Imagens mostram PMs deixando banco com R$ 300 mil que sumiram após assalto

Imagens de câmeras de segurança cedidas pela Polícia Civil mostram o momento em que os policiais militares Vanderlei Silva e Erasmo Furtado deixam o banco do Nordeste, alvo de assalto no dia 19 de dezembro, com duas caixas de dinheiro.

Veja o vídeo AQUI

Metade do valor que quase foi levado por assaltantes sumiu após a chegada da Polícia Militar e nunca foi recuperado. Os dois militares continuam presos por não terem preservado a cena do crime.

Segundo a Polícia Civil, o procedimento mais correto seria levar todo o valor apreendido imediatamente ao local onde a investigação aconteceria, a sede do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco). O percurso seria de 15 minutos, mas os militares chegaram ao local cerca de 1h30 depois da retirada do valor do banco.

“Tinham que ter agido com cautela, por ser uma grande quantia, poderia ser solicitado apoio do banco para recolher o dinheiro, contar e ficar no banco. Seria uma opção. O fato de ter sido levado ao Greco era o que a medida legal previa, porém eles assumiram o risco por esse deslocamento”, disse o delegado responsável pelo caso, Gustavo Jung.

Segundo ele, o Greco recebeu o dinheiro somente após a contagem por parte do banco. No total, R$ 608 mil foram levados do banco e seriam roubados pelo grupo criminoso, mas R$ 310 mil não retornaram. Agora, a PM está responsável por apurar a atuação dos PMs no caso e o comandante da PM-PI, coronel Carlos Augusto Gomes informou que pediu mais prazo para a conclusão do inquérito.

“Ainda há alguns fatos sendo investigados. Vamos nos pronunciar ao fim do inquérito com o que realmente aconteceu. De início entendemos por bem fazer a prisão administrativa e que foi ratificada pela prisão preventiva expedida pela Justiça”, declarou o coronel Carlos Augusto.

O assalto

A Polícia Civil, que ficou responsável pela investigação do assalto, informou que aguarda da justiça que seja expedido o mandado de prisão dos dois outros envolvidos no assalto. Eles aguardavam do lado de fora do banco pelo comparsa que entrou no local e fugiram com a chegada da PM.

No dia do assalto, um grupo de criminosos fez reféns a tesoureira do banco e sua família. Um dos homens seguiu com a mulher para o banco enquanto outros ficaram com a família e mais dois esperavam o colega fora do banco. Um funcionário percebeu uma movimentação suspeita da tesoureira, o gerente e um dos assaltantes, no cofre da agência, e acionou a PM, que chegou ao local, fez o isolamento e prendeu um dos suspeitos.

G1