Política

Janaina Paschoal diz não haver motivo para afastar Bolsonaro e quer Moro na disputa presidencial em 2022

Foto: Reprodução/YouTube

Uma das autoras do pedido de impeachment de Dilma Rousseff em 2015, ao lado dos juristas Miguel Reale Jr. e Hélio Bicudo, a advogada e professora de direito da USP Janaina Paschoal virou referência do antipetismo, uma das estrelas da onda conservadora e quase se tornou vice de Jair Bolsonaro em 2018. Acabou disputando uma vaga na Assembleia Legislativa de São Paulo e, com 2 060 786 votos, se tornou a deputada mais votada da história do país. Hoje, vive uma relação dúbia com o bolsonarismo: diz que o presidente acerta no geral, mas critica os seus destemperos, o comportamento inadequado na pandemia e o círculo de pessoas mais próximas a ele, de quem cobra uma postura mais incisiva para controlar os impulsos presidenciais em um momento de grave tensão política. Janaina também ataca a oposição e a CPI e diz que, por ora, não vê motivo para o impeachment, mas entende que isso pode mudar a depender da investigação sobre a compra da vacina Covaxin. Em entrevista por aplicativo de vídeo, ela anuncia a sua saída do PSL, conta que em 2022 tentará chegar a Brasília por meio do Senado e que torce por uma terceira via na eleição presidencial — hoje, seu candidato seria Sergio Moro.

Corremos algum risco de não ter eleições em 2022, como já ventilou o presidente? Nenhum. As instituições no Brasil são muito sólidas. É mais uma retórica do presidente do que uma ameaça real.

Em 2018, a senhora foi convidada para ser vice de Bolsonaro e recusou. Como o avalia hoje? No geral, ele acerta nos méritos, mas erra muito na forma como defende suas ideias. Eu considero muito ruim essa resistência em ser um exemplo, um líder que usa máscara, que não aglomera. Por outro lado, ele tomou medidas importantes, como adotar o auxílio emergencial com rapidez e defender o tratamento no início da doença, que eu apoio. Só que o tom é sempre acima e gera reações. Vivemos um clima de constante tensão. Eu busco interlocutores dele para falar sobre isso, mas eles conseguem ser mais radicais que o presidente. Então, fica difícil.

O país conta hoje mais de 550 000 mortos pela Covid-19. Isso não foi um erro grave do governo? Sempre se pode dizer que isso ou aquilo poderia ter sido feito diferente. Mas daí a atribuir o número de mortes ao presidente me parece má-fé, porque, proporcionalmente, morreu mais gente em São Paulo do que no Brasil. E João Doria foi o anti-Bolsonaro. Seria justo atribuir as mortes ao governador? Não seria, como também não é atribuir tudo ao presidente. Tanto que até surgir essa história do contrato com a Covaxin, a CPI era um acontecimento vazio, um palanque de políticos decadentes que tentam corroer o governo.

No caso Covaxin, o presidente reconheceu recentemente que foi alertado sobre supostas irregularidades na negociação. Esse episódio não complica muito a vida de Bolsonaro? Vai ter de apurar esse caso, mas eu não acho que o local adequado seja a CPI, que se perdeu. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-­MG), deveria pegar os documentos referentes a essa contratação e levar ao Ministério Público ou à Polícia Federal. Tem de ouvir esse deputado Luis Miranda (DEM-DF) de novo em um ambiente técnico, para ele falar tudo o que sabe. Não é razoável ele prestar depoimento e depois sair dando entrevista dizendo: “Olha, eu tenho mais”. Isso é chantagem.

“Vamos imaginar que o caso Covaxin chegue a Bolsonaro e se conclua que ele tenha deixado de agir em função de alguém muito próximo. Aí é outra história, teremos algo concreto”

A senhora defendeu a tese de que Bolsonaro afastasse todos os citados nessa possível negociata da Covaxin, inclusive o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). O presidente está reagindo mal ao episódio? Ele demora muito para tomar decisões. O certo seria afastar, não por reconhecer que o seu líder tem culpa, não é isso. Mas, na medida em que a situação está tão nebulosa, afasta, as coisas se esclarecem e, dependendo, ele volta.

Como a senhora avalia esse último pedido de impeachment, que aponta 23 crimes do presidente? Ele não tem condição de ser apurado, porque está muito mal redigido. São 270 páginas de junção de pedidos anteriores sem enquadrar os fatos na letra da lei. Há alguns requisitos para apresentar uma denúncia, não é apenas o desejo e ter uma lista de assinaturas. As pessoas confundem um pouco as coisas. Vamos imaginar que a investigação em torno da vacina chegue a Bolsonaro ou a um filho dele ou se conclua que o presidente tenha deixado de agir em função do envolvimento de alguém muito próximo. Aí é outra história. Até agora o que a oposição está falando é “o presidente é um genocida…”. Desculpe, isso não é crime de responsabilidade. A gente tem de aguardar a investigação da compra de vacinas e, se houver algo concreto, apresentar uma peça juridicamente apta.

