Dallagnol critica Bolsonaro e diz que presidente se distancia do combate à corrupção

O coordenador da força-tarefa da Lava-Jato , DeltanDallagnol , disse que o presidente Jair Bolsonaro está se distanciando do discurso e da pauta anticorrupção e criticou as interferências do presidente do na Receita e na Polícia Federal. Em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, Dallagnol diz que o sistema de combate à corrupção do país está em risco e que sofre ações de enfraquecimento dos três Poderes.

“Nós vemos também que essas investigações relativas à família dele [Bolsonaro] têm relação com áreas em que ele tem buscado atuar – segundo várias pessoas têm avaliado, de modo indevido – em relação à Receita Federal ou à Polícia Federal. O que nós podemos esperar é que exista uma atuação do presidente coerente com aquilo que ele divulgou em campanha, com a pauta que ele abraçou, que é a pauta anticorrupção”, afirmou Bolsonaro à Gazeta.

Dallagnol diz que Congresso, Supremo Tribunal Federal (STF) e o governo do presidente Jair Bolsonaro, eleito com a bandeira do combate à corrupção, atacam o combate à corrupção.

“O que a gente vê no Brasil? A gente vê um movimento amplo [de enfraquecimento do combate à corrupção]. Não é um movimento restrito; não é uma pessoa ou duas. A gente vê um movimento que engloba o Legislativo, o Executivo e o Judiciário”, disse Deltan.

“E do governo federal, Deltan citou as supostas tentativas de intervenção de Bolsonaro na Polícia Federal e na Receita Federal, as mudanças no Coaf, a possibilidade de o presidente não indicar um procurador-geral da República que esteja na lista tríplice do MPF e a falta de prioridade dada pelo Planalto ao projeto anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro.

O coordenador da Lava-Jato diz ainda que Bolsonaro tem enfraquecido as pautas do ministro da Justiça, Sergio Moro.

“O presidente Jair Bolsonaro, ao longo da campanha eleitoral, se apropriou de uma pauta anticorrupção. (…) Agora, o que nós vemos é que ele vem se distanciando desta pauta de corrupção quando coloca em segundo plano o projeto anticrime do juiz federal Sergio Moro. Ele coloca em segundo plano essa pauta quando ele faz mudanças no Coaf e desprestigia o auditor da Receita Federal Roberto Leonel [indicado por Moro para o Coaf], que trabalhou na Lava Jato”.

O GLOBO

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo Supla disse:

    Arrochado o Deltan.

    Moro presidente!!!!

  2. Pereira disse:

    Começou a campanha de Moro à Presidência!

  3. Emerson Fonseca disse:

    Óbvio, quando a PF chegou perto das tramoias da família do miliciano, o chefe trocou na hora os delegados e chefes da PF. Elegeram um mafioso pra presidente.

  4. Lula livre, Deus nos livre. disse:

    Ainda bem que o sociopata Lula já está preso.

  5. Poly Laranjeiras disse:

    Chola não bebê, iti Malia que coisa fofinha e xatiadinho

COMENTE AQUI