Bahamas contabiliza 50 mortos após uma semana do furacão Dorian

Foto: Gonzalo Gaudenzi/AP

O número de mortos nas Bahamas após a passagem do furacão Dorian subiu para 50 nesta terça-feira, 10, sendo 42 deles nas Ilhas Ábaco e oito em Grand Bahama, segundo informações divulgadas pelo comissário da polícia Anthony Ferguson.

Betty Edmond, cozinheira de 43 anos, está em um hotel em Nassau com o marido e o filho. Seu sobrinho está pagando a estadia deles. Após uma viagem de barco de seis horas saindo das Ilhas Ábaco, no sábado, a família planeja se mudar para a Flórida na quarta-feira. As passagens de avião foram custeadas por amigos, que irão fornecer moradia temporária até arranjarem empregos. Porém, assim que possível, a família quer voltar para as Bahamas.

“Sempre será nossa casa”, disse. “Todo dia você deseja poder voltar. A gente tenta manter as esperanças, mas…” ela diz, a voz embargada ao balançar a cabeça.

As imensas pilhas de escombros deixadas pela tempestade são desafiadoras para as equipes de busca e resgate, que não podem utilizar escavadoras ou outros equipamentos pesados para procurar corpos. Isso torna as buscas e a identificação em um processo lento.

Um porta-voz para a Agência Nacional de Manejo de Emergências disse que mais de 2 mil pessoas estavam em abrigos na ilha de New Providence, onde está Nassau. Alguns estão com a capacidade cheia. “Não há de fato uma crise”, disse Carl Smith. Ele disse que o governo abrirá mais abrigos conforme a necessidade.