Mesmo com mudanças no estatuto, Caixa seguirá sujeita a indicações políticas, avaliam analistas

Especialistas em gestão pública ouvidos pelo G1 avaliam que, mesmo com as mudanças aprovadas nesta sexta-feira (19) no estatuto da Caixa Econômica Federal, que entre outros pontos visam reduzir as indicações políticas para cargos no banco, a Caixa continuará sujeita a esse tipo de nomeação.

Nesta semana, quatro dos 12 vice-presidentes da Caixa foram afastados dos cargos por determinação do presidente Michel Temer, que atendeu a recomendações do Banco Central e do Ministério Público Federal.

Alguns dos afastados estão na Caixa há mais de 29 anos e foram indicados para as vice-presidências por partidos políticos (PR, PRB, PP e PMDB) – saiba mais abaixo quem são os afastados e o que eles dizem.

Pelo novo estatuto do banco, eleição e destituição de vice-presidentes passarão a ser função do Conselho de Administração da Caixa, com aprovação pelo Banco Central.

Até então, esse tipo de medida cabia ao presidente da República, por indicação do ministro da Fazenda, ouvindo o Conselho de Administração.

 

G1