Manifesto contra Augusto Aras já conta com o apoio de mais da metade dos procuradores do MPF

Como se sabe, Augusto Aras é alvo de um abaixo-assinado de procuradores contra a sua gestão. Trata-se do apoio da categoria a uma PEC, a ser debatida no Congresso Nacional, para obrigar que a escolha do PGR obedeça a lista tríplice da categoria – o que Bolsonaro ignorou. Internamente, apesar de não tratar diretamente da administração de Aras, o abaixo-assinado é visto como uma crítica a postura do PGR nos últimos meses, especialmente em relação ao governo federal. Aras, aliás, se colocou como candidato ao posto de PGR mesmo sem integrar a lista tríplice votada pela categoria.

Até o início da tarde de hoje, 600 procuradores incluíram suas assinaturas ao manifesto. Equivale a mais da metade de toda a carreira de procuradores do Ministério Público Federal. O órgão conta, hoje, com 1.154 procuradores ativos, contando a mais recente lista de antiguidade da categoria, de dezembro de 2019, somadas as recentes posses. A previsão é de que o posicionamento conte com o apoio de mais de 600 procuradores até o final da sexta-feira.

Veja o trecho de abertura do abaixo-assinado:

A Constituição da República reservou ao Ministério Público Federal (MPF) um papel
singular na defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis. Para a concretização da missão institucional, a independência é uma garantia fundamental, cuja necessidade é reconhecida pela Constituição.
Com a finalidade de garantir à Procuradoria-Geral da República a efetiva independência indispensável ao exercício da missão constitucional do MPF, é necessário fazer um debate amplo, público e aberto sobre a institucionalização, mediante inclusão no texto constitucional, da regra de que o(a) Procurador(a)-Geral da República seja escolhido pelo(a) Presidente da República com base em lista tríplice escolhida pelos membros da instituição, a exemplo do que acontece com o(a) Procurador(a)-Geral de Justiça no Distrito Federal e nos 26 (vinte e seis) estados da Federação.

ANSELMO GOIS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Mais um adorador do marxismo e leninismo, suspeito de treinamento na kgb russa, comentário bem valioso.

  2. Leo disse:

    O povo ainda trata as notícias como briga de torcida. Alguém ainda consegue raciocinar? Simples, o PGR foi indicado por Bolsonaro, não fazia parte da lista tríplice e sua atuação vem sendo contestada. Bolsonaro já cogita colocar o Aras no STF. Se a investigação não é interessante para parte da população, parabéns!

  3. Cigano Lulu disse:

    A escumalha do Capetão entrará para a história como uma rara seleção de capazes e incapazes. Uns fracos, incapazes de nada; outros sabidos, e por isso mesmo capazes de tudo.

  4. Neto disse:

    Os nota deixa bem claro que a escolha é prerrogativa do presidente e que não há amparo na constituição essa lista tríplice. São as jabuticabas brasileiras.

  5. O rei do gado disse:

    Esse Augusto é um vergonhoso na sua atuação!

  6. paulo disse:

    BG.
    Porque será que esses procuradores não se posicionam sobre o sigilo telefônico de vários meliantes dentre eles de adélio bispo, dilma rossef, e outros mais????

  7. Tertu disse:

    Depois dessa, Bolsonaro vai indica-lo pra o STF. De comunistas indicado por Moro, como o taxaram os bolsotralhas, agora é o capacho de Bolsonaro e filhotes foras das leis.

  8. Rafael Franco disse:

    Esses procuradores devem estar com saudades dos tempos de PT, em que eles tinham autonomia para escolher o PGR… ou vão dizer q estou mentindo????

COMENTE AQUI