FGV muda o tom e diz que afirmou que Decotelli não era professor por ‘rigor técnico’

A FGV mudou o tom em relação à nota em que divulgou inicialmente sobre Carlos Alberto Decotelli não ter sido professor de qualquer das escolas da instituição. Esse posicionamento inicial da instituição foi considerado a gota d’água para que a nomeação de Decotelli para o Ministério da Educação não vingasse.

A FGV agora afirma em nota ao Painel que inicialmente colocou que Decotelli “não era professor de qualquer das escolas da fundação” por “simples rigor técnico”.

“A FGV vem esclarecer, uma vez mais, que o professor Decotelli ministrava aulas em seus cursos de educação continuada, coordenados pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE/FGV), que englobavam, além dele, outros quase 950 professores desde o início da pandemia em março do corrente ano, sendo 199 especialistas, 503 mestres e 247 doutores”, diz a nota.

“A afirmação de que não era professor das escolas FGV se trata de simples rigor técnico inerente às classificações terminológicas das Portarias da CAPES, uma vez que não lecionava em turmas de graduação e pós-graduação stricto sensu, o que não reduz, em absoluto, a importância de tais cursos de educação continuada”, conclui.

Decotelli disse ao Painel que rompeu todos seus vínculos com a FGV nesta quarta-feira (1)

Ele não quis comentar a nova nota da instituição. Em entrevistas, ele tem dito que o posicionamento da instituição foi “fake” e que condenou sua continuidade no MEC.

Em sua nota original, a FGV disse que “Decotelli atuou apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos e não como professor de qualquer das escolas da Fundação. Da mesma forma, não foi pesquisador da FGV, tampouco teve pesquisa financiada pela instituição.”

PAINEL FOLHA SP

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Arthur disse:

    Que papelão esse "doutor" fez. E eu achando que Teich e Regina Duarte tinham ficado pouco tempo no ministério, esse recorde do currículo fake ninguém bate.

  2. Marcos Benício disse:

    Agora é tarde, dona FGV!

  3. Luciana Morais Gama disse:

    O prof. Decotelli a esquerda derrubou pq é um negro que venceu na vida sem precisar de cotas, isso sim que é racismo.

    • Manoel disse:

      A moralidade da direita: adultere currículo, diplomas e certificados que está tdo bem.

    • Cigano Lulu disse:

      Decotelli cagou na entrada. Só isso. Ou quer mais?

  4. Antonio Turci disse:

    Triste o papel da FGV com relação ao Prof. Decotelli.

    • Manoel disse:

      Triste e vergonhoso o papel de Decotelli, metindo e adulterando o seu currículo.

COMENTE AQUI