Diversos

Há no país 221 mil sub-Dirceus, presos provisórios esquecidos em calabouços

Sergio Moro costuma dizer que as críticas às prisões preventivas da Lava Jato revelam a existência no Brasil de uma “sociedade de castas”, marcada pela ausência de “igualdade republicana”. Ao colocar José Dirceu em liberdade, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal potencializou a avaliação do juiz da Lava Jato. Destrancou-se a cela sob o argumento de que a prisão de Dirceu representa um constrangimento ilegal. Alegou-se que, embora ele tenha sido condenado por Moro, as sentenças contra o marquês do PT ainda não foram confirmadas por um tribunal de segunda instância. Por esses critérios, o Judiciário precisa libertar outros 221 mil brasileiros. São sub-Dirceus, presos provisórios que, segundo o Conselho Nacional de Justiça, mofam na cadeia à espera de julgamento.

Apenas dois detalhes diferenciam Dirceu dos sub-Dirceus. O ex-chefe da Casa Civil de Lula já coleciona duas sentenças. Juntas, somam 32 anos e um mês de prisão. Dispõe da melhor defesa que o prestígio e o dinheiro podem bancar. Os outros 221 mil presos provisórios ainda não passaram pelo crivo de nenhum juiz. Permanecem atrás das grades sem sentença porque são pobres e não dispõem de advogados competentes para lembrar ao Judiciário que seus processos mofam nos escaninhos. Em janeiro, a ministra Cármen Lúcia, presidente da Suprema Corte, defendeu um “choque de jurisdição” para interromper o constrangimento ilegal a que estão sendo submetidos os presos da casta esquecida.

Dirceu ganhou a liberdade por um placar de 3 a 2. Um dos que votaram pela abertura da cela foi Dias Toffoli. Indicado para o Supremo por Lula, o ministro foi subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil na época em que a pasta era comandada por Dirceu. Entretando, guiando-se por autocritérios, Toffoli não se considera impedido de participar de julgamentos envolvendo o ex-chefe. Mandou soltá-lo por acreditar que são pequenas as chances de Dirceu voltar a praticar crimes. Realçou, de resto, que a prisão preventiva é ”uma antecipação da pena”.

Toffoli deu de ombros para o relator da Lava Jato, ministro Edson Fachin, que ecoara minutos antes palavras de Sergio Moro: “Entendo que a manutenção da prisão preventiva do paciente [Dirceu] encontra-se plenamente justificada pela lei e pela jurisprudência desta Corte, inclusive desta Segunda Turma. Rememoro que, para esta Segunda Turma, é justificada a prisão preventiva quando fundada na garantia da ordem pública, em face do risco concreto de reiteração delitiva…”

Chama-se Ricardo Lewandowski o ministro que proferiu o segundo voto a favor da soltura de Dirceu. Em agosto de 2007, quando a denúncia da Procuradoria sobre o escândalo do mensalão foi convertida pelo Supremo em ação penal, Lewandowski discordou do então relator Joaquim Barbosa quanto ao acolhimento da denúncia contra Dirceu e José Genoino por formação de quadrilha. Terminada a sessão, Lewandowski foi jantar com amigos num restaurante brasiliense chamado Expand Wine Store. Em dado momento, soou-lhe o celular. Era o irmão, Marcelo Lewandowski. O ministro levantou-se da mesa e foi para o jardim externo do restaurante.

A repórter Vera Magalhães, acomodada em mesa próxima, escutou Lewandowski declarar coisas assim: “A imprensa acuou o Supremo. […] Todo mundo votou com a faca no pescoço.” Ou assim: “A tendência era amaciar para o Dirceu”. O ministro deu a entender que, não fosse pela “faca no pescoço”, poderia ter divergido muito mais de Barbosa: “Não tenha dúvida. Eu estava tinindo nos cascos.”

Na Segunda Turma, Lewandowski tiniu a favor de Dirceu de forma aguda. Deu razão a Toffoli. Declarou que prisões como a de Dirceu, escoradas apenas em sentenças de primeira instância, são vedadas pela Constituição. “A prisão preventiva dilatada no tempo, por quase dois anos, afronta o princípio da razoabilidade e da proporcionalidade”, acrescentou. Suprema ironia: na legião de sub-Dirceus, há presos encarcerados a 974 dias —são mais de dois anos e meio em cana sem uma mísera sentença condenatória. Pior: na grossa maioria dos casos, não há vestígio de uma toga que esteja tinindo nos cascos para reverter o flagelo.

