Filmes brasileiros são competitivos, segundo estudo da Ancine

Um estudo inédito sobre gêneros cinematográficos abrangendo filmes lançados entre 2009 e 2017 em salas de exibição, divulgado hoje (12), no Rio de Janeiro, pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), mostra que os filmes brasileiros têm um retorno muito grande e são competitivos. O lançamento comemorou os dez anos do Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual (OCA).

A superintendente de Análise de Mercado da Ancine, Luana Rufino, explicou à Agência Brasil que não dá para verificar uma competição, por exemplo, entre um drama brasileiro com um filme de ação estrangeiro. É preciso ver como filmes de um mesmo gênero competem entre si, para verificar se o produto está sendo competitivo naquilo que o mercado nacional se propõe a lançar de produção brasileira.

Como era de se esperar, o gênero comédia tem o melhor indicador de performance, menor que o do filme estrangeiro. Luana explicou que quanto menor é esse indicador, melhor. “Ele mostra quantos lançamentos são necessários ser feitos para que tenha um lançamento de sucesso. Enquanto a gente tem 2,3 lançamentos necessários para serem feitos para ter um lançamento de sucesso, para estrangeiros o número é 5,1. Então, em comédia, os filmes brasileiros são bastante competitivos”.

Também em drama e ação os filmes nacionais são bastante competitivos. Em ação, o indicador brasileiro é melhor que o estrangeiro. “No que os filmes brasileiros se propõem a lançar, a cada 4,3 filmes de ação de produções brasileiras, eu consigo ter um competitivo, enquanto nos filmes estrangeiros o indicador é 4,4. Em drama, filmes nacionais e estrangeiros apresentam o mesmo indicador, o que mostra que o Brasil também tem um lançamento competitivo”. Devido à insuficiência de lançamentos, a Ancine não conseguiu fazer um indicador para animação e terror.

Agência Brasil