse momento de crise Dessa pandemia.

  3. Cabo Silva disse:

    Fora Guru!!!!

  4. Anti-Político de Estimação disse:

    Ele se queimou com aquela sua previsão catastrófica que , graças a Deus, não se confirmou. Creio que sua batata já esteja na brasa…

  5. Zé Ruela disse:

    Pelas demonstrações de capacidade e subserviencia seria um bom nome para o ministerio da saúde de Bolsonaro.

  6. Caio disse:

    Em quanto ele tiver a panelinha dele dentro da sesap, a efetividade e produtividade nas ações chegará a Zero!!! A saúde já é difícil e com um secretário que só quer fazer o que agrada os deles…

Sesap/RN irá recomendar fim do uso da cloroquina em pacientes com Covid

A Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap/RN), vai recomendar que a hidroxicloroquina e a cloroquina não sejam utilizados para o tratamento da Covid-19 em pacientes graves internados nos hospitais do Estado. O novo protocolo deve ser assinado nesta semana e deverá conter outras instruções referentes aos cuidados com os pacientes diagnosticados com a doença provocada pelo novo coronavírus. Apesar da recomendação, o critério de prescrever ou não o medicamento para o paciente continuará respeitando a autonomia dos médicos, que também deverão seguir o livre arbítrio dos pacientes em aceitarem ou não a medicação.

De acordo com o médico infectologista Igor Thiago Queiroz, presidente da Sociedade Norte-rio-grandense de Infectologia e um dos cinco profissionais de saúde da Sesap/RN responsáveis pelo protocolo, disse que a recomendação leva em consideração as evidências científicas sobre a medicação divulgadas recentemente.

“O que a gente vê das últimas evidências, de estudos publicados em revistas internacionais, é que a hidroxicloroquina foi utilizada numa fase muito tardia do adoecimento, não tínhamos aquela orientação sobre divisão de fases. O que a gente vê, nesses estudos, é que quem fez uso da cloroquina, nessa fase tardia, não teve benefício. Pelo contrário, aumentou o risco de efeitos colaterais e a mortalidade. Não vamos recomendar usar hidroxicloroquina no hospital, no paciente que já interna grave”, disse o médico, que participou da coletiva de imprensa promovida pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN) com o tema “Uso de antivirais: quais as evidências científicas?” nesta quarta-feira, 27.

No caso dos pacientes em estado leve, fora do hospital, a recomendação da comissão dos médicos, segundo Igor Thiago Queiroz, é de que “possa ser feito a critério do médico. Já temos respaldo do ponto de vista do Ministério da Saúde e do Conselho Regional de Medicina do RN (Cremern), mas que seja feita de forma acompanhada, que priorizem os estudos clínicos e procurem os professores universitários que estão fazendo suas pesquisas e que possam incluir mais pacientes para terem respostas científicas”, argumentou.

Para ler a reportagem completa é só clicar aqui: http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/sesap-rn-ira-recomendar-fim-do-uso-da-cloroquina-em-pacientes-com-covid/480981

TRIBUNA DO NORTE

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco Alves disse:

    Caro BG;
    Sei que a matéria é da Tribuna do Norte, mas, vale ressaltar a tendência maléfica da "chamada": "Sesap/RN irá recomendar fim do uso da Cloroquina em pacientes com Covid".
    Alguém, de propósito ou inocentemente (acredito na primeira hipótese), se esqueceu de acrescentar: "Em pacientes GRAVES".

  2. Domingos Savio disse:

    Usar qualquer medicamento, apenas na fase final da doença, é ineficiente ! O resultado não mudará, e o "culpado" será o medicamento ! Talvez para justificar alguma coisa …

TENSO: Bolsonaro diz que algo grande está acontecendo com nossa democracia e pensa em várias formas de reagir ao STF

No dia em que teve aliados atingidos por uma operação autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, Jair Bolsonaro afirmou na noite desta quarta (27) haver sinal de que “algo de muito grave está acontecendo com nossa democracia”.

O presidente disse ainda que nenhuma violação à liberdade de expressão “deve ser aceita passivamente”.

“Ver cidadãos de bem terem seus lares invadidos, por exercerem seu direito à liberdade de expressão, é um sinal que algo de muito grave está acontecendo com nossa democracia”, escreveu em rede social.

“Estamos trabalhando para que se faça valer o direito à livre expressão em nosso país. Nenhuma violação desse princípio deve ser aceita passivamente!”, completou mais tarde.

A manifestação do presidente da República indica a irritação com a operação que atingiu deputados da base e apoiadores.

Nesta quarta, Bolsonaro reuniu sua equipe de ministros para definir uma estratégia de reação ao STF.

No encontro, segundo auxiliares presentes, ele avaliou como absurda e desnecessária a investigação contra aliados do seu governo, considerou que se trata de uma retaliação e reforçou que o Poder Executivo não pode aceitar calado.

A primeira medida que ficou definida é que a AGU (Advocacia-Geral da União) ingressará com pedido de habeas corpus para que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, não preste depoimento ao STF. Ele foi intimado no mesmo inquérito que apura o disparo de fake news por aliados do presidente.

A ideia seria ingressar com o habeas corpus para impedir a prisão ou outra medida cautelar contra o ministro no caso de ele se recusar a cumprir a determinação do STF de prestar depoimento.

Na reunião, também foram discutidas outras iniciativas de resistência, mas ainda nao se chegou a uma definição. Entre elas, a sugestão para que o ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno, não acate nenhum pedido de diligências no âmbito de um pedido de impeachment contra o ministro que foi apresentado ao tribunal e é relatado por Celso de Mello.

O núcleo ideologico defendeu ainda que o presidente insista mais uma vez na nomeação do delegado Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal. O ministro do STF Alexandre de Moraes suspendeu a posse do amigo do presidente no mês passado.

Com exceção do pedido de habeas corpus​, as demais propostas não foram unânimes na reunião, o que levou o presidente a rediscuti-las com o núcleo jurídico do governo.

Para tratar do tema, Bolsonaro se reuniu no início da noite no Palácio da Alvorada com o ministro da Justiça, André Mendonça.

De acordo com relatos feitos à Folha, no encontro, também foi lido um texto de 2019 atribuído ao advogado Modesto Carvalhosa que sugeriu a prisão preventiva dos ministros Dias Toffoli e Alexandre de Moraes por causa do inquérito das fake news.

Outra ideia discutida é a divulgação de uma uma nota descrevendo a reação planejada. Caso Bolsonaro siga essa linha, aprofundará ainda mais a crise do governo com o Judiciário.

Segundo assessores do presidente, Bolsonaro avaliou nesta quarta-feira que a operação deflagrada teve como objetivo atingi-lo. O presidente discutiu o assunto com ministros, inclusive com o titular da Defesa, Fernando Azevedo.

A aliados que o visitaram, o presidente avaliou que o ministro Alexandre de Moraes quer disputar poder com ele. Auxiliares do mandatário disseram que o presidente tratou a situação como uma guerra.

Segundo pessoas próximas, Bolsonaro hoje teria mais condições de tomar uma medida forte porque tem o apoio de ministros militares. Aliados do presidente avaliam que as últimas ações do Supremo uniram o núcleo fardado em defesa do governo.

Mais cedo, integrantes do Palácio do Planalto disseram que cresceu a disposição do presidente de questionar ministros da corte com base na lei de abuso de autoridade.

Segundo auxiliares de Bolsonaro, o governo avalia entrar com uma ADI (ação direta de inconstitucionalidade) contra a investigação que mira parlamentares no Supremo, como mostrou a coluna Painel, e também questionar Alexandre de Moraes e Celso de Mello, ambos da corte, por excessos que teriam cometido em ações recentes.

Em outra frente, aliados de Bolsonaro do núcleo mais ideológico avaliam reforçar o movimento nas redes pedindo o impeachment dos magistrados, embora tenham pouca chance de avançar no Congresso.

O inquérito das fake news apura a disseminação de notícias falsas, ofensas, ataques e ameaças contra integrantes do STF.

Foi no âmbito deste inquérito que Moraes mandou tirar do ar reportagem dos sites da revista Crusoé e O Antagonista que ligavam Toffoli à empreiteira Odebrecht. Dias depois, o ministro voltou atrás e derrubou a censura.

No Supremo, com exceção do ministro Marco Aurélio, mesmo os críticos ao procedimento têm evitado comentá-lo, seja para não enfraquecer o tribunal perante o público, seja porque, como observam, desconhecem a gravidade do que a apuração ainda pode encontrar.

O motivo dos questionamentos sobre o inquérito é que, segundo seus críticos, há uma série de vícios de origem. A investigação foi aberta em março pelo presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, sem provocação de outro órgão —no jargão jurídico, foi instaurada de ofício.

Moraes foi escolhido relator por Toffoli sem que houvesse um sorteio entre todos os ministros. E o objeto da apuração é amplo demais, sem um fato criminoso bem definido, o que permite que várias situações sejam enquadradas no escopo da investigação, como tem ocorrido.

A investigação foi aberta em uma semana marcada por derrotas da Operação Lava Jato no STF e troca de farpas entre magistrados, congressistas e membros da força-tarefa em Curitiba.

