PF faz busca na casa da mulher do governador de MG Fernando Pimentel (PT)

carolina-oliveiraA casa da primeira-dama de Minas Gerais, Carolina Oliveira Pimentel, mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, foi um dos alvos na manhã desta sexta-feira da Operação Acrônimo, da Polícia Federal, que tem como alvo empresários que doaram para partidos políticos na campanha de 2014. No total, 30 endereços de pessoas físicas e 60 empresas de Minas, Rio Grande do Sul, Goiás e Distrito Federal foram incluídas na operação.

Antes de se casar com Fernando Pimentel, Carolina trabalhava como sua assessora de imprensa do petista no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Ela era contratada por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), órgão vinculado ao ministério liderado, na época, pelo petista.

O principal alvo da operação desta sexta, o empresário Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, mais conhecido como Bené, atuava na produção de materiais de comunicação para campanhas e também para órgãos do governo federal.

A ação da PF ocorreu no endereço onde Carolina vivia antes da eleição de Pimentel. Atualmente, a primeira-dama mora no Palácio dos Mangabeiras, em Belo Horizonte, residência oficial do governador do estado.

Procurado pelo GLOBO para comentar a ação na casa da primeira-dama, o governo de Minas informou, apenas, que “não é objeto de investigação neste processo”. A assessoria do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), no qual ela preside, informou que Carolina deve se pronunciar mais tarde.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. oswaldo disse:

    kkkkkkk e aja demência nessa galera eleitora do partido do MENSALÃO e PETROLÃO!!!

  2. Juca Chaves disse:

    Só pra complementar Rubens,
    "Veja: Lentidão da instituições e recursos infindáveis anulam supostos crimes que nem sequer foram julgados."
    Pesquisando, encontramos casos inúmeros de políticos que, pela morosidade da Justiça, do Ministério Público Federal (MPF), da Procuradoria Geral da República (PGR), da Polícia Federal (PF), ou pelo grande número de recursos previstos nas leis processuais, entre outros fatores, nunca tiveram que enfrentar os tribunais por crimes supostamente cometidos.
    Um exemplo é o caso do ex-prefeito de Curitiba, Cássio Taniguchi (DEM), condenado em 2010, e que foi, então, o segundo político da história considerado culpado pelo STF desde a Constituição de 1998. Ele teve a pena de seis meses de prisão anulada porque os crimes preescreveram.
    A juíza Neide da Silva Martins, da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte, decretou extinta a punibilidade de Cláudio Mourão, ex-tesoureiro da campanha à reeleição do Tucano Eduardo Azeredo (PSDB) ao governo de Minas Gerais em 1998. A juíza concordou com pedido da defesa e entendeu que Mourão completou 70 anos e não pode ser mais punido pelas acusações de lavagem de dinheiro e peculato, investigadas no processo que ficou conhecido como mensalão mineiro.
    Outro exemplo: STF condena deputado paranaense, mas crime prescreveu.
    O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) condenou, nesta quinta-feira, o ex-prefeito de Curitiba e atual deputado federal Cássio Taniguchi (DEM) por crimes de responsabilidade. No total, ele foi condenado a seis meses de prisão, mas as penas não serão cumpridas porque os crimes a prescreveram em 2004.

  3. Juca Chaves disse:

    Seria Rubens…
    Se o "modus operandi" da Operação fosse o mesmo nos casos de FURNAS, CEMIG, HELICOCA, BRUNO COVAS, CARLINHOS CACHOEIRA, EDUARDO AZEREDO, DANIEL DANTAS…
    Alienados como vc só entendem o que passa na Rede Globo. E pouco vc percebe além do espaço entre seu nariz e o umbigo. Não sabe o que é Política e muito menos Politicagem. Não vê nas entrelinhas de um país onde milhares de processos simplesmente não andam e somente os que envolvem petistas tem celeridade.
    Isso não ao menos estranho?
    Porque essa celeridade não atinge "outros" Processos?
    Resposta: Por que Tucano tem Proteção e só é atingido quando morre.
    Ou vc é um completo alienado ou um completo fanático.
    Se não for verá que esse procedimento de dar prioridade aos processos contra petistas e arquivar (ignorando, engavetando, esquecendo…) os que envolvem poderosos de outros partidos como os Tucanos e Democratas.
    Hipocrisia e Seletividade tem limites.
    Vamos ser sinceros e justos e pedir que apure todos os casos e não apenas alguns, senão fica claro a caracterização do uso das instituições apenas para perseguir e se vingar de adversários políticos. É o famoso "tapetão". Perdeu nas eleições e quer virar o jogo nos bastidores com jogadas de ameaça e manipulações.
    Estudar história e fazer a ligação com o passado é bom pra perceber que a história está se repetindo. Pois aqueles que defendem hoje o impeachment e criam o clima de instabilidade e de radicalização são os mesmos golpistas históricos de 1954 e de 1964: as classes privilegiadas que temem o progresso e os resultados da democracia e não os aceitam.

    Pois se for verdade a intenção de passar o Brasil a limpo: "Que seja dado um basta à corrupção, mas com uma varredura geral, pelo menos a partir de Vargas, com nomes aos bois".

  4. Rubens Cardoso disse:

    Seria mais uma inocente perseguida pelos inconformados na eleição?
    Seria mais uma operária reprimida pelos opositores da elite?
    Seria mais uma inocente útil do PT investigada pelas mãos opressoras da oposição?
    Qual será a desculpa a ser usada pelo PT para tentar encobrir as ações de seus aliados, todos inocentes, por mais que se descubra enroladas, desvios, atos ilegais.
    Aliás o PT até agora não sabe a razão do mensalão e do petrolão, afinal eles não tem envolvimento, não participaram de nada, nem mesmo das indicações dos diretores da petrobras.

COMENTE AQUI