Barroso autoriza Temer a ter acesso à decisão sobre quebra de sigilo, mas só após dados chegarem ao STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta terça-feira (13) a defesa de Michel Temer a ter acesso à decisão de quebra do sigilo do presidente.

Barroso determinou, contudo, que o acesso só será permitido “tão logo esteja documentada nos autos a prova decorrente das diligências sigilosas deferidas”.

Temer é investigado em um inquérito que apura se houve o pagamento de propina na edição do decreto dos portos.

O inquérito é relatado por Barroso e foi aberto em setembro do ano passado. No último dia 5, o ministro do STF autorizou a quebra do sigilobancário de Temer.

Após a decisão do ministro, a defesa de Temer pediu acesso à decisão.

A assessoria do presidente, por sua vez, divulgou uma nota informando que dará à imprensa “total acesso” às informações do extrato bancário de Temer.

A colunista do G1 Andréia Sadi já informou, porém, que Temer reavalia o que fará com os extratos bancários. Segundo o Planalto, ainda não há definição sobre o assunto e a divulgação à imprensta está “sob exame, em análise”.