Bolsonaro justifica ao STF falas sobre Dilma e Santa Cruz

O presidente Jair Bolsonaro apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) esclarecimentos sobre declarações controversas que foram contestadas no tribunal pela presidente cassada Dilma Rousseff e pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz. A Advocacia-Geral da União (AGU) pediu o arquivamento das interpelações.

No processo movido por Dilma, a petista pediu que Bolsonaro esclarecesse uma fala em que teria sugerido que a ex-presidente participou de ações armadas durante a ditadura militar que resultaram na morte do capitão do Exército americano Charles Chandler.

Bolsonaro informou que a fala, dita em maio durante prêmio de ‘Personalidade do Ano’ oferecido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, em Dallas (EUA), foi “genérica, não tendo destinatário certo e específico”.

“Quem até há pouco ocupava o governo, teve em sua história suas mãos manchadas de sangue na luta armada, matando inclusive um capitão, como eu sou capitão, naqueles anos tristes que tivemos no passado. Eu até rendo homenagem aqui ao capitão Charles Chandler”, disse o presidente.

O capitão americano Charles Chandler foi morto em 12 de outubro de 1968, no Sumaré, na zona oeste de São Paulo, em um atentado feito por três militantes da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e da Ação Libertadora Nacional (ALN).

Dilma nunca pertenceu a nenhum desses grupos. A ex-presidente foi condenada e presa por integrar o grupo guerrilheiro VAR-Palmares durante a ditadura, mas não existem evidências da participação da ex-presidente em ações violentas.

OAB

No segundo processo, Bolsonaro negou que tenha tido a intenção de ofender quem quer que seja, muito menos a dignidade do presidente da OAB e de seu pai, Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira.

Bolsonaro apresentou no mês passado uma versão sobre a morte do pai do presidente da OAB que não tem respaldo em informações oficiais. Ele disse que Fernando Santa Cruz foi morto por correligionários nos anos 70.

“O interpelado (Jair Bolsonaro) apenas afirmou que, segundo suas próprias convicções, formuladas a partir de conversas que circulavam à época, esta (a morte) teria decorrido de ação de pessoas (ou grupo) político a que pertencia”, escreveu a AGU.

“Do mesmo modo, não se pode extrair das declarações do interpelado o animus de ofender quem quer que seja, muito menos a dignidade do interpelante ou do seu pai”, informou o órgão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estadão Conteúdo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolsotralha sai de retro disse:

    DELINQUENTE esse BOLSOTRALHA, DEVERIA MOSTRAR O ROUBO QUE A FAMILIA FAZ NOS COFRES PÚBLICOS……UM TREMENDO ENERGUMENO CAPETA SATÃ

  2. Jorge disse:

    Mijou pra trás. Kkkkkk

  3. junin disse:

    Esse homem/cara calado é um poeta…..

  4. Maldoni disse:

    Mais uma cagada que esse cagão se arrepende e dezdiz o que disse sem coragem de assumir a m**** que disse.

  5. Ricardo disse:

    Um exemplo de frouxo arregão, que só saber falar merda. Graças não dei meu valioso voto neste "vulgo capitão".

  6. José aldomar disse:

    Esse presidente além de só conversar abobrinha ainda corre da raia qdo eh pra provar o que diz eita Brasil veio sem moral

  7. Jean Carlos disse:

    Vixi, o capitão arregou!

  8. Pietra disse:

    Arregou…kkkk
    Era de se esperar… Não teve coragem pra ir a um debate, iria ter coragem pra sustentar o que disse . COVARDÃO.

  9. avelino costa disse:

    SR PRESIDENTE, SEJA FIRME NAS SUAS DECISÕES, NÃO VAGUEI POR CABEÇAS DE POLÍTICOS INESCRUPULOSOS, NÃO TOME ATITUDES QUE TENHA QUE VOLTAR A ATRÁS, SEJA FIRME, O SENHOR TEM TUDO PARA CONDUZIR O PAÍS PARA VITORIA CUJO PODER PASSAMOS PARA O SENHOR EM OUTUBRO DE 2018 E O SR. TOMOU POSSE EM JANEIRO DE 2019. AVENTE, BRASIL.

  10. Jefferson disse:

    Esse presidente e muito frouxo.

COMENTE AQUI