Contigenciamentos vão afetar aulas a partir de agosto, dizem universidades

O contingenciamento do orçamento da Educação deverá afetar pesquisas e ações de extensão em ao menos 21 universidades federais neste segundo semestre. Se não for revertido, as aulas poderão ser suspensas a partir de agosto em dez universidades (duas em agosto, seis em setembro e duas em outubro). Outras sete não apontaram data, mas afirmaram que a situação está indefinida.

Cinco universidades disseram que já tinham dívidas acumuladas ao fim de 2018 e nove preveem acumular dívidas até o fim de 2019, entre elas, a UFRJ, que já tinha R$ 283 milhões de saldo devedor em 2018 e deve terminar o ano com R$ 307 milhões no negativo.

O levantamento foi feito pelo G1, que entrou em contato com 68 instituições (incluindo campi avançados) e recebeu respostas de 37 delas (leia mais sobre a metodologia abaixo).

Sem recursos e enfrentando cortes na verba desde 2015, as instituições estão planejando neste segundo semestre restringir ainda mais suas ações, como o atendimento médico à comunidade em hospitais e clínicas de psicologia e nutrição, por exemplo, ou ainda suspender bolsas de extensão, cortar cursos voltados à comunidade, como os preparatórios para o vestibular e Enem, e até a capacitação de profissionais da educação básica, bandeira que está entre as prioridades do próprio MEC, de acordo com o documento Compromisso pela Educação Básica, lançado em julho.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. sandra disse:

    Porque será que ninguém reclamou da tal governadora do RN? deixem de ser hipocritas, o que não faltam nas universidades é dinheiro público….

  2. Walsul disse:

    Universidades sem aulas e militares sem comida. Milicianos protegidos, filhos endinheirados e o Queiroz demitindo delegado da Polícia Federal e da receita. Fuderam com o pais. Mitoooo!

  3. Manoel disse:

    Eita! Estou imaginando como não vai ficar a UERN com o contingenciamento feito pelo governo do PT no nosso RN…

  4. LULADRÃO disse:

    Mentira! Isso é só terrorismo. A UFRN tem dinheiro de sobra.

COMENTE AQUI