CONFUSÃO: Aras discute com subprocurador e encerra reunião de conselho do MPF

A reunião do Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF) nesta sexta-feira (31) foi encerrada de forma abrupta após um acirramento das discussões entre o procurador-geral Augusto Aras e parte dos integrantes do colegiado.

A discussão se acirrou quando o subprocurador-geral Nicolao Dino manifestou, em nome dele e de colegas, críticas às posições que Aras vem manifestando a respeito das forças-tarefas do MPF, com destaque para a Operação Lava Jato. Na terça (28), o procurador-geral disse que o grupo manteria informações que não constam dos sistemas do MPF e que é uma “caixa de segredos”.

“Vossa Excelência, com o peso da autoridade do cargo que exerce e com o pretexto de corrigir rumos com os supostos desvios das forças-tarefas, fez graves afirmações em relação ao funcionamento do Ministério Público Federal em debate com grupo de advogados”, disse Dino.

Na visão do subprocurador, Aras não age com “espírito construtivo” e provoca conflitos internos na corporação que representa.

Aras respondeu acusando subprocuradores de lhe fazerem “oposição sistemática” ao plantar “fake news” sobre ele e seus familiares à imprensa.

Aras acusou Dino de ser “porta-voz” de alguns que fazem oposição sistemática à sua gestão. Acusou colegas de plantar “fake news” envolvendo sua família para a imprensa e classificou isso de muito covarde. “Não vou atingir a família dos senhores, não”, avisou.

O procurador-geral disse que tem “provas” para sustentar as críticas que fez à força-tarefa da Lava Jato e que isso está sob apuração da Corregedoria do MPF e do Conselho Nacional do Ministério Público.

Ao final do encontro, o procurador-geral da República disse que rejeitava os conselhos do colega e encerrou a reunião do CSMPF. “Por isso, doutor Nicolao, rejeito seus conselhos e espero que os órgãos oficiais respondam à vossa excelência e aos seus liderados”, diz.

Augusto Aras levantou da cadeira e se recusou a ouvir os comentários de outros conselheiros, que participavam da reunião por videoconferência.

Discussão

Antes de Dino expor sua “perplexidade” quanto à postura recente de Aras, o procurador-geral chegou a dizer que não permitiria ao colega que expusesse sua opinião por esta fugir do tema da reunião, que era o orçamento da entidade.

“Conselheiro Nicolao Dino, essa sessão é para o orçamento. Solicito a vossa excelência que reserve suas manifestações pessoais e de seus colegas, meus colegas, para após a sessão”, disse.

Ao que Dino replicou: “O regimento interno me faculta o uso da palavra. Não faz sentido que se cerceie o uso da palavra por parte de um membro desse conselho. Isso nunca aconteceu nesse colegiado.”

Após a discussão, a ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República) divulgou nota em que considera “inaceitáveis” as falas de Aras na reunião e afirma que os membros do CSMPF foram alvo de ofensas do procurador-geral.

“O respeito ao MPF e a manutenção do decoro em seu órgão máximo, o Conselho Superior, devem ser observados por todos os membros da instituição e, principalmente, o PGR. Exatamente por isso, as falas registradas no início da noite desta sexta-feira são inaceitáveis”, diz a nota.

Ainda segundo a ANPR, a “agressão a qualquer deles [membros do CSMPF] é, assim, uma agressão a todas as procuradoras e procuradores da República e à própria instituição.”

Grupos opostos

Augusto Aras e Nicolao Dino pertencem a vertentes opostas dentro do Ministério Público Federal. Uma das principais divergências trata da forma da escolha do procurador-geral da República.

CNN BRASIL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Leonardo disse:

    Se o procurador geral está dizendo que existe irregularidades no processo vamos aguardar que sejam abertas e descobertas ‘

  2. Manoel disse:

    Ver o gado apoiar o engavetador geral da republica ( cria de Bozo) que quer acabar com a Lava Jato, não tem preço!
    O povinho mau caráter!!!

  3. Morais disse:

    Tem gente que acredita apenas no que escuta sem conhecimento de causa. Falam em comunismo, esquerda sem saberem realmente o que é e o no que diferem. Pior que isso é encontrar desculpa para defender o que está errado. Sejamos adultos e responsáveis. Esse Aras vai buscar tudo o que é possível pra ajudar a família do Bolsonaro, mesmo com as evidências postas à mesa. Cadê o povo que defendia o fim da corrupção, a caça aos bandidos? Errou tem que pagar! A justiça deve ser para todos! Não devemos ter político de estimação. Os lulistas e os bolsonaristas devem lembrar que ladrão é tudo a mesma coisa e que o pais somente melhorará quando essa corja desonesta estiver fora da vida pública.

  4. Antonio Turci disse:

    Estão tentando, através de calúnias, denegrir e apagar dois ícones da moralidade, da ética e da competência- SÉRGIO MORO e DELTAN DALLAGNOL. Desconfio que o senhor Aras é uma cascavel.

  5. Só pra lembrar disse:

    Passando por aqui só pra lembrar que essa discussão não tem somente um aspecto institucional, como a imprensa militante antecipa.
    Nicolao Dino é irmão de Flavio Dino, do Partido Comunista, Governador do Maranhão e ferrenho opositor de Bolsonaro.
    Além disso, Aras não foi o primeiro da lista de votação pela classe dos procuradores, mas escolhido por Bolsonaro pois a constituição permite isso.

  6. Observador RN disse:

    Só não mencionaram que o Subprocurador, é irmão do governador comunista do Maranhão Flávio Dino…

  7. Ivan. disse:

    Sempre digo, ele fosse escolhido pelo próprio membro do ministério público, não acontecia isso.

  8. MORO E DALLAGNOL 2022 disse:

    Onde andam os patriotas das camisas da seleção brasileira??? Onde andam os defensores da pátria amada Brasil??? Sérgio Moro e Deltan Dallagnol tiraram Lula da disputa eleitoral de 2018, e agora Áras está trabalhando para tirar Sérgio Moro da disputa eleitoral de 2022. Se sujar Moro limpa Lula.

  9. Edison Cunha disse:

    Para quem não sabe, Nicolao Dino é irmão do governador do Maranhão, o comunista Flávio Dino.
    Em sendo assim, prefiro apoiar o Procurador Geral da República, Augusto Aras.

    • Aluísio Valença disse:

      O Aras fez igual o Dudu Bananinha, chega, esculhamba e vai embora sem ouvir a resposta. Kkkkkk
      Covardão

  10. Marcelo disse:

    Comportamento típico de quem não tem propriedade e discernimento para discutir, age exatamente assim, levanta-se e sai sem argumentos…. é o que acontece quando se entra pela janela, as vezes ela se torna pequena para se passar…..

COMENTE AQUI