Acordão no Senado dá sobrevida a ex-vice-líder de Bolsonaro flagrado com dinheiro na cueca

Um acordão no Senado levou o ex-vice-líder do governo Jair Bolsonaro Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado com dinheiro na cueca e entre as nádegas, a pedir nesta terça-feira (20) afastamento por 121 dias.

O parlamentar ganha, com isso, sobrevida na Casa, que vinha sendo pressionada a dar uma resposta após a apreensão de R$ 33,1 mil na casa dele em Boa Vista.

Após a decisão, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, retirou da pauta desta quarta-feira (21) o julgamento que discutiria a permanência do senador no cargo. Uma liminar de Luís Roberto Barroso ordenava o afastamento por 90 dias.

Rodrigues é investigado sob suspeita de envolvimento em desvios de dinheiro no combate à Covid-19 em Roraima.

A costura para que Rodrigues se licenciasse do cargo começou no dia em que Barroso determinou o afastamento do senador, na quinta-feira (15). O senador só deixaria o cargo após o plenário da Casa analisar a decisão do STF.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e aliados do congressista ficaram contrariados com a decisão monocrática do ministro do Supremo.

Eles queriam evitar que o Senado avaliasse uma ordem de Barroso e eventualmente a derrubasse. Isso traria desgaste ao Congresso.

No começo desta semana, o afastamento Rodrigues foi defendido pelo senador Jayme Campos (DEM-MT), presidente do conselho de ética do Senado. Campos, aliado de Rodrigues, defendeu que o senador pedisse licença de 120 dias.

Dessa forma, Rodrigues teria 30 dias a mais para se defender do que o tempo do afastamento que havia sido determinado por Barroso. Assim, o processo em que o ex-vice-líder é alvo no conselho de ética poderá seguir seu trâmite, sem a presença de Rodrigues.

Com o afastamento solicitado pelo próprio senador, pelo período de 121 dias, Rodrigues poupou o plenário do Senado de enfrentar o desgaste de decidir pelo seu afastamento.

A decisão do senador agora licenciado abre margem para que o cargo seja ocupado pelo seu suplente. O primeiro na lista é seu filho, Pedro Rodrigues (DEM-RR).

Desde a semana passada, a Folha mostrou que um grupo de senadores vinha articulando um movimento para analisar no colegiado o caso de Rodrigues, retardando, com isso, a decisão do Supremo.

​Com o afastamento de iniciativa própria agora do congressista, os senadores contornaram a decisão, por ora ainda monocrática de Barroso, e deram mais tempo a Rodrigues para se defender, antes de o caso ir ao plenário da Casa.

Na tarde de segunda-feira (19), Rodrigues, que era titular do conselho de ética, pediu desligamento do colegiado, do qual era titular. O senador também já se desligou da comissão especial que analisa os gastos do governo com a Covid-19.

Nesta terça, Rodrigues havia pedido inicialmente afastamento por 90 dias. Horas depois de ter encaminhado à Mesa Diretora do Senado a solicitação, ele retificou o pedido, aumentando para 121 dias sua licença do cargo. Em nota, o senador anunciou a licença “irrevogável, irretratável e sem recebimento de salários no período”.

FOLHAPRESS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marquito disse:

    O mais engraçado são os comentários dos bolsonarista para defender o bolso ….. não sei como eles não já falaram que o senador é cria de pt e Lula …..porque o senador tem várias foto do lado do bolso e o próprio bolso falou que tinha uma união estável com o senador é muita cara de de pau esses bosominios ….tem que usar oléo de peroba quando for a Praia.

  2. Azevedo disse:

    Esse FDP Chico da Bosta tem que ser preso e enviado para um presídio urgente. A política e políticos brasileiros estão na vala da merda, pois sempre agem para proteger os colegas bandidos. Temos que fechar o congresso e efetuar uma restruturação ampla geral e irrestrita, diminuindo em 30% o número de políticos que ocupam essas casas.

  3. Marcos Benício disse:

    121 dias de afastamento, o filho assume a vaga, o tempo passa, a mídia esquece (é, porque quem esquece não é o povo e sim a imprensa), ele volta, reassume o cargo e fica tudo como dantes no castelo de abrantes! 🤭

  4. João Macena disse:

    Vergonhoso! Por isso, a credibilidade dos políticos, é ZERO! João Macena.

  5. george disse:

    "Ex-vice-líder de Bolsonaro"

    Parei de ler aqui

  6. Mendes disse:

    Eu pensei que a CORRUPÇÃO tinha acabado kkkkk o PRESIDENTE moralista disse em rede nacional que tinha kkkkk Eu gostaria de ouvir o rebanho???

    • Brejo disse:

      Aponta uma corrupção!!!
      Esse cara não faz parte do governo. Tem o nome fe vice-lider por acaso. Mas como até a covid na Argentina é culpa do Bolsonaro, fazer o quê?

  7. Santos disse:

    Aceita que dói menos!

  8. Tarcísio Eimar disse:

    O cara peça e pede pra sair, mas de forma prejudicial a si mesmo, aí vem o guardião dos santos e diz aumente mais 30 dias q fica dentro da legalidade pra usufruir dos benefícios, com posse de eu suplente. É uma palhaçada mesmo

  9. CADÊ A INDIGNAÇÃO???ACABOU??? disse:

    Tenho certeza que o presidente, seus filhos e os patriotas conservadores defensores da igreja, da família e dos bons costumes estão organizando uma manifestação em todo o país para pressionar o congresso e o STF no sentido de prender esse bandido. As camisetas da seleção e as bandeiras já estão prontas, e as camionetas abastecidas. Se o senador não for preso, vão pedir a intervenção das forças armadas.

  10. Chico 200 disse:

    Ninguém fala que o cara é do partido do Rodrigo Maia! Vice-lider de Bolsonaro kkk. Como se fosse Bolsonaro que o tivesse escolhido.
    A narrativa da mídia pra confundir as pessoas é impressionante.

COMENTE AQUI