Confira os próximos passos que o projeto da reforma da previdência vai ter que percorrer

Após a aprovação do relatório da reforma da previdência na Câmara, confira os próximos passos que o projeto vai ter que percorrer. 

 

Comissão especial – Discussão por no mínimo 11 sessões em comissão especial, que analisa o teor do texto e pode fazer alterações.

Plenário da Câmara – Discussão e votação no plenário na Câmara: são necessários 308 votos (dos 513 deputados) em dois turnos.

CCJ do Senado – Discussão e aval na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Plenário do Senado – Discussão e votação no plenário do Senado: são necessários 49 votos (dos 81 senadores) em dois turnos.

Promulgação – Texto é promulgado pelo Congresso Nacional.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Keyla disse:

    Meu caro Mundão,
    Menos de 1% dos militares da reserva são convocados, vamos parar de engodo. Você está apenas tentando proteger seu mito, que fez uma bela de uma cagada ao arrochar para o trabalhador e afrouxar para os militares.
    Quanto aos fundos de previdência, são tão bons e rentáveis que os militares não querem fazer parte, engraçado não? kkkkk
    Isso não significa que eu não esteja de acordo com os fundos, me parece a única saída, no entanto, não vamos forçar a barra, não é mesmo?
    Sim, e os 40 milhões por deputado, faz parte da "nova política"?

    • Ceará-Mundão disse:

      Emendas para deputados são exercício da correta política. Dinheiro honesto (e às claras) a ser utilizado nos redutos eleitorais do parlamentares, em benefício do povo. Não confunda com a compra de apoio realizada nos governos do PT, através de MUITA corrupção, dinheiro que iria engordar as contas de políticos corruptos e sustentar a vida de nababo de vagabundos como o presidiário de 9 dedos. Não confunda alhos com bugalhos. O resto já comentei. Nada a acrescentar.

  2. Anti-político de estimação disse:

    A reforma é necessária e a questão da elevação das idades é fundamental. Agora, a tal da capitalização é algo assustador, e trará resultados muito negativos em pouco tempo. Só interessa ao mercado financeiro.
    Outro ponto que espero ser revisto é esse remedo de reforma para os militares, já que justamente entre eles reside o maior rombo da Previdência.

    • Ceará-Mundão disse:

      O regime dos militares é totalmente diferente. Tecnicamente, nem sequer é aposentadoria e não depente de Emenda constitucional. O regime de trabalho dos militares também é absolutamente diferente dos demais trabalhadores. Quanto ao regime de capitalização, diversas categorias já utilizam um sistema "misto", com fundos de previdência, que rendem um bom dinheiro aos seus cotistas.

    • Sérgio disse:

      Realmente o regime de trabalho dos militares é diferente: enquanto nós da sociedade civil ralamos, eles cortam grama ou jogam bola.Enquanto nos aposentamos aos 65, eles não chegam aos 50. E se o regime de capitalização é tão bom assim, porque os militares não aderem ao mesmo?
      Resumindo: Você é um militar aposentado, saudoso da ditadura, sem nada pra fazer o dia todo, a não ser teclar intrigas e defender o seu herói "decadente"( que um dia vai fazer companhia ao Nove Dedos).

    • Ceará-Mundão disse:

      Sua visão bitolada e rasteira dos militares dificulta qq diálogo. Vc demonstra mesmo ser totalmente ignorante quanto às atividades e à importância dos militares para o exercício da liberdade de uma nação. Mentalidade pueril típica da sua turma. Provavelmente, vc também é daqueles que odeiam a polícia e as armas. Tomara que nunca venha a precisar deles, "cumpanhero", porque quem um dia precisou dos militares, sabe dar o seu devido valor. A dor é que ensina a gemer, meu caro.

COMENTE AQUI