MPF rejeita teste de sanidade mental em agressor de Bolsonaro

O procurador Marcelo Medina rejeitou o pedido dos advogados de Adélio Bispo de Oliveira para a realização de um exame de sanidade mental.

Para Medina, a defesa “não forneceu qualquer elemento concreto – laudo, atestado, prescrição, prontuário, histórico de internações ou afastamentos do trabalho – que suscitasse dúvida fundada sobre a sanidade mental do investigado, como exige a lei”.

“A alegação da defesa prende-se, na essência, aos próprios motivos e circunstâncias do crime, o que, conforme a jurisprudência, não é suficiente.”

O procurador ressalta que a palavra final é do juiz.

O Antagonista