CRÔNICA: A desafiadora União Estável, por Fabiano Pereira

Oscar Wilde, um dos maiores gênios da literatura, cravou a seguinte frase: “Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe!”

O mundo vem mudando numa velocidade avassaladora e essa frase do autor de O retrato de Dorian Gray, mostra que os cérebros brilhantes são detentores de uma sabedoria imortal, atemporal. Estamos vivenciando um “mix” embolado de dúvidas, inquietude, culpas, entusiasmo, apreensão, êxtase…

“Muito do que vai acontecer nos próximos anos é inevitável, definido por tendências tecnológicas que hoje já estão em movimento. As maneiras como compramos, trabalhamos, aprendemos e nos comunicamos, uns com os outros, serão completamente revolucionadas”, sentenciou Kevin Kelly em sua recente publicação, intitulada de Inevitável (As 12 forças tecnológicas que mudarão nosso mundo).

As informações e mudanças chegam na velocidade da luz e esse novo mundo vem transformando as pessoas em “bipolares de carteirinha”, em constante fase de extrema euforia, sem direito ao repouso. Ter acompanhamento de psiquiatras e psicólogos passou a ser uma rotina obrigatória, como tomar banho, escovar os dentes… torna-se evidente que aprender a “puxar as rédeas” é um exercício essencial, e urgente, para manter-se humano e saudável!

Na entrevista publicada em 16 de julho de 2017, o CEO da Mercedes Benz, Mr. Daimler Benz, afirma, enfaticamente, que seus concorrentes já não são mais as outras companhias automobilísticas, mas sim, Tesla, Google, Apple, Amazon, entre outros. Dessa longa entrevista podemos pinçar alguns tópicos de grande relevância:

– Inteligência Artificial: Computadores se tornam exponencialmente melhores em compreender o mundo. Em 2030 eles serão mais inteligentes do que os seres humanos;

– Os smartphones serão cada vez mais baratos. Em 2020, 70% de todos os seres humanos possuirão um telefone inteligente. Isso significa que todos terão o mesmo acesso à educação de qualidade;

– Saúde: O chamado Tricorder&; do Star Trek (apenas um dos muitos que virão), também funciona com o seu smartphone. Ele digitaliza sua retina, vê seu sangue e respiração. Com isso, analisa cinquenta e quatro biomarcadores que irão identificar quase todas as doenças, a baixo custo.

Muito em breve, todos do planeta terão acesso a uma análise médica de classe mundial, quase de graça. Como consequência desses avanços, a longevidade aumentará significativamente;

– Uber é apenas uma ferramenta de software. Não possuem carros, e são agora, a maior empresa de táxis do mundo;

– Airbnb é a maior empresa hoteleira do mundo, embora eles não possuam quaisquer propriedades;

– Com o Watson da IBM, você pode obter aconselhamento legal em poucos segundos, com uma precisão superior, quando comparado aos seres humanos;

– As impressoras 3D já revolucionam inúmeras empresas. Calçados e peças de reposição para aeronaves são exemplos que estão “a todo vapor”!

Na China, já foi construído um edifício comercial com seis pavimentos, integralmente, com uma impressora 3D;

– Os carros autônomos e elétricos vão se tornar tendência em 2020 (estamos falando de daqui há dois anos!). As cidades serão menos barulhentas e, em função da autocondução, os percursos serão produtivos.

Em resumo, os softwares irão destroçar a maioria das atividades tradicionais, em cinco ou dez anos e, a maioria dos empregos que conhecemos (70 a 80%), irão desaparecer nos próximos 20 anos.

No momento que escrevo esse texto, já existem milhões de novidades que não conheço e uma interrogação gigante ocupa significativa parte do meu pensamento…

Para onde direciono minha atenção? O conhecimento que tenho hoje, me servirá amanhã? É sábio investir em quê? Como começar a me posicionar nesta realidade emergente?

Numa outra vertente, tão importante quanto, aparecem os “Anjos” da paz interior, tentando quebrar paradigmas dificílimos…

Uma vez por ano, representantes dos maiores, e melhores Spas do mundo, se reúnem para discutir rumos e tendências da humanidade e, por consequência, estabelecer as suas metas e serviços. Em 2017, no encontro que aconteceu em Palm Bech, Florida, EUA, foi posta uma grande questão:

– Como conciliar o impacto da tecnologia da vida contemporânea com aquilo que é inato dos homens: seu biorritmo, sua conexão com a natureza e com o transcendente? O slogan do evento era “Living a well life”, que, numa tradução livre poderia ser interpretado como “Vivendo uma vida plena!”

A meditação e a técnica do Mindfulness foram muito exaltadas nesse encontro.

“Let it be” (deixa estar), dos Beatles, foi uma espécie de mantra do congresso…

O Spa de Lapinha, no Paraná/BR, um mimo do bem-estar implantado num minúsculo espaço “antropizado” dentro de uma floresta de quinhentos e cinquenta hectares de araucárias e imbuias milenares, estava presente e ficou, novamente classificado, entre os seis melhores do mundo.

Em Lapinha se aprende que:

a) Há momentos para falar, interagir, e, também, para o silêncio;
b) Há ocasiões para o exercício e para o descanso pleno;
c) Os momentos para conexão com o mundo são imprescindíveis, mas também são vitais, os instantes para conexões só com você mesmo;
d) Por vezes, é essencial aprender a se desconectar por completo!

Isaac Asimov afirmava que “o aspecto mais triste da sociedade é que a ciência acumula conhecimento mais rápido do que a sociedade acumula sabedoria”.

Penso que a verdadeira sabedoria, nesse mundo em verdadeira erupção, é encontrar essa UNIÃO ESTÁVEL, entre os mundos externo e interno. A felicidade estará intrinsicamente ligada a capacidade de se estar “linkado” a aceleração e conexão, sem perder a essência dos tempos tranquilos de outrora…

Por Fabiano Pereira