Cultura

FEZ CERTÍSSIMO, UMA VERGONHA: Prefeitura do Rio censura mostra com imagem de santa com pênis e homens nus

Resultado de imagem para Prefeitura do Rio censura mostra com imagem de santa com pênis e homens nus

 

A Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro censurou na sexta (28) a exposição “Todxs xs Santxs – Renomeado – #eunãosoudespesa”, do artista Órion Lalli, que estava em cartaz no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. O argumento do órgão da prefeitura é que uma das obras ataca valores cristãos.

Um dos trabalhos expostos continha a imagem de uma santa com o seio nu e um pênis à mostra, centrada em um esquema de quebra-cabeça mostrando dois homens nus se acariciando. Ao lado do jogo de imagens, aparece a frase “Deus acima de tudo, gozando acima de todos”.

A polêmica começou quando o deputado estadual Márcio Gualberto, do PSL, criticou a obra nas redes sociais.

Segundo Gualberto, ele recebeu uma denúncia anônima sobre a exposição. “É uma agressão desnecessária, injustificada e gratuita. O autor foi muito infeliz. Peço a Deus que toque o coração e o faça compreender que não produziu uma obra de arte”, disse o parlamentar.

Após críticas, Gualberto e a deputada federal Christiane Tonietto, do PSL, registraram uma notícia-crime na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância.

“É inadmissível que Nossa Senhora seja retratada com um órgão sexual masculino. Isso não é arte!”, disse o deputado em um tuíte.

Em nota, a secretaria da Cultura diz reafirmar “seu compromisso com o respeito constitucional à liberdade religiosa e a todas as crenças” e que “nossos equipamentos abrigam manifestações culturais de todas as linguagens e estilos, sendo um dos nossos pilares o respeito à liberdade artística”, mas informa que decidiu censurar a mostra enquanto aguarda a decisão judicial em relação à notícia-crime.

Ainda de acordo com a Secretaria Municipal de Cultura, uma comissão do órgão recomendou que a exposição tivesse classificação indicativa de 18 anos. Avisos foram então afixados nas galerias avisando sobre conteúdo impróprio para menores de idade uma semana antes da interdição da mostra.

O artista Órion Lalli, contudo, nega referências à Virgem Maria. “Estão dizendo que é a imagem de uma santa cristã, mas não é. É a minha santa. É o meu oratório”, afirmou Lalli. Segundo ele, a obra retrata diversos símbolos de diferentes signos, sobretudo ligados aos corpos LGBT e às pessoas soropositivas.

“Precisamos falar sobre meu corpo que vive com HIV, contextos históricos da arte, dadaísmo, futurismo e expressões artísticas muito mais velhas do que esses que querem me acusar de algo, de um crime, que não cometi”, acrescentou.

No dia 23 de fevereiro, a Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro publicou um vídeo em que o secretário da pasta, Adolpho Konder, alerta que apesar de o Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica estar fechado devido ao recesso de Carnaval, o artista da obra seria notificado sobre as denúncias de vilipêndio e que uma medida seria tomada.

“Gostaria de salientar que a Secretaria Municipal de Cultura abriga as mais diversas expressões culturais e artísticas, mas não podemos admitir nada que promova intolerância e ofensa ao sentimento religioso de qualquer credo. Essa exposição foi aprovada por um curador na gestão anterior à nossa”, afirmou Konder.

O artista nega ter tido intenções de ofender alguém ou alguma fé. “Até quando vamos falar em sexo pautado no conservadorismo por um erro de construção mitológica?”, questionou Lalli. “Um trabalho como esse ser censurado mostra que a discussão está muito longe de ter uma razoabilidade. Que temos muito caminho pela frente”, disse.

FOLHAPRESS

Opinião dos leitores

  1. Pseudo artista cara de pau! Ainda nega que seja uma referência a santa católica. O manto e seus detalhes é propositalmente de Nossa Senhora da rosa mística.

  2. Esse tipo de ofensa se tornou algo tão bobo que um artista que faz isso está em crise de criatividade. Banalizou-se tanto a forma de contestar que, hoje, revolucionário é o conservador.

  3. Esse vagabundo dá o caneco, se entope de AIDS, aí vem detonar a fé das pessoas! Olha aí onde chegamos!

  4. Pouca vergonha para esses artistas que se dizem divulgador de cultura isso deve ser cultura para a mãe dele

  5. Não acredito em crendices. Tudo não passa de invenção da igreja para colocar um cabresto nos menos favorecidos de intelecto e iludidos que depositam numa salvação imaginária a redenção de suas frustrações e fracassos.
    Mas respeito quem acredita pois aquilo lá simboliza a fé de alguém.
    Não deveria apenas censurar mas também punir os imbecis que usam desse tipo de atitude que não se trata de 'arte' mas uma maneira de vulgarizar, ridicularizar e afrontar os preceitos dos bons costumes.
    Anarquia sem respeito é bandidagem. E lugar de bandido é na cadeia.

  6. Essas pestes de esquerda que se dizem artistas, no fundo são verdadeiros Satanás querendo se promover.

  7. Que tal se em vez de Nossa Senhora, ele colocasse a imagem da mãe dele?
    Isso é vagabundagem e não cultura.

    1. Caro Emílio, você acabou de dar um exemplo da polarização existente hoje no Brasil. Não consegui ler no texto nenhuma menção ao "artista" ou "obra" dizendo ser de direita ou esquerda. A discussão aí é outra, sobre intolerância religiosa.

    2. Fale por você idiota que defende milicianos e que citam cristo como salvador na mesma frase. Seja homem e se identifique, só pra começar!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

FRESCOU MESMO: Pezão é acusado de corrupção e dá o dedo

O Ministério Publico Federal divulgou nesta terça, 28,  release à imprensa do estado no qual comunica que denunciou o empresário Wbiranilton Linhares, o “Pezão” e seu sócio, Paulo Sergio Trindade, sob acusação de fraude em licitação de fornecimento de refeições para o Instituto Federal de Educação (IFRN), unidade de Santa Cruz.

Este comunicador reproduziu o release no Blog do BG, inclusive sem destaque. Não colocamos o nome de Pezão no título, não divulgamos foto dele, do sócio, da empresa, não citamos suas redes sociais, também não tocamos no assunto no programa Meio Dia RN, na 96 FM.

O Motivo: evitar exploração política do fato, uma vez que “Pezão” é pré-candidato a deputado federal pelo PSDB.

Nesta quarta, este comunicador foi surpreendido por um vídeo postado no Instagram do réu por improbidade em várias ações, em que “Pezão” mostra o DEDO, brinca com a situação e me chama de invejoso, apenas por publicar um release oficial do Ministério Público Federal.

A respeito do fato, este comunicador informa que a denúncia feita pelo MPF é um dos menores enfrentados por “Pezão”.

Lembra também que mostrar o dedo para este comunicador, para o Ministério Público e para a Justiça Federal e exibir papel higiênico não vai resolver os problemas judiciais e anular as acusações de prática de corrupção e os vários processos que “Pezão” responde, inclusive de fornecer alimentação de baixíssimo nível e fora de especificações e normas sanitárias, Wbiranilton, também diz no vídeo que não dá cabimento a este comunicador, agradecemos a “deferência”.

Este comunicador apesar de nunca ter sequer conversado com Pezão, agradece ele não da cabimento, porque entende que o melhor, mesmo, é manter distância do sujeito.

Detalhe importante: no release, o MPF informa que a denúncia de corrupção já foi aceita pela Justiça Federal.

O PSDB e os pré-candidatos a federal do partido estão bem arrumados com um pré-candidato desse.

 

Print do RELEASE DO MPF pedindo o indiciamento de “PEZÂO”:

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Governo lança Plano Safra 2022/2023 e anuncia R$ 340,8 bilhões para a agropecuária

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O governo federal lançou nesta quarta-feira (29) o Plano Safra 2022/2023, que vai disponibilizar um total de R$ 340,88 bilhões em financiamentos para apoiar a produção agropecuária nacional até junho do próximo ano. O valor, segundo o Ministério da Agricultura, representa aumento de 36% em relação ao Plano Safra anterior, que disponibilizou R$ 251 bilhões a produtores rurais.

O novo plano foi anunciado durante cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro, do ministro da Agricultura, Marcos Montes, além de diversas outras autoridades. Do total de recursos disponibilizados, R$ 246,28 bilhões serão destinados ao custeio e comercialização, uma alta de 39% em relação ao ano anterior. Outros R$ 94,6 bilhões serão para investimentos, um incremento de 29%.

“Estamos lançando um plano safra capaz de atender aos diversos segmentos do agro e atento aos compromissos do governo e da sociedade de responsabilidade fiscal, um plano safra com valor muito expressivo, R$ 341 bilhões diante de R$ 252 na safra passada, e com taxas de juros compatíveis e inferiores às taxas de mercado, inferiores até à taxa Selic”, destacou o ministro Marcos Montes.

Os recursos com juros controlados somam R$ 195,7 bilhões e aqueles com juros livres totalizam R$ 145,18 bilhões. O montante de recursos equalizados, que é aquela parte do juros que não é cobrada do tomador, cresceu 31%, chegando a R$ 115,8 bilhões na próxima safra, segundo o governo.

O novo Plano Safra também aumentou, de 50% para 70%, a possibilidade de uso dos recursos das Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). A LCA é um título de renda fixa emitido pelos bancos para financiar atividades agropecuárias. A expectativa, segundo o governo, é que a medida gere uma maior participação do mercado de finanças privadas do agro, com a expansão de títulos como a CPR, CDCA, CRA, além da LCA.

Pronaf e Pronamp

Os recursos para os pequenos produtores rurais, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), subiram 36%, totalizando R$ 53,61 bilhões, com juros de 5% ao ano (para produção de alimentos e produtos da sociobiodiversidade) e 6% ao ano (para os demais produtos).

Para o médio produtor, no âmbito do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), foram disponibilizados R$ 43,75 bilhões, um aumento de 28% em relação à safra passada, com juros de 8% ao ano.

Os recursos disponibilizados no âmbito do Pronaf e do Pronamp são integralmente com taxas de juros controladas.

Para os demais produtores e cooperativas, o total disponibilizado é de R$ 243,4 bilhões, com taxas de juros de 12% ao ano. Os produtores rurais também podem optar pela contratação de financiamento de investimento a taxas de juros pós-fixadas.

Sustentabilidade

Este ano, o Programa ABC, que financia a recuperação de áreas e de pastagens degradadas, a implantação de sistemas de integração lavoura-pecuária-florestas e a adoção de práticas conservacionistas de uso, manejo e proteção dos recursos naturais, contará com R$ 6,19 bilhões. As taxas de juros serão de 7% ao ano para ações de recomposição de reserva legal e áreas de proteção permanente e de 8,5% para as demais.

Também foi criado o ABC+ Bioeconomia, que prevê investimentos em sistemas de exploração extrativista não madeireira, de produtos da sociobiodiversidade e ecologicamente sustentáveis. Outra novidade anunciada pelo governo é o financiamento de remineralizadores de solo (pó de rocha), que tem o potencial de reduzir a dependência dos fertilizantes importados.

O governo também anunciou R$ 1,95 bilhão para o programa Proirriga, que contempla o financiamento de todos os itens inerentes aos sistemas de irrigação, inclusive infraestrutura elétrica, reserva de água e equipamento para monitoramento da umidade no solo.

Tecnologias

Outra linha de financiamento do Plano Safra, o Inovagro, terá R$ 3,51 bilhões em recursos, com juros de 10,5% ao ano. A categoria disponibiliza financiamento para o incentivo à inovação tecnológica e para investimentos necessários para a adoção de boas práticas agropecuárias e de gestão da propriedade.

Entre os financiamentos previstos no Plano Safra 2022/2023 estão os investimentos relacionados a sistemas de conectividade no campo, softwares e licenças para gestão, monitoramento ou automação das atividades produtivas, além de sistemas para geração e distribuição de energia produzida a partir de fontes renováveis.

Armazéns

O Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA), que financia investimentos necessários para a ampliação e construção de novos armazéns, terá R$ 5,13 bilhões disponíveis na próxima safra, com taxas de juros de 7% ao ano para investimentos relativos à armazenagem com capacidade de até 6 mil toneladas, e de 8,5 % ao ano para os demais investimentos. O prazo de reembolso desses empréstimos é de até 12 anos, com carência de até 3 anos.

Neste ano, segundo o governo, foi instituído um limite de financiamento de R$ 50 milhões para investimentos relativos a armazenagens de grãos. Para o armazenamento dos demais itens, o limite continua sendo de R$ 25 milhões.

