RN e mais cinco estados do Nordeste que já estavam limpos voltaram a receber óleo

Seis estados do Nordeste que já estavam limpos voltaram a receber óleo na costa . Apenas a Paraíba está desde o fim de outubro sem ser afetada pelo petróleo cru que chega do mar do Nordeste desde 30 de agosto.

Ceará, Rio Grande do Norte, Sergipe, Maranhão e Piauí estavam há pelo menos três dias sem serem afetadas. Desde a última sexta-feira, Pernambuco ficou só um dia, a última terça-feira, limpa. Já Bahia e Alagoas estão desde o fim do mês passado convivendo com problema todos os dias.

As informações foram compiladas nos comunicados diários emitidos Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil (MB), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ( Ibama ), responsáveis pela investigação e contenção de danos.

Ainda de acordo com o GAA, as seguintes localidades permanecem com vestígios de óleo, com ações de limpeza em andamento: Luís Correia, no Piauí; Japaratinga, Barra de São Miguel, Feliz Deserto e Piaçabuçu, em Alagoas; Prado, Conde, Canavieiras, Igrapiúna, Ilhéus, Itacaré, Maraú, Una e Uruçuca, na Bahia; Linhares, no Espírito Santo; Ilha de Poldros, no Maranhão; Fortim, no Ceará; Nisia Floresta e Tibau do Sul, no Rio Grande do Norte; Paulista, São José da Coroa Grande e Tamandaré, em Pernambuco; Aracaju e Estancia, em Sergipe.

No Piauí, foram encontradas novamente manchas de óleo no Delta do Parnaíba e em diversas praias, que serão limpas por um força tarefa composta por órgãos como o Ibama, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e a Secretaria estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

Ao G1, o comandante da Capitania de Portos do Piauí, capitão de fragata Dante Duarte, afirmou que o aspecto das manchas é diferente das outras vezes. Antes, tinham aspecto de massa; agora, são pulverizadas, “como se fossem moedas na areia e na água”.

O Globo