O terceiro voto a favor de Dirceu foi proferido por Gilmar Mendes. O ministro havia vaticinado em fevereiro: ”Temos um encontro marcado com essas alongadas prisões de Curitiba”. Reconheceu que as acusações que pesam contra Dirceu são graves. Mas concordou com Toffoli e Lewandowski, seu desafeto. “Não é o clamor público que recomenda a prisão processual. Ainda que em casos chocantes, a prisão preventiva precisa ser necessária, adequada e proporcional. Aqui, temos um condenado ainda em presunção de inocência”, enfatizou.

Gilmar queixou-se dos procuradores da força-tarefa da Lava Jato que, horas antes, anunciaram a apresentação de nova denúncia contra Dirceu. O ministro enxergou na iniciativa uma tentativa pueril de constranger o Supremo. “Se nós devêssemos ceder a esse tipo de pressão, quase que uma brincadeira juvenil —são jovens que não têm a experiência institucional nem vivência institucional. Por isso, fazem esse tipo de brincadeira— se nós cedêssemos a esse tipo de pressão, nós deixaríamos de ser Supremo. Curitiba passaria a ser o Supremo. Não se pode imaginar que se pode constranger o Supremo Tribunal Federal, porque esta Corte tem história mais do que centenária. Ela cresce nesses momentos. Creio que hoje este tribunal está dando lição ao Brasil.”

Crítico contumaz do Ministério Público, Gilmar encontrou na nova investida da Lava Jato contra Dirceu ótima matéria-prima. O próprio procurador Deltan Dellagnol, coordenador da força-tarefa de Curitiba, admitiu que a denúncia foi antecipada por conta do julgamento do pedido de habeas corpus de Dirceu. Até ministros que não integram a Segunda Turma do Supremo consideraram a iniciatica inoportuna. Mas Gilmar soou contorverso quando disse que a libertação de Dirceu agigantou o Supremo e ofereceu uma lição ao Brasil. Como a decisão não foi unânime, a plateia pode considerar que o decano Celso de Mello, único a votar a favor da tranca além do relator Fachin, oferece ensinamento mais adequado.

Onde Gilmar enxerga abuso, o decano vê um rigor necessário, compatível com a magnitude do crime. “Não fosse a ação rigorosa, mas necessária do Poder Judiciário, é provável que a corrupção e lavagem de dinheiro estivessem perdurando até o presente momento”, disse Celso de Mello. “O fato é que, quer sejam os crimes violentos ou não ou crimes com graves danos ao erário, a prisão cautelar justifica-se para interrompê-los e, o que é mais importante, para proteger a sociedade e outros indivíduos de sua reiteração.”

Escorando-se em informações de Sergio Moro, Celso de Mello recordou que Dirceu tripudiara do Supremo. “O mais perturbador em relação a José Dirceu de Oliveira e Silva consiste no fato de que recebeu propina inclusive enquanto estava sendo julgada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal a ação penal 470, o mensalão, havendo registro de recebimentos pelo menos até 13 de novembro de 2013. Nem o julgamento condenatório pela mais alta Corte do país representou fator inibitório da reiteração criminosa, embora em outro esquema ilícito. A necessidade da prisão cautelar decorre ainda do fato de José Dirceu de Oliveira e Silva ser recorrente em escândalos criminais”.

Ao discorrer sobre sua teoria das castas, Moro costuma dizer que os reparos às prisões preventivas da Lava Jato embutem “o lamentável entendimento de que há pessoas acima da lei.” A presença de 221 mil sub-Dirceus no sistema prisional reforça o fenômeno. No Paraná, onde está presa a turma do petrolão, 48,6% da população carcerária é composta de presos provisórios. Em Sergipe, os sem-sentença somam 82% dos presos. Em Alagoas, 81%. Um acinte.

Josias de Souza, UOL

 

Opinião dos leitores

  1. Vamos falar a VERDADE
    O José Dirceu não ganhou a liberdade como foi amplamente divulgado
    Ele COMPROU

  2. Manda soltsr os 221mil,aposto que são mais honestos do que os presos da Lava Jato.

    #INTERVENÇÃOMILITARJÁ
    #APOIOALAVAJATO
    #SERGIOMOROMEREPRESENTA
    #APOIOAPOLICIAMILITAR
    #APOIOAPOLICIAFEDERAL
    #APOIOAPOLICIACIVIL
    #APOIOFFAA
    #EXERCITOBRASILEIRO

  3. Solte esse povo urgente, pau que dá em chico da em Francisco. Essa merda virou cabaré. Ou entregue logo aos índios. Ou aos militares na mão desses cagão que vive pregando democracia não dá mais. Ta avacalhado, não tem saúde educação nem tão pouco segurança. Depois da passagem dos aloprados acabou!

  4. Prestem atenção, fiquem em alerta!
    Isso não é nada mais do que os dinossauros do STF se argumentando para não manter o chefe preso, quando chegar sua vez (que está próximo).
    Aguardem e veremos!

  5. Interessante é que quando foram soltos os outros (poucos, por sinal) não há nenhuma indignação nem rebeldia. Parece coisa de "minino" birrento…

    1. O STF deve mandar ver quais são filiados ao PT para mandar soltar imediatamente. Quem não for do PT vai ficar mofando na cadeia. Isso é a igualdade que o PT tanto prega. Quando Dirceu vai visitar Lula?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Aneel mantém bandeira verde no mês de julho

Foto: R7

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou nesta sexta-feira (24) que manterá a aplicação da bandeira verde para as tarifas de energia no mês de julho. Em vigor desde maio, a tarifa não tem custo adicional ao consumidor.

Foi a 1ª vez que a bandeira verde foi aplicada a todos os consumidores desde a crise hídrica, em 16 de abril de 2021. A expectativa do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) é que fique em vigência até o final de 2022.

A medida sinaliza condições favoráveis de geração de energia elétrica. Para os consumidores beneficiários da tarifa social, a bandeira verde está em vigor desde dezembro de 2021.

A Aneel reajustou as demais bandeiras tarifárias na terça-feira (21), que começariam a valer julho de 2022 a junho de 2023. O aumento foi de 59,5% para a bandeira amarela, 63,7% para a vermelha patamar 1 e 3,2% para a vermelha patamar 2.

Eis os valores aprovados:

  • verde: sem custo adicional;
  • amarela: R$ 2,99 a cada 100 KWh;
  • vermelha patamar 1: R$ 6,50 a cada 100 KWh;
  • vermelha patamar 2: R$ 9,79 a cada 100 KWh.

Poder 360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gastronomia

Papo de Fogão especial de São João recebe o cantor e repentista Placillio Diniz e a Influencer Gastronômica Jeane Nunes

Neste fim de semana teremos mais uma edição do Papo de Fogão Especial de São João, e dessa vez, teremos a presença do cantor e repentista Placillio Diniz. No fogão, Fernando Amaral traz a receita de um Mungunzá Salgado e na dica rápida, a Influencer Gastronômica de Campina Grande/PB, Jeane Nunes, prepara um Escondidinho de Jerimum com Carne Seca Low Carb. Vem que vai tá bom demais!

SÁBADO
Band Nordeste
MARANHÃO, 7h
CEARÁ, 8h
ALAGOAS, 10h

PARAÍBA – VOLTAMOS EM JULHO
TV CORREIO/RECORD – 13h30

DOMINGO⠀
RIO GRANDE DO NORTE – TV Tropical – 10h

Ou no nosso canal do YouTube http://youtube.com/c/PapodeFogao

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Governo federal manda TikTok remover conteúdos impróprios para menores; Rede social tem 72 horas para cumprir a ordem

Foto: AFP

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, determinou que o aplicativo TikTok suspenda a exibição de conteúdos impróprios para menores de 18 anos no Brasil.

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (24/6) e assinada pela diretora Laura Postal Tirelli, da Senacon. Conforme estabelecido no despacho, a rede social tem 72 horas para cumprir a ordem.

O prazo começa a contar a partir do momento em que a ByteDance, responsável pelo TikTok, for notificada oficialmente. Em caso de descumprimento, será aplicada multa diária no valor de R$ 1 mil.

Segundo a Senacon, os conteúdos exibidos na rede social englobam “por exemplo — mas não somente —, uso de drogas, sexualização, jogos de azar e violência”.

“[A restrição deve valer] Até que o sistema de segurança da plataforma, que impede o cadastro de menores de 13 anos de idade e limita o acesso a todo o conteúdo por menores de 16 anos, seja aperfeiçoado, de modo que a idade dos usuários seja verificada de maneira eficaz pela representada”, ressalta trecho do despacho.

Além da restrição, o governo solicitou que a plataforma envie um ofício com “informações atualizadas do procedimento” aos seguintes órgãos:

  • Ministério Público Federal de São Paulo (MPF-SP);  
  • Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; e  
  • Agência Nacional de Proteção de Dados.

O que diz o TikTok

Em nota (leia a íntegra abaixo), o TikTok disse que não foi notificado oficialmente. A rede social, no entanto, enfatizou que menores de 13 anos não são permitidos no aplicativo, e destacou que removerá conteúdos que estejam em desacordo com as diretrizes da plataforma.

Leia a íntegra da nota do TikTok

“A segurança da comunidade do TikTok é nossa maior prioridade e temos políticas, processos e tecnologias robustas para ajudar a proteger todos os usuários, principalmente os nossos membros mais jovens. Para garantir um ambiente seguro para todos, nossas diretrizes da comunidade deixam claro os conteúdos que não são permitidos em nossa plataforma, como por exemplo violência e conteúdos explícitos, que serão removidos assim que identificados. Fazemos parceria com especialistas e organizações de segurança para apoiar este trabalho, e dialogamos com líderes do setor para promover medidas de segurança dos jovens no TikTok, entre elas definir contas com menos de 16 anos como privadas, por padrão, e permitir que os pais vinculem suas contas às de seus filhos por meio da sincronização familiar.”

 Metrópoles

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Comitê aprova Caio Paes de Andrade para presidência da Petrobras

Foto: MICHEL JESUS/CÂMARA DOS DEPUTADOS – 26.4.2021

O Comitê de Elegibilidade da Petrobras aprovou, nesta sexta-feira (24), a indicação de Caio Mário Paes de Andrade para assumir a presidência da empresa por maioria. Agora, o Conselho de Administração precisa convocar uma assembleia-geral extraordinária para confirmar o novo presidente.

Andrade é formado em comunicação social pela Universidade Paulista, pós-graduado em administração e gestão pela Universidade Harvard e mestre em administração de empresas pela Universidade Duke. Ele foi escolhido no fim de maio para comandar a Petrobras no lugar de José Mauro Ferreira Coelho, que renunciou ao posto na segunda-feira (20).

O Comitê de Elegibilidade é formado por Francisco Petros e Luiz Henrique Caroli, membros do Conselho de Administração e do Comitê de Pessoas, e por Ana Silvia Matte e Tales Bronzato, membros externos do Comitê de Pessoas. Marcelo Mesquita, eleito pelos acionistas minoritários detentores de ações preferenciais, também participará do processo de análise da indicação.

Enquanto isso, Fernando Borges é o presidente interino da estatal. Ele é diretor-executivo de Exploração e Produção e foi nomeado pelo Conselho de Administração em decorrência da vacância na presidência da companhia.

Em caso de aprovação do nome de Andrade pelo Conselho de Administração, será o quarto presidente da Petrobras na gestão de Jair Bolsonaro. Antes dele, comandaram a estatal: José Mauro Ferreira Coelho, Joaquim Silva e Luna e Roberto Castello Branco.

R7

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pfizer envia à Anvisa pedido para liberar dose de reforço contra a Covid para jovens de 12 a 17 anos

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu, nesta sexta-feira (24), o pedido da Pfizer para incluir na bula da sua vacina a indicação da dose de reforço para adolescentes de 12 a 17 anos.

Em nota, a agência reguladora afirmou que vai avaliar os dados clínicos apresentados pela farmacêutica e explicou que as informações devem comprovar o benefício da dose adicional para a faixa etária.

Segundo a Anvisa, o prazo de análise para a solicitação é de 30 dias.

A Pfizer já havia solicitado, em 20 de junho, a inclusão da dose de reforço para crianças de 5 a 11 anos. Atualmente, o reforço da vacina já está liberado para maiores de 18 anos, mas a recomendação do Ministério da Saúde contempla a faixa etária acima dos 40 anos.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Idosa foi estuprada antes de morrer espancada no RN, aponta laudo do Itep

Foto: InterTV Cabugi

O Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep-RN) concluiu o laudo de conjunção carnal que comprovou que Adalgisa Fagundes Neves, de 61 anos, foi estuprada antes da morte. O corpo foi encontrado no último dia 23 de maio em Baraúna, mas a idosa só morreu em Mossoró, na Região Oeste do RN, no mesmo dia.

Segundo o delegado Luiz Fernando, responsável pelas investigações, o inquérito foi remetido à Justiça com o indiciamento por homicídio e estupro. O resultado foi divulgado na quinta-feira (23).

“Ela teve um traumatismo craniano pelas agressões. O resultado do laudo foi anexado ao inquérito remetido à Justiça”, afirma Luiz.

O suspeito de cometer o crime é Matheus Mangueira da Silva, de 23 anos, que segue foragido da justiça.

G1 RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

MPF pede que caso de Milton Ribeiro seja encaminhado ao STF para investigação de suposta interferência de Bolsonaro

Foto: Reprodução/ Flickr Ministério da Educação

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça para que o inquérito que apura denúncias de corrupção no Ministério da Educação sob o comando de Milton Ribeiro seja enviado para o Supremo Tribunal Federal (STF).

A medida seria necessária devido a uma possível interferência política na investigação. De acordo com o órgão, em conversas telefônicas de Ribeiro, há indícios de que houve vazamento de informações sobre a operação e possível interferência ilícita do presidente Jair Bolsonaro (PL). O pedido foi aceito pelo juiz Renato Borelli, da 15ª Vara de Justiça Federal de Brasília, e a relatora do caso no STF será a ministra Cármen Lúcia.

“Outrossim, nesta oportunidade, o MPF vem requerer que o auto circunstanciado nº 2/2022, bem como o arquivo de áudio do investigado Milton Ribeiro, que aponta indício de vazamento da operação policial e possível interferência ilícita por parte do residente da República Jair Messias Bolsonaro nas investigações, sejam desentranhados dos autos e remetidos, de maneira apartada e sigilosa, ao Supremo Tribunal Federal”, escreveu o Ministério Público na solicitação.

Ribeiro foi alvo da operação ‘Acesso Pago’ da Polícia Federal e foi detpreso na quarta, 22, embora tenha obtido um habeas corpus na quinta, 23. A operação foi parte de investigação de supostas irregularidades na liberação de recursos do Ministério da Educação, no período entre julho de 2020 e março de 2022, quando Ribeiro comandou a pasta.

Ele é investigado pela PF desde março por suposto esquema de favorecimento a pastores. Os religiosos Gilmar dos Santos e Arilton Moura são apontados como membros de um gabinete paralelo do MEC, sendo responsáveis por intermediar reuniões entre os prefeitos e o ministro Milton Ribeiro e facilitar os pedidos de mandatários de municípios em troca de propinas, que iam de ouro à compra de Bíblias. Os pastores também são alvo de investigação da Polícia Federal e estão entre os que foram presos preventivamente, mas liberados.

Jovem Pan

Opinião dos leitores

  1. Festival de fack News para desqualificar e jogar no lixo a imagem de Bolsonaro.
    Verão que é tudo mentira e esquema dos petralas kkkkkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: Brasil registra 334 óbitos e 60 mil casos nas últimas 24h

Foram divulgados os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta sexta-feira (24), de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass):

– O país registrou 334 óbitos nas últimas 24h, totalizando 670.229 mortes;

– Foram 60.384 novos casos de coronavírus registrados, no total 32.023.166;

A média móvel de óbitos nos últimos sete dias é de 188. A a média móvel de novos casos é de 49.970.

O ministério da Saúde calcula que mais de 30,5 milhões de pessoas já se recuperaram da Covid.

Opinião dos leitores

  1. O mequetrefe do Lula disse, ” Ainda bem que a natureza criou esse monstro do coronavírus “.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Emprego

Desemprego cai a 9,4% em abril, menor nível desde outubro de 2015, aponta Ipea

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Um estudo divulgado nesta sexta-feira (24), pelo Instituto de Pesquisa Econômica (Ipea), aponta que a taxa de desemprego recuou em abril e chegou a 9,4%. O dado foi calculado pelo órgão a partir dos números trimestrais da Pesquisa Nacional por Amostral de Domicílios Contínua (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, (IBGE). Esse é o menor nível registrado desde outubro de 2015.

A análise interanual aponta que a taxa de desocupação recuou 4,9% pontos percentuais em relação a 2021. A população ocupada em abril alcançou 97,8 milhões de trabalhadores, o índice mais alto desde o início da PNAD, em 2012. A força de trabalho cresceu 3,7% de janeiro e abril e atingiu 109,1 milhões de pessoas, maior contingente já apurado na pesquisa.

Atualmente, segundo o trabalho, são cerca de 11 milhões de pessoas desempregadas pelo país. A retomada do emprego é classificada como generalizada: ocorre em todas as regiões, segmentos etários, educacionais e atinge todos os setores da economia. No entanto, ela é mais acelerada nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, onde as taxas de desemprego são de 8,5% na primeira e de 11,1% na segunda.

Nacionalmente, os mais jovens foram os mais beneficiados pela redução: a taxa de desemprego neste grupo, que chegou a 30% no primeiro trimestre, caiu para 22,8%. No entanto, ainda é mais que o dobro do índice registrado na população brasileira em geral.

Foram analisados 13 setores econômicos no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período do ano passado, e seis deles apresentaram crescimento de ocupação superior a 10%. Os destaques foram os segmentos de alojamento e alimentação (32,5%), serviços pessoais (19,5%) e domésticos (19,4%).

O trabalho apontou ainda redução no desalento: classificação utilizada para incluir as pessoas que gostariam de trabalhar, mas desistiram de procurar emprego por acreditar que não seria possível encontrar um posto de trabalho. A proporção de desalentados recuou de 5,1% para 3,7% e representa um total de 4,2 milhões de pessoas. É o menor total desde setembro de 2017.

Cerca de 6,5% da população trabalha menos de 40 horas semanais e gostaria de trabalhar mais. Essa é a classificação de subocupados: eles são 6,4 milhões de pessoas. O dado atual reflete uma queda de 1,7 ponto percentual em relação ao mesmo período de 2021.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Seu louco, porque você não comenta o caso de corrupção, envolvendo o ex ministro Milton Ribeiro e Bolsonaro, o que foi, está comedo. Você de politica não entende nada, é só mais um bolsonarista sem cérebro

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Homem viaja 1.600 km para beijar mulher e fica plantado no aeroporto

Foto: reprodução

Um homem decidiu viajar da Espanha para o Reino Unido a fim de encontrar uma mulher com quem vinha mantendo contato de forma virtual. David Stevenson, de 32 anos, se deslocou por uma distância de 1.600 km e foi deixado “plantado” no aeroporto pela amada.

Não satisfeito com a situação, ele retornou para casa e, em menos de um mês, realizou nova viagem para ver uma outra mulher. Sem sucesso. Pela segunda vez, foi deixado a ver navios, de acordo com o jornal britânico The Mirror.

Conforme relato do homem, a primeira jovem teria ficado em “silêncio” quando ele informou sobre a viagem. Na próxima vez, a outra mulher apenas cancelou a estadia dele com ela.

A história de Stevenson viralizou no TikTok, deixando muita gente comovida com a situação. “Tudo estava ótimo e eu voei de volta para a Espanha. É difícil namorar morando na Espanha, então estou disposto a me esforçar. Estávamos conversando todos os dias e desta vez voei de volta para a Inglaterra com o plano para me encontrar com ela e não recebi nada de volta”, lamentou.

“No momento em que voltei para a Inglaterra, ela ficou em silêncio. Voltei para solo britânico e nada. É pura decepção. Você está gastando tantas horas de sua vida investindo nessa pessoa – de telefonemas, mensagens. Tudo”, declarou Stevenson sobre a primeira garota.

Sobre a segunda jovem, o homem relatou: “Ela me mandou uma mensagem dizendo que estava com Covid, foi um momento muito ruim e ela estava muito arrependida. Se você tem Covid, você me manda uma mensagem no dia anterior dizendo ‘David, eu sinto muito, mas estou doente’”.

Metrópoles

Opinião dos leitores

  1. Esse homem é um selecionador exigente que só quer namorar mulheres brancas loiras e ruivas de olhos azuis ou verdes da europa central e do leste, ele não gosta e não quer namorar mulheres comuns espanholas brancas de cabelos escuros e olhos escuros.

  2. O pau cantando em BSB e o blog fingindo que estamos na Europa..
    E os áudios do pastor?
    Pastolao do MEC?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *