Pesquisa expõe ‘abismo’ entre os eleitores simpatizantes de Lula e Bolsonaro no país

Analisados sob a ótica de renda familiar, escolaridade, gênero, idade e região, simpatizantes de Lula e votantes de Bolsonaro estão em polos opostos. É o que mostram os resultados da pesquisa Datafolha sobre intenção de votos para 2018 que apontou Lula, do PT, na liderança da corrida, com Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSC) tecnicamente empatados em segundo lugar.

Considerando-se um entre os seis cenários testados pelo instituto, Lula tem nas mulheres a maioria de seu eleitorado. Já o deputado federal deve aos homens sua projeção. Dos eleitores de Bolsonaro, um terço tem até 24 anos, enquanto que Lula tem o dobro de eleitores entre os com mais de 60 anos. O petista tem sua melhor performance entre aqueles que completaram o ensino fundamental. Dos apoiadores de Bolsonaro, quase um terço tem ensino superior. O eleitor de Lula tem forte identidade partidária, enquanto os de Bolsonaro não são apenas apartidários, mas refratários a partidos políticos: 73% deles dizem não confiar nas agremiações, o maior índice da pesquisa, descontados os entrevistados que declararam votar nulo ou branco.

Os simpáticos a Bolsonaro estão no sudeste e os de Lula, no Nordeste. Os eleitores de Lula são pobres — mais da metade têm renda familiar de até R$ 1.874. Dos que declararam escolher Bolsonaro, apenas um quarto está nesta faixa de renda. O cenário sugere que classes econômicas e sociais podem vir a se traduzir, em 2018, em classes políticas claras.

— De um lado estariam os lulistas, aqueles que se beneficiaram das políticas sociais do governo Lula, mas que não necessariamente são partidários do PT. Do outro, surge um eleitorado que tende à extrema direita, que busca uma ação forte, uma imposição da vontade, típicos de movimentos como o visto com o presidente americano Donald Trump — afirma o cientista político Cláudio Gonçalves Couto, da Fundação Getúlio Vargas.

Os atores políticos têm vocalizado essa polarização. Lula afastou-se do perfil “Lulinha Paz e Amor” que o levou à Presidência em 2002, depois de ter angariado a simpatia de empresários e banqueiros com o tom ameno adotado na “Carta ao Povo Brasileiro”. Questionado em entrevista ao SBT na semana passada se o mercado financeiro deveria temer uma guinada à esquerda em um possível retorno seu à Presidência, Lula respondeu:

— O mercado pode temer sim, sabe por quê? Porque o Banco do Brasil vai voltar a ser banco público, porque a Caixa Econômica vai voltar a ser banco público, porque o BNDES vai voltar a ser banco público.


Do outro lado, o tom elevado de Bolsonaro, que já defendeu o fechamento do Congresso, segundo ele para vocalizar uma indignação popular, e defendeu “porrada” para combater a violência tem conquistado a simpatia de uma parcela cada vez maior do eleitorado.

— Há um grupo aí que chega a um quinto do eleitorado e que tendia ao PSDB por falta de opção. Agora, eles optam por Bolsonaro e podem puxar os partidos de centro mais para a direita — afirma Couto.

ELEITORADO DE MARINA

Isso explicaria o tom cada vez mais assertivo do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que tem se posicionado claramente contra movimentos como a greve geral, a favor da reforma trabalhista e em oposição a Lula. Doria, que desponta como um dos presidenciáveis tucanos com maior chance de eleição, já que a elite do partido foi atingida pela delação de executivos da Odebrecht, pode atrair para si não apenas eleitores centristas, mas retirar de Bolsonaro parcela de seus simpatizantes. Com o propósito de ser terceira via, Marina Silva aglutina um eleitorado de características híbridas: liberal na economia e esquerdista em questões sociais. Em um cenário de polarização crescente, Marina pode acabar desidratada na disputa entre os dois lados por eleitores que desequilibrem a disputa.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Walter disse:

    Pessoal agora eu sou Lula 2018
    Pois faz mais de 10 anos quero mudar do Brasil
    E minha família foi sempre contra
    Agora eles disseram que se Lula ganhar nós iremos mudar
    Lula 2018 viva

  2. Botelho Pinto disse:

    Faltou informar que Bolsonaro tem apenas uma minúscula quantidade de votos. Mais ou menos igual a quantidade de pessoas sem noção que existe.
    O fato é que Lula, por sorte, segundo FHC, fez um governo melhor para a economia e para a maioria da população, por isso é praticamente imbatível em 2018. A única forma de impedir será prendendo. E se prender, o risco de uma convulsão social é muito grande. Colocaria em risco a recuperação da economia.
    O Brasil está num mato sem cachorro. Só nos resta torcer para que a sorte volte novamente com Lula.

    • Ceará Mundão disse:

      Vc é mais um petista inconsequente, provavelmente defendendo interesses próprios e/ou de parentes. Lula é o chefe dessa turba que destruiu o nosso Brasil e protagonizou a maior onda de corrupção da nossa história. Uma corja que detesta democracia e que prefere ditadores e ditaduras amigos, prá onde inclusive mandaram nosso dinheiro. É por causa de voces que o nosso Brasil está nessa situação caótica. Mas há os pouco instruídos e os menos afortunados, massa de manobra enganada por voces e comprada por tostões.

  3. Giselle disse:

    "Quanto aos eleitores do Bolsonaro, são pessoas livres, democratas, de boa instrução (não sujeitos a qualquer doutrinação, portanto), defensores da família, da moral, dos bons costumes e da ética, patriotas que verdadeiramente querem o melhor pro nosso país e pro povo brasileiro, defensores do trabalho e da meritocracia, da ordem e do progresso". Valha em que mundo esse ser humano vive????Pessoas de boa instrução??? Só tem doido nesse país…

    • Ceará-Mundão disse:

      Acho que vc sequer leu a pesquisa acima.

    • Ceará-Mundão disse:

      Aconselho voltar ao texto e observar os resultados da pesquisa prá "identidade partidária", "escolaridade" e "renda familiar". Quem se identifica ou é filiado a partido, não detém bom nível de instrução ou razoável condição financeira não pode ser considerado "livre" na real acepção da palavra. Alguém nessa condição estará sempre sujeito a interesses partidários, à doutrinação ideológica ou a "esmolas" eleitoreiras ofertadas pelo governante de plantão.

  4. Fausto disse:

    Eu sinceramente teria até vergonha de fazer um comentário tão preconceituoso igual essa pessoa fez…talvez por isso seu anonimato…Por essa e
    outras razões o Brasil caminha p um final obscuro, sem educação,saúde e principalmente sem princípios!!!!

    • Ceará-Mundão disse:

      Não há nada de preconceituoso, meu caro petista. Essa é a verdade. E veja que tem base na pesquisa feita. Veja o grau de instrução. Veja quem defende seus "bandidos prediletos" e porque fazem isso. Simplesmente lutam pela recuperação das "boquinhas" perdidas ou tentam defender as que ainda existem. A contribuição é uma dessas "boquinhas" ainda existentes. Quanto ao "anonimato", todos aqui usam pseudônimos, inclusive você. O final obscuro do Brasil é exatamente por causa dessa corja esquerdista que roubou "como nunca na história deste país" (lembrou de alguém?) e que destruiu o nosso Brasil em todos os aspectos: moral, econômico, educacional… Nada no nosso país funciona a contento. Que "princípios" você acha que essa quadrilha que nos governou por mais de 13 anos tem? Que "princípio" alguém que chama condenados por corrupção de "herói" e "guerreiro do povo brasileiro" tem?

  5. ZE Leitão disse:

    Pesquisa feita pelo PT não tem verdade

  6. Ceará Mundão disse:

    Não precisa de muita lenga lenga. A coisa é muito simples. Os eleitores do Lula dividem-se em duas categorias: 1) pobres coitados sem instrução e sujeitos à doutrinação esquerdista e a esmolas eleitorais; 2) sabichões que detestam democracia, o Brasil e o seu povo, preferindo ditadores e ditaduras "camaradas" que já mataram muitos adversários e ainda continuam levando países ao caos (vide a Venezuela) e que se aproveitam justamente dos "pobres diabos" prá custear suas "boquinhas", sua boa vida, sua vagabundagem com dinheiro público. Quanto aos eleitores do Bolsonaro, são pessoas livres, democratas, de boa instrução (não sujeitos a qualquer doutrinação, portanto), defensores da família, da moral, dos bons costumes e da ética, patriotas que verdadeiramente querem o melhor pro nosso país e pro povo brasileiro, defensores do trabalho e da meritocracia, da ordem e do progresso. E não precisa gastar dinheiro com pesquisa prá entender essas diferenças. É transparente.

COMENTE AQUI