Orientação para que a população ficasse em casa mesmo com sintomas do Covid foi um grande erro, diz presidente dos sindicatos dos médicos do RN

Passados alguns meses desde o início da pandemia, algumas análises já apontam possíveis erros que foram cometidos no início do combate à covid-19 no Rio Grande do Norte, assim como em todo o Brasil. Entre eles, segundo o presidente licenciado do Sinmed, Geraldo Ferreira, está a orientação que foi repassada para que a população ficasse em casa mesmo com sintomas e que só procurasse atendimento médico se acometida por falta de ar.

“Não bastava isolar a população, os pacientes tinham que ser tratados. A insistência do governo em divulgar que as pessoas só fossem às unidades de saúde se tivessem falta de ar foi talvez o grande erro, os muitos que chegaram já graves perderam a chance de recuperação”, disse Geraldo Ferreira, que é médico anestesiologista.

Ainda segundo ele, a orientação para o uso sistemático de máscara teria protegido mais as pessoas e freado a velocidade da infecção. A instituição de tratamento profilático para os profissionais de saúde e grupos populacionais de risco e o tratamento precoce aos primeiros sinais da Covid teria dado resultados mais favoráveis no Rio Grande do Norte.

Fonte: Portal Grande Ponto

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Elza Soares disse:

    Dr. Geraldo o senhor mancha a categoria dos médicos.

  2. Cris disse:

    Dr Geraldo desde o início da pandemia tem sido coerente e defensor da vida.
    É só buscar os pronunciamentos, as falas, os posicionamentos após as visitas que fez. Um homem de bem.
    Já a Gov do RN ficou entocada. Não fez uma visita a uma Upa, a um hospital. É bem verdade q é uma pessoa de risco, contudo uma autoridade pública, governadora de um estado não poderia abandonar a população. Não cumpriu o seu papel. E só para lembrar enviou 5 milhões para comprar respiradores a uma empresa fantasma, enviou mais outros tantos milhões para outra e ainda quis comprometer a justiça Federal, o CREMERN e o MP ao afirmar q tinha respaldo dessas instituições.
    Ainda falta explicar o gasto de 147 milhões em EPIS …e a ajuda de milhões enviados pelo GOVERNO FEDERAL, governo este que por determinação do STF só podia mandar as verbas pq os governadores e prefeitos eram os manda chuvas.

  3. João Macena disse:

    Concordo com vcs, Bawer e Delgas. Tarcísio Eimar, saúde p vc. João Macena.

  4. Luciano disse:

    A governadora não sabia o que fazer e mandava o povo ficar em casa esperando piorar pra ir pro hospital ser entubado e aí rezar pra não morrer, se tivesse tratado desde o começo com hidroxicloroquina ou ivermectina teria salvado muitas vidas.

  5. Manoel disse:

    Ficaram em casa esperando a morte chegar, porque o governo não providenciou leitos a tempo de salvar a vida deles, o certo era tratar precocemente desde o começo, só agora descobriram isso, mas antes tarde do que nunca, muita gente deixará de morrer desnescessariamente.

    • Babita disse:

      Vc parece que invalidou seu discurso..morrer desnecessariamente e desde quando uma morte é necessária? Sem entender tu Caio.

  6. Sérgio Fernandes disse:

    Esse presidente, com todo respeito, é uma lenda, ele queria um show da Banda Grafith em frente ao hospital Walfredo Gurgel, em plena pandemia, e agora vem com essa… Tenha dó.

  7. Santos disse:

    Esse sindicato é aquele que em 2 de maio, em meio a pamdemia, ia promover um show da banda Grafith em frente ao Walfredo Gurgel? Ah… ta… entendi.
    Ok! Num precisa dizer mais nada.

  8. Carlúcio disse:

    O covid 19 por ser desconhecido deve-se entender qualquer decisão tomada.

  9. Zé Mané disse:

    Morrer em casa ou na porta do hospital.

  10. Tarcísio Eimar disse:

    Acredito que faltou eficiência no início para os q tiveram os sintomas. Estou com sintomas desde sexta feira e ontem fui medicado com azitromicina e ivermectina e já estou sentido a melhora.

  11. Marconi disse:

    A hipocrisia neste país chega a beira da irresponsabilidade. No início e durate a pandemia as pessoas com sinais de covid 19 eram orientados a ficarem em casa pq não se fazia testes ou resultados demoraram muito e na dúvida era melhor ficar em casa para evitar se contaminar caso não estivesse com a doença. No desenrolar da doença aqui no RN não se testava eficientemente ou coisa pior, não existiam leitos suficientes. Então as pessoas ficavam em casa por falta de opção ou precaução inicial. Agora você associar as melhorias nos números por remédios que sabemos que não existem comprovoção científica alguma é temerável. É pior, muitos vendendo a cloroquina ou ivermectina como a solução dos problemas. Mas não esquentem não pois muitos médicos e pessoas públicas que difundiram isso para a população serão representados nos seus conselhos e o Ministério público acionará muitos na medida de sua responsabilidade ou exposição. Uma coisa é um leigo falar sobre isso, outra coisa é um médico ou pessoa pública. Não é que não deva se prescrever qualquer droga aos seus pacientes mas divulgá-las como solução para a doença como fizeram muitos médicos e pessoas públicas. Isto chega à beira da irresponsabilidade ou insensatez.

  12. Felipe disse:

    Onde estava esse "especialista" quando estávamos no pico? Agora que estamos descendo a curva vem os oportunistas pra dizer que era assim ou assado…

  13. Mgil disse:

    Então…Bolsonaro tinha razão. Difícil aceitar, mas tinha. E agora? Quem se responsabiliza por centenas de mortes que poderiam ter sido evitadas?

    • Patriota disse:

      Não. Bolsonaro só fez merda e vai pagar por isso e quem o apoia é cúmplice. A justiça divina não perdoará.

  14. Eu disse:

    … ficar em casa com os sintomas e só procurar atendimento quando houver falta de ar… que atendimento, existia leitos clínicos ou uti disponíveis para tratamento?? Resultado: sentença de morte!! O governo do PT sim tratou a doença como uma "gripizinha " e a população menos assistida pagou com a vida, sem tratamento digno.

  15. Costa disse:

    Incrível a vontade de criar erros (só para os outros).
    Todos os doentes de COVID, mesmo em casa, procuraram ajuda médica.
    Os hospitais e UPAS já estavam superlotados, mas o distinto comentarista parece agora desejar que tivessem virado o mais completo caos com ainda mais exacerbados índices de contaminação.

    Dúvida verdadeira: licenciado por quê?

  16. Bawer disse:

    Os verdadeiros genocidas são: OMS, STF, Senadores e deputados contrários ao uso profilático do protocolo da cloroquina e prefeitos e governadores corruptos, que não quiseram ouvir nem confiar nos vários profissionais que estavam do lado do governo federal tentando somar forças para combater com as armas que tinham mesmo não sabendo a eficácia, hoje teríamos muitas e muitas familias felizes com seus entes queridos curados.

  17. Delgas disse:

    Dr. Geraldo está CERTO e ao mesmo tempo MUITO ATRASADO. Há meses que o presidente e parte da sua equipe defendem o tratamento precoce. Os chutados Mandetta e Teich recusaram por não ser comprovado. Ora, na guerra, ATIRE COM O QUE TEM. Tomei azitromicina diversas vezes na vida. Que mal faria? Tomei aos primeiros sintomas em abril, inclusive. Além do quê, vacina e tratamentos comprovados demoram meses. Natal está se aproximando das 700 mortes por milhão. Se fosse um país, só não estaria pior que a Bélgica.

  18. natalsofrida disse:

    Pra mim isso é mandar a populaçao ir pra casa morrer. Quem vai se responsabilizar pelas mortes? O remédio foi enviado e por decreto o povo ficou em casa doente e muitos morreram. E agora ? Cadê os deuses da justiça? E o stf? Imaginem se isso fosse feito pelo presidente?

    • Minion alienado disse:

      Quer seguir o exemplo dos EUA? Achismo ideológico? Faça uma festa do covid, veja o resultado e depois diga.

  19. Valeriano Alves disse:

    Geraldooooo…Palavras só palavras…Vai pra casa GERALDO…

COMENTE AQUI