Geral

Reservas hídricas estaduais somam 44,66% da sua capacidade total em meados de setembro; veja situação das barragens, açudes e lagoas pelo RN

Foto: Reprodução/@igarnrn

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora 47 reservatórios, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado nesta quarta-feira (15), demonstra que as reservas hídricas superficiais totais do RN somam 1.954.629.994 m³, percentualmente, 44,66% da sua capacidade total, que é de 4.376.444.842 m³. No dia 15 de setembro de 2020, as reservas hídricas somavam 2.295.329.769 m³, equivalentes a 52,44% do seu volume total.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, acumula 1.258.136.519 m³, correspondentes a 53,02% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.510 m³. No mesmo período de setembro de 2020, o manancial estava com 1.455.429.403 m³, equivalentes a 61,33% do seu volume total.

Segunda maior barragem do RN, Santa Cruz do Apodi acumula 234.733.420 m³, equivalentes a 39,14% da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³. No mesmo período de 2020, o reservatório estava com 197.177.500 m³, percentualmente, 32,88% do seu volume total.

A barragem Umari, localizada em Upanema, acumula 192.493.399 m³, correspondentes a 65,74% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. No mesmo período de setembro de 2020, o reservatório estava com 249.070.420 m³, equivalentes a 85,06% do seu volume total.

Os reservatórios monitorados pelo Igarn que ainda estão com mais de 80% da sua capacidade, são: o açude público de Encanto, com 86,55%; Rodeador, localizado em Umarizal, com 82,22%; Passagem, localizado em Rodolfo Fernandes, com 83,53%; açude público de Marcelino Vieira, com 81,82% e Riacho da Cruz II, localizado em Riacho da Cruz, com 86,57%.

O açude Apanha Peixe, localizado em Caraúbas, acumula 7.933.333 m³, correspondentes a 79,33% da sua capacidade total, que é de 10 milhões de metros cúbicos. No mesmo período de setembro de 2020, o manancial estava com 9.516.667 m³, equivalentes a 95,17% do seu volume total.

O açude Morcego, localizado em Campo Grande, acumula 2.853.082 m³, correspondentes a 42,53% da sua capacidade total, que é de 6.708.331 m³. No dia 15 de setembro do ano passado, o reservatório estava com 5.567.341 m³, equivalentes a 82,99% do seu volume total.

O açude Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, acumula 6.434.613 m³, percentualmente, 14,49% da sua capacidade total, que é de 44.421.480 m³. No mesmo período do ano passado o reservatório estava com 11.917.237 m³, correspondentes a 26,83% do seu volume total.

O açude Dourado, localizado em Currais Novos, acumula 2.317.776 m³, equivalentes a 22,46% da sua capacidade total, que é de 10.321.600 m³. No mesmo período de setembro do ano passado, o manancial estava com 8.337.043 m³, correspondentes a 80,77% do seu volume total.

Já os mananciais monitorados pelo Igarn que estão em nível de alerta, com volumes inferiores a 10% da sua capacidade atualmente são 5: o Caldeirão de Parelhas, localizado em Parelhas, com 9,45%; o açude público de Cruzeta, com 5,57%; o açude Itans, localizado em Caicó, com 2,51%; o Zangarelhas, localizado em Jardim do Seridó, com 1,9% e o Esguicho, localizado em Ouro Branco, com 0,3% da sua capacidade.

Os açudes monitorados pelo Igarn que estão secos são: Inharé, localizado em Santa Cruz e o Trairi, localizado em Tangará.

Situação das Lagoas

A lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte da capital, acumula 10.218.654 m³, correspondentes a 92,73% da sua capacidade total, que é de 11.019.525 m³.

Já a lagoa do Bonfim, responsável pelo abastecimento da adutora Monsenhor Expedito, acumula 40.819.947 m³, percentualmente, 48,44% do seu volume total, que é de 84.268.200 m³.

A lagoa do Boqueirão, que atende a usos diversos, acumula 9.527.963 m³, correspondentes a 86,03% da sua capacidade total, que é de 11.074.800 m³.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

CPI da Pandemia pediu, mas STF negou busca e apreensão no Ministério da Saúde

Foto: Divulgação/Ministério da Saúde

A CPI da Pandemia pediu, mas o Supremo Tribunal Federal (STF) negou que fosse realizada operação de busca e apreensão no Ministério da Saúde para obtenção de documentos relacionados ao contrato da Precisa Medicamentos com o laboratório indiano Bharat Biotech. O Procurador-Geral da República, Augusto Aras, endossou a decisão da Corte.

“No que diz respeito ao Ministério da Saúde, não há como deferir a medida pleiteada. Não se desconhece o dever constitucional inerente a órgãos e entidades públicas de prestar informações de interesse, coletivo ou geral, por eles produzidas ou custodiadas, sob pena de responsabilidade”, afirmou Aras, no documento assinado no dia 2 de setembro ao qual a CNN teve acesso.

“Todavia, nos moldes em que [foi] pleiteada, não se trata de medida mais adequada a ser tomada com vistas à consecução dos documentos pleiteados pela CPI, devendo ser decretada em ultima ratio para alcance dos objetos da persecução penal, indícios de autoria e materialidade”, diz Aras, Ele diz ainda que há “alternativas menos onerosas podem ser previamente tomadas com vistas à obtenção das informações pleiteadas pela CPI e que também não foram apresentados indícios de destruição ou ocultamento que afaste a presunção de guarda da documentação dos órgãos públicos.”

Além disso, declara que “informações sensíveis e sigilosas, que não dizem respeito ao objeto da CPI, podem ser indevidamente capturadas, e prejudicar o interesse público da função exercida naquele ministério”.

Neste sentido, Aras se manifestou pelo “parcial deferimento do pedido, no sentido de deferir a busca e apreensão apenas na sede da empresa Precisa Medicamentos, nos termos requeridos pela peticonante, a excetuar a delimitação de apreensão de documentos referente a Bharat Biotech”.

No pedido elaborado pela CPI e obtido pela CNN, a Advocacia-Geral do Senado “requer a execução simultânea de busca a apreensão no Ministério da Saúde com o objetivo de:

coletar elementos de prova relacionados aos ilícitos apurados pela Comissão Parlamentar de Inquérito, em especial documentos, informações e arquivos, físicos ou digitais, relacionados ao processo de aquisição do imunizante Covaxin e a requisições aprovadas pelo colegiado, mas não respondidas, ou respondidas de maneira incompleta;

apreender documentos, arquivos físicos ou digitais, smartphones, computadores, notebooks, discos rígidos, dispositivos de armazenamento de dados, mídias digitais (DVD, Blu-ray, CD-ROM e similares) e quaisquer outros objetos que, a juízo ponderado do executor da ordem, puderem ser utilizados na comprovação da materialidade e autoria delitivas

autorizar servidores do Senado Federal, designados pela Presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito, a acompanhar a diligência e, sobretudo, a extrair dados, informações e documentos dos sistemas de informática do Ministério da Saúde”.

CNN Brasil

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Manchete na Folha de São Paulo não esconde preferência: “Até quando o Brasil vai aguentar Bolsonaro e seus comparsas? Goste-se ou não, neste momento o país só tem um candidato: Lula”

Foto: Reprodução/Folha de São Paulo

A Folha de São Paulo destaca o texto do jornalista e apresentador Ricardo Melo, em “Colunas e Blogs”, com o seguinte questionamento: “Até quando o Brasil vai aguentar Bolsonaro e seus comparsas?”.

Para completar, antes mesmo do texto, o “subtítulo” ainda não esconde o seu posicionamento: “Goste-se ou não, neste momento o país só tem um candidato: Lula”.

A íntegra do texto na Folha de São Paulo pode ser lida no link abaixo:

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/ricardomelo/2021/09/ate-quando-o-brasil-vai-aguentar-bolsonaro-e-seus-comparsas.shtml

 

Opinião dos leitores

  1. Em menos de 2 anos a Folha fecha.
    Lula não será presidente e nem Bolsonaro permanecerá presidente, se vencer em 22.
    Acm Neto, Calça animada do RS, ou Rodrigo Pacheco : BONS NOMES.

  2. Preferência não, é apenas a leitura correta de TODOS os levantamentos feitos até agora. Diga-se.

    1. De todos??? todos é a folha e a cega datafolha??? Um jornaleco que faz propaganda eleitoral antecipada pra um ex-presidiario deve ser de muita confiança no que escreve. Chega de PT meu caro.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

PAINEL RN 2021/BLOG DO BG/AGORASEI: Quase 82% dos potiguares são contra o aborto

Foto: Reprodução

Dando continuidade ao Painel RN 2021 a pesquisa questionou aos entrevistados se eles são a favor ou contra a descriminalização e a legalização do aborto. Segundo números do Agorasei, 81,6% das pessoas ouvidas afirmam ser contrárias a mudanças nas leis que permitam a interrupção da gravidez em qualquer fase da gestação normal. Já os entrevistados favoráveis somam 14,4%. As pessoas que não souberam responder ou sem opinião formada totalizam 4%.

Por gênero: mulheres rejeitam um pouco mais

Curiosamente, as mulheres norte-rio-grandenses rejeitam um pouco mais o aborto em relação aos homens. Elas são 82,2%, enquanto os homens são 81,2% contrários à descriminalização e legalização do feticídio.

Por idade: os mais jovens têm o maior percentual do contra

Enquanto os entrevistados de 16 a 24 anos rejeitam o aborto em 71,5%, os mais idosos, de 60 anos acima, são a faixa etária mais contrária, com 89,7%.

Por escolaridade: pessoas com baixa instrução são as mais contrárias

Os universitários e pessoas com nível superior são os entrevistados com a menor reprovação ao aborto legalizado: 64,9%. Já aqueles com baixa instrução, que apenas leem e escrevem sem ter frequentado a escola, são os mais contrários, com 87,3%.

Por ocupação: estudantes têm a menor rejeição à legalização do aborto

Os entrevistados que declaram a ocupação como estudante rejeitam em 60% a prática abortiva. Já os aposentados e pensionistas são os mais contrários, com 91,1%

Por religião: maioria dos ateus são favoráveis ao feticídio

Entre os ateus a descriminalização e legalização do aborto é apoiada por 83,3%, enquanto apenas 16,7% são contrários. Já os evangélicos são 84,7% contra e os católicos 82,6%.

Por regiões: Grande Natal rejeita menos a legalização do aborto

Apenas a mesorregião Leste, onde está inserida a Região Metropolitana de Natal, tem um percentual de 78% de rejeição. Nas demais mesorregiões os percentuais estão acima dos 80%.

Sobre a pesquisa

O Painel RN 2021 ouviu 800 pessoas, de 16 anos acima, em todas as 19 microrregiões e 52 municípios do Rio Grande do Norte. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3.4 pontos percentuais, para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra. O trabalho foi realizado na primeira quinzena de agosto deste ano.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

RJ: Operação mira quadrilha que vende drogas pelas redes sociais e aceita criptomoedas como pagamento

Alluan Araújo, o Alfafa, é apontado como o chefe da quadrilha Foto: Reprodução

Uma quadrilha que vendia drogas pelas redes sociais e até recebia criptomoedas como pagamento, para driblar os órgãos financeiros, é alvo de uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público do Estado na manhã desta sexta-feira. Intitulada Operação Batutinha, os agentes têm como objetivo cumprir 18 mandados de prisão e 31 de busca e apreensão. Os acusados atuavam em bairros nobres da Zona Sul do Rio e na Barra da Tijuca. Até as 8h30m, 11 homens já haviam sido presos.

Entre os detidos está Alluan Araújo, o Alfafa, apontado como o chefe da quadrilha. Ele foi encontrado em casa, em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio. Além dele, também foi preso o ex-policial militar Edmilson Gomes da Silva, apontado como o segurança do bonde.

De acordo com os investigadores, a quadrilha fazia os atendimentos pelo WhatsApp e aceitava pagamentos em criptomoedas. As moedas digitais mais utilizadas pelo grupo eram Bitcoin e Ethereum.

O grupo foi monitorado por pelo menos nove meses. As investigações apontaram “a existência de uma verdadeira sociedade empresária criminosa com sofisticada organização para aquisição, armazenamento e distribuição de drogas de alta pureza aos clientes finais que residem em regiões abastadas do Rio de Janeiro”, diz a Polícia Civil.

De acordo com os investigadores, a quadrilha investigada chegou a comprar armamentos, “incluindo fuzis de grosso calibre para proteção e emprego contra organizações rivais, contando ainda com a segurança do ex-policial militar para movimentações de entorpecentes e entregas de grandes valores em espécie”.

Durante o período investigação foram realizadas prisões em flagrante em bairros nobres, perícias criminais e papiloscópicas em veículos utilizados pelos indiciados, análise de conteúdos telemáticos de telefones apreendidos após quebras judiciais que culminaram com a conclusão do inquérito a denúncia dos suspeitos.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Síndrome Inflamatória Pediátrica associada à covid registrou 19 casos no RN desde o início da pandemia, com maioria dos 5 aos 14 anos; outros 7 casos estão em investigação

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou o boletim epidemiológico da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) e em adulto (SIM-A), temporalmente associada à covid-19. No Rio Grande do Norte, desde o início da pandemia da covid-19, foram notificados 48 casos suspeitos, sendo 19 confirmados, 22 descartados e 7 permanecem em investigação.

Os casos confirmados são em maioria do sexo masculino na faixa etária de 5 a 14 anos e os principais sintomas apresentados são dores abdominais, náuseas/vômitos, edema de mãos e pés e /ou edema de face e anasarca (edema generalizado).

Dos casos notificados, dois pacientes foram a óbito, sendo um confirmado e o outro descartado para a SIM-P, ambos residentes de Natal.

Adultos

A enfermeira e responsável técnica pelo boletim epidemiológico, Senei Rocha, informou que atualmente a Organização Mundial de Saúde está investigando casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica em adultos, temporalmente associada a COVID-19. “Diante do novo contexto o MS orientou que os casos de SIM-A fossem notificados na plataforma Red cap disponível online, no endereço eletrônico https://is.gd/simpcovid.”

No Brasil atualmente temos seis casos em investigação, dentre eles um caso de residente em Natal, o qual já recebeu alta hospitalar. Por trata-se de uma nova situação, o caso está em investigação em conjunto com o Ministério da Saúde para encerramento.

 

Opinião dos leitores

  1. Ainda tem bovino amestrado que vem publicar aqui no Blog comentários contra a vacinação, tanto em adultos quanto em crianças… Ainda bem que temos uma população consciente que sabe a importância da vacinação, diferentemente do que ocorre em outros países onde parte da população é negacionista e terraplanista e se nega a tomar vacinas. Não à toa , os EEUUAA estabilizou sua vacinação e daqui a pouco, até o Brasil que começou a vacinação bem depois devido a inépcia de um presidente negacionista, irá ultrapassar a vacinação daquele outro país.

    1. Como tu fala merda, ômi vai procurar uma lavagem de roupa

    2. Deixa de conversar b…… Seu lunático, não se discute cientificamente a eficácia das vacinas, isso nós que compomos a classe médica entendemos perfeitamente, vc é um apedeuta metido a sabido da pior espécie. O Brasil iniciou a vacinação quando houve condições para tal, não a toa hoje um dos países que mais vacinou no mundo, para isso, havia necessidade da liberação da ANVISA e tinha que haver autorização e segurança jurídica a sua aquisição. O que se discute nos meios científicos é a possibilidade de haver efeitos indesejados em algumas vacinas, bem como, o cuidado com algumas faixas etárias. Vou te dar uma aulinha, inicialmente a obtenção da vacina acontece por vários métodos, uns já sabidamente testados e conhecidos, outros nem tanto, devido a necessidade, várias vacinas foram autorizadas sem as etapas necessárias em um universo bastante diverso, onde diversas variante precisam ser bem acompanhadas,daí o risco e o cuidado com a sua utilização, se precisarei desenho.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

PF faz busca e apreensão na sede da Precisa a pedido da CPI da Pandemia; defesa da empresa diz que operação é inadmissível

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta sexta-feira (17) mandados de busca e apreensão na sede da Precisa Medicamentos, na cidade de Barueri (SP), a pedido da CPI da Pandemia. A operação se estende a outro endereço em Itapevi (SP), onde fica a empresa Luft Healthcare, que armazena os produtos da Precisa.

A operação foi revelada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI, em sua conta no Twitter. Pouco depois, foi confirmada em nota assinada pela mesa diretora da Comissão (leia abaixo).

A Precisa é a empresa que intermediou as negociações entre o governo federal e a farmacêutica indiana Bharat Biotech para a aquisição da vacina Covaxin, um contrato que foi posteriormente cancelado depois que foi colocado sob investigação na comissão do Senado.

“A operação, que foi autorizada pelo [Supremo Tribunal Fedral] STF, destina-se à apreensão de informações relativas ao contrato entre a Precisa e a Bharat Biotech, assim como todos os documentos relacionados ao contrato”, escreveu Randolfe na rede social.

“A CPI tentou de todas as formas obter essas informações e não logrou êxito. Fez-se necessário, para prosseguimento das apurações, a utilização deste instrumento judicial”, completou o senador.

Também pelo Twitter, o senador Humberto Costa (PT-PE), outro membro da CPI, justificou a operação contra a Precisa dizendo que nem a empresa e nem o Ministério da Saúde “prestaram as informações necessárias”.

“A PF está fazendo uma visita à sede da Precisa Medicamentos, a pedido da CPI da Covid. Queremos o contrato entre ela e a indiana Bharat Biotech para saber em que termos foi negociada a bilionária compra da Covaxin”, escreveu o parlamentar na rede.

Em nota enviada à CNN, os advogados Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso, que representam a Precisa Medicamentos, disseram que a operação da PF contra a empresa é “inadmissível, num estado que se diz democrático de direito”.

“A operação de hoje é a prova mais clara dos abusos que a CPI vem cometendo, ao quebrar sigilo de testemunhas, ameaçar com prisões arbitrárias quem não responder às perguntas conforme os interesses de alguns senadores com ambições eleitorais”, afirmaram os defensores.”

Posicionamento da CPI sobre a operação

“Desde às 6h de hoje (17), a Polícia Federal realiza operação de BUSCA E APREENSÃO na sede da PRECISA COMERCIALIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS LTDA., nos endereços Avenida Tamboré, nº 267, 28º andar, Barueri – SP e Avenida Portugal, nº 1100, Bairro Itaqui, Itapevi – SP.

A operação é cumprimento de solicitação realizada pela Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado Federal para apurar ações e omissões no enfrentamento da Pandemia da COVID-19 no Brasil (CPI da Pandemia), sob decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal, através de sua Excelência, o Ministro Dias Toffoli.

A operação destina-se à busca e apreensão de informações relativas ao contrato entre a Precisa Medicamentos e a Empresa Indiana Bharat Biotech, assim como todos os documentos relacionados a este contrato.

A CPI buscou de todas as formas obtenção dessas informações junto à Empresa e ao Ministério da Saúde, não obtendo êxito. Devido a isso, se fez necessária a utilização deste instrumento judicial.

Senador Omar Aziz (Presidente da CPI da Pandemia)
Senador Randolfe Rodrigues (vice-presidente)
Senador Renan Calheiros (Relator)”

Íntegra da nota dos advogados da Precisa:

É inadmissível, num estado que se diz democrático de direito, uma operação como essa de hoje. A empresa entregou todos os documentos à CPI, além de três representantes da empresa terem prestado depoimento à comissão. Francisco Maximiano, por exemplo, prestou depoimento e respondeu a quase 100 perguntas, enviou vídeo com esclarecimentos, termo por escrito registrado em cartório, além de ter sido dispensado de depor por duas vezes pela própria CPI, em 1° de julho e 14 de julho.

Além disso, seus representantes, sempre que intimados, prestaram depoimentos à PF, CGU, além de ter entregue toda documentação ao MPF e TCU.

Portanto, a operação de hoje é a prova mais clara dos abusos que a CPI vem cometendo, ao quebrar sigilo de testemunhas, ameaçar com prisões arbitrárias quem não responder as perguntas conforme os interesses de alguns senadores com ambições eleitorais e, agora, até ocupa o Judiciário com questões claramente políticas para provocar operações espalhafatosas e desnecessárias. A CPI, assim, repete o modus operandi da Lava Jato, com ações agressivas e midiáticas, e essa busca e apreensão deixará claro que a Precisa Medicamentos jamais ocultou qualquer documento.

Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso, advogados da Precisa Medicamentos

Diretora negou tentativa de acelerar contrato

Ouvida pela CPI no começo de julho, Emanuela Medrades, diretora técnica da Precisa Medicamentos,negou que a empresa tenha feito pressão para tentar acelerar a compra de vacinas Covaxin pelo governo brasileiro.

“Não. Os únicos órgãos que tratamos foram o Ministério [da Saúde] e a [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] Anvisa. Na Anvisa, quem falava conosco era Daniela Marreco, Daniel Cruz, e as pessoas da diretoria. Tínhamos reuniões com a Anvisa que tinham mais de 50 pessoas”, disse a depoente.

No fim de agosto, o relator da CPI da Pandemia afirmou à CNN que incluiria o nome de Emanuela na lista de investigados pela comissão em razão das suspeitas de irregularidades nas tratativas das vacinas.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

    1. O pior perigo hoje é um futuro golpe militar, já vivemos a fase do pré-golpe. Cuidado que “64” está cada dia mais próximo, salve -se quem puder!

    1. Tu conhece da matéria em kkkkkkkkk, que coisa mais espantosa kkkkkkkkkk. Vão descobrir a roda kkkkkkkk cuidado com o saltitante, pode ser que ele apareça nos seus sonhos kkkkkkkk, Renan tem gosto por outras coisas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Governo do RN libera eventos de massa, desde que com o passaporte da vacina

Eventos com mais de 600 pessoas ficam condicionados à liberação prévia da Sesap, com apresentação de protocolo sanitário específico e exigência de comprovação de pelo menos uma dose da vacina 

O Governo do Rio Grande do Norte edita novo decreto estabelecendo medidas de enfrentamento à covid-19 e institui o passaporte da vacina. O Decreto Nº 30.911, de 16 de setembro, será publicado na edição do Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (17) e tem validade indeterminada, podendo o governo, a qualquer tempo, rever as medidas em função do cenário epidemiológico.

Novo documento traz como um dos aspectos principais a apresentação do passaporte da vacina – comprovação de pelo menos uma dose do imunizante contra a covid – que passa a ser exigido como protocolo para eventos com mais de 600 pessoas, podendo os municípios exigirem também para outras situações.

Eventos de ruas que não tenham protocolos específicos, regulamentados por portarias, ficam condicionados à autorização da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed). Os organizadores do evento se responsabilizarão pela observância de todos os protocolos sanitários estabelecidos, bem como das regras de funcionamento dispostas no novo decreto, incluindo a exigência do passaporte da vacina.

As propostas de eventos com público superior a 600 pessoas, instruídas com protocolo sanitário específico, devem ser encaminhadas à Sesap. Nelas, deve estar prevista a exigência, pelos participantes, da comprovação de, no mínimo, uma dose da vacina contra a covid-19, seja pela carteira de vacinação, seja pelo aplicativo “Mais Vacina” ou similar, validado pela União, Estados ou Municípios.

Para os eventos de qualquer natureza com público superior a 600 pessoas, com exceção dos corporativos e religiosos (que não sejam de rua), fica mantida a necessidade de autorização da Sesap, que mantém o poder de dirimir dúvidas sobre a realização de quaisquer eventos onde o decreto e/ou as portarias sejam omissas.

Outra mudança diz respeito às restrições de horários e ocupação durante o funcionamento do comércio e hotelaria. Não há mais a manutenção da restrição de horários para funcionamento do comércio e hotelaria e da restrição de percentual de ocupação, permanecendo apenas o cumprimento de protocolos sanitários.

Apesar do abrandamento da pandemia, permanece em vigor o uso obrigatório de máscara de proteção facial e obediência aos protocolos sanitários.

O funcionamento em desconformidade com o disposto no decreto será punido com a suspensão automática da autorização do evento ou do estabelecimento, sem prejuízo da aplicação de multa pecuniária aos organizadores.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Homem é assassinado com cerca de 10 tiros durante partida de futevôlei em Natal

O portal G1-RN noticia nesta sexta-feira(17) o assassinato de um homem durante uma partida de futevôlei que acontecia no fim da tarde dessa quinta-feira (16) em uma praça do conjunto Nova Natal, na Zona Norte da capital potiguar. De acordo com informações preliminares, a vítima estava sentada em um banco, aguardando a vez de jogar. Na ocasião, os ocupantes de um carro sem placas se aproximaram, pararam na praça e já saíram atirando.

A delegada Michelle Barros, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), afirmou que duas pessoas foram atingidas, sendo que uma delas apenas no pé. Para a polícia, os tiros eram direcionados a Clézio de Souza Filho, de 36 anos, que foi atingido por cerca de 10 tiros em várias partes do corpo e na cabeça. Ele ainda chegou a ser socorrido por outros atletas e levado ao hospital em um carro particular, mas não resistiu e morreu.

De acordo com a polícia, Clézio não tinha antecedentes criminais, nem suspeita de envolvimentos com ações ilícitas. Familiares também não souberam apontar possíveis inimigos. A polícia trata o caso como execução.

Com G1-RN

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Natal imuniza mais de 50% da população adulta

Foto: Joana Lima/Secom
Mais de 50% da população adulta de Natal (a partir de 18 anos) apta a se vacinar já completou o esquema de imunização contra a Covid-19. A marca foi alcançada nesta quarta-feira (15). De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e do portal RN+Vacina, até o momento, 347.095 pessoas receberam as duas doses ou a dose única dos imunizantes. Essa média alcançada pelo Município é superior à do Estado do Rio Grande do Norte, que é de 45% da população completamente imunizada, e do Brasil, que está em 35,8%.

Nessa fase, o público-alvo da campanha é de 690.627 cidadãos, sendo que 596.973 pessoas desse universo iniciaram o esquema vacinal, totalizando 86% do total.

Até esta quarta-feira, Natal recebeu 1.091.209 de doses e aplicou 931.535 delas, englobando dose 1, dose 2 e dose única. Entre as faixas etárias, 93% da população acima de 80 anos completou o esquema vacinal. Já entre quem tem 70 e 79 anos, esse número é de 94%. Mesma porcentagem do grupo populacional que tem entre 60 e 69 anos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

MP Eleitoral defende cassação do mandato de vereadora do RN

O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer em favor da cassação do mandato de Iara do Nascimento Silva, conhecida como “Iara de Pinto”, vereadora do município de Vila Flor, no Rio Grande do Norte. Na campanha para a eleição de 2020, a então candidata captou e gastou recursos ilicitamente, sem a devida prestação de contas, prática conhecida como “caixa 2”.

Segundo o parecer, ficou comprovado que Iara realizou gastos além dos R$ 1 mil declarados, com a aquisição de bottons (valor desconhecido) e contratação de serviços contábeis por R$ 350. Assim, mais de 35% das receitas para a campanha da atual vereadora foram arrecadadas e dispendidas à margem da legislação eleitoral.

O procurador regional Eleitoral, Ronaldo Sérgio Chaves Fernandes, destaca que a irregularidade é grave e significativa, “considerando o contexto de uma campanha para vereador em município do interior deste Estado do Rio Grande do Norte, quando os gastos são parcos, o eleitorado é diminuto (2.874 eleitores) e a eleição é decidida por uma pequena diferença de votos”. Ele conclui que “a gravidade da conduta revela-se pela prática do nefasto ‘caixa 2’, além, é claro, do desconhecimento da origem dos valores utilizados na campanha eleitoral da recorrente, de forma a comprometer a lisura do pleito no Município Vila Flor/RN”.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *