“Não dá para recuperar um roubo de 16 anos em apenas dois anos”, diz Onyx sobre Petrobras


Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, nesta terça-feira, 23, o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, analisou a decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de mudar o comando da Petrobras. Na última sexta-feira, 19, Bolsonaro anunciou a escolha do general da reserva Joaquim Silva e Luna para ocupar o cargo de presidente da estatal.

A decisão ocorreu um dia após o ministério de Minas e Energia comunicar à Petrobras que aconteceriam mudanças em seu corpo de funcionários. O anuncio do presidente chamou a atenção da população e do mercado financeiro, que reagiu com a desvalorização das ações da estatal — até o início da semana, a Petrobrás já havia perdido cerca de R$ 100 bilhões em valor de mercado.

“Não dá para recuperar um roubo de 16 anos em apenas dois anos de governo. Houve uma roubalheira infinita na Petrobras, que contou com a omissão e conivência de muitos funcionários. Desde que Bolsonaro assumiu, a roubalheira acabou. Com muita humildade estamos recuperando o rombo deixado pelo PT, mas precisamos levar em consideração que estamos enfrentando uma pandemia, é difícil. O presidente tomou sua decisão porque aferiu que, quem estava no comando da Petrobras, não correspondia aos interesses do país. Bolsonaro tem direito de fazer essa indicação. No mercado financeiro, as ações da estatal caíram porque houve um ataque especulativo. Podemos esperar da gestão de Joaquim Silva e Luna uma Petrobras equilibrada entre os interesses dos investidores e dos brasileiros”, disse.

Segundo laudo divulgado em 2015 pela Polícia Federal, o rombo na Petrobras, provocado pela prática de crimes como pagamento de propina e cartel, varia entre R$ 6,4 bilhões e R$ 42,8 bilhões. Para os procuradores da antiga força-tarefa da Operação Lava Jato, o valor gira em torno de R$ 20 bilhões.

Reconhecendo a fragilidade da economia brasileira em meio à pandemia de Covid-19, o ministro reforçou que a estabilidade do país apenas será atingida “se todas as reformas econômicas forem realizadas”, em referência às propostas do governo de reforma tributária e administrativa. “Somos um governo que rompe com todos os anteriores e, por isso, tivemos que aprender a ser ameno. As reformas não caminharam muito porque cometemos erros e, lamentavelmente, tivemos na presidência da Câmara o deputado Rodrigo Maia, que tomou atitudes antipatrióticas. Mas isso é passado. Com Arthur Lira na presidência da Casa, tudo fluirá com maior rapidez”, disse.

Mesmo enxergando um aliado em Lira, para que as reformas sejam sancionadas, devem ser debatidas e aprovadas no legislativo. Por isso, questionado sobre a aproximação do governo federal com o “Centrão“, Lorenzoni disse que “não há um país no mundo em que o o presidente não tenha a obrigação de construir uma maioria no parlamento”. “O PT negociava cargos com o ‘Centrão’ de porteiras fechadas e aqui não existem porteiras fechadas. É preciso deixar claro que as relações partidárias acontecem no mundo todo. Antes, o PT dizia aos parlamentares: ‘nós estamos aqui para nos servir.’ Hoje, Bolsonaro diz: ‘nós estamos aqui para servir o povo brasileiro’”, concluiu.

Jovem Pan

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Esse aí não é o acusado de caixa 2 e por não ser do PT, pediu perdão e o talzinho do MORO o perdoou?

  2. Anti-Político de Estimação disse:

    Como se a corrupção tivesse acabado no País, rsrsrsrs. Acredite quem for muito idiota ou mal-intencionado.

    • Xarope disse:

      Ele se refere a Petrobrás.
      Preste atenção sua anta.
      Seu politiqueiro de estimação.
      Tire esse ant.
      Não combina com vc.
      Vc tá todos os dias dando palpites políticos aqui no blog.
      Vc é um político.
      Aí se vc quiser acrescentar o governo Bolsonaro, fica por sua conta.
      O2 anos sem escândalos de corrupção tá??
      Vá trabalhar, produzir pro país, esqueça a política, politiqueiro.
      Mito.
      2022.

    • Anti-Político de Estimação disse:

      Menos ódio e menos fundamentalismo caro leitor. Não se esqueça que nós, os contribuintes (pelos menos os que NÃO SONEGAM IMPOSTOS) somos os patrões desses políticos profissionais.

  3. putis grila disse:

    Ele deveria falar que em menos de dois anos ..o presidente e sua comitiva de ladrões, estão assaltando a Presidência….e tome leite condensado

  4. josé disse:

    Sujo falando do seboso.

  5. Natalense disse:

    Falou o Sr. CX2

  6. Didi disse:

    Tem que abrir essa caixa preta.
    Tem marmota de novo nessa Petrobras.
    Dizem que sobrou uma turma do PT lá dentro.
    Todo cuidado é pouco.
    Esse filme já assistir nos tempos de Querida e Graça Foster.
    Bota pra torar Mito!

    • De cujus disse:

      Abramba caixa preta como abriram a do BNDS. No BNDS só encontraram o véio da avan e Luciano huck.

  7. Luiz disse:

    Esse ladrão foi capacho do pt e so agora vem vem fala de roubo

  8. Alguém disse:

    Kkkkkkkk! Só rindo! É muito desgoverno e terceirização de culpa pra essa turma. O pior é que tem gente cega e apaixonada que ainda acredita. Que país é esse?

  9. zanGado disse:

    Esse governo é uma piada de mal gosto. Um bocado de ladrão, uns confessos, reclamando que outros roubaram, esse daí é do nível de Daniel Silveira, Flordelis, de Roberto Jeferson, Flávio Bolsonaro…

    Governo hipocrita do caramba. Iam resolver tudo, n deu certo bota culpa no PT que o gado acredita até em conto de fadas.

COMENTE AQUI