Lula recebe FHC, Serra, Sarney, Renan no hospital e diz a Temer: ‘Me chama’

Texto sem retoques de Josias de Souza

Chamados de “golpistas” e “assassinos” por militantes petistas na entrada do Hospital Sírio Libanês, Michel Temer e sua comitiva foram recebidos por Lula na noite desta quinta-feira com rara cordialidade. O líder máximo do PT agradeceu comovido à solidariedade recebida após a confirmação da morte de sua mulher, Marisa Letícia. Em meio à tristeza, encontrou disposição para fazer de política.

Lula distribuiu conselhos a Temer: “Não se faz reforma da Previdência com o país em recessão”. Queixou-se do Supremo Tribunal Federal: “Está acovardado”. Abriu uma fresta para o diálogo: “Michel, quando quiser conversar comigo, me chame. Não posso é ficar me oferecendo.” E Temer: “Ah, com essa abertura, vou chamar muitas vezes.”

Temer hesitara em voar para São Paulo. Receava não ser bem-vindo. Sondado, Lula estimulou a viagem. Acompanharam o presidente pajés do PMDB (Renan Calheiros, Romero Jucá, José Sarmey e Eunício Oliveira, por exemplo), um par de estrelas do tucanato (José Serra e Cássio Cunha Lima) e ministros (Moreira Franco e Helder Barbalho). Vencido o “corredor polonês” da entrada, os temores dissiparam-se já na fase de cumprimentos. Lula foi de mão em mão. Abraçou do “golpista” Temer ao arquirrival José Serra. Disse que a vida lhe ensinou a ”separar divergências políticas e embates eleitorais da amizade.”  Fez menções elogiosos ao grão-tucano Fernando Henrique Cardoso, que o visitara mais cedo no hospital.

Ricardo Stuckert/Instituto Lula

 

O encontro com FHC, disse Lula, sinalizava para a juventude a necessidade de superar o ódio e a intolerância que intoxicaram a política brasileira. Lula não se recordou —ou lembrou de esquecer— que é de sua a autoria o bordão “nós contra eles”, que eletrizava a militância petista nos embates eleitorais contra o tucanato. “Todos nós aqui temos a responsabilidade de fazer esse país se reencontrar e voltar a sorrir”, declarou aos visitantes.

Virando-se para José Sarney, Lula evocou uma viagem que os ex-presidentes brasileiros fizeram à África do Sul, a convite de Dilma. Integraram a comitiva presidencial, além de Lula e Sarney, Fernando Henrique e Fernando Collor. “Combinamos de fazer encontros com certa frequência. Mas, depois de descer a escada do avião, cada um foi pra sua casa e nunca mais se encontrou.” Lamentou não ter dialogado com FHC quando estava na Presidência.

Lula sentiu-se à vontade para aconselhar Temer. Disse, por exemplo, que uma reforma como a da Previdência só pode ser feita num período em que a economia estiver “bombando”. Chamado de você, Temer se dirigiu a Lula sempre em timbre cerimonioso: “O senhor também fez uma reforma da Previdência”. O ex-presidente petista não se deu por achado. Declarou que, sob recessão, a mexida nas regras da Previdência potencializará a impressão de que aposentados e pensionistas pagam a conta.

Noutro conselho, Lula disse a Temer que a retomada do crescimento da economia passa pelo estímulo ao consumo. Contou que o ex-governador pernambucano e ex-presidenciável Eduardo Campos, morto quando fazia campanha em 2014, costumava questioná-lo sobre a ênfase atribuída ao consumo. “Ele vivia me criticando.”, relatou Lula. “Mas sempre achei que não podemos desprezar um mercado consumidor como o nosso. Havendo consumo, as indústria produzem.”

Lula invocou o testemunho do ministro da Fazenda de Temer, que foi presidente do Banco Central no seu governo. “O [Henrique] Meirelles me conhece. Ele lembra que eu chamava no Palácio, junto com o Guido Mantega, e dizia: porra, quando é que vocês vão baixar essa taxa de juros?” Presente, Meirelles sorriu.

Sem mencionar explicitamente a Lava Jato, Lula criticou a operação. Num dia em que o ministro Edson Fachin foi sorteado para substituir o colega morto Teori Zavascki na relatoria dos processos do petrolão, o morubixaba petista repetiu uma declaração tóxica: “O Supremo [Tribunal Federal] está acorvardado.”

Réu em cinco ações penais, Lula ensaiou uma crítica também ao STJ (Superior Tribunal de Justiça). Quando parecia engatar uma segunda marcha para investir contra Sérgio Moro, o orador deu meia-volta: “Melhor deixar pra lá”.

Lula estava rodeado de delatados, investigados, denunciados e réus. Gente como o próprio Temer, o amigo Moreira Franco, Renan Calheiros, Eunício Oliveira, Romero Jucá, José Serra…

Temer e sua comitiva chegaram ao Sírio Libanês por volta de 22h30. Deixaram o hospital às 23h10. Escaparam da hostilidade da chegada saindo por uma porta lateral.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wadame disse:

    Esse poeta deveria ser chamado de poeta doido . Pqp!!

  2. Walter disse:

    Mas não leve o
    Marido pois esse precisa sofrer bem aqui na cadeia

  3. Walter disse:

    Essa mulher gastou muito do dinheiro que era para a saúde segurança e educação vai junto com o capeta mesmo

  4. Olhar Verdadeiro disse:

    Lula tem 71 anos. Temer 75. FHC mais de 80.
    Lula parece que é o mais velho dos três.
    Cachaça, cigarro, horas sem dormir preocupado com o dinheiro que roubou e com os processos que responde, acabaram com ele.
    Tenho pena não!

    • Rômulo disse:

      O que o deixou com aspecto mais envelhecido se chama quimioterapia! Se algum dia você precisar, vai saber o que é envelhecer cinco anos em um.

  5. sergio dias disse:

    Foi o encontro de quadrilheiros. Todos envolvidos na Lava-jato, onde o povo brasileiro foi roubado pelo PT,PMDB e PP e hoje passa por uma crise econômica que ninguem sabe quando vai acabar. Os verdadeiros brasileiros são aqueles que repudiam essa roubalheira desse partidos /políticos. Quem defende esses crápulas é porque deve esta sentindo falta de uma boquinha no governo

  6. POETA CYPRIANO MARIBONDO disse:

    OS FASCISTAS COMANDADOS POR TEMER E FHC FORAM OLHAR DE PERTO SUA PRIMEIRA VÍTIMA E TER A CERTEZA QUE REALMENTE A MATARAM, LULA, COMO HOMEM HONRADO QUE É, OS RECEBEU PARA EVITAR TRANSTORNOS, OS ASSASSI NOS DE MARISA LETÍCIA, LIDERADOS POR TEMER, MORO, FHC, J.AGRIPINO E OUTROS, TENHO CERTEZA, LOGO QUEIMARÃO NO INFERNO, ENQUANTO NOSSA PRIMEIRA MARTIRE, MARISA LETÍCIA, NOSSO ETERNO PRESIDENTE LULA, NOSSA PRESIDENTA DILMA E NOSSO PT, CONTINUARÃO PARA SEMPRE LEMBRADOS E AMADOS PELO BRASIL E PELOS VERDADEIROS BRASILEIROS. DESCANCE EM PAZ NOSSA PRIMEIRA DAMA, HOJE O BRASIL SENTE-SE VIUVO SEM A SUA PRESENÇA.

  7. VENTURA disse:

    O cara recebe uma visita de cortesia com a mulher recem falecida e o cara com cabeça pra dialogar sobre política, esse Lula é mesmo um psicopata.

    • Walter disse:

      Esse cara só pensa nele não esqueçamos pois o filho mais novo à frente dizendo que não sabia dos 2,5 milhões que ele recebeu

  8. jailson disse:

    ENQUANTO NÃO HOUVER UM PADRÃO ADMINISTRATIVO EM NOSSO PAIS, SOFREREMOS AS CONSEQUÊNCIAS DOS INTEMPERES DAS NOSSAS ESCOLHAS ERRADAS, A NOSSA CONSTITUIÇÃO DEVE SER O GUIA ADMINISTRATIVO, AS INSTITUIÇÕES GUARDIÃ devem ser responsáveis em fazer valer a todos

  9. Deena disse:

    São pessoas que sabem dividir política da vida pessoal. Rivalidade de solidariedade. Algo que o blog aparentemente não sabe fazer. Lula, por mais que eu odeie, é um ex chefe de estado; é CLARO que seria visitado. Por pessoas que sabem que esse não é o momento pra animosidades. E acho interessante o foco tão negativo, quando uma coisa q ele disse até nós temos que admitir ser correta – NÃO SE FAZ REFORMA PREVIDENCIÁRIA NUM PAÍS EM RECESSÃO!

  10. Charles disse:

    Ruma de safados. Estamos perdidos com essa classe política.

  11. Reginaldo disse:

    E agora militontos

  12. Régio disse:

    Farinha do mesmo saco!!!

  13. Marcos disse:

    A depender de quem descreveu o encontro, a narrativa pode ser total ou parcialmente tendenciosa. Portanto, cuidado com os interesses de quem lhe conta uma história.

  14. Cidadão disse:

    Ah… um avião com tanta gente querida e honrada não cai…

  15. José disse:

    Perfeito ajuntamento de canalhas, gente que não merece a menor reverência, todos envolvidos em corrupção grossa.

  16. vani disse:

    Concordo Paulo Cardoso , sábias palavras.
    "…..Homens sem bandeiras."

  17. Paulo Cardoso disse:

    O grande mal da nação brasileira é esta classe política comprometida com os próprios interesses a pilhar valores que poderiam fazer com que esta fosse uma nação de homens livres ao invés de homens sem bandeira

COMENTE AQUI