Geral

Onze pesquisadores da UFERSA estão entre os mais importantes da América Latina e países BRICS

Foto: Reprodução / Saiba Mais

Onze pesquisadores da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) aparecem na lista dos pesquisadores mais influentes da América Latina (AL) e dos BRICS em todas as áreas da Ciência. Com isso, a Ufersa ocupa a posição 110 da América Latina; e na 286 no ranking dos países que compõem os BRICS, já que cinco dos pesquisadores aparecem nessa lista.

O levantamento é da Alper-Doger Scientific Index 2021 e divulga uma lista dos 10.000 pesquisadores. O sistema foi criado pelos Professores Dr. Murat Alper e Dr. Cihan Doger que utilizaram as informações dos índices Index-i10 e os valores das citações no Google Scholar relacionadas ao histórico total acadêmico dos pesquisadores e às suas publicações nos últimos cinco anos. Ao contrário de outros sistemas que avaliam periódicos e universidades, o AD Scientific Index avalia, especialmente, a produção científica individual dos pesquisadores. Além disso, o índice ordena as instituições com base nas características dos seus cientistas.

Os pesquisadores da Ufersa, listados no índice AD 2021, em ordem decrescente, foram os seguintes: Alexandre Rodrigues Silva, Moacir Franco de Oliveira, Antônio Ronaldo Gomes Garcia, Daniel Valadão da Silva, John Lennon Nunes de Souza, Jael Soares Batista, Francisco Bezerra Neto, Joaquim Odilon Pereira, Vander Mendonça, Glauber Henrique de Sousa Nunes e Salvador Barros Torres.

Segundo o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da Ufersa, o professor Glauber Nunes, o resultado do índice AD 2021 é importante porque aumenta a visibilidade da Universidade. “Coloca a Ufersa no Mapa das instituições que contribuem com o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação na América Latina e Brics, valoriza e incentiva os nossos pesquisadores e mostra a importância da pós-graduação para a instituição”, comentou. O pró-reitor Glauber Nunes é um dos nomes citados na lista.

O professor Glauber Nunes ressalta que 10 dos nomes listados contemplam docentes de Programas de Pós-graduação que têm realizado ciência de alto nível e formado recursos humanos qualificados nos graduação, mestrado e doutorado.

Saiba Mais

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“Negociações estão em construção”, diz Ubaldo sobre ida para o PSDB

Na bancada estadual do PL, o deputado Ubaldo Fernandes afirmou que “ainda não tem nada definido em relação a permanência no PL ou a uma possível saída para o PSDB”, pois as negociações “estão em fase de construção”. O Partido Liberal é presidido no Estado pelo deputado federal João Maia, que hoje se reúne como o presidente do PSDB no RN, Ezequiel Ferreira de Souza.

Ubaldo Fernandes acredita que no decorrer desta e até a outra semana, “poderemos avança quanto ao caminho que iremos estar presentes no processo eleitoral de 2022”.

No entendimento de Fernandes, “existe muitas indefinições, o que retarde essas definições”, principalmente a respeito da formação do palanque eleitoral da oposição: “Isso, estamos acompanhando de perto, mas acredito que em breve saberemos qual será o quadro político em relação às chapas majoritárias e proporcionais”.

Tribuna do Norte
Tribuna do Norte

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid: Brasil tem maior número de mortes desde 8 de outubro

O Conass confirmou 487 novas mortes por covid-19 no Brasil nesta 3ª feira (25.jan.2022) – o maior número desde 8 de outubro de 2021, quando 615 mortes foram registradas. São 623.843 vítimas da doença no país desde o início da pandemia.

Foram registrados 183.722 novos casos de covid nas últimas 24h no Brasil. São 24.311.317 diagnósticos confirmados no total.

A média móvel de mortes voltou a ficar acima de 200 nesta semana depois de mais de 40 dias abaixo da média. A curva apresenta tendência de alta com uma variação de 172% em relação há duas semanas.

Poder 360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

MPF arquiva investigação de Michelle Bolsonaro por suposto favorecimento em empréstimos

A Procuradoria da República do Distrito Federal arquivou nesta terça-feira (25) o processo que investigava a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, em casos de supostos favorecimentos para que amigos conseguissem empréstimos de forma facilitada pela Caixa. As informações são da Folha.

O banco enviou ao MPF (Ministério Público Federal) um ofício negando que tenha havido favorecimento de pessoas próximas à família do presidente Jair Bolsonaro (PL).

O caso foi revelado em 2021 em uma reportagem da revista Crusoé, que implicava Michelle e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, uma vez que ela teria tratado do tema pessoalmente com ele.

IstoÉ

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Eleições municipais de 2024 são entrave para federação entre PT e PSB

Além das divergências sobre os palanques estaduais deste ano, as eleições municipais de 2024 têm representado um entrave nas negociações para que se concretize a federação entre PT e PSB.

Em 2020, por exemplo, ambos os partidos estiveram na mesma coligação em apenas 2 das 26 capitais do país e formaram chapa conjunta em somente 1 delas.

Caso decidam se federar, porém, as siglas serão obrigadas a caminhar juntas nas mais de 5.500 cidades do país daqui a dois anos. A engenharia política a ser montada para que isso ocorra sem maiores intercorrências, na visão de dirigentes petistas e pessebistas, é praticamente impossível.

Parte das duas legendas está empenhada em se unir e formar uma chapa em 2022.

A ideia é filiar o ex-governador Geraldo Alckmin ao PSB para indicá-lo a vice do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e formar uma federação. Disputas sobre eleições estaduais, porém, têm dificultado a evolução das negociações.

Como pano de fundo dessas arestas imediatas está 2024. A avaliação é que a dificuldade para encontrar consensos nos estados do país neste ano será ainda maior no pleito municipal.

Folhapress

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

“Reconhecimento de que somos uma grande nação”, diz Guedes sobre convite para entrada do Brasil na OCDE

Foto: WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, na tarde desta terça-feira, 25, que o convite para a entrada do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é um “reconhecimento de que somos uma grande nação”.

A declaração foi dada em pronunciamento feito no Palácio do Planalto ao lado dos ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, e das Relações Exteriores, Carlos França. “Esse início de processo de acessão é um reconhecimento de que somos uma grande nação”, disse Guedes. Além do Brasil, os governos de Argentina, Bulgária, Croácia, Peru e Romênia também foram convidados para darem início às negociações para a adesão à entidade, em um processo que pode durar de dois a cinco anos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Policiais civis e servidores da Sesed decidem suspender paralisação

Os policiais civis e servidores da Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) do Rio Grande do Norte decidiram, em assembleia geral, na noite desta terça-feira (25), suspender a paralisação iniciada nesta manhã. A decisão foi tomada após discussão com o Governo do RN durante a tarde.

“A categoria espera uma resposta do Governo à proposta que foi apresentada pelo Sinpol-RN [Sindicato dos Policiais Civis] ainda em novembro de 2021 em relação ao ADTS [Adicional por Tempo de Serviço] dos policiais civis. Nesta tarde, os representantes do Comitê Gestor do Governo Estado afirmaram que não tinham tido conhecimento dessa proposta. Ou seja, mesmo o sindicato tendo buscado várias secretarias e conversado com o Gabinete Civil sobre essa proposta, o Executivo não analisou para negociar”, afirma Edilza Faustino, presidente do sindicato.

Edilza ainda afirmou que a causa da paralisação das atividades das categorias se deu por falta de ‘negociação concreta’ e de resposta do Governo. Segundo a representante do Sinpol, os servidores decidiram suspender o movimento por entenderem que a discussão vai voltar à mesa.

“Somente na reunião desta tarde que o Comitê Gestor disse que vai analisar e negociar uma possível solução baseada na proposta protocolada, remarcando uma reunião para a próxima segunda-feira, 31, para nos dar uma resposta. Dessa forma, nós apresentamos o que foi discutido com o Executivo e os policiais civis decidiram suspender a paralisação por entender que o diálogo foi retomado e a proposta será avaliada”, comenta.

Os policiais civis decidiram se manter em assembleia permanente, remarcando o próximo encontro para a próxima segunda-feira (31), a partir das 14h, em frente à Governadoria.

Demandas

Os policiais reivindicam o impedimento da retirada do ADTS, que deve representar uma redução de 35% do salário da categoria. Após a assembleia da noite desta terça (25), a presidente do Sinpol afirmou que “a paralisação foi suspensa, mas a mobilização continua”. “Os policiais não vão aceitar nenhuma redução de salário e nenhuma possibilidade que venha a prejudicar os direitos da categoria. Por isso, esperamos que o Governo leve em consideração o que foi posto pelo Sinpol-RN e encontre a melhor solução para nossa problemática”, destaca Edilza Faustino.

Já os servidores da Sesed, que demandam a implantação de Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração para todos os servidores, também deliberaram pela suspensão de sua paralisação. A reivindicação dessa pauta ainda será cobrada pelo Sinpol-RN, que irá buscar o Gabinete Civil para isso.

Tribuna do Norte

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Correntistas resgatam R$ 900 mil esquecidos em bancos, segundo Banco Central

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Nos dois primeiros dias de funcionamento da nova funcionalidade do Registrato, correntistas resgataram R$ 900 mil esquecidos em bancos e instituições financeiras, informou há pouco o Banco Central (BC).

Antes de o órgão tirar o sistema do ar por causa do grande volume de acessos, cerca de 79 mil pessoas consultaram a ferramenta, com 8,5 mil pedidos de devolução de recursos.

“O Sistema Valores a Receber (SVR) teve grande aceitação entre os cidadãos, gerando demanda muito superior à esperada. A despeito da instabilidade que essa demanda gerou no site, 79 mil cidadãos conseguiram consultar o SVR e 8,5 mil solicitações de devolução foram formalizadas, somando cerca de R$ 900 mil, os quais serão transferidos via Pix em até 12 dias úteis”, informou o BC em nota.

VEJA MAIS: BC cria sistema para clientes consultarem valores a receber de bancos; Cerca de R$ 3,9 bilhões devem ser devolvidos nesta 1ª fase

Segundo o BC, atualmente existem R$ 8 bilhões esquecidos em instituições financeiras no Brasil. Desse total, até R$ 3,9 bilhões podem ser resgatados por até 28 milhões de pessoas e de empresas na primeira fase da ferramenta. Nos próximos meses, o serviço será ampliado para outras modalidades de saque.

Um dia após o lançamento do serviço de consulta a valores esquecidos, o site do Banco Central saiu do ar durante a manhã por causa do excesso de demanda. Durante a tarde, o órgão tirou o sistema do ar, para tentar normalizar o acesso ao portal, que continua apresentando instabilidade.

Consultas

Sistema do BC que agora fornece um extrato de relacionamentos do cidadão com instituições financeiras, até então fornecia consultas apenas sobre dívidas (abertas ou liquidadas), abertura de contas bancárias (ativas ou inativas) e remessas de dinheiro ao exterior.

Com o novo serviço, a ferramenta também fornecerá informações sobre valores a receber esquecidos em bancos.

Para reaver os recursos, o cidadão poderá pedir o resgate de duas formas. A primeira será diretamente via Pix na conta indicada no Registrato, caso a instituição tenha aderido a um termo específico com o BC. Nos demais casos, o beneficiário informará os dados de contato no sistema, e a instituição financeira informará o meio de pagamento ou de transferência.

Nesta primeira fase, podem ser devolvidos recursos de contas correntes ou poupanças encerradas e não sacadas, cobranças indevidas de tarifas ou de obrigações de crédito com termo de compromisso assinado com o BC e cotas de capital e rateio de sobras líquidas de associados de cooperativas de crédito e grupos de consórcio extintos.

Ao longo do ano, o BC pretende ampliar a consulta para a devolução de valores decorrentes de tarifas ou obrigações de crédito cobradas indevidamente não previstas em termo de compromisso, contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas e com saldo disponível, contas encerradas em corretoras e distribuidoras de títulos e de valores mobiliários e demais situações que resultem em valores a serem devolvidos reconhecidas pelas instituições financeiras.

Segundo o BC, os dados e os valores fornecidos no Registrato são de responsabilidade das próprias instituições financeiras. Em alguns casos, o saldo a receber pode ser de pequeno valor, mas o órgão orienta o cidadão a sacar o dinheiro que lhe pertence de forma simples e ágil, por meio do novo serviço.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Ministro das Relações Exteriores diz que Bolsonaro já assinou carta-convite da OCDE

Foto: Evaristo Sá/AFP

Nesta terça-feira (25), após a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) convidar o Brasil e outros cinco países a se associarem à entidade, o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro já assinou a carta-convite feita pela organização.

“O presidente Bolsonaro recebeu a carta com grande satisfação e já assinou a carta de resposta, que foi minutada pelo Itamaraty, e, neste momento, esperamos que, quando chegar a carta à OCDE, a organização prepare um roteiro de adesão, que vai ser aprovado pelo seu conselho, e depois haverá reuniões em cerca de 40 comitês da organização”, informou França.

As declarações foram dadas em coletiva de imprensa realizada no Palácio do Planalto, em Brasília, que contou com a presença dos ministros Carlos França (Relações Exteriores), Ciro Nogueira (Casa Civil) e Paulo Guedes (Economia).

O ministro das Relações Exteriores contou que determinou a criação de uma unidade dedicada exclusivamente às relações com a OCDE, com formação de novos quadros e diplomacia econômica. França instaurou também a formação de uma equipe de negociadores, que coordenará as negociações com a organização no roteiro de acessão.

O titular não informou a quantidade nem os gastos implicados na nova medida, mas disse que ela foi aprovada pela equipe do Ministério da Economia.

A OCDE foi fundada em 1961 e reúne países com os maiores índices de desenvolvimento econômico e humano. Apelidada de “clube dos ricos”, ela atua na cooperação e discussão de políticas para guiar os países associados.

