Juiz autoriza laudo de sanidade mental sobre agressor de Bolsonaro

Foto: Divulgação/PM-MG

O juiz Bruno Savino, da 3ª Vara da Justiça Federal da Subseção Judiciária de Juiz de Fora (MG), autorizou a realização de um laudo de sanidade por um médico particular sobre Adélio Bispo de Oliveira, acusado por um atentado contra o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), no início do mês. Ele foi preso no dia do ataque e agora é objeto de investigação pela Polícia Federal. Bispo foi encaminhado a um presídio federal em Campo Grande (MS).

O laudo de sanidade mental preliminar foi solicitado pela defesa de Adélio Bispo de Oliveira. Os advogados pediram que o procedimento fosse realizado por médico da confiança deles e que houvesse suspensão do curso do processo. Também pleitearam que encontros ou conversas com o acusado tivessem a presença de algum dos advogados.

A defesa recorreu à possibilidade do laudo por médico particular depois que o juiz federal Bruno Savino negou a avaliação completa de saúde mental. O objetivo dos advogados é tentar justificar a necessidade do procedimento completo da saúde mental do acusado. Adélio Bispo assumiu o atentado. Em um dos depoimentos, afirmou que foi motivado por “Deus”.

Na decisão de hoje, o juiz federal Bruno Savino argumentou não ver “indícios da alegada insanidade”, citando como exemplo a lucidez demonstrada pelo acusado na audiência de custódia. Mas autorizou o laudo técnico “para subsidiar a decisão desse juízo acerca da instauração ou não de incidente de insanidade”. O juiz federal destacou que a medida é um procedimento preliminar, não sendo ainda a avaliação de saúde mental propriamente dita. Caso o juiz assim decida, abre-se de fato uma análise da condição médica do acusado. Neste caso, acusação e defesa serão chamadas a apresentar suas posições e indicar assistentes técnicos.

Bolsonaro foi atingido no dia 6 de setembro quando fazia campanha na cidade mineira. Em seguida, foi levado à Santa Casa do município, onde passou por cirurgia. Atualmente, Bolsonaro está em recuperação no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O quadro do político é estável.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marílial disse:

    O Brasil que eu quero soltem Lula e o caba da facada.

  2. Tom disse:

    Coloque ele na rua pra dar outra facada, em outra pessoa. Brasilllllllllllll
    Chibata e sem lei, um bandido desse e quem mandou ele fazer isso era pra aprodecer na cadeia.

  3. Armando Cruz de madeira disse:

    Num eventual segundo turno com Bolsonaro….todos se coligariam contra ele( o gópi ia pro espaço, aliás já foi)…se for Ciro ou haadad; e um deles ganhando, estes soltariam lula( por meio do indulto)..e após nomeariam ele como ministro da casa civil, Rogério fraveto como ministro da justiça, Guilherme Boulos para reforma agrária e por fim Adelmo bispo como diretor da Petrobrás e ainda João Vacari como diretor do BANCO CENTRAL. E todos outros políticos presos via acórdão do segundo seriam solto, Eduardo Cunha, gedel etc. A lava jato acabaria em pizza.

    O EFEITO DA FACADA.

COMENTE AQUI