‘Onda laranja’ vira frustração para o Novo; Amoêdo pede ‘reflexão’

A “onda laranja” ensaiada pelo partido Novo em 2018, com a estreia da sigla nas eleições gerais, chegou às disputas deste ano como uma marolinha. Nem a principal liderança do partido, o ex-presidenciável João Amoêdo, escondeu a frustração pelos 29 vereadores e um prefeito eleitos em 2020, número considerado por ele “aquém” das expectativas.

O clima da sigla neste pós-eleições contrasta com o de dois anos atrás, quando o partido lançou 414 candidatos e elegeu 21 parlamentares, além do governador de Minas Gerais, Romeu Zema. Na corrida pela Presidência daquele ano, Amoêdo surpreendeu: terminou o 1º turno à frente de Marina Silva (Rede), Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias (Podemos), que participavam dos debates, e menos de três pontos porcentuais atrás de Geraldo Alckmin (PSDB). Neste ano, das 620 candidaturas, o Novo elegeu 29 vereadores e um prefeito, o de Joinville (SC), Adriano Silva.

“O nosso desempenho em 2020 ficou aquém daquilo que se esperava do Novo. Isso não tira o mérito e os parabéns aos eleitos, mas deve servir como alerta e reflexão”, diz Amoêdo. “É importante valorizar os resultados, porém é mais importante identificar e aprender com os erros, só assim continuaremos a crescer e ser de fato uma instituição que represente a esperança de mudança para o País.”

O ano foi marcado por disputas internas no Novo. A principal delas envolveu Filipe Sabará, que tentou disputar a Prefeitura de São Paulo, mas foi suspenso pela própria sigla e teve sua candidatura indeferidaSabará afirmou ter sido alvo de uma perseguição promovida por Amoêdo e por uma suposta ala “esquerdista minoritária” dentro do partido, que tem viés liberal. A situação expôs a divisão entre um grupo mais alinhado ao presidente Jair Bolsonaro, que inclui Sabará, Zema e alguns deputados; e críticos do Planalto, como Amoêdo. Um grupo de WhatsApp chamado “Tentando Salvar o Novo”, que reuniu desafetos de Sabará durante a pré-campanha, contribuiu para acirrar os ânimos no diretório estadual da sigla.

Número do Partido Novo nas eleições:

Em 2020: 620 candidatos (30 para prefeito e 560 para vereador); eleitos: um prefeito (Joinville/SC) e 29 vereadores.

Em 2018:  414 candidatos (presidente, cinco para governador, seis para senador, 228 para deputado federal, 125 para deputado estadual e 331 para deputado distrital); eleitos: um governador (Minas Gerais) e 21 parlamentares.

Em 2016: 144 candidatos (um para prefeito e 142 para vereador); eleitos: quatro vereadores.

ESTADÃO CONTEÚDO