Mourão assina decreto que autoriza contratação de militares inativos para zerar fila do INSS

Foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 23, um decreto regulamentando a contratação de militares inativos pelo governo federal, solução encontrada para reduzir fila de 1,3 milhão de pedidos de benefício do INSS. O decreto foi assinado pelo vice-presidente Hamilton Mourão, que está no exércicio da Presidência devido à viagem de Jair Bolsonaro para a Índia. As informações são do Estadão Conteúdo.

O Palácio do Planalto informou que o decreto não se restringe ao caso do INSS e este tipo de contrato poderá ser usado em “dezenas de outras instituições”. Os militares contratados terão gratificação de 30% sobre o valor que recebem na inatividade. Eles poderão trabalhar nesta condição por somente 8 anos, ininterruptos ou não.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Edu Costa disse:

    São tantos formandos saindo das universidades, advogados, administradores, gestores públicos, economistas, etc. Que ficam lutando por uma vaga no mercado de trabalho. Essas vagas não poderiam ser deles? Mas o cara é um corporativista!! Mas o pior mesmo disso tudo, é o silêncio do povo brasileiro, se fosse em um passado não muito distante, o mundo teria desabado!!!

  2. Curiosa disse:

    Poderiam contratar pela metade do preço o dobro de pessoas, mas mais uma vez querem contemplar seu eleitorado, enquanto isso o INSS permanece deficitário.

    • Diogo disse:

      Basicamente. Tem tanta gente de 18 a 29 anos querendo qualquer coisa de salário mínimo… O sem futuro pega e vai engordar os militares da reserva. Aliás, não há nenhum razão explícita no serviço para chamar os militares.

  3. Jório disse:

    Pessoal! A situação é Urgente. Que digam os milhares de Segurados esperando meses pela Concessão de um Benefício Previdência Social.
    O concurso demanda muito tempo.
    Os Militares não tem experiência no Serviço dos Previdenciários, como os concursados também não têm. Mas os Militares têm formação Cultural (Educacional – São escolarizados) e podem aprender o Serviço, até porque, têm experiência de Vida, e com certeza vão ter facilidade para aprender o novo serviço.
    Com certeza, entendo que é a melhor solução para o momento.

    • Gilberto disse:

      Existe concurso feito, e aprovados aguardando serem chamados. Isso não é desculpa. Outra coisa, os aprovados no concurso, pelo menos tem o conhecimento teórico, pois precisaram estudar a legislação específica para fazerem o concurso. E os militares? Na verdade o presidente está usando seu lado corporativista, e beneficiar seus eleitores.

  4. Gilvan disse:

    Isso não configura desvio de função? Com a palavra o ministério público. Mi

  5. Neide camargo disse:

    Nossa e esses militares entendem de previdencia ou seria mais uma para que possa ganhar mais um pouquinho.

  6. Tarcísio disse:

    Militar vai fazer o quê dentro de uma agência do INSS. O cara passa o dia marchando, pintando meio-fio e administrando os rolos que eles mesmos criam dentro quartel, como vai trabalhar em setor q não entende bulhufas.

    • CARLOS SAMPAIO disse:

      Vc tem uma visão muito limitada e equivocada acerca da capacidade dos militares! São profissionais preparados ,competentes,disciplinados e determinados! Acredito que a maioria dos militares convocados serão aqueles que atuaram na área administrativa das forças armadas!É com certeza darão conta do recado! Avaliação medíocre está sua!

  7. Anti-Político de Estimação disse:

    "….e este tipo de contrato poderá ser usado em “dezenas de outras instituições”. Será este o fim dos concursos públicos, que incentivam (ou incentivavam) a verdadeira MERITOCRACIA ???????
    Com a palavra, o Ministério Público Federal e a Justiça.

    • Maria disse:

      Será que com contratos temporários de jovens com experiência em TI não seria mais prudente? Ou aposentados do próprio INSS, agora chamar militar aposentado? Nem se fosse pra guerrilhar com Cuba ou Venezuela, numa possível provocação desse governo, isso seria sensato. O pior que o povo tá cego, mudo e surdo com essas loucuras de Bolsonaro.Deus queira que no TCU tenha juiz de juízo.

    • Adeobaldo Nunes disse:

      Tomara que acabe mesmo.

    • Júlio disse:

      Não se trata disso… até porquê, mesmo com os concursos, os cargos comissionados ("meritocaticamente" escolhidos por parentesco, amizade, favor político, etc) continuam dominando e fazendo má gestão no âmbito público! Então não serão os militares aposentados (que prestaram concurso e já cumpriram seus anos de serviço público de fato) que vão prejudicar nada… mas fico imaginando que irão – com a hierarquia a que estarão submetidos – aliviar o fluxo do atendimento, enquanto os técnicos do INSS (já experientes) deixam o balcão e passam à análise técnica, o que possibilita a resolução mais rápida de casos há muito tempo "parados", sem alguém técnico para os analisar e despachar. Ou seja, os militares não vão pra lá só pra tomar cafezinho… aguardemos os resultados, aí ficará mais fácil mensurar a efetividade ou não da decisão.

    • Bento disse:

      O homem tá mandando
      Tem que obedecer
      Simples assim
      A caneta é dele.

    • Chico de Brito disse:

      30% DA REMUNERAÇÃO? É uma bela gratificação…
      Duvido que chamem Sargentos e Cabos pra função… Só vai dar de Tenente pra cima…

COMENTE AQUI