Bolsonaro insistirá em ação contra PSL para garantir verba pública para Aliança

O presidente Jair Bolsonaro aposta na atuação da PGR (Procuradoria-Geral da República) para garantir que um grupo de cerca de 20 deputados migrem do PSL, seu antigo partido, para a Aliança pelo Brasil, sua nova legenda, mantendo os mandatos e as respectivas fatias dos fundos partidário e eleitoral.

A equipe jurídica que auxilia o clã Bolsonaro na criação da Aliança pretende encaminhar nos próximos dias ao procurador-geral da República, Augusto Aras, os primeiros relatórios de uma auditoria que está sendo feita nas contas do PSL.

Os documentos serão anexados a uma representação já levada à PGR em 30 de outubro. Nela, Bolsonaro pediu o bloqueio do fundo partidário do PSL e o afastamento do presidente da sigla, o deputado Luciano Bivar (PE).

O documento também aponta enriquecimento ilícito dos dirigentes e dano ao erário.

Bolsonaro solicitou à PGR que abra uma investigação para “apuração dos indícios de irregularidades” na movimentação de dinheiro que é repassado ao PSL “em nome da moralidade, da transparência e da proteção do patrimônio público”.

Folhapress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Papa Jerry Moon disse:

    Dinheiro fácil não tem partido, mas qualquer partido tem acesso a dinheiro na mamata. Como votou o PT nessa questão?

  2. Riva disse:

    "Bolsonaro diz que vagabundo
    adora depender do Estado.

    Me diga o nome da empresa em que Bolsonaro e os quatro filhos trabalharam."

  3. Sandra disse:

    *manter essa mamata.

  4. Anti-Político de Estimação disse:

    Vamos continuar remando e remando para alimentar o bilionário fundo partidário e os políticos profissionais canalhas…..

    • Sandra disse:

      Para manter esse fundo nao existe direita, nem esquerda, nem centrao, pois todos estao hermanados em nanter

    • Diogo disse:

      Cuidado com esse comentário, vai vir alguém te chamar de petista.

COMENTE AQUI