Estado que não quer estar sob controle do Judiciário é fascista e policialesco, diz Toffoli

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, afirmou à Folha que Estado que não quer estar sob o controle do Judiciário é “fascista e policialesco”.

A declaração foi dada nesta quarta-feira (17), um dia depois de ele atender a pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e suspender investigações criminais pelo país que usem dados detalhados de órgãos de controle —como Coaf, Receita Federal e Banco Central— sem autorização judicial.

“Só não quer o controle do Judiciário quem quer Estado fascista e policialesco, que escolhe suas vítimas. Ao invés de Justiça, querem vingança”, disse o ministro, nas suas primeiras declarações após a polêmica decisão.

“Só não quer o controle do Judiciário quem quer Estado fascista e policialesco, que escolhe suas vítimas. Ao invés de Justiça, querem vingança”, disse o ministro, nas suas primeiras declarações após a polêmica decisão.

Na prática, o presidente do Supremo paralisou a apuração realizada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro sobre o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (PSL).
Toffoli afirmou que sua decisão vai além do caso de Flávio e que “é uma defesa de todos os cidadãos”.
“É uma defesa de todos os cidadãos, pessoas jurídicas e instituições contra a possibilidade de dominarem o Estado e, assim, atingirem as pessoas sem as garantias constitucionais de respeito aos direitos fundamentais e da competência do Poder Judiciário”, declarou.
A suspensão determinada por Toffoli também atinge outro inquéritos, procedimentos de investigação criminal (tipo de apuração preliminar) e ações penais em todas as instâncias da Justiça, baseados em informações dos órgãos de controle. A determinação tem potencial de afetar desde casos de corrupção e lavagem, como os da Lava Jato, até os de tráfico de drogas.

Toffoli rebate as críticas de que a decisão suspenderá todas as apurações sobre lavagem de dinheiro no Brasil, como afirmou o coordenador da Lava Jato no Rio, o procurador Eduardo El Hage.
“Nenhuma investigação está proibida desde que haja prévia autorização da Justiça”, disse.

“Qual seria a razão de não pedir permissão ao Judiciário? Fazer investigações de gaveta? ‘Prêt-à-porter’ contra quem desejar conforme conveniências?”, questiona o presidente do Supremo.

“Não se faz Justiça por meio de perseguição e vingança sem o controle do Poder Judiciário”, ressaltou o presidente do Supremo.

Folhapress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Minion de Peixeira disse:

    Fica parecendo que o filho de Bolsonaro estava em casa, sem fazer nada, ai foi chamado para assumir essa embaixada para fazer uma boquinha, quando na verdade ele já é um deputado (e muito bem votado). Quem tem que achar ruim são os seus eleitores (se fosse, eu acharia). Talvez ganhe menos como diplomata e o que ele precisa e ser assessorado pelo corpo técnico da chancelaria. Podem me xingar.

  2. Ed. disse:

    Vivi para ver minion defendendo nepotismo, Toffoli e fazendo malabarismo para justificar as bobagens do mito. Vocês não sabem ainda, mas se transformaram no que mais diziam odiar.

    • Lindemberg disse:

      Só para esclarecer Ed você que já julgou e condenou todo governo de Bolsonaro, poderia mostrar onde exite corrupção? Qual ministro cometeu corrupção? Qual diretor de petrobras está desviando recurso? O governo está enviando dinheiro público aos ditadores de Cuba, Venezuela, Angola? O governo está se reunindo com os ditadores do Foro de São Paulo? Só para começar a comparar com o governo que saiu em 2013

  3. chibatazil disse:

    Esse pilantra, hoje ministro da suprema corte graças a uma indicação do larápio-mor da República, em retribuição aos serviços prestados à seita do diabo, totalmente incompetente para o cargo que ocupa, nunca ouviu falar do princípio da separação dos poderes? Não existe, na teoria de Montesquieu, um poder superior aos demais, cada um tem suas atribuições e limites bem definidos, devendo funcionar em conjunto para o bem comum.

  4. Jd disse:

    Corretíssimo. É o estado democrático de direito. Estado submisso as leis e não a vontade de certos perseguidore que escolhem suas vítimas ao bel prazer, xeretando a vida dos outros sem autorização judicial. Não há proibição de se investigar, só requerer ao judiciário. Ou, caso contrário feche o poder judiciário!

  5. Poeta Cypriano Maribondo disse:

    Quem é sete cidadão que se acha DEUS, apenas um ministro da suprema corte que tem a obrigação de julgar defendendo a nossa constituição que por ELE foi rasgada na hora que ele passou a ser capacho e babão do bando Bossonaro. Sim. Ele está agindo com puro FASCISMO contra os brasileiros na hora que ele defende um tirano fascista e seus filhos. Cria vergonha Ministro o Senhor deveria renunciar seu cargo à bem da Justiça brasileira.

  6. Antonio Turci disse:

    O Estado tem que ficar sob o controle de quem tem dignidade. Aliás, não sei qual o país do mundo que é controlado pelo judiciário. Na minha pobre ignorância sempre achei que este papel era do Poder Executivo dirigido por pessoas gradas e legitimamente eleitas.

  7. David disse:

    O país não quer o judiciário controlado por bandidos, isso sim, porquê em vez de judiciário, seria um órgão de legalizar ilicitudes, e hj uma gana enorme de decisões se enquadra nesse hecatombe, e a nação tem que dar um freio nisso. Petralha canalha!

  8. #Lula na cadeia sempre disse:

    Esse PTralha esta salvando é QUADRILHA PTRALHA QUE COLOCOU ELE NO POSTO DE ADVOGADO MINISTRO , os OTARIOS estão achando que está lucrando o FLAVIO BOLSONARO, mas esquecem que TODA A QUADRILHA PTRALHA QUE ROUBOU BILHÕES ESTÁ SE BENEFICIANDO COM ESSA DECISÃO

  9. Lima disse:

    Bom dia ! Corretíssimo.

  10. M. Vinicios disse:

    O Douto, tem DNA socialista, portanto, ama bandido. Está sendo dada relevância quanto ao caso do filho do Presidente, mas, o objetivo do confeito Toffoli é realmente outro!

COMENTE AQUI