Havia mais motivos para o impeachment de Dilma do que há para o de Bolsonaro? Sim, com certeza. Foram treze anos de desmandos, de bilhões saindo do BNDES para empresários escolhidos, de dinheiro remetido ao exterior para obras que não tinham impacto no âmbito nacional. As pedaladas foram um expediente fiscal para encobrir esses bilhões.

Em sua insistente campanha em defesa do voto impresso, o presidente chamou o ministro Luís Roberto Barroso do STF e do TSE de “idiota” e “imbecil” e disse que “a fraude está no TSE”. Não é esticar a corda demais? Todos estão esticando. É a nota do Exército (criticando a CPI), a entrevista do comandante da Aeronáutica, as agressões verbais do presidente, mas também há os excessos dos ministros do Supremo. Há muito eles não agem dentro dos limites constitucionais. À medida que Barroso entra na discussão, que está no Congresso, como um agente político, é natural que entre em um embate também. Os ministros têm de decidir se são membros do Judiciário, que aguardam a causa chegar para avaliá-la tecnicamente, ou se são agentes políticos — nesse caso, ao serem confrontados, têm de aguentar o tranco. É hora de recuar, não só para Bolsonaro, mas para os ministros também. Está faltando aquela voz de cautela, chamar as pessoas à razão.

Outro foco de crise tem sido os militares. O que acha deles no governo? O presidente poderia rever, buscar quadros não militares para ocupar espaços. Tem muita gente assustada com isso, acreditando que é algo planejado, com finalidade. Então, ele deveria rever, até para dar um viés mais plural ao governo. Não tenho preconceito contra militares, mas isso está gerando uma tensão que não é positiva.

Hoje, o principal adversário de Bolsonaro em 2022 é o ex-presidente Lula. O que a senhora, que foi algoz do PT, acha da volta dele ao jogo eleitoral? Sou do mundo do direito. Concordando ou não, houve uma decisão. Ele recuperou os direitos, é natural que queira concorrer. Mas se a disputa em 2022 for entre Lula e Bolsonaro, votarei de novo em Bolsonaro.

A senhora descarta uma terceira via? O país precisa de um pouco mais de tranquilidade. Esse estilo do presidente, de governar no conflito, não é saudável, é preciso alguém com mais consciência dos papéis constitucionais. Os próprios apoiadores cobram dele essa postura de constante guerrilha, é algo parecido com o PT. Gostaria de votar num candidato com mais consistência. Se o ex-juiz Sergio Moro se candidatasse, eu o apoiaria, mesmo correndo o risco de tirar voto de Bolsonaro. Queria que conseguíssemos criar uma dupla, a Presidência da República tem de ser exercida numa chapa, com um vice que não seja decorativo. Uma conversa que tive com o presidente lá atrás, e que foi muito mal recebida pelo entorno dele, foi nesse sentido: eu queria estabelecer funções para cada um, e acharam que eu queria invadir a competência dele. O vice é um posto muito estratégico, então eu quero ver se surge uma chapa menos personalista e mais preocupada com as instituições. Como sou otimista, creio que há tempo para não termos de nos conformar com Lula ou Bolsonaro.

Por falar na importância do vice, como avalia o papel de Hamilton Mourão? Embora um seja general e o outro, capitão, quem manda é o presidente. Mourão adota uma postura de acatar a hierarquia. Eu não seria como ele. Sou do tipo que invade a sala, e a pessoa tem de me ouvir. É para o bem, não é no intuito de confrontar, tem hora que você precisa fazer isso.

Uma alternativa colocada à mesa nas últimas semanas para evitar novas crises de governo foi a da adoção do semipresidencialismo. O que acha da ideia? Não há sentido nesse tipo de discussão. Vejo o semipresidencialismo como abrandamento ao parlamentarismo. Eu sigo sendo presidencialista. A Constituição tem instrumentos contra um governante que pratica crime de responsabilidade, como o impeachment. Fragilizar a República presidencialista pode trazer ainda mais instabilidade.

“Gostaria de votar para a Presidência num candidato com mais consistência. Eu apoiaria o ex-juiz Sergio Moro se ele se candidatasse, mesmo correndo o risco de tirar votos do Bolsonaro”

Nas últimas semanas, tem tido algum contato com o presidente? Depois da eleição, poucas vezes, em uma ou outra solenidade. Mas um contato de telefone, para trocar ideias, nenhum. Porque o entorno dele acredita que você tem de concordar com tudo, de aplaudir tudo. Então, é muito difícil, porque eu não sou isso. Eu ligaria para o presidente para dizer: “Chega!”. Se estou perto, arranco o telefone dele para que não acesse o Twitter. Tem hora que é preciso fazer uma intervenção, a pessoa tem de ser protegida de si própria.

Depois de descartar a possibilidade de ser vice de Bolsonaro, a senhora foi eleita deputada com uma votação espetacular, mas teve só um projeto aprovado até agora no Legislativo. Está frustrada com a vida parlamentar? A morosidade na Assembleia é muito grande, sou uma pessoa muito agitada e isso me incomoda. A competência estadual é muito restritiva. Se estivesse no âmbito federal…

Será mesmo candidata ao Senado por São Paulo em 2022? Tentarei, sim, o Senado, que é o cargo que mais se afina com o meu perfil. Não tenho vontade de ser deputada federal. Aquilo lá é uma balbúrdia, mais de 500 pessoas. Gosto de fazer um trabalho artesanal. Quando tenho um projeto, bato na porta de cada colega. Na Câmara eu não me sentia bem nem durante o impeachment, era um lugar horrível.

A senhora fica no PSL? Já avisei que não vou ficar. Tive uma reunião com o PRTB, mas não tenho pressa. Sou defensora das candidaturas avulsas, espero que o ministro Barroso dê uma liminar permitindo isso. Acho que o PSL está muito perdido, não sabe o que quer e o que não quer. Fico preocupada de estar amarrada a uma sigla tão indefinida.

Veja

 

 

Opinião dos leitores

  1. Ta pouca a destruição que Bolsonaro está fazendo com o Brasil. Na visão dela precisa de mais…

    1. Vá se tratar, tem psquiatra pelo sus, tá assim pq perdeu uma boquinha?

  2. Não vou nem falar da prevaricação no caso da Covaxin. Mentira deliberada, como Bozo faz diariamente, já é motivo mais que suficiente para afastar esse demente.

    1. Sabe o que é prevaricação? Um dos crimes que o governo instalado de 2003 a 2018 cometeu no Brasil.
      Exatamente por ter responsabilidade e respeito as leis, o governo federal não prevaricou.
      Não comprou vacina sem aprovação da anvisa como queria a esquerda.
      Não comprou vacina acima do preço praticado pelo mercado internacional como queria a esquerda.
      Não aceitou fazer o jogo dos corruptos, com a desculpa da pandemia, como eles tentaram impor as ações ao governo. Nas se quiser ver e saber o que é prevaricação, é só acompanhar o consórcio nordeste

    2. O governo não concretizou a compra das vacinas porque foi pego com a boca na botija, mas o dinheiro foi empenhado. Foi impedido de terminar o crime iniciado. Esse é o governo da mentira.

  3. O Juiz Moro será nossa salvação. Nós, brasileiros, temos que nos unirmos em prol da sua eleição. Pensar de outra maneira é levar o país ao caos; sem rumo. Precisamos de uma liderança não tisnada ainda pela germe da corrupção.

    1. Moro foi uma das enormes decepções que tive. Se mostrou um menino a serviço do PSDB. Ele condenou políticos de todos os partidos e protegeu Aécio de forma inquestionável. Não teve 01 político do PSDB que ele tenha sentenciado e ali existem muitos com conduta questionável, fato!

    2. Não fala merda Tarcísio, a lava jato condenou o ex governador de MG Eduardo Azeredo, que praticava o mensalão mineiro.

  4. Afastar???
    Porquê!
    Kkkkkkk
    Eleições limpas Já!
    Mito no primeiro turno.
    Ponto final.
    Tá com medo de quê??
    O ladrão de nove dedos tá com 60%.
    Porque o medo?
    Kkkkkkkkkkkkkk
    Aí tem viu???

    1. Essa é outra igual a Joice Hasselmann. Depois dessa Live de ontem tão tudo doido pq muita gente concorda com o presidente, na questão do voto impresso auditavel.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

PENSE NUMA ‘ORATÓRIA’: Greta Thunberg critica líderes mundiais em evento sobre clima: “Não existe planeta B, não existe planeta blá blá blá, economia verde blá blá, neutralidade do carbono até 2050, blá blá”

Foto: Flavio Lo Scalzo / REUTERS

A ativista sueca Greta Thunberg criticou líderes mundiais durante o evento “Youth4Climate” realizado nesta terça-feira pela Organização das Nações Unidas (ONU) em Milão, um mês antes da conferência climática COP26. Greta afirmou que os representantes apenas apresentam “promessas vazias” em prol do clima, enquanto fazem um “trabalho insuficiente”.

— Não existe planeta B, não existe planeta blá blá blá, economia verde blá blá, neutralidade do carbono até 2050, blá blá. Isso é tudo o que ouvimos de nossos chamados líderes: palavras. Palavras que parecem boas, mas não levaram a nenhuma ação. Nossas esperanças e sonhos são afogados em suas palavras e promessas vazias — disse.

A jovem lamentou a falta de ações concretas de dirigentes e chegou a afirmar que eles agem dessa forma “propositalmente” porque afirmam implementar medidas contra as mudanças climáticas, enquanto continuam a explorar recursos, mas “não o fazem aumentar os fundos para os países vulneráveis “.

As Nações Unidas, o governo da Itália e a presidência da COP26 convidaram 400 jovens de quase 200 países, entre 15 e 29 anos, para passar três dias em Milão e redigir uma declaração conjunta que será apresentada aos respectivos ministros numa reunião durante o próximo fim de semana.

— Convidam jovens para reuniões como esta e fingem nos ouvir, mas não fazem. Nunca nos ouvem. Mas é possível mudar as coisas — ressaltou.

A ativista terminou o discurso perguntando várias vezes para a plateia: “O que queremos e quando queremos?”, e o público respondeu: “Ação climática agora”.

COP26

Adiada por conta da pandemia de Covid-19, a COP 26 será realizada presencialmente na Escócia entre os dias 31 de outubro e 12 de novembro. Em maio, o presidente da conferência, Alok Sharma, informou que a cúpula era a “última esperança” de limitar o aumento da temperatura média global a abaixo de 1,5°C em relação à era pré-industrial, limiar a partir do qual os cientistas acreditam que a mudança climática seja incontrolável.

Segundo a ONU, as emissões de gases causadores do efeito estufa teriam de ser reduzidas em quase 8% a cada ano para se manter dentro do aumento global de 1,5°C exigido pelo Acordo de Paris. Isso seria o equivalente a economizar anualmente, até 2030, a mesma quantidade de emissões feita durante a pandemia.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

SINE oferta 34 vagas de emprego nesta terça-feira em Natal, região metropolitana e Mossoró

Para concorrer às vagas, o(a) candidato(a) deve acessar o seu cadastro via Internet no Portal Emprega Brasil do Ministério do Trabalho e Emprego, através do endereço empregabrasil.mte.gov.br ou nos aplicativos Sine Fácil e Carteira de Trabalho Digital, disponíveis para Android e IOS e presencial no SINE Matriz Candelária/RN em Natal.

Para outras informações ligue: (84) 3190-0783 e 3190-0788. O atendimento é de segunda a sexta, das 8:00h às 13:00h.

NATAL e REGIÃO METROPOLITANA – VAGAS PERMANENTES

ASSISTENTE DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTE 1

ASSISTENTE DE VENDAS 1

CABELEIREIRO UNISSEX 2

CONTROLADOR DE PRAGAS 1

MASSAGISTA 6

MECÂNICO DE AUTO EM GERAL 1

MECÂNICO DE AUTOMÓVEL 3

MECÂNICO DE AUTOMÓVEL 1

MECÂNICO DE REFRIGERAÇÃO 2

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA 1

VENDEDOR PRACISTA 1

NATAL e REGIÃO METROPOLITANA – PCD – Pessoas com Deficiências

AJUDANTE DE MOTORISTA 2

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO 1

AUXILIAR ADMINISTRATIVO 1

AUXILIAR DE ENGENHEIRO DA CONSTRUÇÃO CIVIL 1

AUXILIAR DE LIMPEZA 2

PEDREIRO 1

RECEPCIONISTA ATENDENTE 1

SERVENTE DE OBRAS 4

MOSSORÓ E REGIÃO

PADEIRO 1

Total: 34

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Vinte e sete funcionários foram resgatados de mina da Vale no Canadá; operação continua

Foto: Divulgação/Vale

Vinte e sete dos 39 funcionários presos na mina da Vale em Sudbury, em Ontário, no Canadá, já foram resgatados na manhã desta terça-feira, informou a imprensa local. Mais cedo, a empresa havia divulgado uma nota informando o resgate de 19 trabalhadores. O restante do grupo, que está preso no subsolo desde domingo, quando um dano no elevador impediu seu retorno, está a caminho e deve chegar à superfície ainda nesta manhã.

“Agradecemos aos empregados afetados por sua paciência e perseverança e às equipes de resgate por sua dedicação e apoio incansáveis. Este tem sido um esforço de equipe incrível”, disse em comunicado nesta manhã Gord Gilpin, Chefe de Operações de Mineração da Vale em Ontário.

Segundo o presidente do sindicado de mineradores, Nick Larochelle, a equipe começou o trabalho no local às 7h do dia 26 e o incidente no poço ocorreu às 11h30. Na noite de segunda-feira, Larochelle confirmou que os funcionários começaram a chegar à superfície entre 19h e 20h, saindo por meio de uma escada secundária de saída.

Por volta das 21h, ele informou que alguns dos mineiros já estavam na metade do caminho para a saída e acrescentou que outra parcela do grupo iria demorar mais para deixar a mina porque precisa do auxílio da equipe de resgate.

Shawn Rideout, chefe da operação de resgate, informou em entrevista que os mineiros estavam trabalhando entre 914 e 1.220 metros de profundidade. O grupo que precisa ser resgatado com a ajuda de equipamentos precisa escalar até uma profundidade de 944 metros para ser içado em seguida.

— Nós vamos puxá-los usando cordas. Essa é uma situação para a qual treinamos o tempo todo. É a maneira mais segura possível de garantir que todos os 39 sejam resgatados — ressaltou em entrevista à CTV, acrescentando que remédios e alimentos foram enviados aos mineiros.

O governador de Ontário, Doug Ford Jr. se solidarizou com os funcionários em comunicado publicado na noite de segunda-feira.

“Nosso apoio aos 39 mineiros presos no subsolo em Sudbury, enquanto as equipes de resgate trabalham para trazê-los com segurança para a superfície. Entendemos que esse resgate levará algum tempo e estamos muito aliviados em saber que os mineiros não estão feridos”, escreveu no Twitter.

Situada na região de Worthington, a 40 quilômetros a oeste do complexo Copper Cliff da Vale, a mina Totten foi inaugurada em 2014 e emprega cerca de 200 pessoas que atuam na produção de cobre, níquel e outros metais preciosos.

Confira a nota da Vale na íntegra

A Vale informa que o retorno dos empregados à superfície na mina Totten em Sudbury, Ontário, Canadá continua nesta manhã após a subida bem sucedida de muitos deles durante a noite. Dezenove pessoas já voltaram à superfície no início desta manhã e o restante está a caminho.

No domingo, 39 empregados não puderam sair da mina devido a danos no eixo que abriga o meio de transporte (espécie de elevador) entre a superfície e o subsolo. Enquanto as condições no eixo eram avaliadas, os empregados se dirigiam a estações de refúgio subterrâneas como parte dos procedimentos padrão da empresa.

No domingo à noite, eles começaram a chegar à superfície por meio de um sistema de escada de saída secundária.

“Agradecemos aos empregados afetados por sua paciência e perseverança e às equipes de resgate de minas por sua dedicação e apoio incansáveis”, disse Gord Gilpin, Chefe de Operações de Mineração das Operações da Vale em Ontário. “Este tem sido um esforço de equipe incrível.”

Os demais empregados devem chegar à superfície ainda nesta manhã. Os que já voltaram à superfície estão saudáveis e estão ansiosos para voltar para casa. A saída dos empregados está sendo apoiada pela equipe de resgate de minas da Vale e pela Ontario Mine Rescue.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Câmara de Parnamirim promove “Vereador Idoso por um dia”

Sessão Solene ocorre no Dia Municipal do Idoso, na próxima sexta-feira, 1º de outubro. Foto: Divulgação

No dia 1º de outubro, é celebrado o Dia Municipal do Idoso e, em comemoração à data, a Câmara Municipal de Parnamirim, realiza uma manhã de atividades para as pessoas idosas do município.

A programação começa às 8h, com vários serviços de Saúde, como telemedicina, nutricionista, eletrocardiograma, além da emissão da carteira de transporte do idoso e carteira de estacionamento. Às 10h, começa a Sessão Solene, na qual os idosos vão assumir as cadeiras do Plenário Dr. Mário Medeiros, sendo “Vereador por um dia”.

O evento está sendo promovido pela Frente Parlamentar em Defesa do Idoso, composta pelos vereadores Thiago Fernandes, Irani Guedes e Marquinhos da Climep, em parceria com o Conselho Municipal do Idoso. Para o vereador Thiago Fernandes, coordenador da Frente Parlamentar, disse que a data traz muita relevância para a cidade, na busca de promover e orientar a população sobre o envelhecimento saudável.

Dia Municipal do Idoso

A Lei Ordinária nº 2.163, de 17 de setembro de 2021, foi sancionada sem veto pelo Poder Executivo, e institui a criação do Dia Municipal da Pessoa Idosa, a ser celebrado anualmente no dia 1º de outubro. O projeto de lei que originou a referida lei foi uma proposição do vereador Thiago Fernandes. O projeto inclui a data no calendário oficial do município e tem como propósito sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento, trazendo como objetivo promover a proteção e os cuidados da pessoa idosa do município.

Serviço

Dia Municipal do Idoso (01/10)

Local: Câmara Municipal de Parnamirim

Horário: 8h às 12h

10h Sessão Solene

Atendimentos: telemedicina, eletrocardiograma, nutricionista

Prestação de serviços: Emissão de cartão de transporte do idoso, cartão de estacionamento

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Trabalhadores do DETRAN consideram proposta do Governo insuficiente, decidem continuar em greve e agendam caravana para Mossoró

Os trabalhadores do DETRAN-RN consideraram insuficiente a proposta apresentada pelo Governo e por isso decidiram continuar em greve. A deliberação foi tirada em Assembleia virtual na última sexta-feira (24/09). Na ocasião, foi avaliado o resultado da audiência entre o SINAI-RN e a direção da Autarquia ocorrida em 22 de setembro.

Após muita discussão, a Assembleia aprovou uma contraposta que prevê o pagamento dos valores da tabela do PCCR em duas parcelas, sendo a primeira em janeiro de 2022 – quando os efeitos financeiros do PCCR serão incorporados – e a segunda em dezembro do mesmo ano. A ideia será encaminhada pelo Sindicato ao Executivo.

Sobre a realização do Concurso Público, a categoria aguarda o recebimento das datas referentes ao cronograma apresentado pela direção da Autarquia.

A categoria ainda decidiu realizar uma caravana ao município de Mossoró nesta terça, 28 de setembro, tendo em vista que a cidade será sede temporária do Governo estadual entre os dias 28 e 30/09.

Proposta rejeitada

A proposta apresentada pela direção do DETRAN-RN ao SINAI e discutida durante Assembleia aponta que as perdas salariais acumuladas pela categoria – perdas avaliadas pelo Governo em 15% – serão repostas a partir da atualização do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), sem considerar a inflação do ano em curso. Todavia, os trabalhadores reivindicam a reposição das perdas acumuladas de 2016 para cá e, conforme levantamento do Sindicato, essas perdas chegam a 26%.

Opinião dos leitores

  1. Esse é o Governo do Estado da Sra Fátima Bezerra, engana os servidores Estaduais e afaga os sindicalistas e os meios de comunicação.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

IFRN segue com inscrições abertas em processo seletivo para 3192 vagas em Cursos Técnicos Integrados ao Ensino Médio

Foto: Reprodução

O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (Proen/IFRN) segue com inscrições abertas para o processo seletivo para Cursos Técnicos de Nível Médio na modalidade Integrada. Ao todo, são ofertadas 3192 vagas, distribuídas pelos 20 campi do Instituto, com ingresso no primeiro semestre letivo de 2022. A execução das etapas do processo seletivo ficará sob a responsabilidade da Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (Funcern).

Processo seletivo

O processo seletivo é aberto a portadores de certificado de conclusão do Ensino Fundamental ou curso equivalente e abrangerá conhecimentos de Língua Portuguesa, Matemática e produção textual.

A seleção será realizada através da aplicação de provas presenciais. O Edital, porém, explica que, em caso de inviabilidade da aplicação das provas presenciais, dadas as condições sanitárias causadas pela pandemia da Covid-19, a seleção poderá ocorrer através da análise do histórico escolar do Ensino Fundamental dos candidatos.

Inscrições

As inscrições devem ser realizadas exclusivamente de forma on-line, na Área do Candidato, por meio do endereço eletrônico https://inscricoes.funcern.org, no período das 14h do dia 15 de setembro até o dia 21 de outubro. No formulário de inscrição, os interessados deverão informar o número do documento de identificação oficial com foto e do Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Serão considerados documentos de identificação: Carteira de Identidade, Carteira Profissional, Passaporte ou Carteira de Habilitação na forma da Lei nº 9.503/97. O documento destaca que os candidatos com Carteira de Identidade Infantil serão submetidos à identificação especial, na qual será realizada identificação por escrita.

Os candidatos deverão efetuar o pagamento da taxa de inscrição, no valor de R$ 30, até o dia 22 de outubro de 2021. Para gerar o Boleto de Pagamento, será necessário acessar a Área do Candidato e selecionar a opção “Boleto”, que irá gerar o boleto bancário em formato PDF.

O período para requerimento da isenção da taxa vai de 15 de setembro a 3 de outubro deste ano. Para realizá-lo, o candidato deve acessar a Área do Candidato e preencher o formulário de Requerimento de Isenção, informando o número do NIS no cadastro no CadÚnico (com 11 dígitos). O resultado preliminar do requerimento será divulgado no dia 7 de outubro. Já o resultado final será anunciado no dia 14 do mesmo mês.

Os estudantes com inscrição homologada no ProITEC 2021 são isentos da taxa de inscrição, mas devem se inscrever como os demais.

Resultados

O resultado das provas de múltipla escola (Língua Portuguesa e Matemática) será divulgado no sítio do IFRN e no da Funcern, no dia 27 de dezembro de 2021. No dia seguinte, 28 de dezembro, serão divulgados os candidatos que terão sua produção textual corrigida. O resultado final do processo seletivo será anunciado no dia 24 de janeiro de 2022.

Acesse

Edital nº 41/2021

Área do Candidato

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Prefeitura recebe R$ 17,7 milhões do Governo Federal para a obra de engorda da faixa de areia em Ponta Negra

Foto: Dênio Simões/MDR

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), empenhou mais R$ 17,7 milhões para ações de engorda e enrocamento na praia de Ponta Negra, um dos cartões-postais de Natal, no Rio Grande do Norte. O anúncio foi feito pelo ministro Rogério Marinho durante a apresentação do projeto para as intervenções, nessa segunda-feira (27). As ações vão fomentar o turismo na capital potiguar e dar mais segurança à encosta da faixa litorânea.

Os investimentos da União no empreendimento poderão alcançar até R$ 78 milhões. Desse total, R$ 75,1 milhões já foram empenhados pelo MDR, sendo que R$ 57,5 milhões foram garantidos desde 2020.

Após a assinatura do termo de empenho dos recursos, o ministro Rogério Marinho enfatizou o potencial impacto que as obras em Ponta Negra poderão levar para o estado.

“A maior e mais importante indústria que o Rio Grande do Norte tem é o turismo. E ela precisa ser respeitada, apoiada e fortalecida. Estamos falando de uma customização que vai mudar a face daquela praia e que vai permitir que quem mora em Natal se sinta à vontade para voltar a frequentar a praia de Ponta Negra”, destacou o ministro. “E que quem vem nos visitar se sinta confortável não só na sua estadia, mas se sinta confortável em trazer outros visitantes, que geram o que nós queremos, que é circulação de riqueza, geração de empregos e o desenvolvimento econômico como um todo”, ressaltou.

Os recursos serão destinados à construção de muro de contenção de erosões, rampas de acessibilidade e escadas, além da ampliação da faixa de areia ao longo de quatro quilômetros. As obras serão efetuadas pela Prefeitura de Natal. A previsão é que a licitação seja aberta em 16 de novembro, de acordo com o Executivo local.

A chamada engorda da praia de Ponta Negra consiste na ampliação da faixa de areia. Pelo projeto, ela terá 100 metros na maré baixa e de 30 metros a 50 metros quando a maré se elevar.

“Estamos vivendo um momento histórico para a nossa cidade, porque nenhuma obra era tão ansiada e aguardada como a da engorda da praia de Ponta Negra. A principal atividade econômica da cidade é o turismo e 80% dos empreendimentos turísticos estão naquela região. É um impacto enorme para Natal. Estamos fazendo a cidade avançar”, afirmou o prefeito de Natal, Álvaro Dias.

A orla da praia de Ponta Negra já recebeu investimentos para a execução de parte das obras na região. Uma delas foi o enrocamento ao longo de dois quilômetros da encosta da orla. Agora, mais 1.173 metros da encosta receberão o mesmo tipo de intervenção. A nova metodologia aprovada pelo MDR consiste na colocação de conjuntos de blocos de pedras ou outro material para proteger o talude contra a erosão das ondas. A obra também será composta por sete escadas, quatro rampas de acesso e 23 dissipadores de energia.

“Esta obra vai mudar a cara do turismo de Natal e do Rio do Grande do Norte. É um momento muito importante para todos os trabalhadores da indústria do turismo da cidade”, reforçou o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Rio Grande do Norte, Abdon Gosson.

 

Opinião dos leitores

  1. Em Fortaleza a prefeitura fez isso e o mar já cobrou o preço, destruindo boa parte da faixa que foi construída. Que a situação sirva de lição e o projeto possa ser desenvolvido de forma sustentável no convívio entre o mar e a construção da expansão da orla.

  2. Eu só acredito quando tiver correndo em cima dessa “gordura”…Se sair, será fantástico para a cidade!

    1. Vai sair com certeza.
      Em Balneário Camboriú está sendo feito agora.
      Vc pode vê no YouTube ao vivo.
      Lá era também uma obra que se arrastava a anos.
      Boa parte ja está pronto, em breve 100%.
      É uma obra rápida.
      Muito rápida.
      Pelo menos lá é ligeiro, não sei aqui.
      Mas acredito que vai ser rápido como lá.
      Tá ficando espetacular.
      Vale a pena da uma conferida.

  3. Graças ao Presidente Bolsonaro, essa grande obra vai sair do papel.
    MITO É O CARA.
    MITO ATE 2026.

  4. Nessa velocidade que estamos vendo nessa obra, daqui para o fim do mundo essa engorda acaba… Ponta Negra que é o cartão postal de nossa cidade e de nosso Estado, virou uma vergonha para todo cidadão de bem. Um absurdo que os gestores municipais e estaduais recentes deixaram acontecer isso com aquele ponto turístico!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

FOTO: PF faz a maior apreensão na fronteira de produto usado no refino de cocaína com capacidade para 10 toneladas de cloridrato da droga para o consumo

Foto: Polícia Federal/Reprodução

A Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal, realizou, nesta segunda-feira (27), a maior apreensão em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, de acetato de etila, cerca de 130 mil kg do solvente usado no refino de cocaína.

De acordo com a PF, que divulgou a apreensão nesta terça-feira (28), a carga estava em tambores de 200 litros, que seriam levados em cinco caminhões para a Bolívia. Os veículos foram apreendidos e um brasileiro preso.

A carga está avaliada em mais de R$ 1 milhão, e nas mãos dos traficantes custaria pelo menos o triplo do preço.

Com os insumos apreendidos seria possível produzir 10 toneladas de cloridrato de cocaína prontos para o consumo.

Segundo a PF, essa apreensão reforça o trabalho que as instituições vêm realizando nas fronteiras do Brasil com países produtores de cocaína, dificultando a produção do entorpecente, que possivelmente circularia em território nacional.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro indicará outro evangélico ao STF, caso o Senado rejeite André Mendonça: “Eu acho que o André vai dar certo”

Foto: ADRIANO MACHADO / REUTERS

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta noite, em entrevista ao canal da Jovem Pan no YouTube, que indicará um novo evangélico para o Supremo Tribunal Federal (STF), caso o Senado rejeito o nome de André Mendonça para a Corte. Ex-advogado-geral da União, Mendonça foi escolhido em julho pelo presidente para ocupar uma vaga no Supremo. No entanto, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), ainda não pautou a sabatina pelo qual o indicado deverá ser submetido.

“Se sair o André, no meu compromisso que fiz junto aos evangélicos, será outro evangélico. Eu acho que o André vai dar certo”, afirmou Bolsonaro.

A afirmação deixa de fora do possível “plano B” de Bolsonaro para o STF o procurador-geral da República, Augusto Aras, que é católico.

Durante a entrevista, Bolsonaro evitou comentar sobre a resistência de Alcolumbre em agendar a sabatina de Mendonça.

“Não quero entrar em boatos. Todo mundo quer poder”, afirmou o presidente.

Existe a expectativa de o presidente da Comissão e Constituição e Justiça, Davi Alcolumbre, marcar a sabatina para a primeira quinzena de outubro. Recentemente, os senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) acionaram o Supremo Tribunal Federal (STF) para que Alcolumbre paute a sabatina.

Com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello no dia 12 de julho, o STF passou a funcionar com apenas dez ministros. Para os senadores, o desfalque na composição da Corte acarreta em grave dano ao interesse público porque atrapalha os trabalhos do Supremo. Como o processo não foi distribuído, ainda não houve a designação de um relator.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Por ser evangélico o indicado, não quer dizer que o cara aja como cristão. Edir Macedo, Waldomiro, Malafaia e RR Soares são evangélicos e “bons” negociadores da Palavra de Deus. Se liga, povo dito cristão, pois Bolsonaro está mais para o Rei Saul do que para o Messias.

  2. De guardião da constituição, o Stf é o guardião da Impunidade dos corruptos além de mantenedor de privilégios da elite e da manutenção do caráter anti-ético do país. Nunca chegaremos a lugar nenhum com essa composição de seus membros. Verdadeiro escárnio!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Libertadores: Atlético-MG e Palmeiras decidem vaga na final na noite desta terça-feira

Foto: Pedro Souza/Atlético/Direitos Reservados

Atlético-MG e Palmeiras decidem nesta terça-feira (28), a partir das 21h30 (horário de Brasília) no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, quem será o primeiro finalista da atual edição da Libertadores.

Após o empate em 0 a 0 no jogo de ida, na última semana em São Paulo, o Galo precisa vencer para se classificar à sua segunda decisão da competição continental. Em 2013, o Atlético-MG foi campeão superando o Olímpia (Paraguai) na final. Já o Palmeiras segue adiante até mesmo empatando com gols. Em caso de novo 0 a 0, a decisão será na disputa de pênaltis.

A equipe comandada pelo técnico Abel Ferreira não tem nenhum desfalque para a decisão. O provável Verdão será: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Luan e Piquerez; Felipe Melo, Zé Rafael, Raphael Veiga e Dudu; Rony e Luiz Adriano.

Do lado dos donos da casa a expectativa é sobre o aproveitamento do trio Diego Costa, Keno e Savarino. O ex-jogador do Chelsea (Inglaterra) se lesionou na coxa no primeiro confronto contra os paulistas e dificilmente deve ir a campo nesta noite.

Já o venezuelano Savarino já está na fase de transição de uma lesão na coxa e tem chances de jogar. Dos três, aquele que parece mais perto do retorno é Keno. Com um quadro de virose, o atacante não foi relacionado para o jogo do final de semana contra o São Paulo pelo Brasileiro. Porém, tem presença quase certa no grupo para o jogo da noite desta terça-feira. Ainda com essas dúvidas, o provável Galo é: Everson; Mariano, Nathan Silva, Júnior Alonso e Guilherme Arana; Allan, Jair, Zaracho e Nacho; Hulk e Keno (Vargas).

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *