Dados que embasam reforma são públicos, diz ministério

O Ministério da Economia informou hoje (22), por meio de nota, que os dados que embasam a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Previdência “foram amplamente divulgados e constam na exposição de motivos” do projeto. A manifestação oficial foi lida em coletiva de imprensa pelo porta-voz Presidência da República, Otávio Rêgo Barros.

“Conforme vem sendo informado desde o envio da proposta da nova Previdência à Câmara dos Deputados, os dados que embasam a PEC 06/2019 foram amplamente divulgados e constam na exposição de motivos. Cabe ressaltar que o modelo de análise de impacto previdenciário é público e pode ser acessado por qualquer cidadão”, diz a nota.

O ministério também informou que “dados desagregados” do impacto da reforma na economia ainda serão apresentados, mas apenas na comissão especial da Câmara que vai analisar o mérito da PEC. A previsão é que os trabalhos da comissão comecem no mês que vem. Ainda segundo a nota do Ministério da Economia, o governo tem sido transparente em relação ao tema.

“Todas as informações serão iluminadas e todas as perguntas respondidas na discussão de mérito. Cabe ressaltar que tamanho nível de transparência nunca foi observado em nenhuma das discussões de alterações de sistema previdenciário em governos pretéritos”.


Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. J. C. PEREIRA disse:

    Queremos uma reforma da Previdência que construa a sustentabilidade futura de todos os contribuintes da Previdência Social e da Assistência Social, não não o desmonte da Seguridade Social conforme contida nos Artigos; 194 /195 da Constituição Federal de 1988, que estabelece a Seguridade Social e determina as fontes de recursos oriundos de impostos e contribuições para custeio de todo sistema de assistências, saúde e previdenciária.
    Precisamos conhecer o valor arrecado anual pela Seguridade Social através das contruições e impostos como: PIS, CONFINS, LOTERIAS DA CEF, IMPOSTOS SOBRE IMPORTAÇÃO, sobre folha de pagamentos das empresas e as contribuições de empregados e empregadores, todos esses tributos caem na sexta da seguridade social. Agora tem de fazer a conta certa para se saber onde está o rombo. E A TAL DA DRU?

  2. Ceará-Mundão disse:

    Reforma imprescindível para o Brasil e caso de vida ou morte para o RN, que possui um deficit MENSAL previdenciário em torno de 130 milhões. Inclusive, sua necessidade era defendida pelo presidiário Lula (que fez DUAS reformas, em 2003 e 2005) e pela ensacadora de vento, que enviou uma proposta de reforma ao Congresso em janeiro de 2016. Fatis concretos, ao alcance de qq um.

  3. Roger disse:

    Contradições sobre essas informações, elas foram negadas 7 vezes, inclusive com argumentos que afetariam o mercado e sua tramitação. com certeza fica claro, que propósito de melhorar as condições econômicas, não acontecerá, pois pra desagradar o mercado demonstra a sua ineficácia; quanto a prejudicar a tramitação, percebe-se que não trará benefícios, pois se trouxesse, com a transparência e se tivesse números positivos, com certeza não iria prejudicar sua tramitação. Portanto, essa reforma só irá fazer o trabalho do cidadão seja eterno, e que os últimos dias de sua vida com descanso da aposentadoria, que hoje já é sacrificante, não ocorra mais, e muitos irão padecer, antes de chegar a aposentar.

    • Ceará-Mundão disse:

      O momento para discutir o mérito é na Comissão Especial, o próximo passo. Na CCJ, apenas se avalia a admissibilidade da proposta.

  4. Fagner disse:

    Mas escondem.

  5. Joaquim Lamy disse:

    A reforma agraria é urgente

COMENTE AQUI