Agência Brasil 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Fábio Dantas lidera em intenções de voto na Grande Natal e Agreste do RN

A primeira pesquisa realizada pelo Instituto Consult para as eleições 2022, divulgada nessa terça-feira (28), mostrou o crescimento da pré-candidatura de Fábio Dantas ao Governo do Rio Grande do Norte.

De acordo com levantamento, Fábio Dantas leva vantagem na Grande Natal e região Agreste do estado. Os índices de insatisfação dos potiguares com a atual gestão da Governadora Fátima Bezerra também são evidenciados pela pesquisa.

Os dados da Consult apontam que 49,1% dos entrevistados desaprova o Governo Fátima Bezerra e 50,18% acreditam que o melhor para o RN é não reeleger o atual governo.

Na simulação de um segundo turno, o pré-candidato Fábio Dantas tem a maioria de intenção de voto dos entrevistados na Grande Natal (33.6%) e na região Agreste do estado (41.1%) contra Fátima Bezerra.

O Instituto Consult mostrou ainda que Fábio Dantas já ocupa o segundo lugar com 15,12% na pergunta estimulada, quando os nomes são apresentados aos entrevistados. A governadora Fátima Bezerra (PT) tem 33,24% das intenções e o senador Styvenson Valetim (PODEMOS), vem em terceiro lugar com 14,12%.

A pesquisa TV Ponta Negra/Consult fez 1700 entrevistas, nas 12 regiões do Rio Grande do Norte, entre os dias 22 e 25 de junho. A margem de erro é de 2,3%, com confiabilidade de 95%. Os registros na Justiça Eleitoral são BR-00969/2022 e RN/02501/2022.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Senado adia votação da PEC que amplia auxílio-gás e cria voucher caminhoneiro

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado/Flickr

A votação do parecer do relator, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que amplia uma série de benefícios sociais em ano eleitoral ficou para quinta-feira, 30, no plenário do Senado. O relatório foi apresentado nesta quarta-feira, 29, e discutido pelos senadores, mas o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), decidiu adiar a votação.

Após críticas sobre a instituição de estado de emergência para viabilizar a proposta, ideia prevista no parecer, senadores entraram em acordo para que a discussão continuasse nesta quarta-feira, mas com a votação no dia seguinte. A sessão está marcada para as 16h. Segundo Pacheco, a PEC será o primeiro assunto a ser votado pelo plenário na quinta-feira.

O texto, entre outros pontos, aumenta o auxílio-gás, amplia o valor e zera a fila do Auxílio Brasil e prevê um “voucher” de R$ 1 mil para caminhoneiros autônomos. As medidas custarão R$ 38,75 bilhões até o fim do ano e serão custeadas por meio de crédito extraordinário, fora do teto de gastos.

Para ser aprovada, a PEC precisa passar por dois turnos de votação no Senado, com pelo menos 49 votos a favor. Em seguida, se receber o aval dos senadores, o texto vai para análise da Câmara dos Deputados, onde também precisará passar por dois turnos de votação.

Bezerra apresentou o parecer na manhã desta quarta-feira. O texto original da PEC 16/2022, chamada de PEC dos Combustíveis, previa compensação aos estados pela redução a zero das alíquotas de ICMS do diesel e do gás de cozinha, o que custaria R$ 29,6 bilhões. Essa compensação não faz parte do novo parecer.

Pacheco apensou (anexou) ao texto a PEC 1/2022, de autoria do senador Carlos Fávaro (PSD-MT), que trata de benefícios sociais, como o auxílio aos caminhoneiros. Bezerra fez, então, um parecer com base nessa PEC, considerando que a PEC 16 “terminou não prosperando” por avaliação do governo e resistências no Senado.

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, Bezerra afirmou que, com o agravamento da pobreza devido aos desdobramentos da crise econômica pós-covid, o ideal seria conceder benefícios sociais diretos às camadas mais vulneráveis da população. “A PEC 1 tinha mais a ver com o espírito que agora dominava dentro do Senado”, disse.

A PEC 1 já foi chamada de “PEC Kamikaze” no Ministério da Economia, pelo alto impacto fiscal, de cerca de R$ 100 bilhões, previsto no texto original. Agora, a versão atualizada por Bezerra é defendida pelo governo.

Criar benefícios sociais em ano eleitoral, no entanto, é proibido por lei. Para contornar essa vedação, Bezerra sugere, no texto, a decretação de estado de emergência no país, “decorrente da elevação extraordinária do petróleo e os impactos sociais deles recorrentes”. Nesse caso ou no caso de calamidade pública, a legislação prevê exceção à regra.

