Exigência de CPF no Imposto de Renda faz 1,2 milhão de dependentes ‘desaparecer’

Em apenas um ano, entre 2017 e 2018, cerca de 1,2 milhão de crianças e adolescentes desapareceram das declarações de IR (Imposto de Renda) captadas pela Receita Federal.

Levantamento feito pelo Fisco e obtido pela Folha mostra que o “sumiço” dos jovens coincide com um aumento nas exigências feitas pela Receita com o objetivo de tornar o processo mais rígido e inibir fraudes.

A inclusão de pessoas que dependem financeiramente do contribuinte na declaração anual de renda gera benefícios ao pagador de impostos.

No cálculo do ajuste anual do IR, quando a pessoa fica sabendo se tem direito a uma restituição de imposto ou se deverá pagar, pode ser deduzido um valor fixo de R$ 2.275,08 por dependente. Também são permitidas deduções adicionais de despesas médicas e de educação desses jovens.

Até 2017, a Receita exigia que as declarações incluíssem o número de CPF de dependentes com idade acima de 12 anos. Para os mais jovens, era necessário preencher apenas o nome e a idade.
Em 2018, essa exigência foi ampliada, passando a ser obrigatório o preenchimento do número do documento para os maiores de 8 anos.

Após a implementação da mudança, o total de dependentes declarados no país caiu de 25,5 milhões para 24,3 milhões, o que representa uma redução de quase 5%.

A maior parte dos jovens que deixaram de aparecer nos registros, quase 900 mil, estava exatamente na faixa entre 8 e 12 anos de idade, que passou a exigir os dados do CPF.

De acordo com o supervisor nacional do Imposto de Renda na Receita Federal, Joaquim Adir, a inclusão de dependentes de forma incorreta não significa que eventuais tentativas de fraude foram bem-sucedidas.

Segundo ele, a maior parte das informações erradas cai na malha fina e os contribuintes acabam retificando as declarações.

“O contribuinte que faz isso sabe do risco”, disse. “Claro que passa um ou outro, mas ao longo dos anos, a Receita segura o contribuinte na malha até ele ajustar. No final, [o impacto] acaba não sendo grande porque a Receita corre atrás, faz cruzamentos.”

A Receita não apresentou estimativa de perdas de arrecadação.

FOLHAPRESS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio disse:

    Qual é o presidente que afirmou se orgulhar de sonegar?

  2. Arnaldo Franco disse:

    O contribuinte que sonega impostos está sendo desonesto igual ao politico ladrão que ele tanto malha. Mas o Governo Federal tambem está sendo desonesto ao não corrigir a tabela de isenção do IR. Quero ver se esse Governo vai acabar com essa esperteza.

  3. Tarcísio Eimar disse:

    Agora só falta a receita cruzar com os anos anteriores e intimar os "pagadores" de impostos a explicar os fatos

  4. Anti-Político de Estimação disse:

    Muitos desses arrotam a seguinte frase por aí : "Sou um brasileiro honesto, pagador dos meus impostos………".
    Kkkkkkkkkkkkkk.

    • Zanoni disse:

      Você falando de honestidade e se utilizando de pseudônimo. Bem engraçado!!!

COMENTE AQUI