O anúncio causou descontentamento no Congresso e no Ministério Público. Podem ser alvo parlamentares e procuradores que, no entendimento dos ministros, tenham levado a população a ficar contra o trib

Ato de ofício
Toffoli abriu o inquérito sem provocação de outro órgão, o que é incomum. Segundo o STF, porém, há um precedente: uma investigação aberta de ofício pela Segunda Turma da corte no ano passado para apurar o uso de algemas na transferência de Sérgio Cabral (MDB-RJ).

Competência
A investigação foi instaurada pelo próprio Supremo, quando, segundo críticos, deveria ter sido encaminhada para o Ministério Público. O argumento é que o órgão que julga não pode ser o mesmo que investiga, pois isso pode comprometer sua imparcialidade.

Relatoria
O presidente da corte designou o ministro Alexandre de Moraes para presidir o inquérito, sem fazer sorteio ou ouvir os colegas em plenário. Assim, Moraes é quem determina as diligências investigativas.

Foro
O que determina o foro perante o STF é quem cometeu o delito, e não quem foi a vítima. Para críticos, a investigação não deve correr no Supremo se não tiver como alvo pessoas com foro especial. Moraes disse que, localizados os suspeitos, os casos serão remetidos às instâncias responsáveis por julgá-los.

Regimento
Toffoli usou o artigo 43 do regimento interno do STF como base para abrir a apuração. O artigo diz que, “ocorrendo infração à lei penal na sede ou dependência do tribunal, o presidente instaurará inquérito”. Críticos dizem que os ataques pela internet não ocorrem na sede do Supremo, mas Toffoli deu uma interpretação ao texto de que os ministros representam o próprio tribunal.

Liberdade de expressão
Moraes pediu o bloqueio de redes sociais de sete pessoas consideradas “suspeitas de atacar o STF”. A decisão foi criticada por ferir o direito à liberdade de expressão. O mesmo pode ser dito sobre a censura, depois derrubada, aos sites da revista Crusoé e O Antagonista.​

FOLHAPRESS

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eduardo disse:

    Um renomado cientista político já falou: “O BRASIL VIVE HOJE, A DITADURA DO JUDICIÁRIO”

  2. Nono Correia disse:

    Realmente algo muito grande está acontecendo. Parece que finalmente as instituições estão reagindo aos desmandos do governo miliciano e os criminosos virtuais que dia sim, outro também, ameaçam a democracia.

  3. Braulio Pinto disse:

    Lamentável o empório e oportunidades perdidas graças ao espírito belicoso desse presidente inutil e sua equipe de fantoches despreparados. O país estaria bem melhor se ao invés de brigar, tentar defender filhos bandidos e derrubar inimigos o presidente estivesse minimamente preocupado com a situação crítica do país. Fora Bolsonaro!

  4. Leandro disse:

    Quando prenderam os celulares dos familiares de Lula, até o tablet de um Neto dele, estava tdo certo, quando a polícia federal abordou Michel temer na rua , onde poderia ter intimado, isso tdo era normal pra os jornalistas, agora como está chegando a eles, aí o STF não presta.

  5. Flavio disse:

    Os esquerdopatas sempre falando merda !!!! As têta acabaram !!!!!
    Esse governo tem vergonha na cara.

    • Osvaldo disse:

      O gado não tem mais argumento. O fim está chegando. M<uuuuuiuuiui.

  6. Joca disse:

    Só tem corruptos, cada um com seus padrinhos, o PT tem 5 na mão , o PSDB tem 4, o PMDB tem 1 e Collor tbem tem 1. Quer mais ?

  7. Cidadão pagador de impostos disse:

    Esse bos**a lá sabe de nada.
    O governo mais fuleragem q já passou pelo palácio dos planalto.
    Os militares perderam a vergonha na cara.

  8. .40 disse:

    Presidente, deixa o STF trabalhar, seus apoiadores não pedem paz e paciência com o seu governo? Então deixa o STF fazer o trabalho dele, o senhor sempre diz que sua família é inocente, então não vão encontrar nada contra vocês, mas fica nessa guerra, seus filhos querendo parar as investigações, é porque tem algo de errado.

  9. Anti-Político de Estimação disse:

    A livre expressão de opiniões e pensamentos é um direito de todos nós garantidos pela nossa Constituição. PORÉM, ela vai até onde vai o respeito à verdade e ao próximo, e não inclui a propagação de crimes, mentiras, injúrias e difamações.
    Pelo menos é assim que funciona nas maiores e melhores democracias do mundo , como nos EUA, só para citar um exemplo.

  10. ELEITOR disse:

    De acordo com os opiniosos , não há necessidade de existir o executivo nem o legislativo federal , o STF substitui todos , inclusive passando por cima da constituição ( flagrante) , pra quê eleições ? Nossa democracia é uma farsa , não há dúvidas !!!

  11. Araújo disse:

    Tão cutucando o cão com vara curta. Tá bem pertim da porca trocer o rabo. Quem sobreviver do corona verá. Recado dado.

  12. Antonio Turci disse:

    O STF é nossa Cortez Suprema. Sabe o que faz.

  13. Rick disse:

    Verdade: comprar uma esteira por 44 mil reais pra um membro do governo, enquanto mortes, desemprego e miséria aumenta no país, provocadas pela derrocada da economia e pelo covid 19, é algo que fere de morte, também, a democracia.

  14. Soraya disse:

    Realmente , depois que ele virou presidente acabou a democracia, só faz proteger os.filhos e colocar militares no poder, não fez um projeto para o Brasil.

Parlamentares bolsonaristas iam ser alvo de busca e apreensão, mas Alexandre de Moraes recuou

operação deflagrada pelo Supremo nesta quarta (27) teria sido mais dura se tivesse seguido o plano original. O pedido do gabinete de Alexandre de Moraes, do STF, incluía busca e apreensão contra parlamentares bolsonaristas. O procurador-geral, Augusto Aras, foi contrário às diligências e o ministro recuou, substituindo-as por intimações dos deputados estaduais e federais para prestarem depoimento. O PGR também se opôs aos 29 mandados cumpridos, mas foi ignorado por Moraes.

Uma das únicas medidas defendidas por Aras em sua manifestação foi de intimar investigados, entre eles o ex-deputado Roberto Jefferson, como mostrou a Folha.

Entre colegas, Moraes usou o recuo das buscas contra parlamentares para defender que tem sido equilibrado em suas ações.

Nas horas seguintes à operação, auxiliares do presidente já pensavam em medidas para reagir. O governo vê abuso na condução do inquérito. Uma das ideias pensadas desde cedo era a de ingressar com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) para contestar a legalidade da investigação. Aras pediu suspensão da apuração no STF.

PAINEL FOLHA

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julio disse:

    O desespero do STF aumenta e a Constituição Federal está sendo totalmente desrespeitada pelo órgão que devia garantir seus direitos. Os desmandos deste tribunal estão notórios , ministros tomando medidas abusivas, uma prova de desespero por não conseguirem derrubar ilegalmente o Presidente Bolsonaro.
    No desespero estão cavando as próprias sepulturas no STF.

  2. Cidadão Decepcionado disse:

    ARAS é PROCURADORIA DE JUSTIÇA (Ministério Público) ou ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO – AGU?
    Está atuando pra proteger o laranjal e seus crimes?

Conselho Municipal de Saúde recomenda LOCKDOWN em Natal pela total falta de estrutura na rede municipal

O Sinsenat informou no final da noite desta quarta-feira que o Conselho Municipal de Saúde – Natal – se reuniu nesta quarta-feira (27) em caráter extraordinário para deliberar sobre o chamado “lockdown” ou isolamento social na capital potiguar. Desde a semana passada, o Conselho estava reunindo informações para nortear o posicionamento do colegiado. E na reunião desta quarta (27) deliberou, por ampla maioria, a adoção da medida extrema. O SINSENAT esteve representado na reunião e votou de forma favorável.

De acordo com a Presidenta do Conselho, Maria Dalva Horácio, a medida foi aprovada como estratégia urgente para enfrentar a pandemia na cidade, considerando a aceleração da curva de contaminação e a limitação estrutural da rede municipal de saúde. Nos últimos dias, há dificuldades de equipamentos e profissionais em todos os níveis da atenção de saúde, dificuldades que só aumentam com a redução da quarentena por parte da população e a falta de testes para aferir quem está contaminado, incluindo os profissionais de saúde.

A Presidenta do Conselho ressaltou ainda que foi uma decisão bem refletida e bastante debatida pelo Conselho. Além da decisão pelo isolamento social (“lockdown”), foi decidido também que o Poder Executivo promova campanhas educativas para a população sobre o combate à pandemia e importância do isolamento. O objetivo é tornar a propagação da doença minimamente administrável para garantir o acesso a saúde para todos que necessitem.

Com a aprovação, o Conselho Municipal de Saúde vai agora buscar o Prefeito e o Ministério Público para a efetivação das medidas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gaius Baltar disse:

    Lockdown poderia ter sido feito no início da pandemia. Agora é tarde, pois o vírus está circulando livre leve e solto há 75 dias na cidade. Não há mais condições econômicas, sanitárias ou sociais para lockdown em Natal. O isolamento meia boca que foi feito nem impediu a explosão de contaminação e piorou a economia. O estado foi incompetente em prover os meios de combate (hospitais) e a prefeitura foi omissa na sua função de prevenir. O presidente deu a machadada final estimulando a aglomeração.
    Não é mais tempo de lockdown é tempo de abrir o que está fechado, sob pena de morrer todo mundo de fome.

  2. Antonio Turci disse:

    SIM ao Isolamento Vertical.

  3. Rodrigo Carvalho disse:

    Impressiona a ignorância ou má fé mesmo! Onde é que, em algum lugar no mundo, foi decretado lockdown depois da chamada contaminação comunitária??? O vírus está circulando em Natal há mais de 80 dias, aí vêm uns gênios sugerir lockdown! É muita ignorância mesmo!

  4. ELEITOR disse:

    Pra os defensores do confinamento vejam o que aconteceu nos EUA , Espanha,Italia e França com povo educado e esclarecido. imaginem aqui nos bairros populares aonde sala/ cozinha,banheiro e quarto é uma coisa só. Isolamento vertical e higiene ambiental e pessoal mais informação com supervisão e tratamento na fase precoce da doença com os protocolos observacionais funcionam muito mais. Considerem que mais de 80 % da população vão adquirir o vírus e ficar assintomáticos ( daí importância do distanciamento social ) mais de 15% com poucos sintomas ( protocolo nele na fase 1) e somente pouco mais de 1% vão pra fase grave com necessidade de apoio da respiração mecânica invasiva. A POLITIZAÇÃO DA PANDEMIA É MUITO MAIS GRAVE JUNTO COM A CONSEQUENTE CRISE ECONÔMICA DO QUÊ O PRÓPRIO COVID 19 . Obs isso é apenas uma opinião nada pessoal e muito menos viés ideológico .

  5. LULADRÃO disse:

    No Alecrim e Ceasa são os piores lugares. Estão infectados com Covid e o povo não se previnem. Locdown urgente.

  6. Antonio Turci disse:

    Abaixo qualquer iniciativa de "loquedau". Sem ao Isolamento Vertical.

  7. Soraya disse:

    Pode fazer uma pesquisa , consulte as pessoas inteligentes todas são a favor do Lockdown aqui no Rn.

  8. Ricardo Lúcido disse:

    Só pelo uso do termo "presidenta" , já se sabe qual a matiz ideológica do redator dessa nota e dos integrantes do Conselho Municipal de Saúde , composto em sua grande maioria por sindicalistas que há muito não trabalham , vivem mamando nas tetas da viúva !

    • clara disse:

      Esqueça o PT, em nome de Jesus! As pessoas estão morrendo sufocadas na porta das UPAS..O SAMU está completamente travado, pq não tem onde deixar os pacientes. O sistema JÁ COLAPSOU e, quando unificar a fila por leito (vai acontecer!), vai chegar em você também. Vamos dar uma trégua, em nome de Jesus!

    • Carlos disse:

      Pensei exatamente a mesma coisa, Ricardo. São os cavaleiros do apocalipse.

    • Francisco Alves disse:

      Apesar de divergir em algumas oportunidades, desta feita me solidarizo com suas colocações Ricardo. Quanto ao desespero da Sra. Clara, faz-se necessário um esclarecimento da situação por parte do poder público.
      1- estamos caminhando para mais de 90 dias que temos conhecimento do perigo desse vírus, sem que, salvo o isolamento social, nenhuma atitude séria tenha sido tomada por prefeitura e governo. E, olhe que dinheiro não faltou.
      2 – deve ser coincidência que, tão logo a liberação dos recursos federais para estados e municípios estejam para chegar se decrete lockdown.
      3 – com lockdown decretado as verbas públicas poderão ser usadas sem licitação… É uma beleza, não é mesmo?
      4 – com as autoridades constituídas em nosso RN e prefeitura do Natal, só se apagando ao Onipotente, mesmo.

  9. Fábio disse:

    PresidentA é meu eggs!
    Fica em casa quem pode.
    A esmagadora maioria da população precisa trabalhar para comer…
    Alguém aí tem que lembrar que fome mata.
    São TRABALHADORES que, em sua maioria, não tem a mínima condição de ficar em casa.

Coronavírus: 166.647 pessoas estão curadas em todo o Brasil


Foto: Berg Silva

Nesta quarta-feira (27), o Ministério da Saúde registrou a recuperação de 166.647 pessoas, número que representa 40,5% do total de casos confirmados atualmente no país (411.821).

O número representa 40,5% do total de casos confirmados no país. Em 24h, foram 8.054 pessoas recuperadas da doença

Outros 219.576 pacientes seguem em acompanhamento médico. As informações foram atualizadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde até as 14h desta quarta (27/5) e divulgadas pelo ministério no boletim de hoje.

Com informações da Agência Saúde

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. sps disse:

    É, Parece que a estratégia do médico Bolsonaro, deu certo. O Brasil sendo o epicentro do mundo. Ai de nós, se não fossem os prefeitos, governadores e muitos outros que conseguiram utilizar de sua autonomia, colocando em prática o isolamento social, uso de máscaras, álcool gel, lavar bem as mãos, fechar estabelecimento, comprar respiradores, abrir hospitais de campanha, etc etc etc. Claro, tem pessoas que se aproveitam para usar a má fé, roubando, adulterado preços, contudo, nada que não possa ser descoberto. Portanto, a bola de cristal, na qual o presidente usou para resolver a situação da pandemia, de fato, errou feio. Agora vem as consequências. Estamos vendo aí, o comportamento antidemocrático, o comitê do ódio atuando, os ministros falando o que não deve e processos e processos chegando. Tá difícil de engolir, mas vamos as cenas do próximo capítulo, até porque os 55% da população brasileira está assistindo ou desistindo.

Após decisão do STJ, Witzel será ouvido ainda esta semana em apuração de fraudes na saúde do RJ


Foto: reprodução/TV Globo

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, será ouvido ainda esta semana na investigação de fraudes na saúde do Rio de Janeiro, após decisão do Superior Tribunal de Justiça.

O governador foi um dos alvos nesta terça-feira (26) da Operação Placebo, da Polícia Federal, sobre suspeitas de desvios na Saúde do RJ para ações na pandemia de coronavírus.

Endereços ligados a Witzel e sua mulher, Helena, foram alvos de mandados de busca e apreensão autorizados pelo ministro Benedito Gonçalves, do STJ. Outro alvo foi a Organização Social Iabas, contratada pelo governo do RJ para a construção de sete hospitais de campanha no estado no combate contra o novo coronavírus.

Outra operação, há duas semanas prendeu cinco pessoas, entre elas o empresário Mário Peixoto, que tem contratos de R$ 129 milhões com o governo do RJ. Após essa operação, a Lava Jato no Rio enviou citações a Witzel para a Procuradoria-Geral da República.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lobinha disse:

    E os governadores do consórcio nordeste, os espertalhões petralhas, "não desconfiaram" em colocar milhões de reais de pessoas carentes do nordeste, na mão de um espertalhão que já tinha feito um desfalque no SPFC, pra compra de respiradores e diminuir a mortandade do corona? É isso no que dá eleger governadores, no mínimo, incompetentes, porquê a meu ver, isso foi um ato com propósito de desvios financeiros de dinheiro público escancarado, nem uma criança faria um ato irresponsável e negligente desse. O MP, a PF e os blogs isentos, terão que cobrar a punição dos autores, os impedimento dos mandatos eletivos e suas prisões. É inconcebivel, milhares de pessoas morrendo pela falta de equipamentos, já pagos irregularmente, e não recebidos para reduzir essas mortes de inocentes vitimas desse complô.

  2. Paulo disse:

    BG.
    Aí a ptRALHADA fica dizendo que foi Bolsonaro que mandou a PF. São uns babacas mesmos esses adoradores de quadrilha . Foi o STJ manes e ciganos.

Neymar se recusa a abaixar o salário em meio à pandemia e pressiona PSG


Foto: Foto: FRANCK FIFE / AFP

O PSG tenta reduzir os salários dos jogadores em meio à pandemia do coronavírus. Segundo o ‘Le Figaro’, a negociação entre Nasser Al-Khelaifi e os atletas causou uma rachadura no elenco. Neymar se opõe a essa diminuição. Além dele, Thiago Silva também está incluído nesse grupo.

Por outro lado, Mbappé e Marquinhos estão no grupo que aceitariam reduzir cerca de 70% dos vencimentos. Neymar, Thiago Silva, Cavani, Herrera e Bernat querem os salários integrais. Caso isso não ocorra, aceitariam um reembolso ou adiamento do pagamento.

Al-Khelaifi está descontente com a forma que os jogadores lidaram com essa situação. Em Paris, de acordo com a publicação, o comportamento de Neymar nessa negociação é mais uma forma de pressionar o Paris Saint-Germain a liberá-lo para o Barcelona.

Terra

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João deixe o Brasil urgente disse:

    Esse canalha aí não nega as sua s origens , egoísta, soberbo, hipocrita é BRASILEIRO MESMO

  2. Ivan disse:

    Atitude de funcionário problemático que quer ser demitido do emprego…

  3. Gilson disse:

    Manda ele procurar outro clube.

  4. Rogério Rocha disse:

    Deixa ele no banco um 8 meses…

  5. Dr. Veneno disse:

    Põe ele pra fora.
    É momento de todos cederem um pouco.

  6. Zanoni disse:

    René Simões estava certo.

Disney planeja reabertura de seu maior parque temático no dia 11 de julho


Foto: Scott Audette / REUTERS

A Walt Disney Company anunciou planos de reabertura do Walt Disney World, seu maior parque temático, a partir do dia 11 de julho, caso consiga aprovação do governo da Flórida.

A reabertura será em fases, informou Jim MacPhee, vice-presidente de operações da Walt Disney World Resort, braço de parques e hotéis da gigante do entretenimento. Em apresentação virtual nesta quarta-feira, MacPhee informou que o plano é reabrir o Magic Kingdom e o Animal Kingdom no dia 11, e o Epcot Center e o Hollywood Studios no dia 15.

O plano de reabertura possui uma série de restrições para minimizar os riscos de transmissão do novo coronavírus. As famosas paradas e queimas de fogos de artifício serão suspensas, assim como outras atividades que promovem aglomerações.

O parque irá “oferecer e encorajar” métodos de pagamento por aproximação, além de expandir seus sistemas de pedidos por smartphones nos restaurantes. O número de visitantes será limitado, com venda dos bilhetes antecipada. Placas com informações para reduzir os riscos serão instaladas.

Após a apresentação de MacPhee, a força-tarefa criada para o combate à pandemia no Condado Orange aprovou o plano, que foi encaminhado para o governador da Flórida, Ron DeSantis, para aprovação final.

Um marco para a companhia
A reabertura do Walt Disney World é um marco não só para a Disney, como para governos e outras companhias que estão elaborando estratégias para a retomada dos negócios, mesmo com a ameaça do novo coronavírus ainda presente.

No ano passado, a companhia faturou US$ 26 bilhões em sua divisão de Parques, Experiências e Produtos, que inclui os parques temáticos, o que representou 37% das receitas totais. No primeiro trimestre deste ano, a companhia estimou em US$ 1 bilhão o prejuízo do segmento de parques temáticos.

Todos os 12 parques da Disney na América do Norte, Europa e Ásia foram fechados por causa da pandemia. O primeiro foi a Disneyland de Xangai, na China, que fechou as portas no dia 24 de janeiro e reabriu no último dia 11.

O diretor executivo da Disney, Robert Chapek, afirmou nesta quarta-feira, em entrevista à CNBC, que o parque na China recebe cerca de 20 mil visitantes diários desde a reabertura, com uso obrigatório de máscara, medição de temperatura e distanciamento social.

Uma porta-voz da companhia informou que o plano de reabertura da Disneyland, em Anaheim, na Califórnia, será apresentado em breve.

Os quatro parques do complexo Walt Disney World atraíram 157,3 milhões de visitantes em 2018, segundo a Themed Entertainment Association.

O Globo

Mulher de Witzel recebeu mais de R$ 350 mil de dinheiro público do PSC para atuar como advogada


Foto: Agência O Globo

Alvo da Polícia Federal, a primeira-dama do Rio, Helena Witzel, recebeu desde janeiro de 2019 mais de R$ 350 mil brutos do PSC, partido do governador Wilson Witzel (RJ), a título de salário por integrar a equipe jurídica da legenda. O dinheiro veio do fundo partidário, que é uma das fontes públicas de financiamento das siglas no Brasil.

De acordo com a prestação de contas do Partido Social Cristão entregue à Justiça Eleitoral, Helena conseguiu o emprego, com carteira de trabalho assinada, em janeiro de 2019, mesmo mês em que o marido assumiu o cargo de governador do Estado.

Só no ano passado seus rendimentos brutos somaram R$ 207,4 mil, segundo a papelada do partido.

Ela foi indicada ao cargo por Witzel, para a mesma vaga que ele ocupou na legenda de março de 2018, quando abandonou a magistratura, até assumir a atual função pública.

O salário mensal bruto de Helena foi de R$ 21,5 mil em 2019 e passou para R$ 22,4 mil em 2020.

Em nota, o partido afirmou que Helena é advogada do PSC nacional, contratada sob o regime celetista, sem exclusividade.

“A advogada representa o PSC em cerca de 12 processos, em diversos tribunais. Todos são públicos”, diz o partido, acrescentando que ela não “exerce nenhuma função em nenhum diretório estadual ou municipal, e será mantida como advogada do PSC por desempenhar suas funções de forma satisfatória”.

No período em que figurou como advogado do PSC, de abril a dezembro de 2018, Witzel teve salário de R$ 21.500. De acordo com a prestação de contas do PSC, sua remuneração líquida naquele ano somou R$ 166,2 mil.

Como mostrou a coluna Painel nesta quarta-feira (27), Helena tem parca experiência como advogada.

Um contrato de R$ 540 mil do escritório dela com empresa investigada na Lava Jato é visto como um dos principais elos entre o governador e o esquema de desvio de recursos. Sua inscrição na OAB foi deferida em março de 2015.

Desde então, ela atuou em poucos processos, quase todos relacionados a Wilson Witzel, em causas particulares ou envolvendo o partido ao qual o marido é filiado.

No Tribunal de Justiça do Rio constam apenas sete processos dos quais ela participou como advogada, seis deles na defesa da família Witzel.

No Tribunal Regional Federal da 2ª Região, ela aparece como advogada em apenas um caso, também como representante do marido. Por fim, no Tribunal Superior Eleitoral, ela aparece também como uma das advogadas do PSC, partido do governador.

A carreira de Helena chamou a atenção dos investigadores. Outro fato também gerou estranheza. Ela e o marido mudaram o regime de bens do casamento para comunhão universal exatamente no período em que os primeiros depósitos do contrato foram feitos.

Witzel e Helena negam irregularidades. Em nota, a assessoria do governador afirmou que a relação com o partido é transparente.

“A advogada Helena Witzel foi convidada pelo PSC para integrar a equipe jurídica do partido em janeiro de 2019. O governador Wilson Witzel foi contratado pelo PSC em 2018 para prestar serviços variados, entre eles assessorar dirigentes partidários, inclusive durante a campanha”, diz o texto.

A nota afirma ainda: “A relação de trabalho entre o então ex-juiz federal e advogado Wilson Witzel e o PSC foi transparente e as informações da contratação fazem parte da Rais [que reúne informações prestadas pelas pessoas jurídicas às entidades governamentais], que é um documento oficial”.

FolhaPress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Emerson Fonseca disse:

    Da uma vontade de rir da cara do Gado 😂😂😅😂. #euavisei

  2. ForaCanalhas disse:

    O RJ tá lascado, sai corrupto entra corrupto. A população quem paga o pato!!!

    • De olho👀 disse:

      Lascados estamos nós potiguares. Lá pelo menos alguns dos corruptos são presos.

  3. Zé Ninguém disse:

    Não sabe trabalhar. Tem que contratar os serviços de Queiroz. Queiroz, a família e a milícia sabem fazer os saques e os depósitos sem criar problemas. Vê se teve problema com Dona Mixeque….

    • Paulo disse:

      Ou então a vendefora da Avon que deixou uma furtuna para seus rebentos, lavador de bunda de elefante e os outros parasitas

    • Manoel disse:

      Ou ainda limpando bosta de elefante, aí vem a OI e deposita 35 milhões na sua conta e vira seu sócio numa empresa sem futuro…

Mourão diz que “compete ao MP a ação penal pública” e questiona: “É isso que está acontecendo no Brasil?”

Imagem: reprodução/Twitter

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. André Fortes disse:

    O Gabinete do Ódio é o berrante que chama o gado.

    Sem berrante sem gado.

    Por isso estão desesperados.

  2. Jr disse:

    Mourão meu filho presta atenção! O que está em curso é um inquérito aberto pelo STF previsto no regimento interno. Não precisa da anuência do MPF para requerer as diligências. O próprio Ministro responsável pelo seu andamento faz isso, desde que devidamente fundamentado. Somente após a conclusão do inquérito é que o MPF entra em ação, oferecendo a denúncia ou pedindo o arquivamento.

    • mane disse:

      Claro que precisa da anuencia do MPF… o fato de ser o autor o proprio STF e estar previsto no regimento, ainda assim precisa do MPF. Pois quem julga nao pode investigar ou conduzir a investigacao por interesse proprio, deveria apenas solicitar a investigacao com a conducao do MPF.. So se ve isso em Cuba e Venezuela que sao ditaduras que rasgam suas constituicoes; ja que na C do Norte nao se sabe se existe judiciario ou constituicao. Como ta sendo feito nesta açao, é algo pessoal, independente de qual partido politico se deseja atingir.

  3. Cidadão pagador de impostos disse:

    E Mourão já está se escondendo atrás do PGR tbm? Mourão, quem não deve não teme!!

    • Analfabeto canhoto disse:

      Analfabeto funcional.
      Lê e não entende.
      Taquepariu.

    • J.Dantas disse:

      Falou a maior autoridade do direito ( cidadão pagador de impostos)..kkkkk amanhã, nem você poderá escrever besteiras nesse blog…. Não devemos aplaudir a censura.