AGORA VAI?  Empresas aéreas podem ter imposto zerado se trouxerem voos para o RN

Foto: Elisa Elsie

Para tentar reverter a queda no número de turistas e combater o alto custo das passagens aéreas no aeroporto potiguar, o Governo do Estado assinou hoje o decreto que muda as regras para a concessão de  incentivo fiscal  no querosene de aviação (QAv) as empresas aéreas que tragam novos voos para o Estado.

Com o novo decreto a alíquota sobre o combustível pode ser de 12%, 9%, 5%, 3% e 0%. Cada faixa de redução requer uma contrapartida específica: como aumentar um voo nacional ou regional para cidades do Rio Grande do Norte; manter um voo internacional regular e direto semanal; incrementar em 15% o número total de voos; aumentar os voos em 30% e em 50%.
Para ter direito à alíquota 0% a companhia aérea terá de realizar no período de 12 meses um voo internacional regular a cada semana; realizar 30 voos internacionais; e ampliar voos domésticos em 50%.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aaaathah disse:

    Menos recursos para pagar fornecedores e servidores. RN tá de parabéns.

  2. angelo silva disse:

    muito bem governadora, tem que lascar mesmo quem é trabalhador e privilegiar os ricos, afinal CONTRADIÇÃO é regra nos políticos da esquerda

  3. Paulo disse:

    BG
    E os combustíveis para veículos onde o ICMS do RN é um dos maiores do Brasil como é que fica???. Aqui se produz gasolina, diesel e mais caros do que os Estados vizinhos tal como na Paraíba que não tem petróleo mais os impostos são menores e os preços também.

  4. João Lopes disse:

    Da é vergonha!

  5. LULADRÃO disse:

    Só sem futuros nesta foto!

  6. Luciana Morais Gama disse:

    Esses mesmos sorrisos eu vi quando anunciaram Natal na Copa e na concessão do aeroporto de São Gonçalo. Deu no que deu!!

  7. Rildo disse:

    ISENTANDO OS GRANDES EMPRESÁRIOS, ENQUANTO OS PROFESSORES E OS TRABALHADORES PAGAM IMPOSTOS.(ESSE É O DISCURSO DA ESQUERDA. COMO AGORA VIROU VIDRAÇA O DISCURSO MUDA RAPIDINHO.)

  8. Dilma disse:

    Isenção daqui, anistia de lá, fechamento de acolá. Não a reforma da previdência. Kkkkkk, Vamu que vamu

COMENTE AQUI