Mais cedo, a organização anunciou a abertura de negociações com Brasil, Argentina, Bulgária, Croácia, Peru e Romênia para se associarem à entidade. A partir de agora, serão estabelecidos roteiros individuais para cada um dos seis países, que alinharão termos, condições e processos de adesão.

“Não há prazo para a conclusão dos processos de adesão. O resultado e o cronograma dependem da capacidade de adaptação e ajuste de cada país candidato para se alinhar aos padrões e às melhores práticas da organização”, disse a OCDE em nota.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Biden xinga jornalista da Fox News de “filho da puta estúpido” durante coletiva

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, xingou um jornalista durante coletiva de imprensa na segunda-feira (24). O democrata não notou que o microfone estava ligado e deu uma resposta super irônica ao repórter Peter Doocy, da Fox News.

Biden falava, em coletiva de imprensa, sobre o controle da inflação no país. Doocy, então, gritou uma última pergunta quando as equipes se retiravam: “Você vai aceitar perguntas sobre a inflação? O senhor acha que a inflação é uma ameaça política para as midterms? [eleições realizadas em novembro, no meio do mandato]”.

O presidente, então, debochou: “Não, isso é um grande trunfo, mais inflação”. E, sem perceber que o áudio continuava ligado, emendou: “Que filho da puta estúpido”.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

OCDE aprova convite para Brasil iniciar negociação de adesão à entidade

OCDE, Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, OECD em inglês | Imagem: Getty Images

O conselho de ministros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) aprovou nesta terça-feira (25) convite para que o Brasil inicie a abertura de discussões para adesão à entidade.

De acordo com o ministro das Relações Internacionais, Carlos França, o governo brasileiro já recebeu formalmente o convite enviado nesta terça, e o presidente Jair Bolsonaro assinou a carta-resposta com o aceite à abertura do processo de adesão.

O convite é uma proposta formal para que o país passe a negociar sua entrada na organização, mas não significa a adesão imediata. A previsão é que a entrada efetiva ocorra em três a cinco anos, depois que o país passar a cumprir as mais de duas centenas de normas da OCDE e seja aprovado como sócio.

Segundo França, o governo espera agora a proposta de um roteiro para essa adesão, que dever ser preparado pela organização e apresentado ao Brasil. Nos próximos anos, o Brasil terá que aderir a mais 150 normas da entidade para ter sua adesão final aprovada. Segundo o ministro, o país já aderiu a 103.

“Brasil já está em um estado avançado de convergência com a OCDE e já aderiu a 103 instrumentos”, disse França em uma declaração à imprensa no Palácio do Planalto com os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, e da Economia, Paulo Guedes.

Além do Brasil, outras cinco nações que também estavam na fila de espera –Argentina, Peru, Romênia, Bulgária e Croácia– também receberam o convite. O comunicado oficial foi enviado a todos os seis países nesta terça e a entidade destacou que foi feito uma análise do processo dos seis países até agora antes de o convite ser feito.

“Não há prazo para a conclusão dos processos de adesão. O resultado e o cronograma dependem da capacidade de adaptação e ajuste de cada país candidato para se alinhar aos padrões e melhores práticas da Organização”, disse a entidade em um comunicado, destacando que cada um dos seis terá um roteiro a cumprir para a adesão oficial.

O Brasil negocia sua entrada no grupo desde 2018, mas até agora o convite formal não havia sido feito. Ainda em 2017, durante o governo de Michel Temer, foi iniciado o processo de aproximação, inclusive com a decisão de criar uma embaixada brasileira na sede da OCDE, em Paris.

No atual governo, a adesão foi colocada como prioridade pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e o país passou a iniciar seu processo de adequação às normas da organização. No entanto, o convite formal demorou mais do que o esperado.

Em março de 2019, durante visita oficial do presidente Jair Bolsonaro a Washington, o então presidente norte-americano, Donald Trump, prometeu o apoio dos EUA à entrada brasileira no grupo. No entanto, em outubro do mesmo ano, o secretário de Estado de Trump, Mike Pompeo, enviou um documento ao então secretário-geral da entidade, Angel Gurría, defendendo apenas a entrada imediata de Argentina e Romênia.

Apenas em janeiro do ano seguinte os EUA formalizaram o apoio ao Brasil, mas a mudança de governo norte-americano atrasou mais uma vez o processo. Apenas no fim de 2021 o governo de Joe Biden se manifestou favorável à entrada não apenas do Brasil, mas dos outros cinco países que esperavam pelo convite para adesão.

Em setembro de 2021, o novo secretário-geral da OCDE, Mathias Cormann, começou a negociar uma fórmula para iniciar a adesão de todos os seis ao mesmo tempo, mas o processo só deslanchou com o aval dos norte-americanos, no fim do ano.

Exame

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *