Henrique Alves nega que projeto limitando criação de novos partidos seja represália

Deu no Panorama Político:

Ao ser questionado sobre a política nacional e a formação do novo partido MD, a partir da fusão do PPS e PMN, o presidente da Câmara dos Deputados, deputado Henrique Eduardo Alves, considerou natural. Ele chamou atenção que o projeto aprovado esta semana pela Câmara, dificultando a criação de novos partidos, não foi uma represália pelo movimento de criar a nova legenda a partir da fusão dos dois partidos.

“Esse projeto que impede o parlamentar de mudar de partido e levar o fundo partidário e o tempo de propaganda foi apresentado em setembro do ano passado e corroborado por 12 líderes partidários naquela época. O projeto queria evitar essa mercantilização dos partidos políticos. Naquela época já se falava em 3 ou 4 partidos de 15 deputados”, disse Henrique Eduardo. Ele afirmou que é preciso coibir a prática do partido de aluguel. “Eu não posso acreditar que um partido que queira se formar por 15 deputados ou 12 deputados seja um partido para se consolidar, sobretudo as vésperas de um ano eleitoral”, destacou.

Ele disse que a inspiração do projeto foi valorizar os novos partidos.

Tribuna do Norte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Expedito Junior disse:

    Dilma, Henrique e Cia. estão copiando em tudo os passos da ditadura. O grande golpe aqui não é só no MD, mas na REDE de Marina Silva, detentora de um capital de 20 milhões de votos na ultima eleição presidencial. Dilma morre de medo de quem realmente pode lhe tirar a reeleição. Fora ditadura. Democracia sempre.

COMENTE AQUI