Senadores da oposição se posicionaram contra o dispositivo, por entenderem que seria um “cheque em branco” para o governo. Um dos incisos da matéria deixava claro que, durante o estado de emergência, seria observada a “não aplicação de qualquer vedação ou restrição prevista em norma de qualquer natureza“. O relator retirou esse trecho após as discussões.

“Não vai ser uma porta aberta para realização de novas despesas. O estado de emergência limita a utilização de recursos para o enfrentamento da crise social. Não é um cheque em branco, é um reconhecimento limitado às medidas que estão sendo sugeridas”, disse Bezerra.

Os senadores também divergem sobre a criação de um auxílio para motoristas de táxi e de aplicativos, de R$ 1 mil por mês. Os governistas são contra essa inclusão, que pode ser discutida por meio de destaques ao texto.

O que prevê o texto

O parecer de Bezerra amplia o Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600 por mês, além de zerar a fila, com o cadastro de 1,6 milhão de novas famílias. O custo dessas medidas é estimado em R$ 26 bilhões até o fim do ano.

O texto também cria um “voucher” de R$ 1 mil a caminhoneiros autônomos, ao custo de R$ 5,4 bilhões até o fim do ano. As transferências serão feitas assim que for promulgada a PEC. O benefício só vale para caminhoneiros autônomos cadastrados na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) até 31 de maio.

O auxílio-gás será ampliado para o valor de um botijão a cada dois meses. O custo é estimado em R$ 1,05 bilhão. Hoje, o benefício garante 50% do preço médio de revenda do botijão de GLP, de R$ 53, a cada dois meses. A proposta amplia para 100% do valor. Segundo Bezerra, 5,8 milhões de famílias são beneficiadas. Pelas regras atuais, famílias inscritas no CadÚnico, com renda familiar mensal de até meio salário mínimo, têm direito ao vale-gás.

Outro ponto incluído no parecer, já previsto na PEC 1, é uma compensação a estados para atender a gratuidade de transporte público gratuito de idosos, prevista em lei. O custo é estimado em R$ 2,5 bilhões.

Por fim, o texto prevê o repasse de até R$ 3,8 bilhões para manter a competitividade do etanol sobre a gasolina, por créditos tributários. Os estados repassarão esse benefício para os produtores.

Exame

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Ex-gestores do fundo de pensão da Caixa na era PT terão de devolver R$ 55,7 milhões

Foto: Lucio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados

O Tribunal de Contas da União (TCU) publicou edital citando ex-diretores da Fundação dos Economiários Federais (Funcef) para apresentarem, num prazo de 15 dias, alegações de defesa quanto a supostos desmandos na administração da instituição ou devolverem 55,7 milhões de reais do prejuízo que causaram.

A Funcef é o fundo de pensão da Caixa, o terceiro maior do país, com mais de 90 bilhões de reais em ativos e  140 mil participantes.

Segundo o TCU, o rombo decorre, entre outras coisas,  da aprovação de investimento desprovido de análises de risco e sem avaliação técnica.

A intimação foram enviadas  para os ex-diretores Antônio Braulio de Carvalho, Guilherme Narciso de Lacerda, Jorge Luiz de Souza Arraes, Sergio Francisco da Silva, Demosthenes Marques e Carlos Alberto Caser, além da empresa DGF Investimentos Gestão de Fundos Ltda.

Guilherme Narciso de Lacerda e Carlos Alberto Caser eram ligados ao PT. Caser saiu da presidência da Funcef em 2016, durante o governo de Dilma Rousseff, após cinco anos de atuação à frente da instituição, deixando um débito acumulado de mais de 13 bilhões de reais.

Portal Grande Ponto com informações da Veja

Opinião dos leitores

  1. Apesar do rombo nos fundos de pensão, ainda tem funcionário da Caixa que vota no PT. Deve ser demência ou falta de vergonha mesmo.

    1. Pixuleco, Santos, nostradeu, macros vão fazer uma cotinha pra pagar essa injustiça que o tcu está fazendo com esses inocentes, ainda bem que não tão cobrando do mandante geral, o luladrão

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Federal extradita português condenado por estelionato e preso no RN

Foto: divulgação/PF

A Polícia Federal, por meio da representação regional da Interpol no Rio Grande do Norte, executou na noite da última terça-feira, 31/5, a extradição de um cidadão português, de 64 anos, que havia sido preso em setembro de 2021, em Parnamirim, na Grande Natal. A ordem judicial foi expedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O pedido de extradição foi formulado pelo governo de Portugal, onde o estrangeiro foi condenado a cumprir a pena de 8 anos de prisão pelo crime de extorsão praticado entre os anos de 2007 e 2009.

O extraditado desde a sua prisão se encontrava custodiado no presídio estadual Dr. Francisco Nogueira Fernandes (Alcaçuz). Ele seguiu escoltado pela PF até o Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante/RN, quando foi entregue aos policiais portugueses encarregados da sua condução até Lisboa.

Nos últimos 15 meses, a Polícia Federal localizou e prendeu no Rio Grande do Norte, um total de quatro estrangeiros que eram procurados pela Interpol para fins de extradição.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“No nosso governo, a PF foi na casa do meu irmão. Eu fiquei sabendo 12 horas antes”, diz Lula

Foto: REUTERS/Washington Alves

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quarta-feira (29) que foi informado com 12 horas de antecedência sobre uma operação da Polícia Federal deflagrada contra um de seus irmãos enquanto ocupava o Palácio do Planalto.

Em entrevista à Rádio Educadora, o petista não informou quem teria sido o responsável por vazar a informação sobre a operação. Lula disse que, na ocasião, cobrou um pedido de desculpas da PF.

“No nosso governo, a PF foi na casa do meu irmão. Eu fiquei sabendo 12 horas antes, porque eu estava na Índia e tinha fuso-horário. E eu falei: ‘Se a Polícia Federal quer ir lá, que vá, investigue e depois peça desculpa’. O problema não é acusação, o problema é que quando você é canalha e faz a acusação, você tem que ter caráter e pedir desculpa, a palavra desculpa não custa nada”, disse Lula.

Lula não citou o caso nominalmente, mas faz referência à operação Xeque-Mate, realizada em junho de 2007 e que teve como alvo Genival Inácio da Silva, o Vavá, irmão de Lula que morreu em 2019.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Tenho certeza que os roubos, a cadeia e o uso continuo de cachaça, afetou a mente desse sujeito.

  2. Com a palavra, lex luthor!
    O maior bandido, doido pela criptonita…
    Kkkkkkkkkkkkkkkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governo nomeia Daniella Marques para assumir presidência da Caixa Econômica Federal

Foto: Reprodução/ CNN Brasil

O governo nomeou, nesta quarta-feira (29), a atual secretária especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, Daniella Marques Consentino, para assumir a presidência da Caixa Econômica Federal.

A indicação ocorre após a oficialização do pedido de demissão do então presidente do banco, Pedro Guimarães, que estava no cargo desde o início do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL), em 2019.

Daniella Marques integra o governo federal desde 2019, quando foi nomeada como chefe da Assessoria Especial de Assuntos Estratégicos do ministro da Economia, Paulo Guedes.

De acordo com o Ministério da Economia, ela atuou por 20 anos no mercado financeiro, na área de gestão independente de fundos de investimentos. Marques também foi sócia-fundadora e diretora de fundos de investimento.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Livro que fará parte da celebração do Bicentenário da Independência do Brasil será lançado quinta-feira em Natal

Registros fotográficos de Fernando Chiriboga, fotógrafo equatoriano radicado no Brasil, compõe coleção de livros | Fotos: Fernando Chiriboga

O fotógrafo Fernando Chiriboga, equatoriano radicado no Brasil e potiguar de coração, marcou para quinta-feira, dia 30 de junho, o lançamento do seu mais novo livro-álbum Relíquias – Patrimônio arquitetônico do Sudeste do Brasil. A obra fará parte da celebração do Bicentenário da Independência do Brasil, que será comemorado em 7 de setembro de 2022. O lançamento, a partir das 18h15, também marcará os seis anos da Galeria Fernando Chiriboga, no Midway Mall.

Chiriboga será responsável pela autoria do projeto editorial Relíquias – Bicentenário da Independência do Brasil – 2022 – uma coleção de quatro livros, cada um dedicado ao registro fotográfico do patrimônio arquitetônico das regiões do Brasil. A coleção é patrocinada por cinco empresas luso-brasileiras: EDP; Cisa Trading; MDS Brasil, Banco Luso-Brasileiro e Grupo Tejofran, através da Lei de Incentivo à Cultura, Secretaria Especial de Cultura e do Ministério do Turismo.

A ideia genial surgiu através do livro “Relíquias – Patrimônio Arquitetônico do Nordeste do Brasil”, lançado em 2014, reeditado em 2019, e integra a coleção comemorativa. À riqueza patrimonial revelada pela edição do Nordeste abriu caminhos para que as cidades históricas do Sul e Sudeste também tivessem os registros eternizados. O segundo livro “Relíquias – Patrimônio Arquitetônico do Sudeste do Brasil” acaba de sair da gráfica e seu lançamento deve acontecer no mês de junho.

A obra revela 250 fotos selecionadas de um total de mais de 12 mil imagens feitas em quatro estados e 18 cidades visitadas pelo fotógrafo. Entre as cidades destacamos: Ouro Preto (MG), Tiradentes (MG), Diamantina (MG), Vitória (ES), Vila Veklha (ES), Anchieta (ES), São Paulo (SP), Santos (SP), São Luiz de Paraitinga (SP), Rio de Janeiro (RJ), Petrópolis (RJ) e Paraty (RJ).

Para o autor, que percorreu diversas cidades seculares, com seus sítios históricos e valor imensurável, a execução do projeto é tentadora. “Sempre fui um apaixonado por obras arquitetônicas e monumentos históricos, por sua beleza incontestável, por seu valor ambiental e por seu inegável testemunho de um passado construtor da história de povos e lugares”, revela Chiriboga, que percorreu mais de 5 mil quilômetros para fotografar o Sudeste do Brasil.

Uma particularidade revelada por Fernando Chiriboga é que a pandemia, apesar de ter obrigado o projeto atrasar um pouco o cronograma, serviu como facilitadora. Ele explica: “Viajamos para Minas Gerais ainda quando muita gente estava em lockdown e isso facilitou muito o registro das fotos em lugares que, normalmente, sempre estão cheios de turistas”, revela.

Em processo de elaboração, o livro “Relíquias – Patrimônio Arquitetônico do Sul do Brasil” também contará com 250 fotografias dos três estados sulistas, com imagens de 17 cidades da região. A edição encontra-se em fase de finalização.

“O trabalho apurado de compilação e registro fotográfico comprova a importância de preservação do acervo arquitetônico brasileiro para uma melhor compreensão dos valores, estilo de vida e organização da sociedade brasileira pelas novas gerações”, argumenta João Marques da Cruz, diretor-executivo da EDP no Brasil, uma das empresas patrocinadoras.

A Região Norte também terá sua edição e as fotos estão programadas para o início do segundo semestre, quando Fernando Chiriboga embarca para mais uma missão. Todo o projeto gráfico e diagramação é assinado por Leila Chiriboga, esposa do fotógrafo e responsável pelas legendas e coordenação de pesquisa.

Fernando Chiriboga

Nascido nos Andes equatoriano, Fernando Chiriboga reside em Natal/RN, desde o ano de 1985. Iniciou sua carreira como fotógrafo profissional em 1990, tendo como foco a fotografia de arquitetura e natureza. Em 2004 lançou o seu primeiro livro, retratando a Mata Atlântica potiguar. Desde então, já publicou dezesseis livros, sendo o “Relíquias – Patrimônio Arquitetônico do Sudeste do Brasil” a sua décima sétima obra. Atuando no campo da fotografia FineArt, possui quadros espalhados por várias partes do Brasil e do mundo.

SERVIÇO:
O que: Lançamento do livro Relíquias – Patrimônio arquitetônico do Sudeste do Brasil.
Quando: Dia 30 de junho – 18h15
Onde: Galeria Fernando Chiriboga – 3ª andar do Midway Mall

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: Brasil registra 277 óbitos e 75 mil casos nas últimas 24h

Foram divulgados os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta quarta-feira (29), de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass):

– O país registrou 277* óbitos nas últimas 24h, totalizando 671.125 mortes;

– Foram 75.925* novos casos de coronavírus registrados, no total 32.282.879;

*Sem dados de Roraima

A média móvel de óbitos nos últimos sete dias é de 228. A a média móvel de novos casos é de 56.021.

O ministério da Saúde calcula que mais de 30,7 milhões de pessoas já se recuperaram da Covid.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *