Mensagens não provam inocência de Lula, diz PGR ao se manifestar contra recurso

Foto: Agência Brasil

No parecer em que pede ao STF para que seja negado recurso da defesa de Lula, o PGR interino Alcides Martins disse que as mensagens hackeadas de Deltan Dallagnol e outros procuradores da Lava Jato não provam a inocência do petista.

“No mesmo sentido, ainda que se admitisse a utilização, nestes autos, da ‘prova ilícita’ de que ora se trata, isso não beneficiaria Luiz Inácio Lula Da Silva nos moldes pretendidos pelos impetrantes, e, tampouco, teria o efeito de lhe devolver a liberdade.”

O PGR interino Alcides Martins pediu ao STF que seja negado recurso apresentado pela defesa de Lula contra decisão do ministro Edson Fachin.

Em agosto, Fachin negou o pedido de liberdade de Lula no HC que pediu a suspeição da força-tarefa da Lava Jato.

Em nota, Alcides afirmou que “tanto a condenação quanto a prisão provisória de Lula resultaram de procedimentos judiciais em que foram asseguradas todas as garantias constitucionais aplicáveis à espécie, em especial o direito à ampla defesa e ao contraditório, tendo sido confirmadas por mais de uma instância jurisdicional”.

O Antagonista