Ministro potiguar abre investigação sobre juiz da ‘merdocracia neoliberal neofascista’

O corregedor nacional de Justiça em exercício, ministro potiguar Emmanoel Pereira, determinou a abertura de uma investigação para apurar se o juiz do trabalho Jerônimo Azambuja Franco Neto, da 18ª Vara do Trabalho do Tribunal Regional do Trabalho da 2.ª Região, feriu o Código de Ética da Magistratura ao classificar o momento atual do País de ‘merdocracia neoliberal neofascista’ em uma decisão judicial.

“A Corregedoria Nacional de Justiça tomou conhecimento pela imprensa de que o magistrado teria utilizado uma sentença judicial para tecer comentários acerca de agentes públicos e da atual situação política do país de forma inadequada”, afirma nota publicada pela assessoria de comunicação do CNJ, “o que, em tese, configuraria ofensa ao Código de Ética da Magistratura e a Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman).”

O juiz terá um prazo de 15 dias para apresentar informações a respeito dos fatos narrados na notícia.

Nesta segunda, 20, o Instituto Nacional de Advocacia (Inad) protocolou junto ao Conselho Nacional de Justiça uma representação pedindo punição disciplinar, inclusive aposentadoria compulsória, ao magistrado.

‘Merdocracia liberal neofascista’

Em decisão na quinta, 16, Azambuja caracterizou a atual realidade brasileira como ‘merdocracia neoliberal neofascista’. Ainda, usou despacho de quatro páginas para tecer críticas ao governo Bolsonaro e a alguns de seus ministros ao fundamentar seu entendimento sobre uma ação de danos morais de R$ 10 mil.

“O ser humano Weintraub no cargo de Ministro da Educação escreve ‘imprecionante’. O ser humano Moro no cargo de Ministro da Justiça foi chamado de ‘juizeco fascista’ e abominável pela neta do coronel Alexandrino. O ser humano Guedes no cargo de Ministro da Economia ameaça com AI-5 (perseguição, desaparecimentos, torturas, assassinatos) e disse que ‘gostaria de vender tudo’. O ser humano Damares no cargo de Ministro da Família defende ‘abstinência sexual como política pública’. O ser humano Bolsonaro no cargo de Presidente da República é acusado de ‘incitação ao genocídio indígena’ no Tribunal Penal Internacional.”

ESTADÃO CONTEÚDO

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Deco disse:

    o cabra é revoltado, mesmo….
    Será que é o salário baixo?

  2. joaozinho disse:

    A media salarial de um juiz do trabalho é muito alta para o padrao do povo pobre brasileiro. E ainda tem a sandice de escrever baboseiras ideologicas.. devia é ser demitido, estudou pra isso?

  3. Luciana Morais Gama disse:

    É por essa e outras coisas que muita gente é a favor que acabem com essa Justiça do Trabalho. Eu sou a favor que seja transformada em JUSTIÇA DA SAÚDE. Graças ao PT hoje temos mais DOENTES do que TRABALHADORES.

  4. Jairzinho disse:

    Qualquer vagabundo neste país pode atacar , esculhambar e difamar autoridades do governo atual, nada acontece, mas basta o Presidente ou algum de seus auxiliares , falarem uma palavra, o mimimi da esquerda é gigante . Perderam as eleições e as "boquinhas/têtas". Os privilégios e mordomias , às custas do dinheiro público irão acabar.

  5. Zanoni disse:

    Se não aguenta a pressão do cargo, dê uma de doido e vá tocar violão no Caribe.

  6. Bento disse:

    Bota de castigo
    Volta para alfabetização
    Mande escrever no quadro;
    Devo respeito a maior autoridade desse PAÍS

  7. olha disse:

    Sera punido de forma severa para servir de exemplo. Aposentadoria compulsoria. Recebendo em casa, sem fazer nada, mais de 30 mil reais.

COMENTE AQUI