SENTIMENTO AMBÍGUO DA POPULAÇÃO: Levantamento VEJA/FSB mostra que maioria apoia e confia em Bolsonaro, mas não gosta do excesso de propostas polêmicas e de “caneladas”

FIRME NA SELA – Na Festa do Peão, em Barretos: 30% dos entrevistados avaliam como “ótima” ou “boa” sua gestão (Marcos Corrêa/PR)

Essas facetas de Bolsonaro aparecem com clareza em um levantamento encomendado por VEJA ao Instituto FSB Pesquisa sobre a avaliação da gestão, dos principais pontos de sua agenda e do desempenho do presidente. Feito por telefone com 2 000 pessoas em todo o país entre os dias 16 e 18 deste mês, o levantamento mostra que Bolsonaro continua bem na foto junto ao eleitorado. Na pesquisa, 37% o apontaram como a liderança que serve de referência no avanço do Brasil ao responder à pergunta “quem está fazendo mais pelo país hoje?”. A avaliação do governo é positiva para 30%, e 45% acreditam que Bolsonaro encerrará bem o mandato. “Temos apenas oito meses de governo. As pessoas ainda não estão julgando resultados, mas as expectativas”, diz o analista político Alon Feuerwerker, coordenador da pesquisa. Por outro lado, o levantamento revela que, mesmo neste começo, 48% dos brasileiros desaprovam a forma como Bolsonaro governa — contra 44% que lhe conferem respaldo. E outros 68% acreditam que as falas do presidente prejudicam em algum grau o andamento do governo — para 49%, elas atrapalham muito.

Nenhum eleitor de Bolsonaro pode dizer que se surpreendeu com a saraivada de declarações desastradas que o presidente vem distribuindo nas últimas semanas sobre temas variados. Afinal, o ex-deputado do baixo clero ficou famoso justamente por, entre outras frases polêmicas, chamar o torturador da ditadura Brilhante Ustra de “herói nacional”. Havia, porém, a esperança de que, uma vez no cargo, ele reduzisse o tom. Não é o que vem acontecendo. Ainda sem mostrar consciência do tamanho da cadeira presidencial, Bolsonaro dispara os impropérios que lhe vêm à cabeça, da defesa extremada do filho Eduardo para embaixador nos Estados Unidos à afirmação, sem provas, de que ONGs e governadores promovem queimadas na Amazônia para prejudicá-lo. Nesta semana, ele divulgou um vídeo de caça às baleias para desdenhar da preocupação ambiental da Noruega, que suspendeu o repasse de dinheiro para um fundo de preservação da Floresta Amazônica — as filmagens, porém, ocorreram na Dinamarca.

Como se vê na pesquisa, o comportamento irrefreável do mandatário, repleto de ofensas, fake news e temas já superados na cena política brasileira, vem chamuscando sua imagem. Ao mesmo tempo, o levantamento revela que a maioria ainda confia em sua liderança e capacidade de fazer uma boa gestão. O que explica esse paradoxo? Por ora, o pouco tempo de duração do governo e o rescaldo dos antagonismos da campanha de 2018. “Essa foi uma eleição de hiperexposição. Muita gente se indispôs em seus grupos pessoais e familiares. Há um custo bem alto para que essas pessoas digam que o governo acabou com oito meses, embora já possam ter críticas à gestão”, afirma Jairo Nicolau, professor da UFRJ. Mesmo rejeitadas pela maioria, as caneladas verbais sustentam, em paralelo, a mobilização de sua base eleitoral — um núcleo de apoio barulhento nas redes sociais e fora delas. Para Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados, o presidente age dessa forma para impedir uma reação do campo adversário. “São minibombas que Bolsonaro joga na sociedade. Assim, dificulta uma reação coordenada contra ele e fortalece a plateia a quem se dirige”, diz.

Manter um grupo que lhe garanta respaldo, independentemente do que entregou até agora, supre duas urgências para Bolsonaro. Uma diz respeito às ambições eleitorais para 2022 (leia a reportagem). A outra desvia o foco dos índices cambaleantes na economia. Apesar da aprovação da nova Previdência e de haver um clima propício ao encaminhamento de outras reformas importantes no Congresso, os ganhos que elas trarão para o crescimento do país visam ao longo prazo. O maior desafio de Bolsonaro, segundo a pesquisa, é justamente criar postos de trabalho: 17% dos brasileiros citaram o combate ao desemprego como a área que mais piorou desde o início do governo — outros 14% a consideram a segunda pior. Na soma geral, a questão fica atrás somente da saúde pública (38%) e está empatada tecnicamente com a educação (30%), áreas historicamente mal avaliadas. Ao serem questionados sobre o tema, só 25% dos entrevistados mostraram plena confiança que Bolsonaro conseguirá diminuir o desemprego em até um ano. “Com o passar do tempo, as pessoas vão atenuar a culpabilidade do PT sobre a crise econômica e exigirão mudanças vindas dele. Se elas se cansarem da economia, a paciência com as bobagens ditas pelo presidente poderá acabar”, diz o cientista político Alberto Almeida. No estilo comunicativo de Bolsonaro, em que até o “cocô petrificado dos índios” vira assunto presidencial, os temas relevantes, de fato, ficam ausentes de suas manifestações diárias. Poucas vezes se vê Bolsonaro falar sobre saúde e educação, muito menos sobre economia.

Os últimos dados do IBGE mostram que a taxa de desemprego continua altíssima, e o recuo ocorre em um ritmo preocupante. No segundo semestre, ela retrocedeu de 12,7% para 12%, o que corresponde a 12,8 milhões de brasileiros. Um exemplo dessa tragédia social ocorreu no último dia 16, quando centenas de pessoas formaram uma fila no centro de Niterói (RJ) depois de terem recebido um áudio no WhatsApp com informações falsas sobre a abertura de vagas. Derrubar o desemprego de forma expressiva será tarefa árdua diante dos sinais nebulosos emitidos pela economia mundial nas últimas semanas. Apesar dos desafios e da conjuntura complicada, a avaliação do ministro da Economia, Paulo Guedes, não foi afetada negativamente até agora. Muito pelo contrário. Seu trabalho é visto como ótimo por 14%, como bom por 21% e como regular por 37% — na Esplanada, ele só fica atrás do ministro Sergio Moro, da Justiça (veja o quadro). Na visão do ex-ministro Gustavo Bebianno, que conviveu intensamente com o presidente até ser demitido por desavenças com o vereador Carlos Bolsonaro, os números comprovam a existência de duas gestões paralelas. “O governo Guedes tenta acertar e possui uma diretriz. Já o governo Bolsonaro tem caráter eleitoreiro. Ele não se preocupa com o país, mas em manter sua família no poder”, critica Bebianno.

De positivo, Bolsonaro pode comemorar também o fato de ter sua gestão identificada com o combate à corrupção, embora seu filho mais velho, Flávio, esteja enrolado no caso das rachadinhas do ex-assessor Fabrício Queiroz. Quase 35% das pessoas apontaram essa área como a que mais apresentou resultados desde janeiro. É muito, levando-se em consideração que 25% dos entrevistados disseram que nenhum setor melhorou na gestão de Bolsonaro. Aqui cabe uma reflexão. Até agora, realmente não houve nenhum grande escândalo de desvio de recursos na atual administração.

Em relação à agenda, o presidente deve enfrentar alguma resistência nos próximos meses. Enquanto a redução da maioridade penal e a unificação dos impostos sobre produtos e serviços são amplamente apoiadas (84% e 67%, respectivamente), a maior dificuldade está na liberação da posse e do porte de armas. A posse é malvista por 56% dos brasileiros, ao passo que o porte é rejeitado por 78%. Já as privatizações são descartadas por 59%. Na economia, embora o governo faça um esforço de desestatização com o lançamento, no último dia 21, de um plano para se desfazer de nove estatais (leia a reportagem), a população não demonstra o mesmo entusiasmo com o tema. Na pesquisa, a maior parte dos entrevistados ainda se mostra contrária à venda de ícones do estatismo brasileiro, como a Petrobras e o Banco do Brasil. Já a volta da CPMF é rejeitada por 48%.

Em outros governos, foram necessárias graves crises econômicas para que a população se impacientasse de vez com o presidente. FHC, entre a reeleição e o início do segundo mandato, teve de lidar com a desvalorização cambial e se desgastou por completo com o apagão de 2001. Dilma Rousseff perdeu capital político nos protestos de 2013, mas desabou para valer com o ajuste fiscal fracassado do segundo mandato. “Sobre Bolsonaro, quando toda a fumaça se dispersar, a avaliação de seu governo dependerá dos resultados concretos de sua administração”, diz Feuerwerker, da FSB. Em outras palavras, “it’s the economy, stupid”, como cunhou o marqueteiro americano James Carville para explicar a improvável vitória de Bill Clinton contra George Bush pai, em 1992, graças a uma recessão. Ou seja: mesmo criticado, Bolsonaro talvez possa continuar a falar suas bobagens. A questão é que ele vai ter de entregar o que se espera — crescimento econômico e empregos.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. CADEIA para BOLSOTRALHAS disse:

    BOLSOTRALHA a avalanche do satanás

Bolsonaro alerta para “guerra da informação contra a verdade”

Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro participou, nesta sexta-feira (23), da cerimônia do Dia do Soldado, celebrado em 25 de agosto, no Quartel-General do Exército, em Brasília. Em seu discurso, citou a Amazônia e a “árdua missão” de defendê-la e que há uma guerra de informação em curso. “Meus irmãos militares, população brasileira, vamos marchar para o sucesso. Não nos faltam inimigos, como os de sempre, que temo ganharem a guerra da informação contra a verdade”, disse.

Na última semana, Bolsonaro já havia afirmado, em discurso para os cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), que “outros países cada vez mais tentam ganhar a guerra da informação para que nós venhamos a perder a soberania sobre essa área”, em referência à divulgação das taxas de desmatamento na Amazônia Legal e das queimadas na região.

Durante a leitura da Ordem do Dia, o comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, também destacou a atuação dos militares nas diversas regiões “garantindo a soberania do país”. “Aos incautos, que insistem em tutelar os desígnios da brasileira Amazônia, não se enganem, os soldados do Exército de Caxias estarão sempre atentos e vigilantes, prontos para defender e repelir qualquer tipo de ameaça”.

O Dia do Soldado homenageia o nascimento do marechal Luís Alves de Lima e Silva, em 1803, o Duque de Caxias, soldado símbolo da Pátria. “Soldado do Exército Brasileiro, soldado do Brasil, hoje é o nosso dia, todos nós somos soldados da pátria. O exemplo nós temos, o nosso invicto Caxias que lega a todos nós a esperança, a certeza, a fé, a garantia que esse povo é vitorioso”, disse Bolsonaro em seu discurso.

Durante a solenidade, personalidades e autoridades civis militares e organizações militares foram condecoradas com a Medalha Exército Brasileiro e a Medalha do Pacificador, pelos serviços prestados ao Exército.

Bolsonaro chegou à cerimônia acompanhado do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Também estavam presentes o vice-presidente, Hamilton Mourão, e os ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro; da Defesa, Fernando Azevedo; das Relações Exteriores, Ernesto Araújo; da Infraestrutura, Tarcísio Freitas; do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; da Cidadania, Osmar Terra; e do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anti-Político de estimação disse:

    O que dá para constatar é que nosso Presidente não gosta de ser criticado e nem que apontem as falhas do seu governo. Isto é um flerte muito perigoso com o autoritarismo .
    Nem ditadura de direita nem ditadura de esquerda. A democracia é sempre o melhor caminho : vamos aperfeiçoá-la.

  2. Allan Polishon disse:

    De fake news e acusar sem provas, nisso ele tem pós doutorado…hahahaha

Bolsonaro diz que governo estuda privatizar qualquer coisa no Brasil: “tem que analisar custo benefício, o que é bom para o país e o que não é”

REUTERS/Adriano Machado/File Photo

Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira, disse que “estuda privatizar qualquer coisa no Brasil”.

Até a Petrobras:

“Estuda tudo. Tudo o governo estuda. Precisamos nos preparar para qualquer coisa. Estuda privatizar qualquer coisa no Brasil. Tudo é estudado, tudo é levantado, tudo é discutido. Você vai ter que analisar custo benefício, o que é bom para o Brasil e o que não é”.

Ele acrescentou:

“Vamos ver a proposta que vai ser apresentada para mim. Vamos ver a proposta que vai chegar até mim, daí eu falo. Paulo Guedes não mostrou ainda.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sérgio disse:

    Privatiza a Michelle…

  2. Anderson disse:

    Diz o artigo 173 da Constituição Federal:
    "Art. 173. Ressalvados os casos previstos nesta Constituição, a exploração direta de atividade econômica pelo Estado só será permitida quando necessária aos imperativos da segurança nacional ou a relevante interesse coletivo, conforme definidos em lei."
    Certo o Presidente. O País não suporta tantas empresas públicas que são, em sua maioria, cabides de empregos e centros de ineficiência tolerada pelo Estado.
    Quem é contra, ou é idólatra de bandidos condenados por corrupção, vide o Lularápio, ou está mamando nas tetas do Estado através dessas empresas. Não há outra opção. Ou é doente mental, ou é corrupto.

  3. António disse:

    És uma piada bolsonaro.
    Não tens nenhuma cultura.
    BOSTA

    • Getúlio disse:

      Tens razão, é pra criar e montar o esquema que luladrão/dilmanta montaram no país.

  4. Cigano Lulu disse:

    Tem que privatizar urgente: a Câmara, o Senado e o STF. E, se não for pedir muito, também o TSE e a famígera Justiça do Trabalho. Nos estados e municípios a privatização das câmaras e assembleias legislativas, das Procuradorias de Justiça e Tribunais de Contas já seria algo razoável.

  5. Observador disse:

    TEM QUE PRIVATIZAR A PETROBRAS E OS CORREIOS !

  6. Cidadão brasileiro disse:

    “A solução é alugar o Brasil”. Raul Seixas nunca esteve tão certo numa letra de música.

Como deputado, Bolsonaro votou a favor de compra de jatinhos via BNDES, à época em que seu partido era base de apoio ao governo Lula

Quando deputado federal pelo Partido Progressista (PP), em 2009, o atual presidente Jair Bolsonaro votou a favor do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), que permitiu o financiamento de aviões da Embraer via BNDES.

No registro da Câmara dos Deputados, de 03 de novembro de 2009, consta que toda a bancada do PP, legenda que à época fazia parte da base de apoio do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi favorável à MP 465/2009 — depois convertida na Lei 12.096/2009.

Na semana passada, o presidente afirmou que ia revelar quem comprou jatinhos com recursos do BNDES, ao abrir a “caixa-preta” da instituição.

“O anúncio vai expor gente que está dizendo que estamos no último capítulo do fracasso”, disse o presidente, numa referência ao apresentador de TV Luciano Huck, que, um dia antes usou essas palavras para criticar o governo federal.

Segundo o BNDES, no entanto, essa linha de crédito para a compra de jatinhos da Embraer foi criada em 2009, como parte do PSI, programa que foi aprovado pelo Congresso Nacional.

Nessa linha eram cobrados juros de 2,5% ao ano a 8,7% ao ano, inferiores à taxa básica de juros, a Selic para aquisição de bens de capital, máquinas, e financiamento à inovação tecnológica e exportações.

A diferença entre os juros cobrados do beneficiário e os juros que o governo paga no mercado significam que havia um subsídio implícito do Tesouro à operação.

O governo federal estava na época aprovando uma série de medidas de estímulo à economia para contrabalançar os efeitos da crise financeira global de 2008.

Foi por meio do PSI que passaram boa parte dos 400 bilhões de reais transferidos do Tesouro Nacional para turbinar os empréstimos do BNDES entre 2008 e 2014.

O programa foi renovado nos anos seguintes e encerrado em 2015. Em 2018, um estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) concluiu que o PSI “não teve impacto relevante na taxa de investimento no Brasil”.

Embraer

Na segunda-feira (19), o BNDES divulgou uma lista de 134 compradores de jatinhos da Embraer que contrataram financiamento no período de 2009 a 2014.

Entre eles está o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que, por meio da Doria Administração de Bens, financiou uma aeronave de R$ 44 milhões em 2010.

A lista inclui também R$ 17 milhões liberados para empresa do apresentador de TV Luciano Huck, a Brisair, em 2010, e mais R$ 39,7 milhões, em 2009, para a JBS, denunciada na Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

O maior valor, de R$ 77 milhões, foi contratado em 2013 pela CB Air Taxi Aéreo, do empresário Michael Klein, das Casas Bahia.

“A empresa Brisair, da qual sou sócio, comprou um avião produzido pela Embraer. Para tanto, fizemos um empréstimo transparente, pago até o fim, sem atraso. Tudo como manda a lei”, afirmou Huck para a Folha de São Paulo.

“A compra e o financiamento da aeronave foi feita por meio de um contrato absolutamente legal, sem vício, vantagem ou privilégio”, completou.

Exame

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Evan Jegue disse:

    Ele está certo, quem discordar é antipatriota comunista e deveria ir morar na Argentina.

  2. Issoaquiaí disse:

    Totalmente tendenciosa, ele votou a favor do PSI, não da compra de jatinhos, EXAME mostra sua cara.

  3. Vitor Silva disse:

    8 meses

    desemprego
    recessão
    desmatamento
    incêndios criminosos na amazônia e pantanal
    agrotóxicos liberados
    destruição da educação pública
    ataques às universidades
    destruição do CNPQ
    fim das legislações de proteção ao trabalho

    faltam só mais 40 meses.

    • Anti-Político de Estimação disse:

      O fato é que até agora o governo tem sido uma verdadeira "mãe" apenas para os mega- empresários e grandes especuladores do mercado financeiro. Se uma recessão se confirmar será terrível para todos nós.
      E nem o combate a corrupção está sendo coerente, pois o interesse é blindar os mais próximos do governo.

  4. Amo os Minions disse:

    Lá vem um Minion convicto da culpa do PT, se o Jair votou a favor e agora solta o verbo dizendo que nada sabia disso não é problema de Minion algum. A culpa sempre será do PT, taokey!?

    Aguardando novas pérolas miniônicas.

  5. WASHINGTON disse:

    ELE NÃO VOTOU PRA ALGUEM COMPRAR JATINHO,ELE VOTOU NO PROGRAMA PSI, QUE TEORICAMENTE SERIA EM RELAÇÃO A INVESTIMENTO. POREM SE USARAM DESSE PROGRAMA PRA USO PARTICULAR A CULPA NÃO É DELE.

  6. Deisi disse:

    Que matéria tendenciosa! A votação é sobre o PSI e não compra de jatinhos.

  7. Ricardo disse:

    Esses dias postei que ele tava interferindo na PF e em outros orgãos e o gado "que interferência?? fake news!!". Será que agora com as palavras saindo da boca do próprio vão acreditar?

    • Silvio disse:

      O governo petralha foi quem propôs a medida provisória, portanto, o PT foi quem patrocinou essa farra com os bilhões do suor do trabalhador brasileiro, e era enganada recebendo esmolas e migalhas, que acabava antes do fim do mês, enquanto que a elite beneficiada, está nos céus de brigadeiro a desfilar com o dinheiro que poderia está diminuindo o desemprego e a miséria da nação. E os tolos ainda tentam encontrar justificativa pra esses absurdos.

    • Entenda disse:

      Aprovar ou ter votado a favor é ser corrupto?
      Votar a favor é ser chefe de bandidos?
      Votar a favor é se mostrar membro de organização criminosa?
      Votar a favor é permitir que o órgão seja usado para fins de corrupção?
      Votar a favor é dar carta para o órgão se tornar meio de captação de apoio político?
      Votou a favor da possibilidade do financiamento, ponto.
      Se depois disso o órgão foi usado para financiar de forma imoral, subsidiária, para quem não precisa, como forma de capitar apoio político, não é problema do voto e sim do gestor.

Bolsonaro diz que ONGs podem estar por trás de queimadas na Amazônia

FOTO: REUTERS/Adriano Machado

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira que organizações não-governamentais podem estar por trás das queimadas na Amazônia por terem perdido recursos e estarem querendo atingi-lo.

Ele não apresentou evidências das alegações e, indagado se tinha provas do que afirmava, disse que não existem planos escritos nesses casos.

“O crime existe. Isso temos que fazer o possível para que não aumente, mas nos tiramos dinheiro de ONGs, 40% ia para ONGs. Não tem mais. De modo que esse pessoal está sentindo a falta do dinheiro. Então pode, não estou afirmando, ter ação criminosa desses ongueiros para chamar atenção contra minha pessoa, contra o governo do Brasil”, disse o presidente em entrevista ao sair do Palácio da Alvorada.

Em seguida, Bolsonaro afirmou que “tudo indica” que pessoas se preparam para ir à Amazônia filmar e então “tocaram fogo” na floresta.

Questionado se tinha provas ou indícios das acusações que fazia, o presidente afirmou que isso “não tem um plano escrito” e “não é assim que se faz”.

Desde o início deste ano, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que monitora os focos de queimadas no país, já detectou mais de 72 mil pontos, especialmente nos Estados do Mato Grosso, Pará, Rondônia e Amazonas. O número é 83% maior que no mesmo período de 2018 –um ano atípico por ter sido muito úmido– e o maior dos últimos sete anos.

Terra

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Pombão disse:

    É período seco em varias regiões cansei de ver queimadas atrevem BSB. Mais hj tudo a imprensa imputa ao presidente

  2. J. Dantas disse:

    Temos quase 1 milhão de ONGs e 20 mil sindicatos atuando no Brasil, só oerdem para funcionários públicos quando a matéria é trabalho, dedicação e comprometimento com a causa da sociedade… Será que o Brasil é realmente um paraíso para tanta abnegação??? Será que só o Brasil está precisando de tanta ajuda e de tantas ONGs???

  3. Ustra disse:

    Engole o choro, esquerdinhas derrotados!!!! kkkkkkkkkkkkkk

  4. Maria disse:

    Vinte anos de Governos deitando e rolando na Amazônia e o povo sequer tocava no assunto. Graças a estupidez de Bolsorano o povo acordou para os problemas da Amazônia.

  5. Carlos disse:

    Se fala, de certo que tem informações de serviços de inteligência. Divulga dessa forma para que os que estão fazendo isso saibam que estão monitorados. Parabéns Presidente.

  6. Bento disse:

    E eu nem tinha pensado nessa possibilidade.
    Nosso Presidente tem toda razão, cortou a mamatinha, e a quem interessa essas queimadas.
    Fazem o crime, filmam e soltam para o mundo.
    Países inocentes cortam a ajuda e eles vão por trás e negociam por fora para ter a ajuda de volta.
    Para salvar quem??? O bolso deles é claro
    Pelo dinheiro tem gente que é capaz de tudo
    Nosso Presidente tem razão em levantar tal suspeita. Muito suspeito, bota suspeito nisso.

  7. Martha disse:

    Bolsonaro é um IRRESPONSÁVEL! Como ele pode sair propagando isso sem qualquer prova do que está falando? Se fosse só sobre esse tema, mas ele dá pitaco em tudo e faz suas ilações sobre qualquer assunto, sem provar NADA!

    • Chato disse:

      Você leu a matéria? Você é cria do PT. Não sabe, ao menos, interpretar um texto simples! Segue trecho da fala do presidente: "Então pode, NÃO ESTOU AFIRMANDO, ter ação criminosa…"

  8. Marcos disse:

    Nem merece meu comentário!!!

  9. Luiz Antônio disse:

    É muita leviandade uma acusação dessa.

    É muito baixo nível

  10. Rick disse:

    Faz sentido. Deve ter muito agricultor na Europa preocupado com a facilitação do comércio, em decorrência do acordo Mercosul com a UE. Eles só querem um pé para botar areia.

    • Amo os Minions disse:

      Adoro essas teorias da conspiração.

    • Rick disse:

      Amo gente que acha que o Mundo é governado pelos ursinhos carinhosos.
      Que fofo! cute-cute-cute!

    • Luladrão Encantador de Asnos disse:

      Igual aos que acreditam que Lula é inocente.

Bolsonaro confirma que pretende classificar Hezbollah como organização terrorista

Foto: Jorge William / Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta terça-feira que pretende declarar o movimento xiita libanês Hezbollah como uma organização terrorista . A ideia, contudo, não é unanimidade dentro do governo. A declaração ocorreu após o Paraguai classificar dessa forma o grupo na segunda-feira, depois de a Argentina o fazer em julho.

— Pretendo fazer isso daí. São terroristas — afirmou Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada, ao ser questionado sobre a possibilidade.

Bolsonaro disse que não vê risco de a decisão tornar o Brasil alvo de ataques, já que, de acordo com ele, existem integrantes de grupos terroristas no país:

— Existe informação de que têm pessoas deles por aqui também. Tríplice Fronteira, nos grupos de crime organizado. Eles são unidos. Podem não ser muito organizados, mas são unidos.

O Hezbollah é um misto de milícia, organização social e partido político, com assentos no Parlamento do Líbano e participação no governo do país árabe. Por sua atuação na defesa do Sul do Líbano de ataques de Israel, o grupo também é considerado terroristas pelo Estado judeu. Alguns países europeus classificam como terrorista apenas sua ala militar, e China e Rússia não aderiram à classificação, que nunca foi endossada pelas Nações Unidas.

De acordo com fontes ouvidas pela agência Bloomberg, a medida não seria facilmente implementável devido às particularidades da lei brasileira. A ideia, entretanto, faz parte dos esforços de Bolsonaro para criar vínculos mais fortes com o presidente do Estados Unidos, Donald Trump, com quem também busca fechar um acordo comercial, além de se encaixar nas visões de mundo do presidente brasileiro e de seu círculo mais próximo.

Durante a campanha presidencial do ano passado, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), cotado para se tornar embaixador brasileiro em Washington, já havia defendido uma posição mais dura contra o Hezbollah e o palestino Hamas. Na segunda-feira, no Twitter, o deputado disse que “essa questão do Hezbollah envergonha o Brasil no exterior. Temos que mudar essa realidade o quanto antes. Desconheço argumentos plausíveis que justifiquem considerar o grupo terrorista Hezbollah como partido político”.

Ainda assim, classificar o Hezbollah como uma organização terrorista poderá dificultar as relações de Brasília com o Irã, aliado do movimento xiita que importa cerca de US$ 2,5 bilhões (aproximadamente R$ 10 bilhões) por ano em produtos brasileiros, e com a influente comunidade libanesa do Brasil. Membros do governo temem que a medida transforme o país em alvo de terroristas.

Uma decisão poderá ser anunciada antes de outubro, quando Bolsonaro visitará os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita, rivais do Irã e do Hezbollah.

Na segunda-feira, o Itamaraty disse que não considera o Hezbollah uma organização terrorista e que não tem planos de rever esse status. O Gabinete presidencial, o Ministério da Justiça e a Polícia Federal, responsável pelo cumprimento das leis antiterror, se recusaram a comentar.

Atualmente, o Brasil só considera como terroristas grupos que receberam tal designação do Conselho de Segurança das Nações Unidas, como a al-Qaeda e o Estado Islâmico. Pela lei do país, o governo pode barrar a entrada, prender e congelar os bens de suspeitos de fazerem parte desses movimentos.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Allan Polishom disse:

    Oi? Hahahaha pense q isso vai mudar as nossas vidas para melhor, só aí criaremos mas de 13 milhões de empregos, né ? Pelo amor de Deus, o país sofrendo de uma doença enorme como o desemprego, e o presidente ocupado com assuntos dessa qualidade, que triste fim para nós.

Dilma: “Um inocente está preso e um neofascista despreparado está no poder”

 (Foto: Henrique Mendes/G1)

Dilma Rousseff, na Folha de S. Paulo, disse que Sergio Moro e a Lava Jato condenaram Lula a fim de eleger um presidente neofascista:

“O mal está feito. O Brasil está sendo devastado por um governo neofascista na política e neoliberal na economia, encabeçado por um presidente escatológico e intolerante. Flagradas suas parcialidades, o juiz e os procuradores que se uniram em conluio para condenar Lula, destruir a economia e atropelar a Justiça negam o inegável. Desmentem o indesmentível.

O resultado é vergonhoso: um inocente está preso e um neofascista despreparado está no poder.

Só haverá justiça com a anulação do julgamento e a absolvição de Lula.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Vc tb tá na fila…Bora Lava-Jatoooooooo!!!!!!!!!!!!!

  2. Azevedo disse:

    Essa cachorra PeTista tem menos moral do que uma vaca para falar do que legal ou ilegal, pois foi cassada por incompetência e falcatruas dos seus comandados nas empresas públicas controladas pela União.

  3. Dr. Veneno disse:

    Tchau queridos!!

  4. Ítalo disse:

    BREVE VOCÊ TAMBÉM ESTARÁ ATRÁS DAS GRADES, LADRÕES DO POVO BRASILEIRO, ANALFABETA

  5. Antonio Turci disse:

    Completamente descompensada.

  6. Wellington disse:

    Chamou o brasileiro de acéfalo

  7. Rômulo© disse:

    DESPREPADA É VC SUA ANTA E TODA ESSA CORJA QUE SAQUEOU NOSSO PAÍS POR 16 ANOS FACISTAS

  8. Pedro disse:

    😭😭😭😭😭, fecha a boca Rômulo, pode ser que caia na sua, no dia sim.

  9. Lampejao disse:

    VAI ENCAIXOTAR VENTO,MULÉ………KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  10. Raimundo disse:

    Falou a preparada terrorista comunista.
    E diz que Bolsonaro é um neofacista despreparado…
    E Lula tão inocente.
    Não sabia de nada do mensalão.
    O coitado do Marcos Valério não entregou o jogo e agora puxa 30 anos de cadeia.
    José Dirceu foi condenado mas Dilma fez um indulto de Natal para soltar a cúpula do PT, mas Marcos Valério continuou puxando cadeia…
    No petrolao, Lula e Dilma dizem que também não sabiam de nada…
    No governo bolsonaro, nenhum escandalo de corrupção…

    • Rômulo© disse:

      Cadê o Queiroz? Será que está comendo capim pela raiz? E o nepotismo escancarado do Bozo para colocar o filhote fritador de hambúrguer na embaixada dos EUA? E o COAF sendo transferido ao BC para receber controle político? E a mudança de controle na PF do RJ por estar investigando milícias e o filho Flávio? Vocês se fazem de cego,s ou são mesmo coniventes com o Bozo? Ele além de despreparado é mau caráter!

  11. Pedro disse:

    😂😂😂😂😂😂😂😂😂, na verdade um "inocente" está preso, deveriam ser dois, ela dilmanta ainda está solta, depois, se há um despreparado no poder, o que dizer dela como presidenta? Por sinal, o erro já começou pelo nome presidenta, isso mesmo, pedante, despreparada e última potência, arrogante, burra, balofa, analfabeta funcional, que até na composição do seu currículo foi pega como mentirosa. Não entendo a imprensa ainda dar espaço para um trambolho desses. Vc com a boca fechada, ainda merece uma cela, que me desculpem os burros, jumentos e cavalos. A meu sentir, eles são mais úteis é inteligentes. Te cala analfabeta.

  12. BB Barroca disse:

    Basta prestar atenção na qualidade de pessoas que o Dr Moro e Dr Deltan está lutando, pra não deixar, nunca mais entrar no poder.
    Esses vagabundos, acabaram com o país, roubaram e deixaram roubar, aí sai essa irresponsável, com uma lorota dessas.
    Quadrilha de bandidos sem futuro. É melhor explicarrem os 77. Milhões de reais que emprestaram a família ITAÚ banqueiros, pra compra de jatinhos, do que tá jogando a culpa e a conta pros outros pagarem
    Bando de Vagabundos desonestos.
    PT ladrão nunca mais.
    Tchau querida.

    • Maria disse:

      👏🏾👏🏾👏🏾👏🏾👏🏾👏🏾👏🏾👏🏾👏🏾

  13. José Vianes de Araújo. disse:

    A esquerda está apavorada !!!!

  14. Cabo Silva disse:

    Pior é que imagino o quanto de tempo ela gastou ensaiando essas palavras….

  15. Zezé disse:

    pode acreditar que um novo dia vai rair, SUA HORA VAI CHEGAR….

  16. Justo Veríssimo disse:

    continua falando m…. mulher, vá se tratar…

  17. Sérgio Nogueira disse:

    E uma anta segue solta.

  18. Fernando disse:

    Essa vagabunda devia tá presa, usava dinheiro do trabalhador através do BNDES para agradar elite com jatinho e despejava bilhões de reais em cuba, Venezuela… E outros países pra poder receber parte dos milhões de reais em propinas .

  19. André disse:

    estribucha ladra safada, sua hora vai chegar , vc ainda vai pagar pelas maldades e roubos que cometeu em nosso país.

  20. gilson disse:

    só rindo mesmo…. kkkkkkkkkkkkk

  21. Manoel disse:

    "Desmentem o indesmentível". Dilma (20/08/2019)… Pense num poste intelectual!

    • Rômulo© disse:

      Melhor desmentir o indesmentível, do que ter de cagar dia sim, dia não, para salvar a natureza!

Bolsonaro admite rever indicação de Eduardo para embaixada em Washington

Foto: AMANDA PEROBELLI / REUTERS/12-8-2019

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta terça-feira o parecer da Consultoria do Senado que considerou nepotismo a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), seu filho, para a Embaixada do Brasil em Washington. Segundo Bolsonaro, os pareceres da Casa tem “viés político” e são elaborados “de acordo com o interesse do parlamentar”. O presidente admitiu, contudo, que pode recuar da indicação se perceber que não há votos suficientes.

— As consultorias, elas agem de acordo com o interesse do parlamentar. É igual na redação, que vocês aprenderam. “Faça uma matéria sobre Jesus Cristo”. Você pergunta: “Contra ou a favor?”. Assim que vocês aprenderam na universidade. Aqui é a mesma coisa. Então, tem um viés político nessa questão. O que vale para mim é uma súmula do Supremo dizendo que nesse caso não é nepotismo — disse Bolsonaro, ao sair do Palácio da Alvorada.

Questionado sobra a possibilidade de desistir da indicação, em caso da possibilidade de derrota, o presidente afirmou que “tudo é possível” na política e que não quer submeter seu filho a um “fracasso”.

— Você, por exemplo, está noivo. A noiva é virgem. Vai que você descobre que ela está grávida. Você desiste do casamento? Na política, tudo é possível. Eu não quero submeter o meu filho a um fracasso. Acho que ele tem competência.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lucas disse:

    Nenhum bolsonarista para aplaudir??? Nossa, já vivemos tempos melhores aqui no blog…

‘Não tem que ter pena’, diz presidente Jair Bolsonaro sobre uso de atirador de elite após sequestro de ônibus

Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou a jornalistas na manhã terça-feira que “não tem que ter pena” quanto ao uso de atiradores de elite em ações policiais. Bolsonaro relembrou o sequestro do ônibus 174, no dia 12 de junho de 2000, no Jardim Botânico, Zona Sul da cidade, quando uma vítima morreu durante a ação policial. Na ocasião, segundo o presidente, não houve o uso de atirador de elite pela Polícia Militar do Rio de Janeiro.

— Não foi usado sniper. O que aconteceu? Morreu uma pessoa inocente, e depois esse vagabundo morreu no camburão. Os policiais do camburão foram submetidos a júri popular. Foram absolvidos por 4 a 3. Quase você condena dois policiais, condena a 30 anos de cadeia. Não tem que ter pena — afirmou Bolsonaro.

Um atirador do Bope baleou e matou o sequestrador que fazia passageiros de um ônibus reféns na Ponte Rio-Niterói. Agentes do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope) chegaram por volta de 7h ao ponto onde o sequestro ocorria. Um negociador e atiradores de elite vestindo máscaras ficaram posicionados no local. Além desses profissionais, a equipe do Bope tinha dois negociadores, um psicólogo, um médico e um gerente de crise. O sequestrador foi morto por volta 9h. Foram ouvidos seis ou sete tiros. Policias que estavam na ponte comemoraram.

Após o desfecho do caso, o governador Wilson Witzel chegou de helicóptero por volta das 9h40 na Ponte Rio-Niterói. Ao desembarcar, Witzel comemorou bastante e foi abraçar os policiais no local. Mais cedo, pelas redes sociais, o governador se manifestou sobre o sequestro do ônibus com reféns e disse priorizar a proteção dos reféns. A ação contou com a Polícia Rodoviária Federal e agentes do Batalhão de Operações Especializadas (BOPE).

De acordo com informações divulgadas pela PM, havia 37 reféns dentro do ônibus. Nenhum deles ficou ferido. Seis deles foram libertados pelo sequestrador. Ele estava com uma arma de brinquedo, segundo o porta-voz da PM, Mauro Fliess. O bandido também levava um coquetel molotov.

A Viação Galo Branco informou que soube do sequestro por outro motorista, que seguia atrás do ônibus sequestrado. Ele ligou para a empresa avisando que viu quando o homem armado rendeu seu colega.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. John Wallace disse:

    Esse pensamento tb serve para a véia sogra dele? hahahaha…acho q não

    • #Lula Na Cadeia sempre disse:

      Serve também para o ladrao condenado Lula…que nome horrível, parece nome de ator de novela mexicana, jonh Wallace🤣

    • Rick disse:

      Até parece que a sogra teve toda a assistência médica do mundo.
      A tal está à míngua (se ele fizesse algo, estariam enchendo o saco dizendo que
      estaria tendo privilégios inacessíveis para a maioria das pessoas).

Bolsonaro diz que não fará demarcação de terras indígenas

FOTO: FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (16) que países que investem recursos no país para programas de preservação ambiental estão “comprando à prestação o Brasil”. Ele criticou a Noruega que, assim como a Alemanha, decidiu suspender seus repasses para o Fundo Amazônia.

“O pessoal está comprando à prestação o Brasil. A compra no passado era também demarcando terras, o Brasil só fazia acordos lá fora em troca de abrir mão de sua soberania, demarcando terras indígenas, ampliando parques”, disse, dando como exemplo o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, ampliado em 2017 no governo do então presidente Michel Temer.

Para o presidente, as reservas atrapalham o desenvolvimento do país. “Não pode continuar assim, [em] 61% do Brasil não pode fazer nada. Tem locais que, para produzir, você não vai produzir, porque não pode ir num linha reta para exportar ou para vender, tem que fazer uma curva enorme para desviar de um quilombola, uma terra indígena, uma área proteção ambiental. Estão acabando com o Brasil”, disse, ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta sexta-feira.

Bolsonaro ressaltou ainda que não fará demarcação de terras indígenas durante seu governo. “Enquanto eu for presidente não tem demarcação de terra indígena”, disse. “Eles têm 14% do território nacional. Imagine Região Sudeste, uma área maior que essa já é terra indígena, não é área suficiente? Ontem [15], eu estive de novo com um grupo de indígenas e eles querem liberdade para trabalhar na sua área, não querem viver como em um confinamento, como seres pré-históricos”, acrescentou o presidente.

Agência Brasil

 

(FINANCIAMENTO BNDES): ‘Se ele comprou jatinho, faz parte do caos’, diz Bolsonaro sobre Huck; presidente diz que “o bicho vai pegar” a quem “fica arrotando honestidade”

Foto: Claudinei Ligieri/Futura Press/Folhapress – 07.12.2017

O presidente Jair Bolsonaro voltou a fazer referência ao apresentador Luciano Huck prometendo divulgar dados do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) sobre compra de jatinhos.

“Ele falou que eu sou o último… Como é que é.. o último capítulo do caos. Se ele comprou jatinho, ele faz parte do caos”, declarou Bolsonaro, ao deixar o Palácio da Alvorada.

Ele afirmou ainda que “o bicho vai pegar” a quem “fica arrotando honestidade”.

Na última quarta-feira, 14, conforme revelou o jornal O Estado de S. Paulo, Luciano Huck fez um discurso em Vila Velha (ES) criticando o governo de Jair Bolsonaro.

“A gente precisa de gente nova na política, com todo respeito a esse governo. Esse governo foi eleito de maneira democrática. Mas eu não acredito que a gente está vivendo o primeiro capítulo da renovação. Para mim, estamos vivendo o último capítulo do que não deu certo”, disse o apresentador na ocasião.

Nesta sexta-feira, 16, Bolsonaro citou que há dados do BNDES mostrando R$ 2 bilhões de financiamentos para compra de aviões particulares a uma taxa de 3% a 4% ao ano.

“Parece que não foi legal”, comentou o presidente. A diferença dos juros para compensar o banco, acrescentou, foi paga pelos brasileiros. “É justo fazer isso aí? Então não vem um cara… se por ventura ele estiver lá… Não fica não arrotando honestidade aí… que o bicho vai pegar.”

PGR

Na entrevista que concedeu a jornalistas no Alvorada, Bolsonaro voltou a sinalizar que a troca na chefia da Procuradoria-Geral da República (PGR) pode ser feita após o fim do mandato de Raquel Dodge, que se encerra em 17 de setembro.

Nesse cenário, quem assumiria interinamente o órgão seria o vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal, Alcides Martins, eleito para o posto na semana passada.

“Se até lá, eu não indicar ou indicar e não for sabatinado, assume o interino”, declarou Bolsonaro, respondendo que a interinidade no órgão não o preocupa.

R7, com Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Luciano Hulk, este sim é um falso profeta.
    Enganador, criador de ilusões
    Amigo do capeta.

  2. Hulkenberg disse:

    Loucura, loucura, loucura!!
    Vige maria, se o hulck fosse um au au, tinha caído o raaabo.
    Ô tapetada!
    Presidente véi arrochado.
    Toma!!

  3. Rinaldo disse:

    Será que o bicho vai pegar também para família dele que toda hora descobrimos que está envolvida com diversos tipos de criminosos?

  4. PAULO disse:

    PARABÉNS PRESIDENTE, MOSTRE QUE ESSA BAGAÇA A GORA TEM DONO.

    • Anti-Político de estimação disse:

      É bom o Presidente tomar cuidado também . Essas relações espúrias com milícias, laranjas e familiares ainda não foram explicadas direito e nem investigadas a fundo. Lembrem-se do que está preso em Curitiba, que também adorava falar mal de todo mundo.
      Temos que torcer pelo Brasil e pelo nosso Estado, e não por políticos ou por Partidos. Estes são apenas uma representação do povo que os sustentam.

Bolsonaro alerta que “Brasil todo está sem dinheiro”, cita exemplos e diz que seus ministros estão fazendo “milagres”

Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que o governo não tem mais dinheiro e seus ministros estão fazendo “milagres” para tentar sobreviver a este ano.

Bolsonaro foi questionado sobre o corte de 4,5 mil bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) por falta de orçamento.

“O Brasil todo está sem dinheiro. Em casa que falta pão, todos brigam e ninguém tem razão. Os ministros estão apavorados, estamos aqui tentando sobreviver no corrente ano. Não tem dinheiro. Eu sabia disso, estamos fazendo milagre, conversando com a equipe econômica para ver o que a gente pode fazer”, disse o presidente. “Não é maldade da minha parte. Não tem dinheiro, só isso.”

Segundo Bolsonaro, os militares também vêm sofrendo com a falta de recursos.

“O Exército vai entrar em meio expediente porque não tem comida para dar para o recruta, que é o filho de pobre. A situação que nós encontramos é grave. Não há maldade da minha parte. Não tem dinheiro, só isso, mais nada.”

Perguntado sobre o que se pode fazer para recuperar o Orçamento, Bolsonaro afirmou que o governo está trabalhando com privatizações, está cortando consultorias e “programas absurdos” para tentar economizar.

O Antagonista e Extra – O Globo, com Reuters

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    É isso aí Presidente, arrocha o nó, poe a casa em ordem.
    Tem muitos contrários atrapalhando o governo.
    Fecha o cofre, libera só o estritamente necessário

  2. Lucio disse:

    E como é que se distribui milhões em emendas para aprovar a reforma da Previdência?

  3. humbabomber disse:

    LOROTAS! Cobre dos grandes devedores do fisco que melhora e muito!

Bolsonaro não é burro, mas um idiota ingrato que nada sabe, diz Alexandre Frota

O deputado federal Alexandre Frota, que foi expulso do PSL – Pedro Ladeira – 9.abr.19/Folhapress

Expulso do PSL na terça-feira (13), o deputado Alexandre Frota disse à Folha que o presidente Jair Bolsonaro exigiu seu expurgo da sigla.

Em sua primeira entrevista após o episódio, Frota afirma que Bolsonaro é “um idiota ingrato que nada sabe” e que “aquela cadeira de presidente ficou grande para ele e ele se lambuzou com o mel da Presidência”.

Acusado de infidelidade partidária por criticar abertamente o presidente, ele diz que sua expulsão é “um aviso para aqueles que acham que estamos vivendo em uma democracia”.

Frota disse já ter recebido convites de sete partidos —DEM, PP, MDB, PSDB, Podemos, PSD e PRB. Após se aproximar do governador de São Paulo, João Doria, está inclinado a se filiar ao PSDB.

​A pedido do deputado, a Folha enviou as perguntas por escrito, pelo WhatsApp, e as respostas foram dadas por meio de áudios no aplicativo.

O que o sr. considera o estopim para a sua expulsão do PSL? O estopim foi porque discordei e não pode discordar, critiquei e não pode criticar. Não disse amém e é preciso dizer amém. Mas não tive e não tenho medo do governo do Lula, do PT, não terei medo do governo Bolsonaro, entende?

Foram vários os fatores, mas o fato de falar a verdade incomodou muito, de criticar quem não gosta [de ser criticado] e não está preparado para as críticas. Isso pesou muito para o Bolsonaro. Bolsonaro não é burro, senão ele não chegaria onde chegou, mas é um idiota ingrato que nada sabe.

Aquela cadeira de presidente ficou grande para ele e ele se lambuzou com o mel da Presidência. Bolsonaro se mostra, muitas vezes, infantil. Ele não está preparado para o cargo para o qual foi eleito, para o qual eu, infelizmente, ajudei a elegê-lo. Eu acreditava, assim como milhões de brasileiros, que ele realmente pudesse fazer a diferença, mas não foi isso que encontrei lá. Ele acredita nas verdades criadas, nas próprias fantasias dele.

Se por um lado não podemos achar que é justo, em sete meses do governo, conseguir consertar a bagunça que foi feita nos últimos anos pelos governos de esquerda, por outro lado o Bolsonaro fica devendo conteúdo, diplomacia, respeito. Ele nada sabe sobre isso, ele não gosta de ouvir, é inseguro, medroso e caricato.

Bolsonaro não foi ninguém no Exército, saiu expurgado de lá, não foi brilhante, ou estou errado? Não estou. Eu, como ator pornô, dei mais certo do que ele no Exército. Bolsonaro está fazendo parte de uma matilha cultural e social de extrema-direita, que assim como a esquerda, que durante muito tempo trabalhou isso, acham que vão dominar o país. E aí entram com as agressões, com as humilhações aos aliados, aos amigos, aqueles que o ajudaram a levá-lo à Presidência da República.

Lembro que Bolsonaro tinha um discurso em que ele dizia que soldado ferido no Exército dele não ficaria para trás. Ele deixou vários para trás, a começar pelo Magno Malta, o [Gustavo] Bebianno, o Julian Lemos, que se entregaram para a campanha dele, abriram mão de fazer suas campanhas e correr por suas vidas para poder eleger o Bolsonaro.

A impressão que eu tenho é que o Bolsonaro não saiu da campanha. Ele acha que o Palácio é um palco. Ele tem que levantar as mãos para o céu por ele ainda ter do lado dele o Paulo Guedes, o Sergio Moro. Mas o castelinho de areia uma hora vai ruir e ele vai ficar perdido como um cachorrinho vira-lata numa montanha de lixo. Infelizmente, o seu governo não apresenta propostas, vive de momentos, de insights. Sair do PSL, para mim, foi receber uma carta de alforria, foi me libertar da ditadura bolsonarista. Saí com muito orgulho e pela porta da frente.

O sr. considera que foi um processo justo? Não vou julgar aqui os que me julgaram. Se essa foi a decisão, vou respeitar democraticamente. Não queria que fosse assim. Temos que ter liberdade de opinar, para se posicionar. Não posso falar para o Bolsonaro só o que ele quer ouvir.

Bolsonaro teve influência na sua expulsão? Como o sr. avalia isso? Foi um equívoco, foi um erro. Mostrou autoritarismo, ditadura. O [deputado] Luciano Bivar [presidente do PSL], meu amigo pessoal, ficou entre a cruz e a espada. É claro que fiquei triste com a expulsão. Foi ruim para mim, para as pessoas que apostam em mim, me senti policiado. Que democracia é essa? O cara não pode falar nada, não pode fazer uma crítica.

O sr. mantinha uma boa relação com Bivar. Quando e como essa relação mudou? Entrei na sala do Luciano, na sala da vice-presidência da Câmara, e ele estava sentado, cabisbaixo, olhou para a minha cara, e eu já sabia naquela hora… Perguntei como estavam as coisas e ele disse: ‘Tá difícil, Frota. O Jair pediu para te tirar do partido, pediu sua expulsão’. É muito difícil para o Luciano Bivar receber isso, mas entendo o Bivar e não tiro o mérito da maneira como ele trabalhou e conversou comigo carinhosamente.

Alguns apoiadores do presidente dizem que o sr. foi um caroneiro, que só pegou a onda Bolsonaro para se eleger. Como responde a isso? Acho engraçado. Eu ia pegar carona em quem? O Bolsonaro era meu candidato, só podia pegar carona nele. Isso tem que ficar muito claro. Quem falou que eu sou caroneiro foi o [deputado] Eduardo Bolsonaro [PSL-SP]. Eu ainda pego carona e ele que fura a fila?

O sr. tentou indicar cargos no governo, na Ancine, por exemplo, e deu declarações públicas se queixando por não ter sido atendido. O que o sr. pediu? Essa é uma lenda. Nunca tentei indicar cargos no governo, principalmente na Ancine.

Além do sr., existe mais alguém no PSL insatisfeito com o presidente Bolsonaro? Existem vários, mas ninguém tem coragem de meter a cara. Existem vários que gostariam de estar falando o que estou falando, ou, inclusive, fazendo ponderações pontuais e verdadeiras como estou fazendo. Mas muita gente não tem coragem de falar.

Como o sr. vai votar as pautas do governo a partir de agora? Pelo bem do Brasil. Vou votar com o governo quando achar que tem que votar. E quando achar que tem que discordar, vou discordar.

O sr. teve convites de alguns partidos. Já definiu seu destino? Acho que a quantidade de convites que tive, e com qualidade, é resultado de um trabalho coeso, honesto e de muito estudo e dedicação. Cheguei na Câmara com meu esforço, fui buscar o meu voto em cada cidade que passei. Andei 35 mil quilômetros de carro, mais de 65 cidades, cheguei quase a 90. Trabalhei incansavelmente. Não tenho curral eleitoral.

Sou um privilegiado do lugar que estou chegando dentro da Câmara. Em 200 dias de governo, tenho 150 discursos. O primeiro a me convidar foi o PSDB, do João Doria e do Bruno Araújo, de quem eu gosto bastante. Trabalhei com Bolsonaro de 2014 a 2018, na hora que ele foi eleito, e até agora nunca me ligou para me dar os parabéns pela minha eleição ou por qualquer outra coisa que eu tenha ajudado, principalmente na coordenação da Previdência. O Rodrigo Maia é o grande fiador dessa Previdência. Recebi sim convite do PSDB, do DEM, me senti lisonjeado. Talvez quando sair essa reportagem, já vou ter definido. E que Deus me proteja.

O sr. foi eleito com um discurso alinhado ao de Bolsonaro. O que aconteceu de lá para cá? O sr. mudou de posição? Sim, fui eleito com discurso alinhado ao de Bolsonaro, mas já tinha esse discurso antes. No final de 2013, quando comecei a praticar meu ativismo, comecei a criticar a esquerda, já tinha meus discursos polêmicos, ácidos, não aceitava e achava que era hora de o Brasil mudar. Fiz um discurso alinhado ao Bolsonaro, volto a repetir, porque o Bolsonaro era meu candidato naquele momento.

O que aconteceu de lá pra cá eu acho que já respondi lá em cima. Principalmente meu amadurecimento e entendimento com as pautas do Brasil, de interesse do povo brasileiro, foi isso que mudou. Eu não mudei de posição, continuo sendo o Alexandre Frota que vai lutar pelo povo brasileiro e que vai ter sua posições e opiniões fortes.

O sr. pretende disputar a Prefeitura de São Paulo no ano que vem? Eu não pretendo disputar a Prefeitura de São Paulo e muito menos a do Rio de Janeiro. Isso é mentira. Todo mundo sabe que a minha candidata para São Paulo é a Joice Hasselmann. Até então eu vinha fazendo mais campanha do que ela própria. Sempre deixei claro isso. Isso foi um dos motivos que gerou muita confusão no PSL, porque o Eduardo Bolsonaro acha que tem que ser o [apresentador José Luiz] Datena. O Datena é meu amigo há 30 anos, adoro o Datena. Mas o Datena, nas duas últimas eleições, na hora H, ele desistiu.

Raio-X

Alexandre Frota, 55. Filou-se ao PSL em 2018, convidado por Jair Bolsonaro. Foi eleito para a Câmara dos Deputados por São Paulo com pouco mais de 150 mil votos

Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Evan Jegue disse:

    Lúcidos comentários.

  2. Arnaldo Franco disse:

    Taí o que voce queria, Alexandre Frota. Qualquer pessoa que queira ganhar a atenção e a simpatia da mídia tendenciosa é só falar mal do Presidente ou do seu Governo. Pode ter certeza que oxs politicos do PT vão passar a lhe ver com outros olhos. O problema, Frota, é que seu eleitorado vai lhe ver como ingrato. Não se cospe no prato em que comeu. Isso revela claramente falta de carater.

  3. Waldemir disse:

    Um cara que so denegriu as mulheres e um coitado eu votei em BOLSONARO mas nunca apoiei esse cafajeste que desde ontem e sempre sera3

  4. Cigano Lulu disse:

    Quer dizer que Bolsonaro andou chupando a laranja do Frota?
    O ator pornô foi seduzido e abandonado?
    Modeuzis!

  5. joaozinho disse:

    Ator porno.. deputado e intelectual?

  6. Gemidão disse:

    PENSE NUMA MORAL QUE TEM ESSE ATOR PORNÔ? Ele só demonstra o lado medíocre do nosso Congresso Nacional.

  7. Gustavo disse:

    Alexandre Frota agora virou intelectual para os esquerdistas.

    • PAULO disse:

      Nãaao! Eram os Bolsominions que achavam ele o máximo até outro dia…

    • Vital Correia disse:

      Alexandre Frota sempre foi oportunista, se fosse candidato por outro partido, não teria 50 mil votos. Mas entrou na onda do PSL e teve 150 mil votos.
      Mas vamos falar em pessoas de total credibilidade até ontem, e que hoje não são mais nada, cujo trabalho era indispensável e agora se tornaram traidores: Palloci, Delcídio, Bumlai, Eike, Alberto Yousself, toda turma da OAS e da Camargo Correia. A lista é extensa…

  8. Sérgio disse:

    Entre Frota e Bolsonaro, fico com Tiririca…

  9. Luciano disse:

    Verdade: "Bolsonaro não foi ninguém no Exército, saiu expurgado de lá".
    As pessoas só prestam pra Bozonaro enquanto são úteis e submissas a ele. Quandonousam discordar são descartadas e atacadas com ferocidade e desprezo.
    Laranjas chupadas, bagaço jogado no lixo.

    • Manoel disse:

      Né isso! Heloísa Helena e Marina Silva que o digam! Quando deixaram de concordar com as ladroagens do PT, foram descartadas e expulsas da legenda…

  10. Ricardo Weber disse:

    Esse idiota por onde passar só faz merda, achava que ia mandar no governo Bolsonaro com indicação de cargos, só que se ferrou, com nosso presidente não tem boquinha não.

  11. Jânio disse:

    Esse papa angu saiu da aba de Jair Bolsonaro lascou se.
    Não tem cacife, pra se eleger vereador, por tanto esse baixo clero já é carta fora do baralho.

Bolsonaro vai reestruturar comunicação para acabar com conflitos e melhorar imagem do governo

O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barro. Foto: José Dias/Presidência

Foco de crise no governo Jair Bolsonaro , a comunicação do Palácio do Planalto passará por uma reestruturação que delimitará o papel da Secretaria de Comunicação, comandada por Fábio Wajngarten, e do porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros. O decreto com a nova configuração está previsto para ser publicado ainda nesta semana. O objetivo é diminuir os conflitos internos e melhorar a imagem do governo.

Com a nova estrutura, Rêgo Barros passará a responder diretamente à Secretaria-Executiva da Secretaria de Governo, do ministro Luiz Eduardo Ramos. No organograma atual, o gabinete do Porta-Voz é subordinado à Secom, mas, na prática, já atuava como uma estrutura paralela, com funções similares.

Nos bastidores, o porta-voz e o secretário de Comunicação disputavam espaço no Planalto no relacionamento com a imprensa. Por determinação do ministro Ramos, a partir de agora ficou definido que a Secretaria de Imprensa (SIP), subordinada a Secom, ficará responsável por atender os jornalistas, enquanto que o porta-voz se encarregará de transmitir as declarações e posicionamentos do presidente.

A nova configuração foi definida em uma reunião recente entre Ramos, Rêgo Barros e Wajngarten. Aos jornalistas, o porta-voz disse que a reorganização da estrutura já estava em estudo desde fevereiro.

– A principal finalidade foi adequar as funções do gabinete do porta-voz e integrar efetivamente a condução da comunicação do governo com a Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República – disse Rêgo Barros.

Segundo o porta-voz, a intervenção do ministro Ramos busca produzir um “melhor relacionamento” entre as duas estruturas. Ele acrescentou ainda que a mudança é “fruto de um entendimento de ambas as estruturas sobre suas atribuições e as necessidades de um trabalho sinérgico para fortalecer a imagem do governo.”

Secretário de ImprensaO Palácio do Planalto não comentou a demissão do Secretário de Imprensa, Paulo Fona, demitido uma semana após chegar o cargo. O governo, no entanto, negou que o posto será extinto da estrutura. Este foi o terceiro secretário de imprensa a deixar a função em sete meses de governo.

Em nota divulgada na noite de terça-feira, Fona diz que a decisão partiu do presidente Bolsonaro e atrelou a dispensa ao seu histórico profissional com passagens pelo MDB, PSDB e PSB. Ele afirmou que toda a sua carreira havia sido relatada a Fabio Wajngarten, que não teria visto o currículo como um empecilho.

Fona chegou ao Planalto para ocupar o cargo que havia sido deixado vago após o jornalista Fernando Diniz pedir exoneração em menos de um mês por divergências com Wajngarten. O posto também havia ficado vago no começo do governo Bolsonaro, até ser ocupado pelo coronel do Exército Alexandre Lara, que foi nomeado em 20 de fevereiro e exonerado em maio.

O Globo

Bolsonaro reduz impostos sobre videogames; alíquotas de IPI de 20% a 50% reduzidas para a faixa entre 16% e 40%

Brasil Games Show reuniu cerca de 300 mil apaixonados por videogames na última edição — Foto: BGS/Divulgação

Decreto do presidente Jair Bolsonaro publicado nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial da União reduz as alíquotas de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) incidentes sobre videogames, acessórios dos consoles e suas partes.

As alíquotas, que atualmente variam de 20% a 50%, foram reduzidas para a faixa entre 16% e 40%.

O decreto altera as alíquotas da Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (TIPI), aprovada pelo Decreto nº 8.950, de 29 de dezembro de 2016.

No início do mês, Bolsonaro havia afirmado que pretendia assinar um decreto reduzindo a carga tributária sobre jogos eletrônicos. Segundo o presidente, a ideia é “deixar esse dinheiro, em vez de ir para o governo, ficar na mão do povo. Essa que é a intenção, é diminuir a carga tributária.”

Confira abaixo as novas alíquotas:

9504.50.00 – Consoles e máquinas de jogos de vídeo, exceto os classificados na subposição

De 50% para 40%

9504.50.00 Ex 01 – Partes e acessórios dos consoles e das máquinas de jogos de vídeo cujas imagens são reproduzidas numa tela de um receptor de televisão, num monitor ou noutra tela ou superfície externa

De 40% para 32%

9504.50.00 Ex 02 – Máquinas de jogos de vídeo com tela incorporada, portáteis ou não, e suas partes

De 20% para 16%

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. humbabomber disse:

    Massa!! kkkk

Bolsonaro suspende uso de radares móveis em rodovias federais

Foto: Carolina Antunes/PR – 13.08.2019

O presidente Jair Bolsonaro suspendeu o uso de radares móveis nesta quinta-feira (15). A decisão foi publicada no DOU (Diário Oficial da União).

Segundo o texto, a medida tem como objetivo evitar o “desvirtuamento do caráter pedagógico e a utilização meramente arrecadatória dos instrumentos e equipamentos medidores de velocidade”.

O uso foi suspenso até que o Ministério da Infraestrutura faça uma reavaliação da regulamentação dos procedimentos de fiscalização eletrônica de velocidade. Os radares são controlados pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

A medida se aplica para radares estáticos, móveis e portáteis.

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcelo disse:

    Votei nesse cara consciente do que poderia vir, foi so para estncar a roubalheira do PT, ele nao é burro, talves essas merdas sirvam para tirar a atenção, do que estão tratando nos poroes de Brasília.

  2. Nobre disse:

    VALEU MITO!!!
    lá na querida cidade de Currais Novos, tem um pardal desses embaixo do sinal da Sids TV.
    Não serve pra nada, so pra quem é dono comer o dinheiro do aluguel do governo Federal , e o pior é que nós brasileiros é quem paga a conta.
    Voto de novo na reeleição, depois em dr Moro, depois em dr Deltan, estamos feixado desde agora…
    PT ladrão nunca mais.

  3. Aroldo Pontes disse:

    Mais uma decisão acertada. Votei, minha família votou, as pessoas de bem que eu conheço votaram e eu votaria 1000 vezes se preciso fosse.

  4. Ustra disse:

    Tem que ter um esquerdinha revoltado pra falar asneira. Vai arranjar uma lavagem de roupa. Rsrsrs

    • A Favor do Brasil disse:

      Tem muito SEM NOÇÃO apoiador do maior SEM NOÇÃO desse país.

  5. Manoel disse:

    Parabéns presidente ! O mais engraçado é vê os petistas defenderem a indústria da multa.

  6. Marcos disse:

    Só faz merda!!! Cuidado pois agora é um dia sim, ou não.